A Câmara Municipal de Lafaiete Coutinho aprovou uma indicação para que o município crie um projeto de Lei no sentido de beneficiar pequenas empresas, como bares, restaurantes, lanchonetes, kiosques, transportes alternativos, similares e outros  do município com o auxílio emergencial municipal, observando os recursos destinados pelo governo federal.  A autoria é do vereador Orlando Cardoso.

Lafaiete Coutinho tem 06 casos positivos de coronavírus e 14 casos suspeitos. O município tem realizado ações de combate e controle da doença.


O Boletim Epidemiológico do Coronavírus, desta quinta-feira, 4, atualizado às 19h, traz o registro de mais um óbito, sendo um homem de 41 anos, morador do bairro Jequiezinho, totalizando 17 pessoas vítimas da Covid-19, na cidade. 20 pessoas foram confirmadas com a doença, perfazendo um total de 460 casos positivos.

Destes, 215 foram diagnosticados por meio do método laboratorial RT-PCR. 177 pacientes encontram-se recuperados e não apresentam mais os sintomas da doença. Os que estão em quarentena somam 1625 pessoas.
Estes são os dados atualizados desta quinta:
460 casos confirmados (pessoas que testaram positivo para Covid-19), destes, 177 casos foram recuperados; 17 óbitos por residência; 1153 casos suspeitos (pessoas que apresentaram sinais e sintomas de síndrome gripal e foram notificados para Covid-19); 669 casos descartados (pessoas que testaram negativo para Covid-19; 24 casos aguardando resultado (pessoas que realizaram o exame e aguardam o resultado); 1625 casos em quarentena (pessoas que apresentam sinais e sintomas respiratórios/contatos com casos suspeitos e confirmados de covid-19/casos confirmados de covid-19).
A pessoa que tiver dúvida sobre a doença ou apresentar os sintomas do Coronavírus, devem acionar o Disque Covid Jequié, através dos telefones (73) 98866 2779 ou (73) 98866 2164.
Fonte: Prefeitura de Jequié

Apesar do foco dado ao novo coronavírus, a covid-19 não é a única que doença que preocupa a Bahia neste momento. No estado, 79 municípios vivem em nível de epidemia para a dengue há pelo menos um mês, segundo os dados divulgados pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab). O balanço considera casos notificados até o dia 16 de maio. O número total é de 41.411. No mesmo período do ano passado, foram 30.943, o que representa um aumento de 33,8%.

Para determinar a gravidade da situação e emitir o alerta epidemiológico para as cidades — o que já foi feito no último dia (29), a pasta utiliza o chamado coeficiente de incidência, que classifica o grau de ocorrência de casos em cada município. Na Bahia, as três cidades mais afetadas são Barra do Rocha, Marcionílio Souza e Uibaí. O alerta reafirma um aviso já enviado pela pasta anteriormente e serve para chamar atenção das cidades para a situação e elencar ações e recomendações que precisam ser adotadas ou intensificadas nesse momento.

No entanto, os números fornecidos pelos municípios a Secretaria de Saúde do Estado, podem ser ainda maiores, devido as diversas pessoas que tiveram enfermidades causadas pela dengue e não realizaram exames. Muitas estão temendo procurar Unidades de Saúde e Hospitais, além de os municípios possuírem um sistema de saúde precário, sem atendimento nas Unidades por médicos diariamente.

Alguns municípios do Vale Jiquiriçá apresentam situação de epidemia. Jaguaquara apresenta 1502 de casos prováveis de Dengue. O município viveu uma epidemia acentuada de casos, mas ainda tem vetor e o vírus circula na cidade, o que cresce o número de pessoas sendo diagnosticada por dengue ou outras arboviroses oriundas do mosquito, como Zica e Chycunguya, sendo notificadas separadamente. 03 pessoas tiveram Amostras Positivas para Zika e 134 para Chikungunya e 98 amostras positivas para dengue.

O município de Itiruçu, que chegou a zerar o ano de 2014 sem confirmar casos de dengue,  voltou a ter o vírus circulando na cidade e pessoas apresentando sintomas.  São 41 Nº de casos prováveis de DENGUE, com 36 amostras positivas, sendo a Incidência de DENGUE em 326,0.  03 pessoas tiveram amostras positivas para Chikungunya.

Lafaiete Coutinho teve 02 Amostras Positivas para Zika e 30 para dengue. Já Lajedo do Tabocal apresentou 18 Nº de casos prováveis de DENGUE, com 02 amostras positivas. Maracás apresenta 105 números de casos prováveis, 02 amostras positivas e 01 amostra positiva para Chikungunya.

Confira abaixo dados de municípios da Região do Vale Jiquiriçá

Obs: Planaltino, Santa Inês e Nova Itarana não aparecem nas incidências de casos. Jiquiriçá aparece com 04 amostras positivas, mas sem números prováveis.

 

     Município

Nº de casos prováveis de DENGUE Amostras Positivas Dengue Amostras Positivas Chikungunya Amostras Positivas Zika
Amargosa 1245 199 14 01
Jaguaquara 1502 98 134 03
Itiruçu 41 36 03 00
Lafaiete 72 30   02
Ubaíra 164 10 02  
Itaquara 118 09 02  
Jiquiriçá   04 02  
Lajedo Tabocal 18 02    
Maracás 105 02 01  
Aiquara 09 02    
Irajuba 165      
Laje 93   01  
Mutuípe 30      
Brejões 104   5  
Milagres 24   01  
Cravolândia 29 01 01  
Laje 93   01  

 

Entenda os sintomas e diferenças das doenças:


Logo que a forte enxurrada atingiu o município de Itaquara, as primeiras informações de moradores foram levadas a dedução de rompimento do sistema de água que fica na divisa com Jaguaquara, mas, horas depois, o prefeito de Jaguaquara visitou a localidade e constatou que o sistema não havia rompido. Ao Itiruçu Online, o prefeito disse que choveu muito forte no município e a água foi com muita força para Itaquara.

“Estive juntamente com o Diretor da Embasa de Jaguaquara, nosso amigo Vane Pinheiro, acompanhando de perto os transtornos causados na cidade vizinha Itaquara com o grande volume de água lançado após as chuvas. Muitos vídeos nas redes sociais evidenciaram invasão de residencias e alagamentos de alguns pontos da cidade. Uma das preocupações de todos em relação ao grande volume de água era se o mesmo não havia de alguma forma, sido alimentado pelo vazamento do Estação de Tratamento de Esgoto, localizado aqui no município. Essa hipótese já foi descartada.  A mesma segue funcionando dentro da normalidade com mesma vazão de costume, conforme reconhecimento feito pelo Diretor da embasa aqui de do município. Fomos juntos até a estação e nos certificamos de o funcionamento da mesma não teve alteração alguma. As equipes estão em busca da possível origem, e como suspeita, coloca em pauta possíveis rompimentos de barragens ao longo do percurso do rio que corta os municípios. Estaremos atentos pra quaisquer que sejam as intervenções necessárias.


Moradores do município de Itaquara, no Vale Jiquiriçá, foram surpreendidos na noite desta quarta-feira (03), por uma forte enxurrada que se arrastou para o centro da cidade, provocando destruição nas ruas e invadindo residências próximas.

De acordo com relatos de moradores ao Blog Itiruçu Online, a água possui um forte odor de esgoto e trouxe para cidade a taboa do brejo, o que causou ainda mais destruição no trajeto. Algumas famílias estão ilhadas e não conseguem sair das residências. O corpo de bombeiro foi acionado para auxiliar no socorro.

O Blog não confirmou rompimento do sistema de abastecimento da Embasa, chamada de Pinicao, que fica na divisa com o município de Jaguaquara. O prefeito de Jaguaquara, Juliano Martinelli,  esteve na represa com o gerente da Embasa e o sistema não rompeu, informação confirmada às 00h15 desta quinta-feira (04), após terem sido publicadas informações preliminares.

Informações  oficiais dão conta que os estragos foram causados pela água das fortes chuvas ocorridas no município de Jaguaquara, e que ganharam força em sua correnteza até o município de Itaquara.

Detalhes em nosso  Instagram 


O presidente Jair Bolsonaro vetou o repasse de R$ 8,6 bilhões de um fundo extinto para o combate à pandemia do novo coronavírus. Com o veto, os recursos poderão ser usados apenas para o pagamento à dívida pública, como constava do texto original da Medida Provisória 909, editada em dezembro e aprovada em maio pela Câmara e pelo Senado. Durante a tramitação no Congresso, os parlamentares costuraram um acordo para incluir uma emenda que mudava a destinação dos recursos do Fundo de Reserva Monetária do Banco Central (FRM). Os recursos, que estavam parados, seriam usados para ajudar estados e municípios no enfrentamento à pandemia de covid-19.

Na justificativa para o veto, o presidente alegou que a mudança de destinação dos recursos viola a Constituição, que proíbe emendas parlamentares de aumentar despesa em projetos de iniciativa exclusiva do presidente da República. Bolsonaro alegou ainda que a medida descumpre o teto de gastos, ao não demonstrar o impacto orçamentário e financeiro da despesa no ano corrente e nos dois anos seguintes.

Criado em 1966, o FRM recebia recursos de sobras de verbas do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) usados para intervir nos mercados de câmbio e de títulos. O fundo deixou de receber aportes após a promulgação da Constituição de 1988 e foi considerado irregular pelo Tribunal de Contas da União (TCU) em 2016, o que levou o governo a editar a medida provisória de extinção do fundo.

Em sessão conjunta, o Congresso analisará o veto, que poderá ser mantido ou derrubado. Com amplo acordo nas duas Casas, a medida provisória havia sido aprovada por votação simbólica na Câmara (sem registro de votos no painel eletrônico). No Senado, o texto foi aprovado por unanimidade, com o voto de todos os 75 senadores presentes no dia. Fonte EBC.


A unidade do Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen-BA) de Porto Seguro, no sul da estado, irá realizar testes RT-PCR, que é o padrão ouro para para detecção de Covid-19, a partir desta quinta-feira (4). Localizada no Laboratório Municipal de Referência Regional do município, a unidade tem capacidade para 24 testes por dia e pode processar 12 testes simultaneamente em um período de quatro horas e meia.
Outras cinco cidades do interior já foram equipadas e atualizadas com o protocolo do Ministério da Saúde para fazer a testagem: Vitória da Conquista, Jequié, Guanambi, Paulo Afonso e Barreiras, este último em parceria com a Universidade Federal do Oeste (Ufob). Com as unidades no interior, municípios que demoravam até sete dias para receber os resultados podem obtê-los em até 48 horas. Técnicos de todos esses municípios foram treinados no Laboratório Central da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), em Salvador.
O secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, explica que, com essa iniciativa, as ações de saúde pública poderão ser tomadas ainda mais rapidamente. “O Lacen, em Salvador, já vem fazendo um grande número de testes e dando respostas rápidas. Com essa descentralização, a agilidade será ainda maior, possibilitando que todas as medidas em relação aos pacientes e contactantes sejam ainda ágeis. É uma importante ação no combate ao novo coronavírus”, afirma.
De acordo com a diretora-geral do Lacen-BA, Arabela Leal, a descentralização ajuda a dar mais agilidade na realização de testes de Covid-19 em todas as regiões. “A partir de agora, poderemos realizar exames de biologia molecular, com o exame RT-PCR, em tempo real, o que permite identificar pequenas partículas do vírus na secreção do nariz e garganta das pessoas. Antes, os testes eram feitos em Salvador e acabava se perdendo muito tempo para que o resultado chegasse até os municípios do interior. Agora, os testes ficam acessíveis muito mais rapidamente, garantindo melhores resultados nos casos mais críticos”.

O Lacen-BA realizou mais de 60 mil testes do tipo RT-PCR, que é o padrão ouro para identificar o genoma viral do coronavírus, no período de 1° de março a 3 de junho de 2020. Os números colocam a Bahia em segundo lugar no ranking nacional de testagens moleculares, ficando atrás apenas de São Paulo.


Soraya Rafaela Rodrigues, Sanitarista da NRS Sul/BRS de Jequié, manteve contato com o Itiruçu Online para rechaçar as declarações feitas pela prefeita de Itiruçu, Lorenna Di Gregorio, no programa Giro Total da Itiruçu FM, na quinta-feira (28/05), quando disse ter tido dificuldade para receber os serviços do carro Fumacê, por, segundo a prefeita, ter sido orientada  sobre a liberação  ter que passar por pedidos de deputados. Clique aqui e confira.

De acordo com Soraya Rodrigues, as declarações não foram  verdadeiras, garantido desconhecer qualquer pedido feito pelo município de Itiruçu através da Vigilância Epidemiológica. “Não recebi este ano qualquer solicitação de UBV pesado do município. Caso tivesse recebido, teria encaminhado como qualquer município, conforme critérios técnicos e fluxo do Estado”, disse.

Apesar de a prefeita ter referindo-se a central em Ilhéus, as solicitações para o município de Itiruçu estão inclusas na Regional de Jequié.  “Sou responsável pela solicitação de UBV pesado na região de Jequié e estou há 13 anos na Vigilância Epidemiológica da Regional de Saúde, a qual se vincula o município de Itiruçu. Tenho trabalhado conforme critérios técnicos e com ética. Jamais daria uma resposta dessa a qualquer solicitação de UBV. Nunca recebi essa ligação e nenhum outro colega da regional”, frisou a coordenadora da NRS Sul/BRS de Jequié.


Uma das vítimas era morador de Irajuba.

Uma colisão frontal entre dois veículos de passeio deixou 04 vítimas fatais na manhã desta quarta-feira (03), trecho da Serra do Mutum, na BR-116. De acordo com relatos colhidos pelo Itiruçu Online, uma das vítimas fatais era morador do município de Irajuba, identificado por Marcus Dourado. Uma outra pessoa do mesmo município foi socorrida ao Hospital Geral Prado Valares, esposo de uma vereadora da cidade, de prenome, Fábio. Outras três pessoas morreram no acidente e eram oriundas do Estado do Paraná.

A PRF esteve no local para  registrar o acidente.

Éverton Correia dos Santos, 51 anos; Eduardo Silva dos Santos, 10 anos, e Éverton Paulo Silva, 16 anos, moravam no Paraná e eram da mesma família. Everton era pai dos outros dois no veículo.


Durante uma  live realizada na noite da segunda-feira (1), com o secretário de Desenvolvimento Rural (SDR), Josias Gomes, o deputado estadual Zé Cocá (PP), lembrou que a agricultura familiar é um dos mais importantes segmentos da economia baiana, e defendeu a assistência técnica para esse setor produtivo. “Mais de 70% dos alimentos que chegam às mesas dos baianos vem da agricultura familiar”, afirmou, pontuando que “esse setor, que está sofrendo também com a pandemia do coronavírus, precisa ser estimulado com assistência técnica, para aumentar a produção e a produtividade”. Além do secretário, participaram do bate-papo on-line a diretora do Hospital Prado Valadares, Débora Martins, e o agente comunitário Erlon Cruz, presidente do Sind-ACS/Ace.

Josias Gomes concordou com as afirmações do deputado, e afirmou que o governo já montou uma comissão para planejar a reabertura da economia na fase pós-pandemia, e revelou que “vamos investir recursos importantes na agricultura familiar nos próximos dois anos, atendendo a milhares de trabalhadores”.

O secretário Josias Gomes informou que o governador Rui Costa lançou o programa Viva Feira, destinado a revitalizar as feiras livres, observando protocolos de proteção para evitar a propagação do Covid-19.  O deputado Zé Cocá elogiou essa iniciativa, e destacou a importância das feiras livres, não só como estrutura para comercialização da produção agrícola, mas como elemento de transmissão da cultura popular. “E o governo do estado está agindo com todo cuidado, distribuindo o kit feirante, com álcool em gel, avental e máscaras para proteger a todos”. Zé Cocá pondera que “simplesmente fechar as feiras, seria tirar o pão do agricultor”.