Nasce filha de refugiados venezuelanos acolhidos em Jequié

O pastor Josias Novais, da Primeira Igreja Batista do Jequiezinho (IBJ), publicou foto e escreveu em seu perfil no Facebook. “Hoje (19/3) às 12:15h, na Santa Casa de Misericórdia do São Judas Tadeu – Jequié/Bahia/Brasil, nasceu a pequena VICTÓRIA MARIA, filha dos venezuelanos acolhidos por nossa igreja, Pedro José Salcedo González eNorelys Figueroa. No nascimento dela renasce a esperança de uma nova Venezuela!”

Os refugiados venezuelanos foram acolhido pela IBJ, localizada em Jequié, cidade de aproximadamente cento e setenta mil habitantes no interior baiano. Pedro e Norelys, são oriundos da Ilha de Margarita, situada no mar do Caribe, nordeste de Caracas, migraram para o Brasil, via Pacaraima no estado de Roraima, e seguiram para Boa Vista, onde passaram muitas dificuldades até serem acolhidos pela Missão Batista em Roraima, (Casa Brasil-Venezuela), sendo enviados para São Paulo e posteriormente para Jequié, onde formam recebidos no dia 15 de setembro/2018, na rodoviária local, pelo pastor Josias Novais e membros da IBJ.

Os venezuelanos estão morando na Casa de Acolhimento, mantida pela IBJ, para receber parentes e acompanhantes de pessoas carentes que realizam procedimentos médicos em Jequié.

O documentarista Dado Galvão, levou ao encontro dos refugiados venezuelanos e do pastor Josias em outubro de 2018, a bandeira-abaixo assinado do Mercosul, além de gravar entrevistas para realização de um documentário como partes das ações culturais e humanitárias da Missão Ushuaia, Venezuela.
 
Dias 1 e 2 de maio, a bandeira abaixo-assinado do Mercosul, será levada para Boa vista e Pacaraima, no estado de Roraima, onde refugiados e migrantes venezuelanos poderão deixar sua mensagem na bandeira. Os integrantes da missão pretendem entregar em território venezuelano ao presidente encarregado da Venezuela, Juan Guaidó, a bandeira do Mercosul.
Tramita no PARLASUL, projeto do parlamentar argentino Humberto Benedetto que declara Missão Ushuaia de interesse cultural e humanitário.

Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas