Lajedo: Vereadores rejeitam contas da ex-prefeita Mariângela Borges, exercício de 2012

Foto/Blog Itiruçu Online
Fotos/Blog Itiruçu Online

Com o plenário da Câmara de vereadores lotado de funcionários públicos municipais, os vereadores, reprovaram, em sessão realizada na noite desta segunda-feira (26), as contas do exercício financeiro do ano de 2012, de responsabilidade da ex-prefeita Mariângela Santos da Silva Borges (PSB), em Lajedo do Tabocal, centro sul do estado, no vale Jiquiriçá.

ce0d694c-aa35-4304-bf14-b541c014ac41

Por 5 votos favorável pela manutenção da rejeição e 4 optando pela aprovação, a Câmara rejeitou as contas. Os funcionários do município aplaudiram a rejeição das contas relativas ao exercício de 2012. Em dezembro de 2012 a ex-prefeita deixou o mandato e não realizou o pagamento dos servidores, situação que gerou processos trabalhistas para o município. Na justificativa apresentada ao TCM, em pedido de revisão, a contabilidade do exercício de 2012 justificou ter pago os funcionários em dezembro de 2012 e deixado em contas do município recursos a pagar, o que, de acordo com informações da prefeitura, não foi a realidade vivida à época.

2e73553f-2f0a-496e-88ff-426b6f66c919

De acordo com dados do Tribunal de Contas dos Municípios –TCM-, o  relatório apresentou diversas irregularidades praticadas pela gestora, entre elas a inexistência de disponibilidade de caixa suficiente para fazer face aos restos a pagar do exercício e às demais obrigações de curto prazo; além da não aplicação do mínimo exigido na manutenção e desenvolvimento do ensino; abertura de créditos adicionais suplementares sem indicação dos recursos correspondentes e utilização de créditos adicionais suplementares sem o correspondente decreto de abertura. As contas do exercício de 2011 também foram reprovadas pelo TCM.

d21f4eb2-14eb-43c3-8f59-b48711ccefd2

Com a reprovação pelo último colegiado a decidir por rejeitar as contas, sendo o Legislativo Lajedense, a situação política da ex-gestora Mariângela Borges, fica complicada na política local, permanecendo ela (Mariângela) inelegível por rejeição de contas de sua gestão. Mariângela assumiu o município em eleição completar convocada depois que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manteve a decisão que indeferiu o registro de Reivaldo Moreira Fagundes, candidato mais votado para prefeito no município em 2008.  Em fevereiro de 2010 a eleição foi realizada e Mariângela obteve  2.522 votos (60,55% do total de válidos).


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas