O ataque de fogos de artifício na casa do ex-prefeito de Itiruçu, Aílton Cezarino, foi apurado pela justiça e uma pessoa foi condenada depois de assumir o ato sozinho.

O fato ocorreu após eleição da mesa diretora da Câmara de Vereadores da cidade que deu a vitória a Ezequiel Borges, então reeleito presidente da casa. Cezarino emitia opinião sobre o processo eleitoral da época, afirmando que era realizado de forma ilegal e não havia legalidade, como de fato não houve, sendo dias depois cancelada a eleição pela Justiça.  Em Itiruçu o clima político é acirrado e as pessoas mudam o comportamento em detrimento de posições partidárias, que as vezes passam dos limites nas ações descabida ao bom convívio.

Judson Bastos Santos, motorista contratado pela prefeitura, foi condenado pelo ato contra o patrimônio do advogado e ex-prefeito da cidade. O condenado sofreu a pena restritiva de direito acrescido da pecuniária. Por um período de dois anos o Réu não poderá comparecer a ambientes públicos, não se ausentar do município sem autorização judicial e, caso mude de cidade, deve informar o novo endereço e perder a primariedade, ou seja, já não é mais réu primário.  Além destas penas de restrição de direitos, o Réu também foi apenado a pagar um salário mínimo como danos morais, cujo valor foi solicitado pela vítima que fosse destinado para a Paróquia Santo Antonio, com intenção de que seja adquirido agasalhos para distribuição de pessoas carentes do Município.

De acordo com os proprietários do imóvel atingido, o principal motivo dos proprietários foi que esta pena sirva de exemplo não apenas para o condenado, mas também para os mandantes e coautores, como a toda classe política passe a usar a política para discutir propostas e projetos e não os ataques ao patrimônio particular de ninguém como a integridade física das pessoas, já que os ataques á patrimônios é crime de dano, tipificado no art. 163 do Código Penal, que consiste em Art. 163 – Destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia: II – com emprego de substância inflamável ou explosiva, se o fato não constitui crime mais grave.

“Nossa intenção é mostrar que a política precisa ser discutida no campo das ideias e de projetos e jamais com violência. Todo cidadão tem o direito de se expressar sobre assuntos inerentes a sua cidade, especialmente os que vivem ativamente o processo político. Que sirva de exemplo esta condenação e que a partir de agora muitos aprendam a respeitar e serem responsáveis por seus atos. A Política deve seguir o curso do desenvolvimento e da boa convivência, com respeito e democracia”, disse o ex-prefeito, Aílton Cezarino.


Na Bronca com a situação em trechos das estradas rurais de Itiruçu, produtores resolveram fazer a manutenção por contra própria na região da Várzea. A Via é uma BA que é mantida pelo município e historicamente recebe a manutenção com recursos do próprios. Com o tempo chuvoso, a estrada ficou esburacada e os produtores cobram melhorias em diversos trechos, desde o Povoado Vitória, Upabuçu, Vila Pimentel e Várzea.

Apesar de haver a promessa da prefeitura de realizar os serviços de recuperação pelo município, alguns trechos não davam para esperar, fazendo com que os produtores tomassem a iniciática de realizar os serviços em pontos críticos. Antes da ação do vídeo acima, produtores da Vila Pimentel também adiantaram os serviços em trechos da comunidade por conta própria.


Engenheiro César Mehlem emitiu nota técnica para responder burburinhos de WhatsApp em Itiruçu.
LEIA AQUI: Nota Técnica- Embasa (1)

A Empresa Baiana de Água de Saneamento – Embasa-, entrou na onda de rebater grupos de WhatsApp e emitiu uma nota técnica assinada pelo gerente regional, Cesar Mellhem, que resolveu atencionar burburinhos das redes sociais de Itiruçu, através de declarações que, teriam sido ditas por um ex-funcionário da empresa, afirmando não ingerir água fornecida pela Embasa, provocando polêmicas entre os consumidores.

A Nota técnica salienta detalhes do processo de Tratamento na ETA – Estação de Tratamento de Água -, garantindo existir dentro do processo de tratamento todas as normas exigidas pelo Ministério da Saúde e um rígido controle que atestam a qualidade da água fornecida.

As supostas declarações do tal “ex-funcionário” fizeram que vereadores cobrassem   explicações junto à Embasa, o que motivou a empresa emitir uma satisfação e agendar uma visita ao Sistema de Tratamento, para que conheçam como é feito o processo de tratamento. Após a visita, os vereadores devem indicar ao município de Itiruçu e de Lajedo do Tabocal, por suas Vigilâncias  Sanitárias, que passem a analisar uma vez na semana a qualidade da água em diversos pontos da cidade, o que ajudaria a Embasa manter a qualidade no processo de tratamento, analisando COR, CLORO RESIDUAL LIVRE, TURBIDEZ, TEOR DE FLÚOR, DUREZA E COLIFORMES  FECAIS E TOTAIS, comparando resultados com o que exige as portarias de saúde em cada teor que deve chegar às residencias.

O sistema de Lajedo do Tabocal faz a captação de água na Barragem do Baixão onde abastece Lajedo do Tabocal e Itiruçu. O sistema possui dois Dessalinizadores para ajudar no processo de dessalinização, embora não funcionem simultaneamente, o que caso ocorresse ajudaria a melhorar, por ser a dessalinização  um processo físico-químico de tratamento de água que retira o excesso de sais mineirais, micro-organismos e outras partículas sólidas presentes na água salgada e na água salobra, com a finalidade de obter água potável para consumo. A reclamação mais contundente dos consumidores é a água ser salobra.

Com a crise hídrica, a Embasa passou por processos diferentes no sistema de tratamento, perfurando novos poços tubulares e utilizando um manancial reserva para garantir com dificuldade o abastecimento. Nesse percurso, por diversas vezes a empresa forneceu água com cor e a gerencia local realizou descargas nas redes e residências para sanar o problema, sendo também o assunto repercutido nas mídias sociais e na imprensa. A reclamação foi geral na cidade de Itiruçu.

A Gerencia regional de Jequié, sempre que informada dos ocorridos, providencia Notas Técnicas sobre os assuntos e garante sempre que as providencias estariam sendo tomadas, mesmo depois da garantia, a água com cor e as constantes quebras nas adutoras ocorrem corriqueiramente e as reclamações são levadas a emissora de rádio local semanalmente.

Certo é que, a Embasa enquadra-se de condições para investir mais no sistema de Lajedo do Tabocal para tornar a água menos salobra. O consumidor merece pagar por um produtor de qualidade e que seja fornecido com uma frequência maior em todos os Bairros e Povoados, além de dentro dos padrões das Portarias de saúde, é preciso investir na qualidade e tornar a água menos salobra e ainda mais adequada para o consumo humano.


Diante do assunto mais comentado na cidade de Itiruçu, em virtude de professores da rede municipal tornar público a ausência de repasses do município em dados da previdência, no que se refere ao CNIS, que consta apenas quitação de 2006 a 31 de março de 2017, conforme dados fornecidos por servidores da educação que realizaram consultas no INSS.

Antes de tudo é preciso saber o que é CNIS?

O CNIS é o Cadastro Nacional de Informações Sociais é a base de dados nacional que contém informações cadastrais de trabalhadores empregados e contribuintes individuais, empregadores, vínculos empregatícios e remunerações. Ele foi criado no intuito de criar uma base de dados integrada, o Governo Federal determinou a criação do CNT – Cadastro Nacional do Trabalhador, através do decreto 97.936 de 1989, na forma de consórcio entre Ministério da Previdência e Assistência Social (MPAS), Ministério do Trabalho (MTb) e Caixa Econômica Federal (CEF). Posteriormente assumiu, conforme lei 8.212 de 1991, a denominação de CNIS.

O CNIS contém os dados básicos e complementares de pessoas físicas engajadas em atividades produtivas. Incluem-se neste universo os trabalhadores empregados ou contribuintes individuais, tais como empresários, funcionários públicos, ou quaisquer pessoas detentoras de NIT , PIS ou PASEP e que tenham informado a partir de 1971 (para empregados) ou 1973 (para contribuintes individuais) seus dados sociais, ou previdenciários ao governo federal. São fontes deste cadastro: PIS/PASEP; RAIS; FGTS; CAGED e Cadastro de Contribuintes Individuais. Você consultar o CNIS online através do site da DATAPREV lá você vai digitar o número CNIS do seu cadastro feito pelo seu empregador e obter maiores informações sobre Seguro Desemprego, FGTS, e demais dados trabalhistas que queira consultar.

Polêmica em Itiruçu? O INSS esclareceu ao Itiruçu Online.

Em respeito aos professores, que são funcionários de carreira efetivos, a reportagem buscou junto a previdência e seu setor jurídico, através do jurista Alender Correria, que respondeu ao questionamento sobre o assunto inerente a Itiruçu.

– “O CNIS é o cadastro em que deve constar toda a vida do trabalhador. É a partir dele que o tempo de contribuição é calculado, ou seja, entra no cálculo o que estiver no CNIS. Com relação aos atrasos, não é raro os municípios atrasarem, e também é algo que não é  tão  complicado de resolver, pois a partir de uma declaração do município, num formulário padrão que o INSS tem, acompanhado de contracheques ou folhas de pagamento,  é possível regularizar os dados e atualizar o sistema, comprovando o repasse dos valores”- Disse o advogado.

Neste caso, é simples solucionar a questão, mas antes de tudo é preciso entender e respeitar a posição de quem busca informações em seus dados na previdência e nutre preocupação com a ausência do que é descontado durante todos os meses do ano de seus vencimentos.


A sociedade Itiruçuense recebeu com tristeza a notícia do falecimento de Gildásio Rodrigues de Souza, popular Dazo, ocorrido neste último domingo (18) no Hospital de Itiruçu. Dazo era de família tradicional no município. O sepultamento ocorre na manhã desta segunda-feira (19), às 11h, no Cemitério local.

A família enlutada agradece às manifestações de pesar, de carinho de todos.


Fotos da obra do calçamento no Bairro do Pé na Jaca estão circulando nas redes sociais em Itiruçu com diversos pontos onde as pedras estão afundando com a passagem de veículos e meios fios sendo quebrados. O Itiruçu Online procurou a empresa responsável pela obra para entender a situação.

De acordo com relatos da empresa, a obra tem sido invadida antes do prazo estabelecido para curar o calçamento, ou seja, secar completamente o cimento, que vai de 25 a 30 dias, sendo estendido no período chuvoso. As invasões estão ocorrendo sem a liberação das Rua. A situação vai virar caso de polícia, pois a empresa já acionou delegacia para investigar como as Ruas foram abertas para passagem de veículos, afirmando que todas são fechadas em seus acessos, impedindo que sejam utilizadas, acreditando haver alguém por trás das aberturas que é considerada “proposital”.

Segundo a empresa, as Ruas já foram vistoriadas e agora espera da comunidade para ajudar na fiscalização para que o calçamento não atrase a entrega, mas se continuar tendo que fazer reparos, acaba causando prejuízos a comunidade e ao município.

 

As Obras

As Obras serão executadas e o prazo estabelecido cumprido, é o que garante a empresa. Moradores questionaram sobre o inicio em algumas Ruas que foram invadida pela lama com as chuvas.  A empresa afirmou que todas estarão calçadas, mas que é preciso seguir a normatização de fiscalização e liberação do estar  sendo feito.


Em Itiruçu vai virar moda o sofrimento do povo ser encarado como Fake News. É assim a postura de alguns que estão obrigados a justificarem problemas que o município vive. Mas, mudar a realidade de um povo não é nada fácil, principalmente dos que moram na Zona Rural, que sofrem há anos com estradas esburacadas, poeira e lamaçal em diversos períodos do ano. Nem tudo que se escuta, é o retrato da realidade.

 

Na última semana moradores da Vila Pimentel enviaram ao Itiruçu Online relatos de suas estradas esburacadas e tomadas de lama, até que um morador por contra própria resolveu tomar iniciativa e melhorar a estrada. Agora é a vez do Distrito de Upabuçu pedir socorro ao Itiruçu Online para chamar à atenção da prefeitura, cansados de esperar promessas de calçamentos. O que é pior, além de aguardar promessas, nem paliativos estão tendo nas Ruas que ainda não foram calçadas no Centro do Distrito, e ainda convivem com lama e poeira em ruas que estão calçadas, isso devido ao movimento de veículo que acaba levando a lama de uma rua para outra e, desta forma, quando o clima muda, acaba se tornando poeira.

 

Relatos fotográficos do final de semana mostram a Rua de acesso ao Colégio Antonio Sérgio Carneiro, completamente intransitável até para animais: buracos e lama tomando conta da Rua.  “Aqui em Upabuçu estamos abandonados. É falta de água e não temos a quem recorrer, Ruas escuras, falta de médico e de remédios, não temos a quem recorrer. Não temos vereador que brigue por nós, e estamos há mais de 20 anos ouvindo promessas que vão calçar nossas Ruas. Até quando seremos feitos de betas e massa de manobra? Basta se aproximar da eleição que vão começar chegar obras. Até agora só chegou placas e menos da metade de uma Praça. Peçam aí que esses políticos olhem por Upabuçu, pelo amor de Deus”, enviou o morador em relatos via Facebook ao Itiruçu Online. Os moradores cobram semanalmente melhorias para o Distrito na Rádio Comunitária de Lajedo do Tabocal, a LT FM, que chega sinal na comunidade.

Obras de Calçamento

O município aprovou um empréstimo em 2014, com indicação de calçamentos para Upabuçu, conforme divulgado à época. Os recursos foram geridos na gestão da prefeita Lorenna Di Gregório, que pavimentou a Rua do Café, Bairro Ulisses Souza e Pé na Jaca, obras que estão em andamento. Para Upabuçu a comunidade deve aguardar a liberação de um segundo empréstimo para iniciar a pavimentação, também já aprovado junto pela Câmara de vereadores a autorização para a prefeitura e o Desenbahia firmar um novo empréstimo, e assim beneficiar povoados na Zona Rural, entre Upabuçu, Feto e Vila Pimentel. Até lá, a comunidade só pede que amenizem o sofrimento.


A Miss de Itiruçu, Lara Pelagatti, foi eleita neste sábado (18) a Miss Bahia Teen 2019.  A cerimônia no Teatro Diplomata, em Patamares, que chegou a  sua 10ª edição do Concurso MISS & MISTER BAHIA 2019. Este ano traz no tema: “REVIVENDO AS TRADIÇÕES BAIANA”, com um desfile coreografado pelo Coordenador e também Diretor Artístico – Pepê Santos.

Lara venceu e na cidade de Itiruçu recebeu o carinho do público pela simpatia e alegria nas redes sociais.

O concurso é dividido em quatro categorias (Mini, Mirim, Teen e Juvenil) e visa descobrir modelos para o mundo Fashion e publicitário da Bahia, rumo ao Miss & Mister Brasil.

Os finalistas foram avaliados por um corpo de 12 jurados que são formadores de opiniões e profissionais da área de moda, fotografia, estética, jornalista, produtores, e Ex-Miss e Mister Bahia. Foram avaliados postura, andamento, simpatia, plástica, desenvoltura, estética e beleza com notas de u) a 05 cinco. Cada categoria terá um casal vencedor e a agência responsável pelo concurso One Models Bahia, repassará uma premiação individual de R$ 1.000,00.

Este evento tem como objetivo ajudar a instituição “Lar Vida“ localizada na estrada velha do aeroporto que cuida de crianças portadoras de crianças com mutação genética.


O assunto inerente a extratos do CNIS de professores da rede municipal de ensino que consultaram junto à Previdência Social e notaram a ausência de repasses em seus históricos, mesmo sendo descontados em seus vencimentos, ainda causam dúvidas aos servidores devido a notas confusas sobre o assunto.

De acordo com dados encontrados por funcionários da educação, o histórico consta regularizado desde junho de 2006 até 31/03 de 2017, com dívidas do município com o INSS ou não, os repasses estavam sendo creditados regulamente até a citada data.

Segundo uma suposta nota de assessores da prefeitura, que gera ainda mais confusão, diz em primeira linha, afirmar haver a suspensão do repasse ao INSS que o município recolhe de seus cofres em virtude da decretação da “situação emergencial” do município. Segundo a explicação, o valor descontado do Salário do Trabalhador é recolhido junto ao INSS. A informação contradiz, primeiro o decreto emergencial, não especificando o objetivo do decreto, já que por período de longa estiagem seria sem efeito climático para justificar e/ou por outros motivos.

Outro motivo alegado o não repasse, seria dívida acumulada durante décadas com renegociação que não foram cumpridas e que vem sempre jogando para gestões posteriores. Justifica, mesmo estando o CNIS atualizado com pagamento até 31/03 de 2017.

A Nota de assessores garante que parcelas de dívidas negociadas com a previdência pela gestão em curso estão sendo pagas em dias, o que, afirma o município obter a Certidão de Regularidade Junto ao INSS, garantindo, também, que os servidores municipais  não serão prejudicados   em seus  direitos, a quem só compete apresentar o contracheque no INSS, quando for aposentar ou requerer qualquer benefício de que necessite.

O Itiruçu Online agendou uma entrevista sobre o assunto para que não haja dúvidas, com objetivo de apenas esclarecer dúvidas dos servidores que estão sendo confundidos com a ausência de repasses em consultas a seus CNIS.


Servidores da Prefeitura de Itiruçu estão preocupados com consultas feitas através do CNIS da previdência Social, pois a prefeitura tem descontado os valores dos salários e não repassado ao INSS. É o que consta em dados de servidores ( professores)  enviados ao Itiruçu Online. Curioso é que, todos os anos anteriores a 2017 foram repassados normalmente, com negociação de dividas ou não.

De acordo com os dados, os repasses aconteceram normalmente de 06/09/de 2006 até 31/03/2017, conforme dados colhidos na imagem no CNIS de um dos servidores, professores  efetivos do município. De acordo com funcionários da educação, foram cobradas explicações do município, que até então não se posicionou de forma oficial e esclarecedora.  Já que os valores não repassados estão faltosos na atual gestão, estando os demais anos no sistema do INSS atualizado. O Itiruçu Online buscou uma nota do município sobre o assunto, mas ainda não obteve resposta.