O 7 de setembro é uma das datas comemorativas mais importantes do Brasil, justamente por abrigar um dos principais acontecimentos da nossa história: a nossa independência. Foi nesse dia, em 1822, que d. Pedro deu início a nossa trajetória como nação independente. Atualmente, o 7 de setembro é um feriado nacional que é marcado por comemorações públicas nas grandes cidades.

História

A independência do Brasil aconteceu em 7 de setembro de 1822, quando, supostamente, d. Pedro (futuro d. Pedro I) proclamou o grito da independência às margens do Rio Ipiranga, na atual cidade de São Paulo. Com isso, o Brasil rompeu sua ligação com Portugal e consolidou-se como nação independente.

Quais foram as causas da independência?


A 8ª Edição do Desafio Mucugê de MTB aconteceu no último final de semana, nos dias 03, 04 e 05 em Mucugê-BA, na Chapada Diamantina.  O evento reuniu mais de 400 atletas que participaram das provas que já se consolidaram como uma das principais provas do calendário nacional disputada na “Meca” do MTB baiano, local que sediou a maior ultramaratona de Mountain Bike das Américas, o Brasil Ride.

Dohn Máquina no pódio.

O itiruçuense John Máquina  brilhou em mais uma boa performance, ficando em 5º lugar na categoria Sub-30, sendo um dos destaques do Vale Jiquiriçá no desafio de nível internacional de Mountain bike.

Napoleão garantiu vaga entre os primeiros.

Outro itiruçuense que alcançou pódio em uma das provas foi Napoleão Barros, ficando em  4° lugar, sendo disputada apenas um dia o desafio de 30 a 39 anos, categoria Sport B.   O Desafio Mucugê MTB, Edição 2021 é uma realização da empresa Alto Paraguaçu Marketing e Federação Baiana de Ciclismo.


Por volta das 22 horas de domingo outra pessoa foi assassinada no Conjunto Habitacional Vida Nova, em Jequié. A vítima foi Joilson Souza Silva, morto a tiros por um homem ainda não identificado. Segundo o plantão da Delegacia Territorial de Jequié, o corpo de Joilson foi encontrado no interior da residência, próximo a janela que dava acesso ao quintal da casa.

Foram constatadas quinze perfurações por arma de fogo. O fato será apurado pelo setor de homicídios da Delegacia Territorial. O clima de violência deixou os moradores do residencial apavorados, em um único dia duas pessoas assassinadas e outra baleada no mesmo local. Do Blog Jr. Mascote.


As mortes por covid-19 no Brasil, mais uma vez, atingiram o menor patamar no ano de 2021, segundo a média móvel de sete dias divulgada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Ontem (5), foi registrada uma média diária de 617 óbitos, o menor nível desde 28 de dezembro de 2020 (611 mortes). Até o fim de agosto, o menor nível de mortes do ano havia sido registrado em 3 de janeiro (697). Em 27 de agosto, a média ficou abaixo desse patamar, ao apresentar 688 óbitos. A marca foi sendo batida dia após dia, até 2 de setembro, quando se chegou à média de 621.

Nos dias seguintes, a média ficou relativamente estável. Ontem, voltou a cair e a apresentar o menor patamar do ano. A média de ontem representa um recuo de 21% na comparação com duas semanas antes. Já em relação ao mês anterior, a queda chegou a 30,4%. O pico de óbitos na pandemia de covid-19 no país foi registrado em 12 de abril, quando foi observada uma média de 3.124 mortes, cinco vezes acima do número apresentado ontem pela Fiocruz.

A média móvel de sete dias é calculada somando-se os dados do dia em questão com os seis dias anteriores e dividindo-se o resultado por sete.


Oficiais das forças especiais da Guiné afirmaram no domingo, 5, que capturaram o presidente Alpha Condé, conquistaram a capital Conacri e “dissolveram” as instituições, ao mesmo tempo que anunciaram um toque de recolher em todo o país. Este golpe de Estado militar pode tirar do poder um veterano da política africana que se encontrava cada vez mais isolado.

Não foram registradas até então mortes durante o golpe, apesar do intenso tiroteio ouvido pela manhã na capital deste país da África Ocidental, que há meses atravessa uma grave crise econômica e política. O possível fim de mais de dez anos de governo de Condé provocou cenas de júbilo em várias partes da capital.

“Decidimos, depois de prender o presidente, que atualmente está conosco (…), suprimir a Constituição em vigor, dissolver as instituições, e também o governo, assim como fechar fronteiras terrestres e aéreas”, declarou um dos golpistas, em um comunicado publicado nas redes sociais.

Denunciando o “caos” do governo, o chefe das forças especiais, tenente-coronel Mamady Dumbuya, envolvido em uma bandeira guineana, prometeu em rede nacional “lançar uma consulta nacional para abrir uma transição inclusiva e pacífica”.

Os golpistas transmitiram um vídeo do presidente de 83 anos preso. Ao ser questionado sobre se foi maltratado, Condé, de jeans e camisa, sentado em um sofá, nega-se a responder.


Este ano, os brasileiros estão sofrendo com as constantes altas nos preços dos combustíveis. Com o transporte rodoviário sendo o principal sistema logístico do país, muitos são os impactos em vários setores. No agronegócio, os produtores de frutas já sofrem com o aumento no valor do frete e também dos insumos necessários para produção. Desde maio que o preço médio do frete para produtos do agronegócio subiu. A alta foi de 1,2% em comparação com o mês de abril, segundo o Índice FreteBras do Preço do Frete (IFPF).

O diesel é o principal componente no custo logístico da agroindústria e, no mês de julho, sofreu alteração no valor juntamente com a gasolina e o gás de cozinha. Os aumentos foram de 3,7%, 6,3%, e 5,9%, respectivamente. Segundo a Petrobras, os novos preços acompanham a alta das cotações internacionais do petróleo e derivados. A elevação refere-se às refinarias da estatal e o repasse ao consumidor depende de políticas comerciais externas.

As variações no custo do combustível são significantes e afetam diretamente o bolso do agricultor. Na zona rural do município de Juazeiro, o produtor de manga e limão, Gilvado Santos, 53, já sente os efeitos negativos. Ele teve que parar com o cultivo de cocos em prol de cortar custos e se manter na produção de outras frutas. O preço para transportar os alimentos dobrou, o que dificultou a vida do produtor agrícola.

“Nós, os produtores, dependemos de transportes para carregar a mercadoria que vendemos. Mas, devido aos grandes aumentos que os combustíveis vêm sofrendo, estamos pagando bem mais caro. Antes, para transportar uma caixa de frutas, o valor era R$ 2,50. Agora já estão cobrando R$ 5,00. Transportei recentemente 300 caixas, paguei R$ 1.500, o dobro do que pagava para transportar essa quantidade”, desabafa Givaldo.

Cadeia produtiva


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vetou parcialmente o projeto aprovado no Congresso que trata dos crimes contra o Estado Democrático de Direito que revoga a Lei de Segurança Nacional (LSN) —um resquício da ditadura militar (1964-1985). No entanto, a decisão do presidente inclui veto a cinco trechos. Ao menos dois deles, podem beneficiar parcela de apoiadores do presidente —comunicação enganosa em massa e o aumento de pena quando os crimes contra o Estado de Direito forem cometidos por militares ou outros agentes públicos.

Os vetos ocorrem a menos de uma semana das manifestações de 7 de Setembro, marcadas em apoio ao presidente e que têm gerado apreensão em críticos por conta de motes golpistas que devem pautar o ato. Bolsonaro recuou do veto ao artigo 4º do projeto de lei, que revogava a LSN. Como a Folha mostrou, auxiliares militares o pressionavam neste sentido. Eles argumentavam que a derrubada da LSN atentaria contra a soberania nacional.

O texto foi enviado à sanção presidencial pelo Senado em 12 de agosto. A discussão da matéria pelo Congresso ocorreu em meio à escalada de declarações golpistas de Bolsonaro, que chegou a colocar em dúvida a realização de eleições em 2022. Caberá ao Congresso manter ou derrubar os vetos presidenciais, mas não há prazo para essa análise. O texto foi enviado à sanção presidencial pelo Senado em 12 de agosto. A discussão da matéria pelo Congresso ocorreu em meio à escalada de declarações golpistas de Bolsonaro, que chegou a colocar em dúvida a realização de eleições em 2022.


De acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira (2), pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), o nível de atividade econômica – Produto Interno Bruto (PIB)– cresceu 6,7% no segundo trimestre de 2021 em comparação ao mesmo período do ano anterior. Considerando-se a série com ajuste sazonal (2º trimestre de 2021 em comparação com o 1º trimestre de 2021), o resultado foi praticamente estável (-0,3%). No primeiro semestre de 2021 (acumulado no ano) a atividade econômica baiana teve crescimento de 3,2%.

PIB em valor corrente

No 2º trimestre de 2021, o PIB totalizou R$ 96 bilhões, sendo R$ 86 bilhões referentes ao Valor Adicionado (VA) e R$ 10 bilhões aos Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios. No que diz respeito aos grandes setores, a Agropecuária apresentou Valor Adicionado de R$ 21,5 bilhões, a Indústria R$ 16,6 bilhões e os Serviços R$ 47,9 bilhões.

Nos seis primeiros meses de 2021, o PIB totalizou R$ 183,1 bilhões, sendo R$ 162,1 bilhões referentes ao Valor Adicionado (VA) a preços básicos e R$ 20,9 bilhões aos Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios. No que diz respeito aos grandes setores, a Agropecuária apresentou Valor Adicionado de R$ 29,2 bilhões, a Indústria R$ 34,6 bilhões e os Serviços R$ 98,3 bilhões.

1º trimestre de 2021/1º trimestre de 2020

Quando comparado ao de igual período do ano anterior, o PIB da Bahia apresentou expansão de 6,7% no segundo trimestre de 2021, conforme dados divulgados pela SEI. O Valor Adicionado apresentou variação positiva de 6,5% e os Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios, alta de 9,0%. Além da base de comparação (2º trimestre do ano anterior) ser de queda (-8,7%), dois setores são responsáveis pelo resultado positivo da atividade econômica do estado: agropecuária com taxa positiva de 7,1% e serviços com alta de 9,2%.

O crescimento em volume do setor agropecuário baiano no segundo trimestre do ano foi de 7,1%. Destaques para as taxas de crescimento da soja e cana de açúcar. Estas elevadas taxas devem-se à confiança dos produtos associadas às condições climáticas favoráveis em todo o estado. A taxa do setor industrial no 2º trimestre da Bahia foi de -2,1%. Único setor com taxa negativa nesses três meses. A retração ficou por conta da atividade da indústria de transformação (-9,1%). As altas foram identificadas nas atividades da construção civil (+8,1%); eletricidade e água (+6,2%); e nas indústrias extrativas (+0,7%).

O setor de serviços do estado cresceu 9,2% no segundo trimestre do ano, puxado pela alta do comércio (30,5%) e transportes (18,3%). A administração pública, atividade extremamente relevante no estado, obteve crescimento de 2,6% e as atividades imobiliárias alta de 2,2%.

1º semestre 2021/ 1º semestre 2020 (janeiro a junho)

O PIB baiano acumulado de janeiro a junho de 2021 registrou expansão de 3,2% (diante do registrado no primeiro semestre de 2020). A Agropecuária cresceu 7,6%; já o setor industrial caiu 2,8% – puxado pelo desempenho negativo da indústria de transformação que recuou 8,6%; já o setor de Serviços cresceu 4,4%.

Na agropecuária, os destaques foram os desempenhos positivas da produção de soja e cana de açúcar, determinadas pela confiança dos produtores e as condições climáticas favoráveis em todo o estado.

Já retração de -2,8% do setor industrial da Bahia foi determinada pelo desempenho negativo de -8,6% na indústria de transformação; por outro lado observou-se taxas positivas nas atividades de eletricidade e água (+8,0%), da extrativa mineral (+5,5%) e da construção (+2,7%).

O setor de serviços baiano cresceu 4,4% no primeiro semestre e as taxas de crescimento das atividades de comércio (18,3%) e transportes (10,2%) foram as que mais contribuíram para esse desempenho. Ainda dentro do setor, observou leve incremento nas atividades imobiliárias (+1,9%) e na administração pública (+1,2%). O impacto positivo no setor dos serviços (representa quase 69% do PIB do estado) foi significativo no resultado final do PIB baiano neste 1º semestre de 2021.

PUBLICAÇÃO COMPLETA NO SITE DA SEI.


A Itiruçuense Paula Melissa foi selecionada para participar de um novo reality que está chegando no território baiano. Do mesmo criador do reality “BBBaiano”, vem aí o “No extremo”.

Dez participantes estarão fixados na região metropolitana de salvador passando por regras de sobrevivência durante uma semana, no período de 6 a 12 de setembro.

Os jogadores se alojarão em campo aberto e se instalarão num acampamento montado por eles próprios. A jornada do programa é formada por disputa de provas com o intuito de somar pontos e tentar sobreviver até a grande final no dia 12 de setembro. O programa pega o gancho do famoso Reality global “no limite”.

O público participará do programa votando em enquetes na rede social do Instagram, ajudando assim a dar rumo ao jogo.


A Polícia Civil está investigando um estudante de medicina, de Jequié, no sudoeste da Bahia, por um esquema de pirâmide financeira que deixou um prejuízo milionário em nos investidores. De acordo com a apuração, os mais de 150 clientes da “Safe Intermediações” foram lesados em ao menos R$ 7 milhões. Esse grupo já procurou a Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR) do município para denunciar o responsável pelo esquema. O estudante conseguiu atrair clientes das mais variadas classes sociais: um deles relatou ter colocado mais de R$ 700 mil na possível pirâmide, julgando que os ganhos seriam lícitos e baseados em investimentos reais. Nos últimos meses, porém, o líder do esquema passou a atrasar pagamentos e, por fim, parou de fazer as transações financeiras para os clientes.

“Na verdade, o impacto não foi apenas financeiro, mas também de ordem moral, até porque vários dos lesados são pessoas conhecidas da sociedade: empresários, políticos, policiais… Ele não escolhia as vítimas. Ele acabou lesando uma imensa gama de investidores”, declarou o delegado Nadson Pelegrini. “Muitos desses investidores já tinham conhecimento prévio acerca do mercado financeiro, mas acreditavam que esse cidadão, por possuir conhecimento superior, iria proporcionar maiores lucros e ganhos. Mas o resultado é que toda essa clientela, que se estima, de início, ser de 150 pessoas, está amargando um prejuízo que beira os R$ 7 milhões, podendo ser descobertos mais valores no decorrer da investigação”, acrescentou. Preliminarmente, o estudante pode responder por estelionato, crimes contra a economia popular, contra o mercado de capitais, contra a ordem econômica e contra o Sistema Financeiro Nacional. *Correio é a fonte