Seis municípios da Bahia ganham curso de medicina pelo programa Mais Médicos

Fotos: Elói Corrêa/GOVBA

Fotos: Elói Corrêa/GOVBA

Fazer uma faculdade de medicina é um sonho que vai ficar mais próximo para quem vive em seis municípios da Bahia, os quais por meio do programa Mais Médicos foram selecionados para receber cursos de medicina e terão a Atenção Básica da Saúde fortalecida. Após Eunápolis, Itabuna, Alagoinhas e Juazeiro, nesta última quarta-feira (22), as prefeituras de Jacobina e Guanambi assinaram os termos de compromisso para as próximas etapas da iniciativa.

O secretário de Gestão do Trabalho e Educação do Ministério da Saúde (MS), Heider Pinto, esteve nas duas cidades para assinar o documento. O total de 150 municípios brasileiros apresentou a documentação pleiteando os cursos, e 39 foram selecionados.

Nos dois eventos realizados pela manhã em Guanambi, no centro sul baiano, e, durante a tarde, em Jacobina (centro norte), o superintendente de Recursos Humanos da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), Washington Abreu, representou o titular da pasta, Washington Couto.

medicinaff

“Estamos consolidando o sonho da interiorização da formação médica. Foi uma das demandas da população nas várias rodadas de Plenárias do PPA [Plano Plurianual] Participativo”. De acordo com ele, a resposta do ministério ao habilitar os municípios, com a assinatura do termo de compromisso, “tem nosso aval porque construímos isso juntos”.

Necessidade social

Segundo Heider Pinto, com as seis cidades baianas selecionadas por meio de edital que integra o Mais Médicos para a criação de cursos de medicina, serão disponibilizadas 375 novas vagas no estado, das 11,5 mil no Brasil. “Somadas às que estão sendo ampliadas em seis universidades federais na Bahia e duas [universidades] privadas, antes do edital, chegamos ao total de 885 vagas”.

medicinas

Ele informou que a seleção dos municípios seguiu critérios, como análise da necessidade social e a capacidade de receber o curso, para garantir a qualidade. “Depois da assinatura do termo de compromisso pelo Ministério da Saúde, as seis prefeituras e o Governo do estado, as instituições de ensino interessadas devem participar de concorrência para ver qual tem as melhores propostas para abrir [o curso]. Ainda no final deste ano teremos as instituições selecionadas”.

Ainda conforme o representante do MS, cada instituição terá o prazo de 18 meses para implantar o curso. “Elas [as instituições de ensino] já estarão fazendo o vestibular, no final do ano que vem, iniciando o curso em 2016 e, no começo de 2017, o início dos programas de residência médica”.

Fies e ProUni

O enfermeiro Gilmar Alves é um dos moradores de Guanambi que pretende participar do processo seletivo para ocupar uma das 60 vagas que serão oferecidas na cidade. “Por meio do curso de medicina, toda a estrutura de saúde que existe na região tende a melhorar, não só em Guanambi. Não será preciso ir para os grandes centros fazer um curso de medicina”.

As instituições que oferecerão os cursos estarão alinhadas com os projetos voltados para o ensino superior como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e o Programa Universidade para Todos (ProUni). “Quando fiz a faculdade, precisei me deslocar até São Paulo. Hoje qualquer pessoa, basta ter força de vontade e interesse, pode fazer o curso, mesmo que numa faculdade particular. Hoje se consegue bolsa de até 100%”.

Para a professora das redes estadual e municipal, Solange Fátima, a criação de 55 vagas no curso de medicina é importante não só para Jacobina, mas para todos os municípios da região. “Muitas vezes, os jovens saem da sua cidade para ir à capital. Eles não vão precisar mais fazer isso”.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas