Maracaenses dizem que estão sendo ‘desrespeitados’ pela Agência do Banco do Brasil

Grandes filas são formadas para uso de Caixas eletrônicos em Maracás. Foto/Leitor Itiruçu Online.

No município de Maracás os correntistas do Banco do Brasil estão na bronca com a Agência Local e reclamam da falta de dinheiro nos Caixas e das enormes filas formadas para o uso dos equipamentos sem os devidos cuidados de enfrentamento a pandemia do novo coronavírus.

Em diversas denúncias endereçadas ao Itiruçu Online, os usuários relatam os problemas enfrentados para utilizarem os serviços do BB. Por outro lado, há também quem reclame da falta de ação do município para organizar as filas através dos serviços da Guarda Municipal. “O que nos deixam mais indignados, é que apenas um caixa eletrônico em funcionamento, e os guardas municipais deveria organizar as filas, ter mais compaixão da população”, reclama um usuário do BB.

“A Agência do Banco do Brasil está agindo de forma desrespeitosa com a população maracaense. Imensas filas, que para piorar a situação, apenas um caixa eletrônico em funcionamento as vezes, é um   tamanho descaso com os clientes.  Todos os dias estão sendo assim, em plena a pandemia, causando aglomeração de pessoas em frente ao banco, chegando a fazer caracol que vai até a prefeitura”, reclama uma usuária do Banco.

De forma geral, existem poucas agências e bancários para atender a população, essa combinação acaba gerando enormes filas. Os bancos, que funcionam normalmente 6 horas por dia, parecem pouco se preocupar com o tempo perdido das pessoas que ficam horas e horas esperando atendimento. Visando resolver esse problema, foi criada a chamada de “lei da fila do banco”. Essa lei estipula que: os bancos que não atenderem os clientes em 15 minutos em dias normais ou 25 minutos em vésperas ou depois de feriados seriam multados e teriam que indenizar o cliente. Quem se sentir prejudicado pela demora no atendimento pode procurar um advogado para entrar com processo ou o Procon- Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas