Jornalista Ari Moura receberá Comenda Dois de Julho

Ari ganhará Comenda Dois de Julho por indicação de Euclides Fernandes

Ari ganhará Comenda Dois de Julho por indicação de Euclides Fernandes

A Assembleia Legislativa vai conceder a Comenda Dois de Julho para o jornalista Ari Machado de Moura. A proposta foi apresentada pelo deputado Euclides Fernandes, que fez a seguinte observação na justificativa. “Embora não tenha optado pela carreira política, o nosso homenageado é um incansável batalhador, sempre buscando soluções para as necessidades de sua cidade adotiva e para a Bahia. Isto posto, delego aos meus pares a aprovação dessa homenagem, na certeza que a maioria absoluta reconhecerá o incansável trabalho e sua inquestionável contribuição na divulgação das qualidades que colocam a Bahia em destaque, além de ajudar, pelo jornalismo, a formar e aculturar algumas gerações que tiveram a oportunidade da convivência e se acostumaram a ouvir sua voz repercutindo através das ondas das rádios em Jequié e demais municípios da região”.

No documento, já aprovado pelo plenário, o pedetista lembra que o homenageado nasceu em Patos, na Paraíba, em 1949, e chegou à cidade de Jequié com apenas seis meses, no colo de D. Alaíde, que junto com Sr. Manoel Batista de Moura. “O interessante dessa história de vida é que o casal Moura tinha como destino final fixar residência em Minas Gerais. Porém, quis o destino que Sr. Manoel conhecesse o jornalista e escritor Luís Cotrim, figura excepcional na cidade, que o convenceu a ficar em Jequié.

 Decisão tomada foi instalada uma loja de tecidos na Rua Damião Vieira, denominada de Casa dos Retalhos. A clientela, na sua maioria mães de família, foi o caminho mais fácil para que o casal rapidinho fosse adotado pela comunidade e esquecesse definitivamente a possível volta para a Paraíba ou a ida para Minas Gerais. Neste cenário cresceu Ari Moura. Adulto tentou a exercer a profissão de contador, mas o jornalismo foi mais forte e Ari se tornou um dos mais importantes e conhecidos jornalistas do interior baiano. Na política sindical chegou a vice-presidência do Sindicato dos Jornalistas, exercendo a presidência algumas vezes, durante a gestão de Heloísa Sampaio Deixou, também, seu nome gravado na história da Associação Jequieense de Imprensa onde foi o seu presidente por três vezes, além de ter integrado o Conselho Comunitário de Jequié”, relata o parlamentar.

Euclides Fernandes diz ainda que poucos jornalistas levaram o nome da Bahia ao resto do Brasil como o Ari Moura. Seu início na profissão foi como correspondente do Programa Luciano Alves Comunica, da Rádio Globo do Rio de Janeiro. Lá, durante cinco anos, levou aos cariocas as principais informações da Bahia, sempre procurando mesclar as tragédias e diversidades com notícias positivas e atraentes. Foi, também, correspondente da Rádio Nacional de Brasília, onde ele mesmo destaca a transmissão direta da cidade de Porto Seguro das comemorações pelos 500 anos de descobrimento do Brasil como sua mais importante transmissão.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas