Jequié: esquema de fraude era resultado de acordo entre prefeitura e vereadores

A Controladoria Geral da União (CGU) informou que um acordo entre a prefeitura de Jequié e vereadores, em 2013, na gestão de Tânia Britto, permitiu que escolas e unidades de saúde “contratassem” servidores fantasmas. O esquema foi revelado nesta terça-feira (5) na Operação Melinoe, deflagrada pela Polícia Federal e pela CGU.

De acordo com a superintendência da CGU na Bahia, as distorções foram flagradas em escolas do município. Em uma delas, 12 pessoas estavam contratadas para uma mesma função, mas, na verdade, apenas uma trabalhava.

Conforme as investigações, a prefeitura “loteou” as unidades escolares e de saúde para os vereadores, como forma de conseguir apoio politico. Porém, as pessoas indicadas não necessariamente trabalhavam. Alguns diretores de escolas chegaram denunciar o caso, mas as ações eram neutralizadas por vereadores que queriam que o esquema perdurasse.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas