Em Irajuba, crise na prefeitura causa atrasos de servidores em mais de 03 meses

Vereador Léo da Hora  denunciou situação à imprensa. Ouça áudio abaixo. Foto/Blog Itiruçu Online

Vereador Léo da Hora denunciou situação à imprensa. Ouça áudio abaixo. Foto/Blog Itiruçu Online

A crise financeira nas prefeituras de todo o país não chega ao fim e tem tirado o sono de muitos prefeitos em todo o Brasil. A Prefeitura Municipal de Irajuba é só mais uma do Vale Jiquiriçá que também está nessa triste situação, com circunstância agravadas, é claro.

Assim como as demais, a equipe econômica do Prefeito Antonio Sampaio põe a culpa no Fundo de Participação dos Municípios que caiu drasticamente levando as contas municipais para o vermelho. A equipe diz que tem implementado diversas medidas para resolver a situação, e que, a mesma deve se normalizar neste ano de 2015, com o reajuste do FPM e com o aumento do IPI, que é um dos impostos que formam o importante recurso.

Enquanto à situação não melhora a crise afeta todo o município. O sentimento é de tristeza e preocupação. São mais de 03 meses de salários em atraso para servidores efetivos e 05 meses para os contratados, além do décimo terceiro, prestadores de serviços chegam há 08 meses sem receber e os principais serviços considerados básicos estão comprometidos.

Mesmo com dificuldades financeiras, os prefeitos acabam contratando empresas para locar carros, contratando mais funcionários e brigando com a Lei de Responsabilidade Fiscal para cumprirem a meta de responsabilidade Fiscal, tudo isso, acreditamos , para bancar sistemas políticos de indicações e firmar, em certos casos, alianças com as câmaras de vereadores.

Na situação de Irajuba, que não é nada diferente dos demais sistemas, a oposição tem prato cheio para comentar a crise que assola o município. Coube ao vereador Leandro da Hora do PMN,  ceder entrevista para imprensa e tecer críticas à gestão municipal, classificando como “vergonhosa”.

Clique abaixo para ouvir a entrevista do Repórter Tatu, levada ao ar na Rádio 93FM, do deputado Euclides Fernandes (PDT).


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas