Treze mandados de busca e apreensão foram cumpridos em residências de ex-funcionários e na sede do Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran) pelo Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), através da Delegacia dos Crimes Econômicos e Contra a Administração Pública (Dececap), na manhã desta quinta-feira (30). A ‘Operação Santaluz’ investiga ex-funcionários envolvidos em falsificação de sentenças de defesa de infração de trânsito.
Computadores, celulares e documentos foram recolhidos tanto nas residências quanto na sede do Detran, localizada na Av. Antônio Carlos Magalhães. “Contabilizamos que um dos alvos, uma mulher, recebeu R$ 250 mil em falsificação de sentenças. Todas as contas bancárias para onde o dinheiro era encaminhado pertenciam a terceiros, com endereços tanto em Salvador quanto no município de Santaluz”, disse a titular do Dececap, delegada Márcia Pereira.
Durante o mandado de busca e apreensão em um dos endereços da ex-servidora, um cachorro e dois gatos foram encontrados abandonados há cerca de oito dias, sem água e comida. Os animais foram encaminhados pelos policiais para o veterinário, e a mulher também responderá por maus tratos.
A Operação Santaluz integra o ciclo de operações Cangalha, que consiste em uma série de ações de enfrentamento a organizações criminosas em todo o Nordeste do Brasil, através da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça (SEOPI/MJ).

Fonte: Ascom | PC


A Justiça do Rio de Janeiro confirmou hoje (28) que a ex-deputada federal Flordelis dos Santos de Souza e outros nove acusados de envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo serão submetidos a júri popular. A vítima, então casada com Flordelis, foi morta a tiros em casa, em junho de 2019, na cidade de Niterói, logo após estacionar o carro na casa da família, minutos depois de chegar acompanhada da ex-parlamentar.

A decisão é da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. Os desembargadores negaram os recursos da ex-deputada federal e de outros seis réus contra a decisão para submetê-los a júri popular. Os magistrados acompanharam, por unanimidade, o voto do relator, desembargador Celso Ferreira Filho.

Recurso
No recurso apresentado pela defesa de Flordelis, além da reforma da sentença, também foi requerida a nulidade do processo “pela ausência de certeza quanto à materialidade do crime de homicídio tentado”. Mas o relator negou a nulidade, defendendo que a justiça tem indícios mínimos de autoria e materialidade do homicídio pela ex-deputada.

A defesa da ex-parlamentar também alegou que a ré “jamais planejou, orquestrou ou influenciou a morte da vítima”, tentando afastá-la das acusações pelos delitos de associação armada e uso de documento ideologicamente falso. Mas a relator disse em seu voto que “os depoimentos colhidos, o sigilo levantado das comunicações e a perícia dos telefones celulares, com a extração das mensagens trocadas entre a recorrente e os corréus Flávio, Marzy, Simone, André e Rayane comprovam o vínculo criminoso existente entre eles.”, destacou o relator em seu voto.

Além de Flordelis, também tiveram recursos negados seus filhos biológicos Adriano, Flávio e Simone. O mesmo ocorreu com a neta Rayane e os filhos adotivos Carlos Ubiraci e Marzy.

Também foram pronunciados pela 3ª Vara Criminal de Niterói e vão à júri popular André Luiz de Oliveira, outro filho adotivo, o ex-PM Marcos Siqueira Costa e sua esposa, Andrea Santos Maia.

Júri Popular
Para um julgamento com júri popular, o juiz convoca 21 pessoas entre as que se voluntariaram e sete pessoas dessa lista são sorteadas para a formação do júri. Conforme os nomes são divulgados, tanto a defesa quanto a acusação têm o direito de aceitar ou recusar o nome. O promotor e o advogado podem recusar até três jurados cada um.

Enquanto estiver participando do julgamento, o júri deve dormir e comer no próprio Fórum, sem acesso a informações externas. Ou seja, sem acessar internet ou ler jornais e revistas, só podendo fazer uso do telefone em casos de urgência, ainda assim acompanhado por um oficial de justiça.


A Delegacia Móvel da Polícia Civil da Bahia realizou seus primeiros atendimentos nesta última segunda-feira (27), no município de Jaguaquara. A ação marca o início do projeto Deam itinerante, que visa fornecer auxílio às mulheres vítimas de violência doméstica, em diferentes municípios do interior do estado. A ação é coordenada pelo Departamento de Polícia do Interior (Depin). 

A abertura do evento aconteceu na Câmara de Vereadores do município e contou com a presença do coordenador da 9ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior  (Coorpin/Jequié), delegado Rodrigo Fernando, da juíza de direito, Andréa Padilha, da Secretária de estado da prefeitura municipal, Daniela Batista e demais órgãos e autoridades locais. A equipe especializada, formada por delegada, escrivão e investigadores, se encontra na Praça JJ Seabra, no centro do município, de 8h às 18h, para registrar ocorrências e orientar as pessoas. 

Para o coordenador da 9a Coorpin/ Jequié, delegado Rodrigo Fernando, esta ação é muito importante para a cidade que não tem uma delegacia especializada nos crimes que se referem à violência doméstica. “A Delegacia Móvel vem para fazer um trabalho de conscientização do combate à violência doméstica, já que estamos identificando um considerável aumento desse crime aqui. Interiorizar esse atendimento e fazer com que as mulheres reconheçam a importância da denúncia é nosso principal objetivo”, explicou. 

O aparato da Deam Itinerante permanece em Jaguaquara nesta terça-feira (28) quando a delegada titular da Deam de Jequié, Graziela Quaresma, realiza uma palestra sobre a atuação do departamento no combate à violência doméstica e familiar contra a mulher, também na Câmara de Vereadores, aberto para o público.  

Após a passagem por Jaguaquara, o roteiro da Deam Itinerante segue para os municípios de Ipiaú (29 e 30 de setembro), Itapetinga (4 e 5 de outubro) e Itambé (6, 7 e 8 de outubro). Com planejamento já elaborado pelo Depin, outros municípios devem ser contemplados pela iniciativa. O atendimento proporcionado pela unidade itinerante se junta às 15 Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher distribuídas pelo interior, além de quatro núcleos especializados que funcionam nas coordenadorias de Irecê, Itapetinga, Santo Antônio de Jesus e Jacobina.

Enfrentamento à violência contra a mulher  na Bahia


O corpo de uma pessoa do sexo masculino foi encontrado boiando nas águas do Rio das Contas, na região da Cachoeirinha, proximidades do Conjunto Penal de Jequié, na manhã desta terça-feira, 28 de setembro. Um pescador de barco que passava pelo local, percebeu algo estranho, e ao aproximar identificou que seria o corpo de uma pessoa. O departamento de Polícia Técnica foi acionado para realização do levantamento cadavérico e investigar as causas da morte. Com informações de Marcos Cangussu.


A Polícia Militar de Itiruçu segue trabalhando para coibir o crime em Itiruçu. Nesta última sexta-feira (24), a guarnição da PM conduziu dois homens a delegacia territorial local.

Os dois foram flagranteados pela guarnição da PM por volta das 12h45 , quando os militares avistaram duas pessoas em atitudes suspeitas e, que avistarem a Viatura, um dos indivíduos tentou correr após ouvir a voz de parada, sendo alcançado. Durante a busca pessoal foi encontrado uma pistola marca Rossi calibre .22, uma quantidade de droga análoga a maconha, R$ 69,00 (sessenta e nove reais) em espécie.

Já com o segundo suspeito nenhum ilícito encontrado, apenas confessou que estaria com intenção de efetuar a compra da droga. Os suspeitos e materiais apreendidos e foram encaminhados a Central de Flagrantes para adoção das medidas cabíveis.

APREENSÃO

01 revólver Marca Rossi, Calibre .22 de dois canos com numeração E49285; Duas porções com 50gr cada, com substância análoga a maconha prensada e 02 (duas) trouxinhas com a mesma substância;01 aparelho celular; e R$ 69,00 (sessenta e nove reais) em espécie.


Um homem identificado como Abimael Pereira de Matos, foi preso na quinta-feira, 23, na cidade de Jaguarari (distante a 409 km de Salavador), na região centro-norte da Bahia. Ele exercia a profissão de cirurgião-dentista sem ter formação na área. Abimael foi preso após o Conselho Regional de Odontologia da Bahia (CRO-BA) receber denúncias de exercício ilegal da profissão. No momento da abordagem, o falso dentista não atendia ninguém, mas confirmou que realizava as consultas.

Segundo ele, procedimentos como extração e obturação eram realizados por ele há cerca de 10 anos. Além disso, as equipes da Polícia Militar (PM-BA) ainda interditou o estabelecimento por constarem que não possuía alvará sanitário.

O suspeito foi preso em flagrante e conduzido à unidade policial, onde prestou depoimento e foi solto após pagar fiança. O valor da liberação não foi revelado. Um Termo Circunstanciado de Ocorrência foi instaurado, por compreender que se trata de um crime de “menor potencial ofensivo”.

De acordo com o presidente da Comissão de Fiscalização do conselho, Érico Brito, a prática criminosa coloca em risco a saúde da população e revelou que a classe espera um agravamento da pena de reclusão, de 2 a 6 anos, além de multa.


Quando à comunidade ajuda a Polícia trabalhar, o resultado é o combate contra o crime.  Fruto de uma contribuição anônima da sociedade, a Guarnição da PM de Itiruçu conseguiu conduzir 6 pessoas e apreender materiais que foram furtados em fazendas na Zona Rural da cidade.

De acordo com relatos colhidos pelo Itiruçu Online, a Polícia Militar iniciou a operação nesta quinta-feira dia 23, por volta das 12h00, quando recebeu a denúncia relatando que um indivíduo teria praticado furtos de fios de alumínio e cobre e estava em nas proximidades da rua conhecida por rua da Embasa no distrito de Upabuçu.

De imediato a guarnição deslocou-se até a localidade e localizou o suspeito, sendo encontrado com ele   uma quantidade de fios de alumínio e cobre. Ao ser interrogado pelos militares, o acusado confessou ter participado de alguns furtos no município de Itiruçu, citando fazendas da zona rural em que realizava na companhia de outros indivíduos. Após a delação do indivíduo, foram identificados seus comparsas que praticavam os furtos, além do receptador do material furtado.

Após a localização e capturas dos envolvidos, todos foram encaminhados a Delegacia Territorial para adoção das medidas cabíveis, sendo apresentado todo material apreendido: 04 kg de fios de alumínio; 08 kg de cobre; 02 aparelhos celulares; 01 veículo GM Astra cor Prata.


Nesta quinta-feira (23), o julgamento de Ramon dos Santos fechou o que foi o último júri popular realizado na cidade de Itiruçu depois do fechamento da comarca. Com 8h de duração na coordenação da Juíza Dra.  Andréa Padilha Sodré Leal Palmarella e do Promotor de Justiça, Dr. Lúcio Meira Mendes, o conselho de sentença condenou o réu confesso do homicídio contra Joselito Batista Rodrigues, ocorrido em 2018 na cidade de Itiruçu.

Ramon dos Santos, condenado a 13 anos de prisão em regime fechado, mudou a versão dos autos e assumiu a autoria do crime logo no início do julgamento, mas negou ter sido por brigas entre facções por campo de drogas, alegando ter sido discussões por a vítima ter procurado relações com sua ex-companheira. O conselho de sentença- O júri-  manteve as acusações do Ministério Público e condenou o réu por crime qualificado.


Três suspeitos de participarem de roubos a instituições financeiras nos meses de abril e maio, em Salvador, foram capturados após uma ação interagências entre as polícias Militar (Rondesp Central) e Federal (PF), na tarde de quarta-feira (22). O trio, que possui passagens por tráfico de drogas, atacou as agências da Caixa Econômica Federal (CEF) do Largo do Tanque, Pau da Lima e Stella Maris.

O levantamento de informações feito pela PF apontou que o trio se escondia, em uma casa, na localidade conhecida como ‘Estrada da Muriçoca’, na Avenida São Rafael, em Salvador. Rapidamente os policiais montaram um cerco e iniciaram a captura.

“Eles ainda tentaram fugir pelos fundos da casa, mas, nos posicionamos em locais estratégicos, evitando que escapassem”, explicou o tenente Carlos Assis, lotado na Rondesp Central.

Na residência foram apreendidos uma submetralhadora e uma pistola turca de calibre 9 mm, carregadores, munições de calibres 9 mm e 5,56 (para fuzil), um tablete de maconha, 1.301 pinos de cocaína e mais um tablete do pó, seis embalagens com pedras grandes de crack, uma balança e quatro celulares.

O material foi encaminhado, juntamente com o trio, para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Segundo o titular da Delegacia de Homicídios Múltiplos (DHM), delegado Daniel Pinheiro, um dos presos é o chefe de uma organização criminosa, atuante no bairro de Castelo Branco, e o outro é ex-presidiário.

“Eles foram autuados por porte ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas, seguem custodiados na Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR) e, após audiência de custódia, seguirão para o presídio”, concluiu o delegado.


Um esquema de tráfico de drogas foi impedido no Porto de Salvador na noite do último sábado, 18, dia em que três funcionários de empresas prestadoras de serviços no local foram flagrados tentando colocar cocaína dentro de um contêiner que seria remetido para a Europa. Cerca de 165 kg da droga foram encontrados na ação policial.

De acordo com a Polícia Federal Funcionários do Terminal de Contêineres do Porto de Salvador/BA (Tecon Salvador) acionaram o órgão após suspeitarem de uma movimentação estranha de três homens, vestidos com uniformes de empresas que prestam serviços no local.

A PF informou que outro motivo que causou estranheza aos funcionários foi que não havia motivo que justificasse a presença deles no local. Os homens foram flagrados com mochilas e fazendo repetidos deslocamentos entre o ponto onde estavam estacionados carros e um contêiner.

APF constatou que os homens realmente eram funcionários de empresas que prestam serviços no Porto de Salvador. Ele foram flagrados com 165 kg de cocaína, parte já dentro de um contêiner que seria remetido para a Europa e uma outra parte dentro dos carros dos funcionários. Não foi detalhada a situação dos homens, nem se eles seguem presos.  aTARDE.