A Polícia Civil conseguiu prender na manhã desta terça feira, 07/05/19, o autor do triplo homicídio ocorrido na cidade de Entroncamento de Jaguaquara. Jhonatan Gomes de Jesus é acusado de matar Vanessa Souza dos Santos, Joelma Souza Almeida e Elias Custódio Santana na noite do dia 03.05.19 por volta da uma hora da manhã a golpes de pau e facadas. Jhonatan Gomes de Jesus foi reconhecido por testemunhas, como sendo o autor do crime, para escapar da prisão ele teria embarcado num ônibus com destino a Sao Paulo, mas a viagem acabou em Vitoria da Conquista onde ele foi detido em uma ação conjunta envolvendo policiais civis e militares. O meliante foi conduzido para a Delegacia. Fonte: DT Jaguaquara/ 9• Coorpin.


Foto Edy Santos/Divulgação

A quadrilha que age na BR-116 para roubar pneus de carretas fez mais uma vítima no Entroncamento de Jaguaquara na madrugada desta segunda-feira (06). De acordo com informações colhidas pelo Itiruçu Online, o motorista de uma carreta de placa QJY-5540, licenciada de Tubarão/SC, teve 12 pneus levados do veículo após a quadrilha render o motorista em um posto de combustível ladeado a BR-116 e obrigá-lo a dirigir até uma estrada vicinal, saído da BR, entrando na BA-250 sentido Itiruçu. Pertences da vítima também foram levados.

Não é a primeira vez que a quadrilha age e rouba pneus de carretas na mesma localidade. A ação dos elementos não foi percebida devido o horário da ação que é de pouco movimento na BA-250, facilitando as investidas dos criminosos. A Polícia foi acionada e o caso deve ser investigado pela Polícia, mas deve ser mais um sem respostas.


Foto/Divulgação

Na manhã desta segunda-feira (06), a Equipe da Polícia Civil Regional, juntamente com a DT de Jaguaquara, iniciaram as investigações referente ao homicídio de MOISÉS BISPO FERNANDES DOS SANTOS, ocorrido na noite deste último domingo (05) ,  por volta das 22h, no Entroncamento de Jaguaquara. Em ato investigativo continuo, os investigadores identificaram, localizaram e prenderam em flagrante o GILSON CONCEIÇÃO DE JESUS, vulgo “GIL CAPA PRETA”, que após a prisão, confessou ter matado Moisés Bispo pelo motivo do mesmo ser suspeito de envolvimento no triplo homicídio ocorrido na madrugada da última sexta feira (03) no Entroncamento de Jaguaquara, quando sua sobrinha havia sido   morta a pauladas e golpes de faca.  Gil Capa Preta já foi preso anteriormente por tráfico de drogas, quando ficou custodiado no Conjunto Penal de Jequié pelo período de 06 meses. Gil “capa preta “ foi autuado por homicídio qualificado, ficando custodiado na DT de Jaguaquara à disposição da Justiça.


Foto reprodução: Blog Marcos Frahm

Um homem, uma mulher grávida e uma adolescente foram encontrados mortos, na manhã dessa sexta-feira, 03, dentro de uma residência na localidade de Terra Braz, na região do Entroncamento de Jaguaquara, às margens da BR-116. Segundo informações da Polícia Militar, os corpos de Elias Custódio Santana, com mais de 60 anos, proprietário do imóvel, Joelma Souza Almeida, 30, e Vanessa de Jesus, de 16 anos, foram encontrados por um agente de saúde, que foi a casa para levar o ancião até a cidade de Jaguaquara para tentar viabilizar a sua aposentadoria, conforme informou o Blog Marcos Frahm. De acordo com a reportagem, o agente teria sido surpreendido com a cena e procurou um sobrinho de Elias, que acionou os militares juntamente com a Polícia Civil.

Segundo a polícia, o crime pode ter sido praticado na madrugada e as vítimas foram mortas a pauladas. Os corpos da menor e do idoso estavam num quarto do imóvel e a gestante ao lado de um fogão de lenha, na cozinha da casa. Peritos do Departamento de Polícia Técnica de Jequié removeram os corpos às 14h30, falando em crime de ódio, em face a ação violenta do autor, que ainda não foi identificado. As autoridades policiais não descartam que o crime possua relação com o tráfico de drogas, uma vez que a adolescente já foi apreendida com entorpecente. A Polícia Civil deu início as investigações. O crime chocou a pequena comunidade. *Com informações do Blog Marcos Frahm


Imagens de câmeras de videomonitoramento devem ajudar a esclarecer as circunstâncias da morte do delegado de Polícia Civil José Carlos Mastique, na madrugada deste domingo (28), em um posto de combustível na Avenida Aziz Maron, Bairro Góes Calmon (Beira-Rio), em Itabuna. Ele foi morto com um tiro no peito, disparado por um policial militar de guarnição acionada pela Central Comunicações.

Há um conflito de versões quanto ao fato. Mastique estava dentro de um Honda City e teria reagido à abordagem da Polícia Militar, conforme a PM, sacando uma arma contra a guarnição. Neste momento, um dos policiais da guarnição atirou contra o delegado. O disparo atingiu o peito do policial civil. A guarnição da PM socorreu o delegado, levando-o para o Hospital de Base de Itabuna, porém ele não resistiu, falecendo instantes depois, ainda segundo a militar. A guarnição foi acionada devido a discussão entre um homem – o delegado – e uma mulher. Uma pessoa, que seria funcionário do posto de combustível, acionou a central policial, porque o homem estava armado.

A versão da PM é contestada por policiais civis. O Sindicato dos Policiais Civis, o Sindpoc, classificou a ação como desastrosa e diz que um cabo da Polícia Militar assassinou o delegado, “após a vítima tentar evitar uma agressão de um policial militar de folga contra a sua acompanhante”. Ainda de acordo com a nota do Sindpoc, o delegado e um investigador se identificaram e o delegado foi atingido ao pegar a arma para entregá-la à guarnição.

A morte do delegado  será investigada pela 7ª Coordenadoria de Polícia Civil, com sede em Ilhéus, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA). Imagens de circuito de segurança do posto de combustível devem ajudar a esclarecer como o delegado foi morto. As informações são do site Pimenta


Em Alagoinhas, na noite de sexta-feira (26), uma equipe da PRF recebeu a informação de um assalto a ônibus de turismo que fazia a linha Feira de Santana  com destino a Aracaju (SE). Ainda de acordo com a denúncia, o crime havia ocorrido nas proximidades da localidade de Sítio do Meio, na BR 101, trecho do município de Entre Rios.

De imediato os agentes federais se dirigiram ao local da ocorrência, porém, em virtude da imprecisão das informações, as vítimas só foram localizadas por volta das 23h. Informaram que o assalto foi praticado por três indivíduos, munidos de arma de fogo e mediante ameaça obrigaram o motorista do ônibus a adentrar na estrada vicinal. Disseram ainda que após cometerem o roubo aos passageiros, fugiram pela rodovia a bordo de um veículo Siena, de cor escura.

Com base nas informações, os policiais conduziram as vítimas à Polícia Civil local para registro do fato e deram continuidade às diligências, com base nos conhecimentos de inteligência policial e análise criminal. Já na madrugada de sábado (27), por volta das 3h00, os PRFs avistaram o veículo suspeito ‘passar’ em frente a unidade policial, transitando na rodovia em alta velocidade, inclusive, derrubando os cones de sinalização e segurança do posto.

Durante o acompanhamento tático, os ocupantes do veículo empreenderam fuga e logo em seguida, seguiram pelas ruas do parque Bartolomeu, onde abandonaram o carro e adentraram no matagal. A suspeita é que os homens tenham praticado o assalto ao ônibus de turismo. Durante fiscalização no automóvel, os policiais encontraram bagagens de viagem, mochilas, peças de roupas, perfumes, gêneros alimentícios, aparelhos celulares, smartphones e 1.926 reais em cédulas. O veículo utilizado no assalto foi roubado na noite de quinta-feira (25) na cidade de Araças, inclusive, o proprietário foi feito refém e libertado às margens da BR 101 já na madrugada de sábado (26).

Forças policiais da região foram acionadas e seguem na busca dos suspeitos. A ocorrência foi encaminhada à Delegacia de Polícia Civil.


Conforme dados apresentados pelo órgão, a Polícia Rodoviária Federal na Bahia, já recuperou neste ano de 2019, aproximadamente 90 veículos com indícios de adulterações nos elementos identificadores, modalidade criminosa também conhecida como clonagem. Na adulteração, os criminosos trocam a identificação do veículo e seus documentos para que pareça ser um veículo regular. Neste momento o veículo recebe placas de outro veículo idêntico e o proprietário desse veículo, que se encontra em situação regular, torna-se a segunda vítima dos criminosos pois passa, muitas vezes, a receber multas de trânsito por infrações relacionadas ao veículo clonado.

O último registro ocorreu na madrugada de quinta-feira (25), quando foi dada ordem de parada ao caminhão VW/24.250 no Km 594 da BR 101, trecho do município de Camacan, distante 580 quilômetros de Salvador. O veículo era conduzido por um homem de 25 anos. Durante a fiscalização no caminhão, foram encontradas indícios de adulterações nos elementos identificadores, o que levou a equipe a aprofundar a verificação e com técnicas de identificação veicular, os PRFs perceberam elementos que indicavam outro veículo, da mesma marca e modelo, porém com placas diferentes.

Após consulta ao sistema de dados, os agentes constataram se tratar na realidade de um VW/24.250 roubado em junho/2018, na cidade de Tucano (BA). Questionado o condutor informou ter adquirido o veículo em uma revendedora de veículos na cidade de Itabaiana (SE). Disse ainda desconhecer às irregularidades apresentadas na fiscalização. O veículo apreendido e o motorista foram apresentados na Delegacia de Polícia Civil local.

Operação Lábaro

A operação Lábaro acontece em todo o país e visa ampliar o enfrentamento ao crime organizado, atuando nas divisas dos estados e nas regiões e corredores estratégicos, em consonância com conhecimentos de inteligência policial e análise criminal. Na Bahia, as ações estão concentradas na BR 101 e tem como principais objetivos reforçar a segurança nas rodovias, combater o crime organizado e reduzir a violência no trânsito.


Um aluno soldado da Polícia Militar da Bahia (PM-BA) morreu, na manhã deste domingo (21), após ser atingido por um disparo de arma de fogo na cabeça, dentro do alojamento do grupamento de recrutas na cidade de Senhor do Bonfim, no antigo orfanato no Bonfim III. Informações preliminares do Blog do Netto Maravilha apontam que o recruta Leonardo de Souza Silva foi baleado acidentalmente por um colega, identificado como Daniel Rodrigues Bezerra Filho, por volta de 7h55.Segundo a versão inicial, ainda não confirmada pela PM-BA, o soldado manuseava uma pistola quando ocorreu o disparo. A vítima foi atingida quando dormia. Equipes do comando do 6º Batalhão PM foram enviadas ao local.
O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e constatou a morte. O corpo de Leonardo foi removido pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT). Ele é natural de Petrolina (PE). Em nota, o Departamento de Comunicação da PM-BA confirmou o ocorrido no Núcleo de Formação. “Os procedimentos apuratórios iniciais estão sendo adotados pelo comando do 6º Batalhão de Polícia Militar (BPM) e pelo Comando de Policiamento Regional Norte (CPRN). O Departamento de Polícia Técnica (DPT) foi acionado para realizar as perícias. A equipe do Centro de Valorização do Policial Militar (Cevap), da região norte, está acompanhando os familiares do militar”, informa o texto enviado ao Bocão News.

Uma mulher residente no município de Maracás foi apreendida com a importância de R$ 6,350 em espécie durante a Operação Alcatraz [menção à famosa prisão de segurança máxima situada em uma ilha da Califórnia], realizada por efetivo da 2ª Cia/PM  do 19º BPM, com o intento de coibir a entrada de produtos ilícitos no Conjunto Penal de Jequié, principalmente armas, drogas e celulares, considerados  hoje, o “grande gargalo” das unidades prisionais, pela facilidade com que os detentos tem acesso à comunicação externa para articulações criminosas. Rosiane dos Santos Lima, estava com o dinheiro e um aparelho celular.

A Operação Alcatraz foi desencadeada na manhã deste Domingo de Páscoa (22), dia de visitas aos detentos, quando o fluxo de pessoas é intenso no presídio, com o histórico de tentativas de entrada de pessoas portando os materiais ilícitos, tendo sido montados pontos de abordagens a veículos e pessoas nas vias de acesso à unidade, com a realização de buscas pessoais e vistorias minuciosas a veículos. Foi apresentada como produtividade da operação: 63 pessoas abordadas, 9 motocicletas abordadas, 12 carros abordados, uma moto apreendida e um ônibus abordado. Foram utilizados no efetivo um Sub-tenente, dois Cabos e oito soldados.


De 22,2 casos por mês para 5,3. Esta foi a escala de redução dos casos de ataques a instituições financeiras, levando em conta os três primeiros meses do ano, de 2014 até 2019. Este ano tem apresentado a menor média/mês desde 2014. Ao comparar os registros de 2019 e 2018, no trimestre, a redução é de 33,3%, passando de 24 casos no ano passado para 16 este ano. A prisão 30 pessoas de quadrilhas especializadas nesta modalidade de crime e o trabalho conjunto das Polícias Civil e Militar, unidos às ações de inteligência têm contribuído para o alcance dos índices, os menores dos últimos anos. 

É um trabalho árduo, minucioso e de inteligência, que precisa ser divulgado, da mesma forma que são noticiados prejuízos causados pelas ações criminosas. Porque os índices só caíram graças a muito suor dos nossos policiais, seja na repressão do dia a dia, realizado pela Polícia Militar, ou pela identificação das quadrilhas e posterior prisões, pela Polícia Civil”, comentou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa. Também não esqueceu de atribuir a redução à parceria com outras forças de segurança como as polícias Federal e Rodoviária Federal, além das polícias de outros estados.

Após o ano de 2014, quando a média trimestral foi de 22,2 casos, o ano de 2015 obteve o maior número de ataques, 25. Nos anos seguintes, a média entrou em constantes reduções, passando para 10 registros em 2016, 7,6 em 2017, 8% em 2018, até atingir o seu menor índice: 5,3 em 2019. A produtividade policial neste primeiro trimestre também resultou na apreensão de 13 armas com os grupos especializados, dentre elas um fuzil. Nove assaltantes também foram retirados de circulação, após entrarem em confronto direto com as unidades das polícias Militar e Civil.