paulinho

Que neste Natal você e sua família sintam mais forte ainda o significado da palavra amor, que traga raios de luz que iluminem o seu caminho e transformem o seu coração a cada dia, fazendo com que você viva sempre com muita felicidade.

Desejo a você, seus familiares, amigos e a todo povo de Itiruçu, um Natal de muita PAZ, ALEGRIA e AMOR. E que o próximo Ano seja ainda mais repleto de sonhos e realizações. Que todos possam alcançar as suas metas com dignidade e respeito ao seu semelhante.

UM FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO!

São os sinceros votos do vereador e amigo Paulinho.


Wgner-Itiruçu

Neste fim de ano, quero desejar a toda população os meus sinceros votos de paz, esperança e comunhão junto a familiares e amigos. Natal é tempo de fé, de renovação, paz e esperança. É nesse período que todos devem renovar as suas esperanças em um mundo melhor, uma realidade e vida melhor. É tempo de  perdão, reconciliação, e mais importante, de união. Somente unidos conseguiremos deixar nossa Itiruçu como a cidade dos nossos sonhos.

Com esse espírito de fé e renovação, a Prefeitura Municipal de Itiruçu, se une a todos os itiruçuense  e àqueles que amam a nossa terra na certeza de que iniciaremos o ano de 2015 renovados e com os melhores sentimentos tomando conta dos nossos corações. 2014 foi um ano difícil, mas plantamos muitas sementes na esperança de colhermos bons frutos nos próximos anos.  Temos a certeza de que com trabalho, fé, e muita dedicação faremos de 2015 um ano ímpar para todos.

Um Natal de amor e paz e um Ano Novo repleto de fé e das graças de Deus.

São os votos de Wagner Novaes

Prefeito de Itiruçu


luzes

E nós criticamos aqui, com prazer, a ausência da decoração de natal por parte da Prefeitura de Itiruçu na principal Praça da Cidade, Adémário Meira.  Até o dia 18 de dezembro, os enfeites ainda não haviam começado a ser instalados.  Quem passava por Itiruçu sentia os ânimos  longe do clima natalino.  Há 07 dias para o natal, após a imprensa relatar as críticas da população, visitantes e comerciantes, foi iniciada uma decoração, embora simples, mas já deu outro clima durante as noites na citada Praça.

 luzes

O  Natal é o mês todo. Em algumas cidades, até por questão de estratégia comercial, o natal já começa a ser festejado em novembro.  Esse tipo de atitude do poder público estimula o consumidor a comprar seus presentes. Embora haja uma acomodação do comercio local, que só espera os lucros, mas também afirmam não ser procurados para colaborarem com a compra dos enfeites para a Praça, já que o município alega dificuldades financeiras para comprar uma decoração melhor.

( Itiruçu Online).


Proprietário do Bar, professor Roque Damasceno ficou bastante ferido

Proprietário do Bar, professor Roque Damasceno ficou bastante ferido

Na noite deste último sábado (20), por volta das 21h, o Bar Coração de Estudante, localizado na Praça das 07 Portas, no centro da cidade, foi assaltado por dois elementos.

O Comércio é de propriedade do professor Roque Damasceno. Segundo as informações obtidas, os dois elementos bebiam no Bar, quando percebeu que não havia mais movimento, fecharam as portas do Bar e anunciaram o assalto.

Durante o roubo, os elementos atingiram o professor com uma garrafa na cabeça, o que lhe causou ferimentos. Os elementos fugiram tomando rumo ignorado. O professor foi socorrido por vizinhos e encaminhado para o Hospital Pedro Pimentel Ribeiro, aonde foi medicado com bastantes ferimentos.

coracao

A Policia Militar foi acionada, porém, não foi encontrada pistas dos elementos. O assalto aconteceu justamente no centro da cidade, quando a Praça estava bastante visitada e acontecia festa evangélica no município.

Os assaltos na região, inclusive o de Itiruçu, são resultados do indulto natalino, quando á justiça liberada os vagabundos para visitar os parentes, por resultado disso, à população paga pela boa ação da justiça com assassinos e ladroes, que voltam paras Ruas e cometem os mesmos delitos.


Acusado está foragido e é procurado pela justiça

Acusado está foragido e é procurado pela justiça

O jovem Edisman, vulgo Maduro, suspeito de matar com um golpe de faca Reginaldo Castro Souza, popular Gazinho, em Itiruçu, se entregou na delegacia da Polícia Civil Territorial de Itiruçu na manhã desta segunda-feira (22).  Ele estava foragido desde a noite do último domingo, dia 14, quando deferiu um golpe de faca na altura do peito de Reginaldo Castro Souza, 41 anos de idade, que faleceu minutos depois.  Estava sendo procurado pela Polícia e 09 dias após o ocorrido, resolveu entregar-se.  Ele está detido na Delegacia e confessou o assassinato.

Gazinho foi sepultado na tarde de segunda-feira 15 sob muita dor e comoção de amigos e familiares. Ele era um homem tranquilo e evitava brigas por onde passava.  Após o crime, o suspeito fugiu sem deixar pistas. A polícia civil ouviu vários frequentadores do Indiara Bar, comércio onde iniciou a confusão que terminou no assassinato.

Segundo relatos de testemunhas, houve principio de confusão entre Edisman e outro indivíduo de nome não revelado, motivado por ciúmes do acusado de sua namorada. A briga foi iniciada e Reginaldo, dentre outras pessoas separou a confusão. Em meio à confusão, Edisman teria evadido do local, retornado com uma faca, momento que, encontrou a vítima sentada e tocou-lhe as contas, ao virar, para saber quem o chamava, Reginaldo, popular Gazinho, foi ferido na altura do peito direito com o golpe da faca. Ele foi sorrido e levado para o Hospital Pedro Pimentel Ribeiro, aonde faleceu.

O proprietário do Bar, que é também Guarda Municipal, informou a PM que o assassinato não ocorreu dentro do Bar e sim em uma pracinha.  Segundo ele, Wiran, em depoimento a polícia, Gazinho entrou no bar para pedir socorro, mostrando o lugar onde estava perfurando. A Polícia Civil segue ouvindo testemunhas para colher detalhes do crime. Assim que ouvi todas as versões sobre o assassinato, a polícia civil deverá comentar o assunto com a imprensa.

Redação Itiruçu Online.


texeira

Foi inaugurado na manhã deste domingo (21), o sistema simplificado de água da localidade de Teixeira, que levará água por meio da perfuração de um poço artesiano, construído por resultado de uma parceira entre a Associação dos Moradores da Barrinha Teixeira e Região com o Governo do Estado, através da CERB- Companhia de Engenharia e Recursos Hídricos da Bahia.

A obra vem como medida importante na captação de água, de maneira mais rápida e eficiente. Este é o 3º Sistema Simplificado inaugurado no município. O primeiro foi na Comunidade da Baixa do Meio e o segundo na comunidade do Eucalipto, região da Vila Luiz Caetano. A comunidade de Teixeira, situada há 13 quilômetros, que possui cerca de 30 famílias, dependia somente de carros- pipas e fontes de água não potáveis.

ex-prefeito

O serviço entregue pela vice-prefeita Dra. Rita Novaes (PDT), funciona puxando água a partir de uma bomba submersa instalada a 90 metros de profundidade da terra e com uma vazão aproximada de 8.000 litros de água por hora.

inauguracao

O homem do campo merece atenção”. Com essa afirmação a vice-prefeita solenizou com a Associação a Implantação do Sistema de Água. “O homem do campo merece atenção. Estamos muito felizes em poder contribuir com as famílias da comunidade de Teixeira, que sofreram ao longo do tempo. O importante é que o homem do campo permaneça no campo, para isso temos que dar boas condições de vida. Ter acesso a água de qualidade é um dever que o estado e o município devem garantir a seus munícipes e, desde o primeiro momento que levamos esta reivindicação ao deputado Marcelo Nilo ele lutou junto ao governador Wagner pelo beneficio, afinal, o governo da Bahia priorizou o bem está dos baianos e com este programa do ‘Agua Para Todos’ vêm mudando a vida de quem mais precisa”, declarou ela.

Vários benefícios já foram conquistados através da Associação dos moradores, como exemplos estão: eletrificação, em parceira com o Programa Luz Para Todos e a Construção de Cisternas Residenciais com capacidade para 15 Ml litros, em parceria com a CAR.

comunidade

“O Água para Todos reúne um conjunto de ações do governo, que busca universalizar o amplo acesso e uso de água para consumo humano e para a produção agrícola. O objetivo é oferecer água de qualidade para melhorar a segurança alimentar. Quando estivemos prefeito, atuamos junto ao governador Wagner procurando solucionar os problemas de Itiruçu. Deixamos a prefeitura e a luta não parou. Ajudamos várias associações e todos os nossos pleitos foram atendidos pelo governador Wagner e serão ouvidos pelo nosso governador eleito, Rui Costa. Esperamos continuar ajudando Itiruçu, conquistando obras e benefícios para nossa gente”, destacou o ex-prefeito Aílton Cezarino.

Fizeram parte deste momento de alegria para comunidade do Teixeira, o presidente da Associação dos Moradores, Didi Andrade; o ex-prefeito Aílton Cezarino, esposa da vice; a ex-presidente Meira Almeida, o Secretário de Serviços Públicos, José Acácio, dentre outros. A vice-prefeita representou o prefeito Wagner Novaes (PSDB) na inauguração.

Redação Blog Itiruçu Online


Itiruçu – Bahia

História ( A História está sedo atualizada com novos fatos históricos). 

bandeira

A primeira penetração do território do município data de aproximadamente 1823 quando, perseguido pela guerra de “Mata Marotos”, José Antonio Braga, de nacionalidade portuguesa, ocupou grande área no Sudoeste baiano, ficando conhecido como MORRO GRANDE, tornando-se de seu domínio particular, e assim foi registrado na forma de Lei de Terra de 1853.

Ao Sul do Morro Grande e a uma distância aproximada de uma légua, está a Lagoa do Tiririca, onde se localizou Salustiano de Barros, que realizou abertas, fez roças, rasgou picadas a guisa de entradas e construiu sua residência. Após algum tempo, vendeu sua posse a José Noberto de Barros, que por sua vez a transferiu para Guilherme do Eirado Silva, que havia se instalado na “Toca da Onça”, atualmente Jaguaquara, que afinal a vendeu a João de Souza Brandão, aqui chegado em 03 de janeiro de 1901.

Com o espírito empreendedor e prático, João Brandão imprimiu à propriedade Lagoa da Tiririca um novo e vital impulso, aumentando as abertas e desenvolvendo a lavoura cafeeira, rasgou novas estradas, construiu numerosas casas com início de ruas, como sejam: Rua da Lancha, atualmente Rua Teixeira de Freitas; Rua das Flores, hoje Rua Pedro Ribeiro; Rua do Paraíso, hoje Rua Presidente Vargas; Rua Vera Cruz, hoje Rua Auro Rocha, entre outras. Em 30 de maio de 1904, na Praça da Liberdade (hoje Praça Vivaldo Bastos e a Praça do jardim) foi construída por seu punho e trabalho de todos os familiares, a Capela Primitiva de Invocação a São João, passando depois à Capela de Santo Antônio e, posteriormente, Capela de São Roque. Hoje, esta Capela não existe mais. Foi derrubada, e em seu lugar construíram dois prédios, onde funcionam casas comerciais.

Graças ao dinamismo de João de Souza Brandão, “Lagoa da Tiririca” começou a apresentar um aspecto de povoado, o que de fato se verificou com a chegada de novos elementos atraídos pelo futuro que acenava certo, dada a fertilidade da terra e, sobretudo à vontade realizadora de João Brandão em transformar aquele local em um centro populoso de desenvolvimento administrativo e independente. Para tanto foram dadas condições para que os recém-chegados atuassem no sentido de crescer a comunidade. Mais tarde resolve substituir a denominação de origem para o de “ALTO DO BONFIM”, mostrando realmente o seu desejo de progresso.
Dentre as pessoas logo chegadas e que melhor compreendeu o idealismo de João Brandão, certificando-se da ascendente possibilidade da povoação, estava o português recém chegado José Ignácio Pinto, que, em 1921 inicia as suas atividades comerciais, efetivando marcante contribuição ao progresso local.
Era de ver-se o entusiasmo de José Ignácio Pinto, prosseguindo a missão de João de Souza Brandão, animando e empolgando todos para uma obra comum: o desenvolvimento da localidade.
E assim, na antiga Fazenda da Lagoa da Tiririca, então Alto do Bonfim, já se contemplava um verdadeiro centro populacional com agricultura promissora e comércio bem desenvolvido.
A mercê desse progresso, conseguiram que fosse a povoação elevada a distrito de Paz de Jaguaquara, conforme Lei Municipal nº 8, de 8 de dezembro de 1922, referendada pela Lei Estadual nº 1.567, de 2 de agosto do mesmo ano.
Já a 18 de outubro de 1924, foi instalada a primeira Agência Postal.
José Ignácio Pinto era infatigável nos anseios da autonomia política e administrativa para o aprazível Distrito de Alto do Bonfim. Com o seu trabalho dinâmico e os esforços dos colonizadores proporcionaram ao povoado e às suas imediações grande surto de progresso que muito concorreu para a sua elevação à categoria de arraial.
Foi o arraial elevado a sede da Subprefeitura de Itiruçu, pelo Decreto Estadual nº 8.476, de 9 de junho de 1933. E, afinal, após luta gloriosa, obtinha-se a completa independência a 18 de julho de 1935, pelo Decreto nº 9.599 que permaneceu o nome de Itiruçu, e passou a Município, por feliz e autorizada sugestão do Governador Teodoro Sampaio.
“E ao primeiro dia do mês de setembro do ano de mil novecentos e trinta e cinco (1º de setembro de 1935), conforme cópia autêntica da Ata de Instalação, foi instalado o MUNICÍPIO DE ITIRUÇU, e teve como primeiro Prefeito nomeado pelo Exmº. Sr. Governador do Estado da Bahia, Tenente Juracy Montenegro Magalhães, o Sr. José Ignácio Pinto, e se deu a instalação presidida pelo Exmº Dr. Alfredo Manoel de Queiroz Costa, Protor deste Termo de Jaguaquara, em exercício do Juiz de Direito desta comarca com sede na cidade de Maracás, previamente designada pelo Sr. Dr. Secretário do Interior, conforme telegrama e seu teor: “Senhor Juiz de Direito Maracás pt Solicito presidirdes instalação vila Município Itiruçu dia primeiro setembro vindouro pt Saudações João Santana Secretário interior”
O nome de Itiruçu é originário do Tupi Guarani: morro grande. Os naturais do município de Itiruçu denominam-se “ITIRUÇUENSES”.
A Agência Telegráfica instalou-se a 19 de abril de 1936. A 21 de fevereiro de 1937 instalou-se a primeira Coletoria Estadual. Itiruçu, com justos crescimentos ao progresso assinalável e graças a valores e pertinaz dedicação de Geir Magalhães, o Decreto nº 512, de 19 de julho de 1945, criava o Termo Judiciário de Itiruçu, que se instalou entre múltiplas expansões de júbilo, a 5 de fevereiro de 1946.
A chegada dos italianos a Itiruçu deu-se em maio de 1950. Em dezembro do mesmo ano vieram os familiares. Eram cerca de vinte os pioneiros. Logo que chegaram, passaram a ocupar os respectivos lotes de terra reservados na “Fazenda Batéia”, adquirida e loteada pelo Estado; com casa e uma pequena área desbravada ao redor.
A Colônia foi instalada em 1950 no Governo Otávio Mangabeira. Era Secretário da Agricultura o Professor Nestor Duarte e Prefeito de Itiruçu o Senhor Geir Magalhães.
O Governo, além da terra e da casa singela em cada lote, proporcionou assistência técnica, ajuda financeira mensal com que pudessem se manter nos primeiros tempos, sementes, adubos etc.
Às primeiras famílias italianas, juntaram-se outras nos anos seguintes que emigraram atraídas pelas boas perspectivas de vida, já que na Itália era grave a situação do país, assolado pela 2ª Grande Guerra.
Foi importante para Itiruçu a vinda dos italianos, que contribuíram para o desenvolvimento da agricultura e integração social e cultural com a população da terra que adotaram como sua.
A chegada dos italianos a Itiruçu deu-se em maio de 1950. Em dezembro do mesmo ano vieram os familiares. Eram cerca de vinte os pioneiros. Logo chegaram passaram a ocupar os respectivos lotes de terra reservados na “Fazendo Bateia”, adquirida e loteada pelo Estado; com casa e uma pequena área desbravada ao redor.
A Colônia foi instalada em 1950 no Governo Otavio Mangabeira. Era Secretário da agricultura o Professor Nestor Duarte e Prefeito de Itiruçu Geir Magalhães.
O Governo, alem da terra e de uma casa singela em cada lote, proporcionou assistência técnica, ajuda financeira mensal com que pudessem se manter nos primeiros tempos, sementes, adubos etc.
As primeiras, famílias italianas, juntaram-se outras nos anos seguintes que emigraram atraídos pelas boas perspectivas de vida, já que na Itália era grave a situação do país assolado pela 2º Grande Guerra.
Foi importante para Itiruçu a vinda dos italianos, que contribuíram para o desenvolvimento da agricultura e integração social e cultural com a população da terra que adotaram como sua.

Curiosidades


DIVISÃO TERRITORIAL

Fixado pelo Decreto nº 11.089, de 30 de novembro de 1938, o Município de Itiruçu é composto do Povoado de Upabuçu, Vila Pimentel, Vila Geraldo Cerqueira, Povoado Luiz Caetano (Várzeas) e localidade da Vitória.

POPULAÇÃO

12.500 aproximadamente

LOCALIZAÇÃO

O Município de Itiruçu está localizado na zona fisiográfica de Jequié e o seu território é paralelamente abrangido pelo “Polígono das secas”. Tem como limite: ao norte, Lagedo do Tabocal; ao Sul, Jequié; a leste, Jaguaquara e a oeste, Lafaiete Coutinho. A sede municipal possui as seguintes coordenadas geográficas: 13º 29’ 30’’ de latitude sul e 40º 07’ 30’’ de longitude W. GR. Rumo a capital do Estado em direção à sede municipal, da qual dista em linha reta 179 km, O.S.O.

RODOVIAS DE ACESSO

BA – 250 que interliga a BR – 116 à 10 km.

A cidade liga-se diretamente à Capital Federal, à Capital Estadual e às cidades vizinhas por meio de estrada de rodagem:

Brasília: 1.394 km;

Salvador: 320 km;

Jaguaquara: 20 km;

Jequié: 47 km;

Maracás: 42 km.

Lagedo do Tabocal: 11 km

ALTITUDE

A altitude da sede municipal é de 820,498 m, tomando por referência a chapa cravada no 4º degrau de acesso à porta principal da Igreja Matriz. Ainda foram encontradas pelo Conselho Nacional de Geografia as altitudes: Máxima de 843,8006 m, no topo do Marco da triangulação do CNG no vértice de Itiruçu; e Mínima de 744,2610, a 3 m da margem direita da estrada de rodagem Jaguaquara – Itiruçu, 960 m aquém do Campo Agrícola Experimental, que está localizado à 6,2 km além do cruzamento com a rodovia Rio – Bahia.

ÁREA

A área municipal é de 313 km².

ACIDENTES GEOGRÁFICOS / ÁREAS NATURAIS

O seu território é pouco irregular, verificando-se alguns acidentes geográficos:

Serras:

Tiririca, da Queimada, da Pedra, de São Gonçalo, da Boa Esperança e do Salobro.

Morros:

MORRO GRANDE – Localizado na Fazenda Morro Grande. Média elevação geográfica, em forma de morro, se localiza a 8 km da sede. Possui grande variedade de espécies vegetais nativas como: orquídeas, bromélias e outras. Existe uma trilha que favorece o acesso ao topo e proporciona uma vista panorâmica de toda a área urbana. É muito visitado por estudantes e professores. Deu origem ao nome da cidade, que em Tupi-Guarani significa PEDRA GRANDE.

MORRO DO TIGRE – Distante 6 km da sede municipal.

Rios:

Não há rios no município, apenas o Riacho do Baixão e o Riacho do Beija-flor (que deságua no Rio Jequiezinho).

Lagoas:

LAGOA GRANDE – no Povoado de Upabuçu, com 600 m de circunferência.

LAGOA DA TIRIRICA – na sede municipal, com 500 m.

Barragens:

BARRAGEM DE ROSALVO – Fazenda Lameirão. Espaço freqüentado como opção de lazer.

Loca dos Caboclos: Fazenda Beija-flor. Trata-se de três locas esculpidas naturalmente em um paredão, com aproximadamente 200 m de altitude.

Colônia Agrícola Batéia: Local onde moraram as primeiras famílias italianas que imigraram em 1950. Hoje, existe a Igreja de San Gabrielle, o Clube Recreativo Dopo Lavoro Gran Sasso, a 1ª Casa do Colono Italiano, Torrefações de café, etc.

CLIMA

O clima da cidade é dos mais agradáveis do Estado. A temperatura é a seguinte: Média das Máximas – 20º C, das Mínimas – 13º C e Média Compensada – 16º C. As chuvas de inverno são registradas nos meses de junho a agosto, e trovoadas, de novembro a fevereiro.

RIQUEZAS NATURAIS

Ocorrências minerais: Cristal de rocha e Ferro, inexplorados, e Pedra para construção, explorada.

ATIVIDADES ECÔNOMICAS

Agricultura:

Café, maracujá e hortifrutigranjeiros.

Pecuária:

Destaca-se o rebanho bovino. Iniciando a caprinocultura.

Indústrias:

Torrefação de Café

Torrefação de Farinha de Mandioca e de Farinha de Tapioca

Fábrica de Sabão

Fabricação de Doces diversos

Fabricação de derivados do leite

Fábrica de Blocos e Tijolos

Fabricação em Artefatos de Couro

Fabricação caseira de Massas Alimentícias

COMÉRCIO

Verifica-se a existência de vários estabelecimentos atacadistas e varejistas. O comércio local mantém transação com as praças de Salvador, Jaguaquara, Jequié, Maracás, Lajedo do Tabocal, Itabuna, Ilhéus, etc. Importa tecidos, louças, ferragens, produtos farmacêuticos, estivas em geral e outros. Exporta café, feijão, verduras, hortaliças, maracujá e outros. A feira da sede municipal é realizada às sextas e sábados.

AGÊNCIAS BANCÁRIAS

BRADESCO – 24 horas.

Rua Juscelino Kubitscheck, s/n – Centro – Tel: (73) 3538-1112

Banco do Nordeste do Brasil (Posto de Desenvolvimento)

Praça Vivaldo Bastos, s/n – Centro – Tel: (73) 3538-1402

AGÊNCIA DOS CORREIOS

Praça Rafael A. Oliveira, 11 – Centro

TERMINAL RODOVIÁRIO

Praça Adson Pires de Novaes, s/n – Bairro José Alves Teixeira – Tel: (73) 3538.1165

A cidade está situada num planalto com praças e ruas largas. Possui vários logradouros, pavimentados, arborizados e iluminados eletricamente.

Telefones

SERVIÇOS:

Banco Bradesco : Rua Juscelino Kubitschek, 41 – Centro
Batalhão de Polícia: (73) 3538-1381 / 1902
Centro de Saúde: (73) 3538-1310
Coelba: 0800-710800
Delegacia de Polícia: (73) 3538-1306
Embasa: (73) 3538-1369
Estação Rodoviária: (73) 3538-1165
Hospital Municipal: (73) 3538-1310 / 1365
Posto de combustível: (73) 3538-1191
Prefeitura: (73) 3538-1200 / 1221
Publicidade GS Som: (73) 3538-1377 / 1376
LGR Vídeo (73) 91264990

FARMÁCIAS:

Confiança: Praça Vivaldo Bastos, S/N – Centro – (73) 3538-1272
Ideal: Rua Romeu Silva, 58 – Centro – (73) 3538-1232
Pró-Saúde: Praça Vivaldo Bastos, S/N – Centro – 3538-1192
Santo Antônio: Praça Gilberto Scaldaferri, 07 – (73) 3538-1844
Só Saúde: Praça Vivaldo Bastos S/N – Centro – (73) 3538-

POUSADAS:

Pousada Casa Grande: Praça Vivaldo Bastos, 40 – Centro – (73) 3538-1774
Pousada Da Tia Lili: Rua Presidente Vargas,156 – Centro – (73) 3538-1644
BARES / LANCHONETES:

Bar Coração de Estudante: Rua Juraci Magalhães,S/N –(7 portas) – (73) 3538-1296
Bar da Feijoada (Pedro): Praça Gilberto Scaldaferri, S/N
Bar do Tico: Praça Vivaldo Bastos, S/N – Centro
Bar São Jorge: Rua Romeu Silva, 45 – Centro – (73) 3 538-1168
Barraca Point Central: Praça Rafael Oliveira (ao lado da prefeitura)
Restaurante Predileto: Rua JK, Centro – ao lado da Igreja Matriz.
Taimag Caldo de Cana: Rua Teixeira de Freitas, S/N – Centro.
O Parlamento Bar: Praça Adson Pires, S/N – (73) 3538-1288
Trayler KAMELLO: Pça. do Jardim, S/N – Centro
Skina Bar: Rua Teixeira de Freitas, S/N – (73) 3538-1635

RESTAURANTES:

Restaurante e Bar da Zezé: Mercado Municipal
Restaurante e Bar do Son: Mercado Municipal – (73) 3538-1830
Restaurante Predileto: Rua JK, S/N – Centro – (73) 3538-1392
Restaurante Bom Paladar: Próximo ao Hospital Municipal – S/N.
Restaurante da Rita: Rua Roberto di Gregório, Prox ao hospital.

PREFEITURA

RUA: Juscelino kubitsheck,78 – Centro
Fone: 3538-1200

Prefeitos

• Prefeito eleito em 1966: Antonio Francisco de Souza (ARENA)
• Prefeito eleito em 1970: Genival Coutinho (ARENA)
• Prefeito eleito em 1972: Pedro Pimentel Ribeiro (ARENA)
• Prefeito eleito em 1976: Antonio Francisco de Souza (ARENA)
• Prefeito eleito em 1982: Pedro Pimentel Ribeiro (PDS)
• Prefeito Eleito em 1988: Pedro Leite da Silva (PFL)
• Prefeito eleito em 1992: Pedro Pimentel Ribeiro (PFL)
• Prefeito eleito em 1996: Wagner Pereira de Novaes(PSDB)
• Prefeito eleito em 2000: Wagner Pereira de Novaes (PSDB)
• Prefeito eleito em 2004: Ailton Cezarino de Novaes (PSDB)
• Prefeito eleito em 2008: Carlos Roberto Martinelli Iervese (Carlinhos)(PT)

Turismo e Cultura

PRINCIPAIS BENS REPRESENTATIVOS DA CULTURA E DA HISTÓRIA.

Casa à Rua Juscelino Kubitscheck, 233
Data da Criação: Meados do Século XX.
Mantenedor: Nilton Pereira Dias

Casa à Rua Albino Serra, 33
Data da Criação: Meados do Século XX.
Mantenedor: Vivaldo Mota Farias

Sala Memorial Colônia Italiana
Casa da Cultura Prof. Israel Souza – Sala 06
Sala onde estão guardados objetos dos imigrantes italianos, trazidos da Itália em 1950.
Data da Criação: 03 de dezembro de 2000

Casa à Praça Vivaldo Bastos, 40
Data da Criação: Meados do Século XX.
Mantenedor: Leomar Fontoura Andrade

Casa Paroquial
Rua Presidente Vargas, s/n
Data de Criação: Meados do Século XX.
Mantenedor: Paróquia de Santo Antonio de Pádua

Prédio da Prefeitura Municipal à Rua Juscelino Kubitscheck, 78
Data de Criação: Meados do Século XX.
Mantenedor: Prefeitura Municipal

Igreja Matriz de Santo Antônio
Rua Juscelino Kubitscheck, s/n
Data de Criação: Meados de 1970 / 1980.
Mantenedor: Paróquia Santo Antonio de Pádua

MANIFESTAÇOES ARTÍSTICAS SOCIOCULTURAIS

Artesãos:

Marlene Edna Oliveira Andrade – Arranjos de Flores e decoração de festas
Aurelino Francisco Sampaio – Cestaria e Trançado
Letícia A. Nunes Marques – Tricô em máquina
Jaqueline Cardoso da Silva Bitencourt – Artesanatos, Pinturas em Tecidos, Bonecas
Nélia Morais Assis – Artesanato, Tricô e máquina
Nair Silva Rocha – Crochê
Maria Edite Andrade Souza – Crochê, Vagonite e Bordados.
Osvaldo José de Souza (Barinho) – Gaiolas de madeira
Diane Cerqueira Nogueira– Crochê
Viviany Vitório D’Emidio – Pintura sobre tela, Biscuit, Pátina

Artistas plásticos:

Jocélio Pereira de Oliveira
Marcos Alberto Alves Nunes
Tânia Mota da Silva
Regivânio Santos Cerqueira
Osvaldo Vicente Santana (Bozart)
Cantores e Músicos:
Cosme Bacelar da Silva
Antonio Silva Saraiva

Músicos:

Dermival Nery de Oliveira Júnior (Júnior do Acordeom)
Roberto Pinheiro dos Santos (Zupério)
Rogério Amorim
Noildo Santos Souza
Jaqueline Cardoso Bitencourt
Aline Souza Santos
Cialeide Silva Saraiva
Breno Fernandes Serra
Elsimar Cardoso
Vandeilson Brito dos Santos (Gigante)
Lucas Machado
Marcos Brito
Miguel Arcanjo
Benício Júnior
Cronistas / Poetas:
Gisélia Almeida
Lidiane Fróes
Michelli Cardoso
Luciana Brandão da Silva
Cid Alves Santos
Cristiane Barreto Santos Andrade

Conjuntos musicais:
Banda Tzão de Mulher
Banda Gavião Dourado
Cleiton dos Teclados
Chapa Quente

CULINÁRIA

Cocadas: Leite, Côco, Abacaxi, Côco com leite, etc.
Iracema Leal dos Santos

Biscoitos: Goma, Nata, Queijo, Côco, Casadinho, Pastel Suíço, Bicho-da-seda, Creme de cebola.
Railton da Guarda Souza
Maria do Socorro S. Souza

Doces, Tortas e Salgados para festas diversas.
Núbia Brochini Umburanas
Sio (de Junior do Acordeon)
Margarete de Vinin
Agda Novaes

Licor: Jenipapo, Figo, Passas, Maracujá, Laranja, Jabuticaba etc.
Luzia de Almeida Souza
Maria Arlete Barreto Santos
Maria Enaide Sampaio Coutinho
Guiomar Cezarino
Sorveteria Kamello

Acarajé.
Kaká
Srª Lice
Dejanira Souza Santos (D. Dêja)

Comida Típica Italiana:
Loredana Di Gregório Di Giantomasso
Dona Rita

CALENDÁRIO DE EVENTOS

FEVEREIRO:

Festa de San Gabrielle – Data móvel. Evento religioso que festeja o padroeiro dos colonos italianos que residem no município. Consta de tríduo com missas à noite e no domingo encerra à tarde com missa festiva, fogos de artifícios, distribuição de brindes, vinho, pão italiano e salgados típicos para a população cristã presente e toda a comunidade italiana.
Local: Igreja de San Gabrielle – Colônia Italiana Batéia
Organização: Paróquia e comunidade

JUNHO / JULHO:

Festa de Santo Antônio – Evento popular e religioso, louvando o padroeiro local. Consta de trezena, missa solene e uma série de manifestações, como apresentações musicais e teatrais; barracas com comidas típicas; parque infantil, etc.
Período: 01 a 13 de junho
Local: Igreja matriz e Praça do Jardim
Organização: Paróquia e comunidade

Festa de São Pedro – Esta é a principal festa cultural da cidade. Concentra grande número de pessoas na Praça da Feira, com apresentação de blocos, grupos de danças juninas tradicionais, barracas de comidas e bebidas típicas, bandas e shows artísticos conhecidos nacionalmente. Bastante apreciado e um dos mais concorridos em toda a Bahia. É quando a cidade recebe grande quantidade de turistas, inclusive de outros estados.

Período: 29 a 31 / 06 (variável de acordo o calendário)
Local: Praça Adson Pires de Novaes
Organização: Prefeitura Municipal

SETEMBRO:

Festa da Cidade – Comemorações alusivas ao aniversário da cidade. São realizadas apresentações cívico-culturais: hasteamento dos pavilhões através de atos públicos, desfiles com a participação das escolas locais, jogos recreativos, apresentação de bandas musicais, etc.
Período: 1º de setembro
Local: Vias públicas
Organização: Secretaria de Educação e Cultura