Foto Itiruçu Online/Divulgação

Uma abordagem realizada na noite dessa quarta-feira (27) pela PRE na BA-026, no município de Maracás, resultou na recuperação de um veículo modelo Renault/Sandero, cor prata, placa policial QOA-8914, licença de Belo Horizonte- MG.  De acordo com relatos exclusivos ao Itiruçu Online, a ação ocorreu por volta das 21h quando a guarnição do 3° Pelotão-Jequié/CIPRv-Itabuna, sob o comando do Sub Ten PM Everaldo Júnior, que deu ordem de parada em abordagem policial, não sendo obedecida pelo condutor, evadindo do local.  A guarnição realizou a perseguição ao veículo e, ao ser parado,  foi constatado que o condutor não possuía CNH, apresentando  o CRLV sem adulteração aparente, porém, gerou suspeitas sobre a origem do veículo, que foi conduzido e apresentado na COORPIN, sendo assim constatado  que o veículo era produto de furto/roubo, conforme ocorrência n° 6866/2018, registrada na 23ª DT de Lauro de Freitas-BA, em data de 04/122018, ficando a disposição da mesma. Com o veículo também foi apresentado o condutor Benivan Maykon Pereira Machado Caíres. A ação ocorreu próximo  ao Entroncamento da BR-330, sentido Jequié.


A Polícia Militar foi acionada na noite desta terça-feira (19) para registrar a morte de um jovem de 22 anos por enforcamento, na Rua das Flores, próximo ao Beija-flor. De acordo com informações obtidas pelo Itiruçu Online, o rapaz foi encontrado pendurado em uma corda amarrada no telhado da residência.  O nome do rapaz é Joabson Santana, filho de um cidadão bastante conhecido na cidade, Zé Bacelar, de família popular na cidade Até o fechamento desta edição, a Polícia esteve no local onde aguardava à chegada da Polícia técnica para realizar pericia e confirmar a causa da morte. Joabson trabalhava numa empresa  como entregador de gás e  era conhecido pelo apelido de Bim. O corpo após periciado será devolvido aos familiares para o sepultamento.O motivo que levou o rapaz a cometer o suicídio ainda e desconhecido.


O final de semana em Lajedo do Tabocal duas ocorrências foram registradas na cidade envolvendo ações de criminosos.  A primeira foi uma tentativa de assalto ao Mercado Brandão, no centro da cidade, quando dois  elementos a  bordos de uma moto adentraram  no estabelecimento na tarde do sábado 16, mas não conseguiram   levar nada, sendo fracassada a tentativa. Após fracassarem, os elementos saíram correndo, montaram  na moto e fugiram. Na ação registrada pela Câmera de segurança, não usaram revolver.

O segundo caso ocorreu já na madrugada, quando uma residência situada a Rua Francisco Ezequiel Barbosa, próxima a garagem municipal. O furto só foi percebido quando a proprietária retornou para casa depois de participar de um aniversário, encontrando a residência arrombada. O individuo forçou e conseguiu ter acesso pela janela. Foram furtados aparelho de DVD e um receptor de antena, celular e uma TV. O Caso foi registrado nesta segunda na polícia civil da cidade que deve investigar o furto. O caso do Mercado foi a tarde e o arrombamento na residência durante a noite.


Maria Júlia Coutinho estreou hoje como apresentadora do “Jornal Nacional” com elogios ao vivo e uma inusitada previsão do tempo. Maju é a primeira jornalista negra a sentar na bancada do telejornal mais assistido do Brasil. Durante a previsão do tempo, Rodrigo Bocardi improvisou e ensaiou ir até o telão para falar com Tiago Scheuer, substituto de Maju no quadro meteorológico. O apresentador, porém, cedeu seu lugar para que a estreante pudesse interagir com o colega.

“Hora da previsão do tempo?”, questionou Bocardi para Maju, que brincou: “Agora eu vou passar por uma situação superinusitada”. O apresentador se levantou, mas ofereceu o espaço para a colega de bancada. “Espera aí, vamos até São Paulo… mas pensando melhor, eu acho que não é justo, né? Você me dá a honra, o prazer de você seguir por esse caminho e buscar as informações da previsão do tempo?”, perguntou. “Seguirei. Que inusitado!”, disse Maju. “Até porque… isso é área de vocês!”, complementou Bocardi.
Durante a previsão do tempo, Maju recebeu as primeiras boas-vindas da noite. Tiago Scheuer parabenizou a titular do quadro meteorológico e repassou os elogios da equipe pelo sucesso da apresentadora. “Em primeiro lugar, bem-vinda, boa sorte! Ainda mais sucesso para você, que é uma pessoa iluminada, muito gente boa, todo mundo sabe disso, a gente adora ter você como colega. Boa sorte nesse novo desafio que começa para ti, viu? A gente está na torcida aqui”, falou Scheuer. “Obrigada!”, agradeceu Maju.
Maju começou na Globo em 2007 como repórter e, em 2013, assumiu a previsão do tempo dos telejornais da emissora, inclusive a do “Jornal Nacional”, e chamou atenção pela espontaneidade e a linguagem informal. A primeira oportunidade como âncora foi em junho de 2017, no “Jornal Hoje”, integrando o time de “folguistas”, que apresentam a atração aos sábados. Ela iniciou sua trajetória na televisão no “Jornal da Cultura”, há 14 anos. Na mesma emissora, ela comandou o “Cultura Meio-Dia”. Em 2015, ela foi vítima de racismo nas redes sociais e causou indignação entre famosos e anônimos, que fizeram a campanha Somos Todos Maju Coutinho.

O primeiro jornalista negro a apresentar o “Jornal Nacional” foi Heraldo Pereira. Zileide Silva apresenta esporadicamente o “Jornal Hoje”, aos sábados. Gloria Maria também se consagrou à frente de atrações como “Fantástico” e “Globo Repórter”, além de ter atuado como repórter. No ano passado, pela primeira vez na televisão brasileira, um telejornal foi comandado por dois jornalistas negros. A RedeTV! escalou Luciana Camargo e Rodrigo Cabral para dividirem a apresentação do “RedeTV News”. A TV e os jornais deram destaque para o fato que deveria ser encarado com normalidade, pois ambos os jornalistas são competentes por suas funções.


O jornalista Ricardo Boechat, de 66 anos, morreu na queda do helicóptero da manhã desta segunda (11) no Rodoanel em São Paulo. A informação é da TV Band, onde o profissional trabalhava. O helicóptero caiu na rodovia por volta das 12h15. A aeronave acertou a parte dianteira de um caminhão que passava pela via. O motorista do veículo sofreu ferimentos e foi socorrido. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o acidente ocorreu na altura do quilômetro 7 no sentido Castelo Branco, próximo ao pedágio Jabaquara. Onze viaturas prestavam socorro na região no início da tarde. Um outro ocupante do helicóptero também morreu, mas seu nome ainda não foi confirmado.
Boechat era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM e colunista da revista IstoÉ. Ele também trabalhou nos jornais “O Globo”, “O Dia”, “O Estado de S. Paulo” e “Jornal do Brasil” e foi comentarista no Bom Dia Brasil, da TV Globo.

Ele ganhou três vezes o Prêmio Esso, um dos principais do jornalismo brasileiro e atuou em alguns dos principais veículos e canais do país. Boechat estava dando uma palestra em Campinas, no interior do estado, e retornava a São Paulo nesta segunda, de acordo com jornalistas da TV Band. Ao longo de uma carreira iniciada na década de 1970, esteve jornais como “O Globo”, “O Estado de S. Paulo”, “Jornal do Brasil” e “O Dia”. Na década de 1990, teve uma coluna diária no “Bom Dia Brasil”, na TV Globo.

Acidente

O chamado de socorro foi feito às 12h14. A queda ocorreu perto do quilômetro 7 do Rodoanel, sentido Castelo Branco. De acordo com a CCR Rodoanel Oeste, que administra o Rodoanel, houve uma terceira vítima com ferimentos, o motorista do caminhão.
Segundo informações iniciais, o helicóptero saiu do hangar Sales, no Campo de Marte, na Zona Norte da capital paulista, que ficou destelhado após um vendaval nas últimas semanas.

Foram enviadas ao menos 11 viaturas para o local. A Polícia Rodoviária Estadual informou que a alça de acesso do Rodoanel à Rodovia Anhanguera precisou ser interditada. Já a rodovia não teve bloqueio.

Carreira


Ao longo de uma carreira iniciada na década de 1970, esteve jornais como “O Globo”, “O Estado de S. Paulo”, “Jornal do Brasil” e “O Dia”. Na década de 1990, teve uma coluna diária no “Bom Dia Brasil”, na TV Globo.

O perfil de Boechat no site da Band News FM informa que ele era o recordista de vitórias no Prêmio Comunique-se – e o único a ganhar em três categorias diferentes (Âncora de Rádio, Colunista de Notícia e Âncora de TV). Em pesquisa do site Jornalistas & Cia em 2014, que listou cem profissionais do setor, Boechat foi eleito o jornalista mais admirado. Boechat lançou em 1998 o livro “Copacabana Palace – Um hotel e sua história” (DBA).

Em pesquisa do site Jornalistas & Cia em 2014, que listou cem profissionais do setor, Boechat foi eleito o jornalista mais admirado. Boechat lançou em 1998 o livro “Copacabana Palace – Um hotel e sua história” (DBA).

Ricardo Eugênio Boechat nasceu em 13 de julho de 1952, em Buenos Aires.


Time do Morro garantiu vaga na final ao bater o Arsenal por 2×0.

Foram definidos neste domingo (10) os dois finalistas da V edição da Copa do Café.  No  primeiro jogo o primeiro classificado do grupo A, o Arsenal, perdeu para o time do Povoado do Morro de Lafaiete Coutinho já no final do segundo tempo, quando em duas oportunidades o time Lafaietense marcou dois gols, sacramentando a vaga na final. O time do Arsenal jogava pelo empate.

Itiruçuense manteve os 100% e vai à final.

Já a segunda partida foi entre o time do Itiruçuense contra o Tudo Pela Ordi. Um jogo nervoso com expulsões no final da partida. O time Itiruçuense garantiu uma campanha 100% na competição e venceu o TPO por 3×2, consolidando a vaga na final na tarde do próximo domingo 17, contra o time do Morro. Desta vez nenhuma equipe jogará por empate.

As confusões da Copa

Vale salientar que, o time do Arsenal passou para semifinal mediante uma alteração da UDI, que fez a melhor campanha do grupo A com 05 pontos, mas por uma alteração de um jogador que constava em súmula e entrou no estádio no segundo tempo, fez a equipe ser punida como se estivesse mandado a campo um jogador suspenso, profissional ou não inscrito na competição, um equivoco que ajudou a classificar o TPO, que entrou numa imposição de jogo extra, considerado um jogo político para não desagradar as equipes. No jogo extra o TPO  venceu a UDI nas penalidades depois de empate em 0x0.


Diante da repercussão da tragédia ocorrida na última sexta-feira, 25, após o rompimento de uma barragem de rejeitos em Brumadinho, e da preocupação de moradores de municípios do baixo e médio Rio das Contas com a barragem da Mirabela, instalada em Itagibá, a reportagem do GIRO buscou esclarecimentos sobre o caso e foi recebida na mineradora por Milson Mundin (diretor presidente da Mirabela) e Vagner Lima (engenheiro de barragem). Numa longa entrevista, ambos esclareceram a atual situação da barragem e afirmaram que ela é segura e que o risco de rompimento é baixíssimo. A segurança da barragem da Mirabela também foi atestada pelo especialista José Batista de Oliveira – professor de mina da UFBA, em um áudio no WhatsApp compartilhado por ele no último sábado e direcionado à moradores de Itacaré.

Diretor da Mirabela (direita na foto) e Engenheiro de Barragem foram entrevistados pelo Giro em Ipiaú.

Milson Mundim destacou a diferença da barragem da Mirabela às de Brumadinho e Mariana. “O primeiro ponto que a gente tem que lembrar é que essas duas barragens tem 40 anos de construção e nesse período a tecnologia da engenharia evoluiu. E para se ter uma ideia, hoje não é mais possível licenciar uma barragem que use o método construtivo utilizado por eles naquela época. Elas são feitas com o próprio rejeito da mineração e alteadas com montante, isso significa que vai colocando o rejeito em cima do próprio rejeito e vai aumentando a altura da barragem. A nossa barragem é bem diferente. Ela é feita principalmente com rocha (cerca de 83%) e não rejeito”, destacou Mundim que ainda acrescentou: “O risco de acidente dela (barragem), em termo de rompimento, é baixíssimo”.

Segurança

Outro ponto diferente é em relação ao material contido pela barragem da Mirabela que atualmente tem 21 milhões de metros cúbicos de rejeitos. Segundo o engenheiro Vagner Lima, apenas 4% desse material é água. “Nosso rejeito é arenoso e tem uma consistência que facilita o adensamento dele, inclusive pode-se trafegar com máquinas em cima do rejeito”, disse. Vagner informou que o método utilizado para a construção da barragem é o mais caro no mercado. Ele revelou que fez um levantamento e constatou que no Brasil, das 790 barragens de rejeitos, apenas a Mirabela (Itagibá) e a de Sossego (no Pará) utilizam essa metodologia de construção. Baseado em uma pesquisa de um órgão internacional, Vagner afirmou: “No mundo não existe histórico de rompimento com nosso tipo de barragem (de enrocamento), não tem nenhum caso”, frisou.
 
Manutenção e fiscalização


O presidente da Vale, Fabio Schvartsman, disse nesta 3ª feira (29.jan.2019) que eliminará 10 barragens a montante–a de Brumadinho e outras 9 do Estado de Minas Gerais. O processo durará, de acordo com ele, de 1 a 3 anos.  Com o fechamento, a empresa parará de produzir 40 milhões de toneladas de minério de ferro por ano. “A Vale produz 400 milhões de toneladas [de minério de ferro] por ano. Isso representa 10% da produção”, disse Schvartsman.

Elas passarão por 1 processo de “descomissionamento”. De acordo com a Vale, isso significa que serão “esvaziadas ou integradas ao meio ambiente”. O custo será de R$ 5 bilhões. As declarações foram dadas em entrevista à imprensa no Ministério de Minas e Energia, após reunião com o titular da pasta, almirante Bento Albuquerque. De acordo com Schvartsman, a empresa chegou “com o plano pronto e apresentou ao governo”.

As barragens a ser fechadas são aquelas em que o depósito de rejeitos é feito em camadas, num vale. Elas vão sendo elevadas como se fossem degraus na medida em que o volume de rejeitos aumenta. Em entrevista à GloboNews na 2ª feira (28.jan), o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse que as mineradoras deveriam parar de usar esse tipo de estrutura.

Segundo Schvartzman, há laudos de auditorias recentes que atestam “a perfeita estabilidade” de todas as estruturas. “Resolvemos não aceitar apenas esses laudos e decidimos agir de outra maneira”, afirmou. A Vale tinha 19 barragens do tipo em 2015, quando ocorreu o desastre em Mariana (MG). “Já desapareceram 9 desde 2015”, disse o presidente da empresa.

Fabio Schvartsman anunciou que 5.000 funcionários –entre próprios e terceiros– atuantes nas estruturas que deixarão de existir serão incorporados aos quadros da empresa em outros locais. A Defesa Civil anunciou nesta 3ª feira que subiu para 84 o número de mortes por conta do rompimento da barragem do Córrego da Mina do Feijão, em Brumadinho (MG). Há 276 desaparecidos.


Autônomos e trabalhadores rurais que contribuem para a Previdência Social devem estar atentos. Desde o último dia 15, eles devem preencher o novo Cadastro de Atividade Econômica da Pessoa Física (CAEPF). A medida faz parte do cronograma de ampliação do eSocial, ferramenta que unifica as prestações de informações dos empregadores em um único ambiente.

O CAEPF substitui o Cadastro Específico do Instituto Nacional do Seguro Social (CEI). De 1º de outubro do ano passado até 14 de janeiro, a inscrição era facultativa, mas passou a ser obrigatória desde 15 de janeiro. Segundo a Receita Federal, o novo cadastro reunirá informações das atividades econômicas exercidas pela pessoa física e facilitará a garantia dos direitos dos empregados e empregadores. Estão obrigados a preencher o CAEPF os contribuintes individuais (autônomos) nas seguintes situações: que tenha segurado que lhe preste serviço, titular de cartório (mesmo inscrito como pessoas jurídicas), produtor rural que contribua individualmente com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e pessoa física não produtora rural, mas que revende a produção rural no varejo.

Também estão obrigados a aderir ao novo cadastro os segurados especiais. Essa categoria engloba os trabalhadores rurais em regime de agricultura familiar (sem mão de obra assalariada), incluindo cônjuges, companheiros e filhos maiores de 16 anos que ajudam na produção. Antes de preencher o CAEPF, o contribuinte deve ir ao site do eSocial, selecionar a opção Primeiro acesso e preencher o cadastro de empregador/contribuinte que aparece na tela. Em seguida, deve clicar no botão Acesso ao Sistema CAEPF para ser direcionado ao sistema da Receita Federal e inserir os dados de contribuinte individual ou segurado especial.

Quem é empregador doméstico e já está inscrito no eSocial pode ir direto ao Centro de Atendimento Virtual da Receita Federal (e-CAC) para fazer o procedimento. Não é necessário reintroduzir as informações do empregador no portal do eSocial.

Para entrar no e-CAC, o empregador deve ter um código de acesso. Para obtê-lo, o segurado precisa informar ou o número do recibo da última declaração do Imposto de Renda ou o número do título de eleitor, caso seja isento de declarar renda. Quem não tem acesso à internet deve procurar a unidade da Receita Federal mais próxima para preencher o cadastro.


O Facebook anunciou mudanças nas regras para as páginas dentro da plataforma. A principal delas é a identificação de publicações consideradas “notícias falsas” e que, em razão disso, têm a distribuição reduzida. Os administradores das páginas poderão ver quais mensagens foram enquadradas nesta categoria. Também terão acesso a outros conteúdos retirados por violarem as normas internas da companhia (os Parâmetros da Comunidade).

Os administradores de páginas passarão a ter acesso a uma “aba” denominada “Qualidade da Página”. Nela, ficarão listados os posts avaliados como “falsos”, “mistos” ou com “título falso”, conforme categorias definidas pela empresa. A classificação é feita por agências de checagem de fatos parceiras (conheça as regras de análise aqui). Até agora, quando uma publicação era marcada desta maneira não havia qualquer sinalização nem ao autor nem aos administradores de páginas. O autor, contudo, seguirá sem ser notificado.

A redução de alcance de conteúdos considerados “notícias falsas” vem sendo adotada pela rede social, sem remover os posts mas criando obstáculos a sua difusão. “Esperamos que isso forneça às pessoas as informações necessárias para policiar comportamentos inadequados de administradores de uma mesma página, entender melhor nossos Padrões da Comunidade e, em alguns casos, nos informar quando acreditarem que tomamos uma decisão incorreta sobre um determinado conteúdo”, afirmou a empresa em comunicado oficial. No Brasil, o Facebook estabeleceu parceria com entidades de checagem de fatos, como a Agência Lupa, aos Fatos e France Press para verificar circulação de notícias falsas durante as eleições de 2018.

Conteúdos removidos

Além das publicações classificadas como “notícias falsas”, os administradores de páginas poderão ver também os conteúdos removidos por não respeitarem as normas internas, os chamados Parâmetros da Comunidade. Entram aí mensagens enquadradas como “discurso de ódio”, “violência”, “conteúdo explícito”, “assédio”, “bullying”, “produtos controlados”, “nudez adulta”, “atividades sexuais” e “apoio ou glorificação de indivíduos não permitidos no Facebook”.

Os posts apontados dentro dessas categorias já eram retirados, mas sem explicação. Com isso, o administrador poderá ver as publicações banidas. Segundo o anúncio do Facebook, o administrador passa também a poder contestar uma remoção. Alguns tipos de derrubada não serão informados nesse processo, como “spam”, “posts caça-cliques” ou “violações de propriedade intelectual”.

Reincidência