Vereador de Manoel Vitorino vai processar o Prefeito de Jequié, Sérgio da Gameleira

8b4f3ae00ae5a7ca60a69bcaa565253e

Um vereador da cidade de Manoel Vitorino disse que vai entrar na justiça contra o prefeito interino de Jequié, Sérgio da Gameleira. Ailton do Sindica disse que vai processa o prefeito de Jequié por que quando ele assumiu a prefeitura deu uma entrevista e citou o nome de Ailton como sendo um dos funcionários fantasmas do governo da ex-prefeita Tânia Britto, inclusive tendo carros locados na Prefeitura de Jequié. Ele disse Sérgio vai ter que provar na justiça que teria carros locados ou cargos na gestão municipal. Ailton é vereador na cidade de Manoel Vitorino e tem seu reduto eleitoral na região rural de Lagoa da Pedra. Sérgio da Gameleira teria dado essa declaração durante entrevista em uma rádio e ainda não se posicionou sobre a denúncia.

Em resposta a ouvidoria emitiu a seguinte nota:

Foi encontrado, sim, uma planilha na prefeitura de Jequié com a lista de cargos e quem os indicou. A lista não foi produzida pela gestão Sérgio da Gameleira. A lista foi encontrada com uma quantidade de cargos indicados e, ao lado, escrito à mão os donos dos cargos e entre os citados existe, sim, uma citação ao vereador de Manoel Vitorino. Não podemos dizer se a pessoa que exercia o cargo trabalhava ou não trabalhava. Isto ainda está sendo investigado. O fato real é este: pela lista encontrada, o cargo por assim dizer possuía um “padrinho” e um destes, pela marcação do nome na lista, era o citado vereador. Se é verdade ou se é mentira está lá na planilha com os cargos indicados e os nomes dos “proprietários” dos cargos. Portanto reafirmamos que existe sim essa lista e está lá para ser comprovada. O vereador tem direito, se quiser, ir à justiça requerer os direitos dele mas o prefeito Sérgio da Gameleira tem todos os dados comprobatórios com a lista de cargos indicados e seus “proprietários”. Voltamos a afirmar que a lista não diz que o vereador recebia o pagamento pelo cargo nem diz que o funcionário indicado não trabalhava. Diz o nome do funcionário e o “padrinho” do cargo. Blog Júnior Mascote.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas