Vamos acordar: chinkungunya pode se tornar epidemia na Bahia

dengue

33 casos confirmados de chinkungunya em Feira de Santana. A doença provoca sintomas parecidos com os da dengue, porém mais dolorosos. Ainda segundo o Ministério da Saúde, no mesmo período, já são 79 casos da doença no Brasil.

 

O vírus chikungunya pode ser transmitido pelo mesmo vetor da dengue, o mosquito Aedes aegypti, e também pelo mosquito Aedes albopictus, e a infecção pelo chikungunya segue os mesmos padrões sazonais da dengue, de acordo com o infectologista Pedro Tauil, do Comitê de Doenças Emergentes da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI). O risco aumenta em épocas de calor e chuva, mais propícias à reprodução dos insetos. Eles picam principalmente durante o dia. A principal diferença de transmissão em relação à dengue é que o Aedes albopictus também pode ser encontrado em áreas rurais, não apenas em cidades.

 

E você, prefeito ou secretário (a) de Saúde que ler esta informação, o que já começou a fazer para evitar a chinkungunya em seu município? Ou vai esperar virar epidemia para depois correr atrás do prejuízo?

 

Vejo pouca preocupação com a questão da Dengue. É preciso ter amor pelas pessoas para fazer o que elas têm de direito: usar o poder público para evitar a proliferação do Mosquito da Dengue; transmissor da chinkungunya.  É só choradeira de falta de recursos, mas existe um culpado para isso: o prefeito, quem em muitos municípios vendem às prefeituras para o sistema político e o direito da população fica depois dos privilegiados pelo dinheiro público.

É o momento de acordar, fazer campanhas de conscientização. Focar no combater a Dengue e deixar a população protegida.

Confira aqui como evitar a dengue 

Por Tiago Santos.


Comentários

Uma Resposta para “Vamos acordar: chinkungunya pode se tornar epidemia na Bahia”

  1. Avatar

    carol

    dificil pois é uma situaçao que devemos reaver, principalmente responsaveis pela saudade dos municipios e cidades da bahia.

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas