Se o dilúvio fosse amanhã, quem estaria na Arca?

noé

Mesmo sendo professor de Química e Matemática, gosto de praticar a interdisciplinaridade, pedagogia defendida por muitos e realizada por poucos, como é o caso do colégio em que ensino. Este ano já realizei um Júri Simulado analisando a Maioridade Penal (com a participação especialíssima da Dra. Vienna Andrade), propus a realização de um clipe musical e para justificar o título do artigo, exibi o filme NOÉ (2014).

O filme, que não é baseado na história (ou “es”) bíblica, mas, segundo seus autores, inspirado nela, traz uma reflexão interessante que eu levei aos meus alunos e agora o faço a você, leitor: Se o Dilúvio fosse amanhã, quem estaria na Arca?

Muitos de nós achamos que o problema sempre está com o outro. E achamos certo: o problema está realmente no outro. O que esquecemos, porém, é que também temos o problema. Ou vários problemas…

No filme, Noé reflete junto a sua esposa que sua família é quem povoará a Terra tão logo as águas baixem. Mas algo perturba Noé. Ele avaliou que dos 3 filhos que ele tinha, um era violento; o outro era ambicioso; o terceiro, egoísta. Noé reconheceu que tanto ele ou sua esposa seriam capazes de matar alguém pelo bem de seus filhos. Então, que futuro a humanidade teria se sua família, a única restante no planeta, o repovoasse?

Se fossem nos dias de hoje, você mereceria estar na arca? Você tem a decência de reconhecer seus defeitos? E que esses defeitos são sérios? Do que você seria capaz?

Você é capaz de dar a outra face caso agridam a primeira? Você é capaz de perdoar (não setenta vezes sete, mas pelo menos sete vezes… ou mesmo UMA) alguém que te magoou? Você é capaz de vender tudo que você tem e dar aos pobres? Você se vinga de alguém se estiver em situação de vantagem?

O que você faz de bom para o planeta? Você fura fila? Você devolve o troco errado? Você mata animais ou plantas na natureza? Você joga lixo na estrada?

Conheço muita gente (e você também) que vive com a Bíblia debaixo do braço e frequenta templos com atitudes e comportamentos muito inferiores a quem não o faz.

Mas até esse julgamento faz de mim uma pessoa que não mereceria estar na Arca amanhã. Quem sabe reconhecer isso, já é um começo. E você?

Por Henrique Nunes- Colunista do Blog Itiruçu Online. 


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas