Santa Inês: Feminicida foragido comete suicídio após cerco policial; mulheres realizaram ato em Praça Pública

Na manhã quarta-feira (13), no Povoado do Riacho Fundo, Zona Rural de Cravolândia, a Guarnição da Cipe Central Realizava operação para prender o feminicida conhecido por Déda, que havia cometido  crime contra sua esposa na segunda-feira, dia 11, na cidade de Santa Inês. A Policia verificava o possível esconderijo do criminoso, sendo confirmada a presença dele por moradores da localidade.

De acordo com relatos da Cipe Central, a Patrulha Rural fez buscas em diversas casas abandonadas sem êxito, sendo que em determinado momento, face a disciplina de sons e ruídos da Patrulha Rural, foram ouvidos barulhos de galhos partindo em uma jaqueira próxima. A patrulha ao direcionar sua frente para a origem dos sons,  flagrou um indivíduo na copa da árvore, que   ao perceber a aproximação da Polícia se projetou dessa, correndo para o interior de uma residência, adentrando pela janela dos fundos, sendo imposto rapidamente o cerco e a verbalização determinando a saída do criminoso, pois a casa estaria cercada.  Ante a negativa do feminicida, houve o adentramento e para a surpresa do efetivo, foi encontrado o criminoso já desfalecido, com cortes profundos e irregulares na jugular, de posse de uma faca serrilhada de cozinha em mãos.

Na residência onde o elemento adentrou tinha uma criança de 9 anos e um senhor acamado sem condições de locomoção.   O crime de FEMINÍCIDIO causou grande comoção na população de Santa Inês, que organizou, inclusive, uma manifestação pública pela paz, em repúdio a violência contra a mulher nesta quarta-feira.

Um grupo de mulheres vestidas de preto, realizaram uma manifestação silenciosa e organizada na cidade de Santa Inês em repúdio ao feminicídio de Jaci dos Santos Rocha, companheira assassinada pelo criminoso suicida.

O ato foi pautado nas recomendações da OMS, estando todas usando máscaras, e distanciamento adequado e fizeram silêncio. “Sim, foi uma manifestação silenciosa, como a dor da família enlutada, silenciosa como o desespero de várias mulheres que são vítimas de violência em nossa cidade e em outros lugares mundo a fora. A manifestação foi marcada por homenagem a vítima, momentos de oração, aplausos e muita emoção. As mulheres de Santa Inês têm voz e querem respeito. Todas por uma”, diz a mensagem do grupo.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas