Prefeitos e vereadores baianos elevam salários; em Itiruçu vereador foi para R$ 6 mil

Apensar do aumento para R$ 6 mil de salário, população renovou 06 cadeiras

Apensar do aumento para R$ 6 mil de salário, população renovou 06 cadeiras

O aumento de salários de vereadores e prefeitos tem causado revolta em moradores de alguns municípios baianos. Nos últimos dias, pelo menos quatro cidades baianas aprovaram o reajuste nos benefícios pago aos edis e chefes de executivos. Na semana passada, uma manifestação foi realizada na cidade de Camaçari. No dia primeiro de novembro, foi  aprovado o reajuste de 6,43% para os vereadores, que passariam a receber R$ 2,578,47 a mais.  O ato teve início na porta da Câmara de Vereadores e os manifestantes saíram em marcha pelas ruas. Apesar de aprovado pela Casa, a definição do aumento só deve sair no ano que vem.

O projeto precisa ser sancionado pelo prefeito, mas o atual chefe do Executivo, Ademar Delgado, afirmou que vai deixar para o prefeito eleito, o vereador Elinaldo, tratar do assunto, já que a gestão dele é que pagará a conta.  Através de nota, os vereadores da cidade explicaram os motivos que levaram à aprovação do aumento. Segundo eles, os edis da cidade só têm o salário reajustado a cada quatro anos, não recebem 13º e não recebem pagamento por participação em sessões extraordinárias. “O  percentual exato do reajuste foi de 6,43% ao ano, o que totalizou um aumento de R$ 2.578,47 no salário dos vereadores, que, dividido pelos últimos 4 anos, equivale a um aumento de R$ 644,00 ao ano. O reajuste aprovado na última terça só entrará em vigor na próxima legislatura, a se iniciar em 1º de janeiro de 2017. O reajuste não representará acréscimo de um centavo nos gastos públicos do município, pois não haverá qualquer aumento no valor repassado pela Prefeitura à Câmara Municipal”, diz trecho da nota. A Tribuna tentou contato com Elinaldo, mas ele não atendeu as ligações.

Dias D’Ávila, Santo Estevão e Macaúbas na lista 

Outra cidade em que os representantes tiveram o salário reajustado foram Dias D’Ávila, Macaúbas e Santo Estevão. Em Dias D’ávila, o aumento foi aprovado pela Câmara de Vereadores e sancionado pela prefeita Jussara Márcia, reeleita durante as eleições deste anos. O aumento entrará em vigor a partir de janeiro do ano que vem e com o reajuste, os salários dos vereadores vão passar de R$ 8 mil para R$ 10,1 mil. Os vices e secretários, que recebem R$ 10 mil, vão passar a receber  R$ 13,3 mil. Enquanto a prefeita, que atualmente tem vencimentos de R$ 18 mil, passará a receber R$ 22 mil por mês.

Na cidade de Santo Estevão, o aumento também provocou a revolta dos moradores, que fizeram uma manifestação na porta da Câmara Municipal. O aumento foi aprovado no mês passado e já foi publicado no Diário Oficial. Os salários dos vereadores passaram para R$ 10 mil, enquanto os secretários municipais e o vice-prefeito receberão  R$ 8,4 mil. Enquanto o reajuste do prefeito chega a R$ 20 mil. Ontem, manifestantes ocuparam a Câmara da cidade em protesto contra o aumento. Eles afirmam que só vão deixar a Casa quando os vereadores recuarem da decisão e aprovem uma lei revogando o aumento concedido. A Tribuna tentou contato com o prefeito de Santo Estevão, Orlando Santiago, mas ele estava em viagem. O presidente da Câmara, vereador Wilson Gomes, afirmou que o aumento já estava previsto. Wilson afirmou ainda que caso os manifestantes não deixam o local até a próxima sexta-feira (11), vai pedir à Justiça a reintegração de posse.    Já em Macaúbas, os moradores também se mobilizaram para tentar derrubar o aumento concedido pelo prefeito José João Ribeiro. Eles chegaram a ir até a Câmara de Vereadores cobrar explicações. Na cidade, os salários reajustados passarão de 6.010,00 para R$ 10.100,00, para os vereadores e de 14 mil para R$ 19,6 mil para o prefeito. Em Itiruçu o salário saiu dos R$ 4 mil para a bagatela de R$ 6 mil ao mês.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas