O presidente Jair Bolsonaro reclamou nesta segunda-feira, 12, da divulgação de um telefonema seu com o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO). Segundo o presidente, seria necessária autorização judicial para a gravação do diálogo ter sido feita pelo parlamentar, o que não é verdade, uma vez que não há proibição na lei nos casos em que a divulgação é feita por um dos participantes. A conversa entre os dois tratou sobre a instalação da CPI da Covid no Senado, que preocupa Bolsonaro.

“Eu fui gravado em uma conversa telefônica, está certo? A que ponto chegamos no Brasil? Gravado”, comentou para apoiadores na saída do Palácio da Alvorada nesta manhã. “A gravação é só com autorização judicial. Agora, gravar o presidente e divulgar… E outra, só para controle, falei mais coisas naquela conversa lá. Pode divulgar tudo da minha parte, tá?”, disse Bolsonaro. A divulgação da conversa foi feita ontem, mas, segundo Kajuru, o telefonema ocorreu no sábado, 9.

O chefe do Executivo demonstrou irritação com a revelação da conversa. A Coluna do Estadão mostrou, no entanto, que Bolsonaro foi avisado por Kajuru com vinte minutos de antecedência que o áudio seria publicado nas redes sociais. Segundo o senador, Bolsonaro não tentou impedir a divulgação.

No telefonema, Bolsonaro pressionou Kajuru a ingressar com pedidos de impeachment contra ministros do Supremo Tribunal Federal. O presidente dá a entender que, se houver pedidos de impeachment contra ministros da Suprema Corte, podem ocorrer mudanças nos rumos sobre a instalação da comissão. A decisão pela criação da CPI, que tem o apoio de mais de um terço do Senado, foi do ministro Luís Roberto Barroso.

“Você tem de fazer do limão uma limonada. Tem de peticionar o Supremo para colocar em pauta o impeachment (de ministros) também”, disse Bolsonaro ao senador. “Sabe o que eu acho que vai acontecer, eles vão recuperar tudo. Não tem CPI, não tem investigação de ninguém do Supremo.”

Pouco antes de falar com apoiadores no Alvorada, o presidente também foi às redes sociais pedir “união e apoio” ao seu governo. Na postagem, sem citar em nenhum momento o enfrentamento da pandemia que já matou mais de 350 mil pessoas no País, o presidente elege o “comunismo” como inimigo a ser combatido, numa crítica velada a prefeitos e governadores que adotaram medidas restritivas para conter a proliferação da doença.

“Hoje você está tendo uma amostra do que é o comunismo e quem são os protótipos de ditadores, aqueles que decretam proibição de cultos, toque de recolher, expropriação de imóveis, restrições a deslocamentos, etc”, afirma o presidente. Apesar de Bolsonaro incluir a expropriação de imóveis na lista, numa tentativa de alarmar a população, nenhum governador ou prefeito adotou a medida entre as estratégias para conter o vírus. Informações nesse sentido envolvendo o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD), já foram desmentidas pelo Estadão Verifica.


Um homem identificado como Erivan Santos de Jesus, conhecido pelo apelido de Tiziu, foi ferido com um golpe de foice no pescoço na tarde da  sexta-feira (09), na cidade de Itagibá. O caso ocorreu por volta das 14h30, na Rua L, bairro Gilda Fonseca. A vítima foi socorrida por uma ambulância até o hospital local e em seguida transferida pelo Samu para o Hospital Geral Prado Valadares. Conforme relatos de moradores, ele teria perdido muito sangue. Segundo apurou o GIRO, o estado de saúde de Tiziu é delicado e ele iria passar por um procedimento cirúrgico na unidade hospitalar.

De acordo com as informações apuradas por nossa reportagem, o autor do golpe de foice foi preso pela Polícia Militar. Aos policiais, o homem conhecido como Edvaldo contou que agiu para defender o seu tio e relatou que Tiziu teria invadido a casa e estava com uma pedra ameaçando arremessa-la contra o homem. A foice foi encontrada em um dos quartos do imóvel. Edvaldo foi detido e conduzido até a delegacia local. Om informes   do Giro Ipiaú.


Viih Tube teve uma longa conversa com Caio após o Líder da semana assumir que vai indicar Thais ao Paredão desta semana no “Big Brother Brasil 21”. “Eu não tive mais importância alguma para ela [Thais]. Isso me deixa mais magoado do que preocupado em relação ao jogo. Por eu ser assim, me deixa triste e magoado com a situação. E mais ainda de ter que indicá-la, mas eu não tenho opção. Eu não posso ser injusto com outras pessoas. Independente do Anjo. E eu só coloquei ela [Camilla de Lucas] naquele jogo porque fui pego de surpresa”, justificou o fazendeiro, que formou um divertida dupla de agroboys com Rodolffo.

Pouco depois, o assunto passou para Juliette, a quem Viih Tube chamou de “talarica” na festa da última noite. “As coisas que eu acabo precisando passar em relação a ela e a Thaís, tem alguma coisa errada, sabe? Eu acho que realmente não tinha motivos pra gente passar por tanta picuinha, por tanta coisinha, por tanta bagunça, não tinha motivo. Era muito fácil de entender. Só que eu acho, entre aspas, que ela não aceita ter perdido o lugar dela da primeira semana do programa para Thaís agora”, opinou.

E afirmou: “Eu posso estar muito errada, me perdoem se eu estiver errada, mas é um sentimento que eu já senti muito aqui dentro. Parece que sempre que eu vou bem em uma prova, ela [Juliette] fica assim: ‘Nossa, como ela consegue ir tão bem assim e eu não?’. A Thaís, quando eu vou bem, ela chora, ela fica muito feliz por mim. As vezes eu sinto que Juliette tá feliz, mas no fundo ela tá com inveja branca. Isso não é saudável e eu acho muito ruim sentir isso”.

Caio, então, opinou: “Tem hora que eu sinto que a Juliette vai em uns pontos que atingem a Thaís”. Mas frisou: “Não sei se é de propósito”.

Web critica comentário de Viih Tube sobre Juliette
Na web, internautas se revoltaram com os comentários de Viih Tube sobre Juliette, uma das favoritas ao prêmio de R$ 1,5 milhão do reality show e a participante mais seguida desta edição do programa. “Viih Tube foi pro ‘BBB’ limpar a imagem e se queimou mais ainda”, opinou um fã da atração. “Essa é a participante mais sem caráter do ‘BBB 21’. E olha que a concorrência esse ano foi forte”, disparou outro internauta.

Para um usuário do Twitter, a longa conversa de Viih Tube com Caio foi uma tentativa – até então frustrada – de mudar o voto do Líder para Juliette. “A tentativa da Viih Tube em fazer o Caio indicar a Juliette e não a Thais apenas desnudam o caráter dessa garota. Porque ficou clara a intenção em chamar a ‘amiga’ de invejosa pro líder que já não gosta dela. Se é assim com 20 anos, imagine quando fizer 30”, disparou o internauta. Por Carmen Moreira


Herdeiro político do ex-presidente Rafael Correa (2007-2017), Andrés Arauz foi derrotado no segundo turno. Ex-banqueiro Guillermo Lasso vai comandar a partir de 24 de maio o país onde vivem 17,4 milhões pessoas.

O ex-banqueiro Guillermo Lasso foi eleito presidente do Equador neste domingo (11). Lasso faz parte da direita conservadora e derrotou o economista de esquerda Andrés Arauz no segundo turno das eleições. Com 96,92% dos votos apurados, Lasso registra 52,52% dos votos válidos, contra 47,48% de Arauz. Lasso já está matematicamente eleito. No primeiro turno das eleições, Lasso havia conquistado o segundo lugar, com 19,74% dos votos, enquanto Arauz tinha registrado 32,72%.

Yaku Pérez ocupou com o terceiro lugar no primeiro turno, com 19,38% (ele ficou de fora do segundo turno por menos de 33 mil votos), e preferiu não declarar apoio a um dos candidatos. “Nós votamos pela ecologia, pela liberdade, e eles não têm essas qualidades. Nosso voto será nulo”, disse ele em entrevista ao G1.
O ex-banqueiro havia concorrido à presidência do Equador em 2013 e 2017, quando foi derrotado. Lasso representa a direita tradicional e reúne apoio entre empresários, alguns meios de comunicação e eleitores desencantados com o socialismo do século 21 que Correa proclamava.

Lasso assumirá o comando do país de 17,4 milhões de habitantes a partir de 24 de maio, substituindo o impopular Lenín Moreno, que deixa o cargo hostilizado pelas críticas à gestão da pandemia da Covid-19 e seus efeitos econômicos. Muito ativo no primeiro turno, Correa praticamente desapareceu na reta final da campanha, na tentativa de proteger seu pupilo das forças que o repelem. O ex-presidente está na Bélgica desde 2017.


A Receita Federal adiou, para 31 de maio, o prazo para entrega da declaração de Imposto de Renda da Pessoa Física, ano-base 2020. O período de ajuste anual, que começou em 1º de março, terminaria no dia 30 de abril, mas foi prorrogado pela Instrução Normativa nº 2.020/2021, publicada hoje (12) no Diário Oficial da União. De acordo com a Receita, a prorrogação foi estabelecida como forma de suavizar as dificuldades impostas pela pandemia de covid-19, assim como aconteceu em 2019. No ano passado, o prazo foi estendido em dois meses, até 30 de junho.

“A medida visa proteger a sociedade, evitando que sejam formadas aglomerações nas unidades de atendimento e demais estabelecimentos procurados pelos cidadãos para obter documentos ou ajuda profissional. Assim, a Receita Federal contribui com os esforços do governo federal na manutenção do distanciamento social e diminuição da propagação da doença”, explicou, em nota. Em razão do adiamento, o contribuinte que deseja pagar o imposto via débito automático desde a primeira cota deverá fazer a solicitação até o dia 10 de maio. Quem enviar a declaração após esta data deverá pagar a primeira cota por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF), gerado pelo próprio programa de declaração. Nesse caso, as demais cotas poderão ser em débito automático.

Para aqueles que não optarem pelo débito automático, os DARFs de todas as cotas poderão ser emitidos pelo programa ou pelo Extrato da Declaração, disponível no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC) no site da Receita Federal.

Também foram prorrogados para 31 de maio de 2021 os prazos de entrega da Declaração Final de Espólio e da Declaração de Saída Definitiva do País, assim como, o vencimento do pagamento do imposto relativo a essas declarações.

A Receita destacou ainda que disponibiliza diversos serviços aos cidadãos, que podem ser acessado sem sair de casa. Por meio do e-CAC com uma conta gov.br, o portal único do governo federal, o contribuinte tem acesso, por exemplo, aos comprovantes de rendimentos informados na Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte (DIRF) pelas fontes pagadoras, à cópia da última declaração entregue e à declaração pré-preenchida.


Com a vacinação de pessoas contra a covid-19 avançando, é importante ficar atento ao intervalo entre essa aplicação e a de outros imunizantes. Médicos recomendam um prazo entre essas duas vacinas para não prejudicar os efeitos delas. Segundo o infectologista Hemerson Luz, o intervalo sugerido pelos profissionais é de 14 dias. A orientação médica vale para qualquer vacina do calendário ou para influenza no caso dos grupos que serão imunizados contra a covid-19.

Essa preocupação não inclui, por exemplo, crianças que ainda não tiveram testes comprovando a eficácia das atuais vacinas contra a covid-19.

Hemerson Luz explica que o intervalo de duas semanas é recomendado para que a vacina consiga gerar resultados, com a produção de anticorpos correspondentes aos efeitos de cada imunizante. O período de 14 dias deve ser observado independentemente de qual vacina foi tomada primeiro. Então, se alguém receber imunizante contra a covid-19, deve aguardar pelo menos duas semanas antes de tomar qualquer outra vacina e vice-versa.

O infectologista comenta que os calendários foram pensados para evitar que uma pessoa tenha tomado a vacina contra a Iifluenza e, logo depois, chegue a sua vez na lista de grupos prioritários da campanha contra a covid-19.

“O planejamento vai ser feito da seguinte forma: a vacinação contra a influenza vai começar por crianças e gestantes, que não estão incluídas na vacina da covid-19. Isso vai dar tempo de resposta para começar a campanha, enquanto os mais idosos estão sendo vacinados contra a covid-19”, afirma Hemerson Luz.

Se houver, no entanto coincidência dos períodos de vacinação fica mantida a orientação de esperar os 14 dias para não prejudicar nenhuma das duas. Por Jonas Valente – Repórter Agência Brasil


Com o objetivo na contratação dos serviços de publicidade, na divulgação de atos, editais, informativos, notas, entrevistas, em rádio, som local, filmagem, gravação e transmissão ao vivo, gerenciamento em sites, áudio visual etc, a Câmara Municipal de Jaguaquara tem para o exercício financeiro de 2021, mesmo com as adversidades da pandemia do novo coronavírus, o valor de R$ 141.840,000. A adjudicação e homologação do Pregão Presencial 03/2021 foi atualizado no Diário Oficial do Legislativo, presidido pelo vereador do PP, Nildo Pirôpo.

Em comparação ao ano de 2020 para os serviços, os valores ganharam aumento em quase 85%, saído das cifras de R$ 73. 510 para o valor atual de R$ 141.840,000. Os dados estão no Diário Oficial da Câmara de Vereadores.


Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 4.283 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,5%) e 3.641 recuperados (+0,5%). O boletim epidemiológico desta sexta-feira (9) também registra 115 mortes. Apesar de terem ocorrido em diversas datas, a confirmação e registro das mortes foram realizadas hoje. Dos 823.749 casos confirmados desde o início da pandemia, 801.938 já são considerados recuperados, 14.464 encontram-se ativos e 16.347 tiveram óbito confirmado.

boletim epidemiológico contabiliza ainda 1.147.072 casos descartados e 189.558 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta sexta-feira. Na Bahia, 46.037 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 16.347, representando uma letalidade de 1,96%. Dentre os óbitos, 55,29% ocorreram no sexo masculino e 44,71% no sexo feminino. Em relação ao quesito raça e cor, 54,74% corresponderam a parda, seguidos por branca com 21,72%, preta com 15,26%, amarela com 0,47%, indígena com 0,13% e não há informação em 7,68% dos óbitos. O percentual de casos com comorbidade foi de 66,45%, com maior percentual de doenças cardíacas e crônicas (73,82%).

A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.


A pedido do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP), foi arquivada, pelo juiz Marcel Laguna Duque Estrada, da 36ª Vara Criminal, do Tribunal de Justiça do Estado (TJE-RJ), a denúncia de racismo do volante Gerson, do Flamengo, contra o meia Índio Ramírez, do Bahia. De acordo com a decisão, após o estudo e análise das provas do inquérito, não foi possível atestar a ocorrência do crime na partida realizada no dia 20 de dezembro do ano passado.

“O crime de racismo é transeunte, ou seja, não deixa vestígios. Por isso, a palavra do ofendido é de grande relevância. Entretanto, no caso em tela, a afirmação do jogador Gerson é completamente dissociada do conjunto probatório. A lei processual brasileira adota o sistema da persuasão racional, consagrado no artigo 155 do Código de Processo Penal, que afasta qualquer hierarquia preestabelecida entre os meios de prova. Cuidadosa análise conjunta de todas as provas produzidas em sede policial impõe a conclusão de que não restou demonstrada a prática do crime”, declara o promotor.

Ainda conforme o magistrado, um laudo pericial, divulgado pelo Instituto de Criminalística Carlos Éboli, “não indica a ocorrência da agressão verbal noticiada por Gerson Santos da Silva. A prova técnica tão somente degrava trecho de entrevista e diálogos entre o atleta Gerson e o treinador Luiz Antonio Venker Menezes”.

Caso

Na partida em questão, válida pela 26° rodada do Campeonato Brasileiro da Série A, no estádio do Maracanã, o volante do time carioca afirmou ter ouvido a frase “cala a boca, negro”, do meia colombiano Índio Ramírez, aos 7 minutos da segunda etapa, minutos após o jogador marcar para o time baiano. O placar final decretou a vitória do Flamengo por 4 a 3.


Diana não aceitava o fim do relacionamento de três anos e seis meses que teve com Iran | Foto: Reprodução

A estudante Diana Rosa Santos de Jesus, 27 anos, foi presa em flagrante, na noite da quarta-feira, 7, em Itabuna, após confessar ter esfaqueado e matado o ex-namorado, o comerciário Odlairan Ribeiro dos Santos, 29 anos. O rapaz levou uma facada no pescoço, durante uma suposta discussão com a mulher.

O crime foi cometido dentro da casa onde Odlairan morava, na Rua G, no bairro Monte Cristo. Diana teria invadido o imóvel. Segundo uma fonte policial, foi a própria mulher que acionou uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para atender Iran, como o rapaz era chamado. Mas, quando os socorristas chegaram, ele já estava morto. A faca usada teria sido pega por Diana na cozinha da residência onde o homicídio foi cometido.

Ainda conforme o policial, o crime teve motivação passional, já que Diana não aceitava o fim do relacionamento de três anos e seis meses que teve com Iran. Ele revelou ainda que, na hora do fato, a vítima estava na companhia da namorada atual, o que teria deixado Diana ainda mais revoltada. Não foi possível confirmar se a jovem que estava com Iran também foi ferida na ação. “Eles já estavam separados, pelo que sei, já tinha quase um mês, mas ela não aceitava. Disseram que ele já estava com outra. Aí deu nisso”, explicou o agente.

Em um áudio gravado no celular, um vizinho do jovem contou que, na terça-feira, 6, Diana passou o dia na rua, próximo à casa de Iran. Para ele, a mulher premeditou o crime. “Desde ontem (terça-feira), ela estava aqui em frente à minha casa ‘maquinando’ o que fazer”, concluiu o homem, pedindo oração pela família de Iran. Diana foi autuada por homicídio e está custodiada no Complexo Policial de Itabuna, à disposição da Justiça.