Moraes nega pedido da defesa e mantém ordem de prisão do caminhoneiro Zé Trovão

O ministro Alexandre de Moraes, do STF, manteve a prisão do caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, que incentivou e mobilizou atos antidemocráticos no 7 de setembro.

Moraes negou o pedido da defesa do caminhoneiro, que solicitou a revogação da prisão preventiva alegando “desejo generalizado de diminuir a temperatura do debate político nacional”. Em agosto ele foi alvo de mandado de busca e apreensão por suspeitas de organizar os atos. Antes da ordem de Moraes, Zé Trovão fugiu para o México e seguiu articulando as ações.

“Aliás, além da fuga do distrito da culpa, há notícias de que MARCOS ANTÔNIO PEREIRA GOMES solicitou asilo político ao Governo do México, com nítido objetivo de burlar a aplicação da lei penal, o que indica, nos termos já assinalados, a necessidade de manutenção da decretação de sua prisão preventiva”, disse Moraes na decisão.

Em um canal no Youtube comm 40 mil inscritos, Zé Trovão convocava a população a ir a Brasília cobrar a saída dos 11 ministros do STF. Ele pediu que caminhoneiros fechassem rodovias, o que durou quase uma semana.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas