Lídice propõe diálogo para superar crise entre governo e policiais

15043651985_e227ba5ac6_z

A candidata a governadora da Bahia Lídice da Mata, do PSB, anunciou como prioridade para o início de seu governo o estabelecimento do diálogo com os policiais civis e militares para pactuar uma atuação unificada das duas corporações. Em entrevista à Rádio Sucesso, de Camaçari, nesta última quarta-feira (27), a candidata destacou que a crise na relação entre o atual governador e os policiais – resultado de duas greves – deve ser resolvida logo no início do novo governo para que seu projeto de segurança pública tenha sucesso.

“Precisamos construir uma política de segurança de proteção ao cidadão, mas essa transformação só será feita se tivermos um policial valorizado, que trabalhe ao nosso lado. São os policiais que executarão nossa política de segurança pública e eles precisam estar comprometidos com o que planejamos”, disse. Lídice garantiu que os policiais vão participar da elaboração do projeto de segurança pública do novo governo. Ela salientou que diversos grupos de dentro da Polícia Militar e da Polícia Civil já a procuraram defendendo propostas que unifiquem as ações das duas corporações e o planejamento da segurança pública. “Dentro da própria polícia surge hoje movimentos importantes que pregam sua modernização, a união entre as polícias civil e militar. Não saiu da cabeça de nenhum deputado, mas das cabeças pensantes dos policiais. Aqui, no diálogo, vamos integrar as ações das duas polícias de acordo com um planejamento único”, afirmou.

Ação Social – A candidata socialista reafirmou sua proposta de implantar na Bahia o modelo de Pacto Pela vida que deu certo em Pernambuco, onde os índices de violência caíram 35% durante a administração do ex-governador Eduardo Campos. Explicou que a proposta, além de trabalhar com planejamento, inteligência e foco na redução dos crimes contra a vida, terá também contará com as ações de uma rede de proteção social. “Hoje, 80% dos crimes contra a vida atingem homens negros entre 17 e 27 anos, moradores das periferias. É um segmento de população vulnerável, que está fora da escola e sem emprego, torna-se mão de obra para o crime, vira vítima e autor da violência”, diagnosticou. Para retirar desta população a possibilidade de adesão ao crime, a candidata disse que o caminho não será unicamente a repressão policial, mas o oferecimento de novas perspectivas de vida para essas pessoas.

“Se a polícia está em uma rua, a pessoa que sai com o desejo de praticar um crime no máximo muda de endereço, vai para onde não tem policial. Temos que conquistar a juventude para afastá-la da possibilidade do desejo de praticar o crime, oferecendo uma alternativa viável, possível, próxima a ela, de uma vida diferente, que faça frente ao encantamento que o dinheiro fácil e rápido da criminalidade lhe dá”, argumentou a candidata. Para proteger a juventude, Lídice propõe construir na Bahia a maior rede do país de escolas de tempo integral. Para retirar as crianças e adolescentes que moram nas ruas ou estão em condição direta de submissão ao tráfico de drogas, a educação formal será acompanhada das ações do “Bahia, Terra Mãe”, programa social inspirado no Cidade Mãe, criado por ela quando foi prefeita de Salvador, que fará inclusão social com profissionalização e cidadania.


Comentários

Uma Resposta para “Lídice propõe diálogo para superar crise entre governo e policiais”

  1. Avatar

    Thiago Porto

    Qua…quem confia em politico

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas