Lajedo: Prefeita recebe nota de repúdio por não honrar compromissos com professores

Prefeita deixará prefeitura sofrendo nota de repúdio da classe de professores. Foto/Divulgação.

Nem nas últimas horas frente ao município de Lajedo do Tabocal a prefeita Mariane Fagundes (PDT) agradou. Depois de espalhar na imprensa que deixa a prefeitura garantindo ter cumprido compromissos com a classe dos professores, de imediato, a gestora foi desmentida através de nota do Sindicato dos Professores – A APLB-.

Na Nota a APLB afirma que a prefeitura não honrou em nenhum ano de seus quatro aos de gestão o compromisso com a classe, que desvalorizada, passou quatro anos  protestando contra o governo municipal para iniciar o pagamento do Piso, havendo perdas para a classe pela postura de desvalorização na educação.

Confira nota abaixo:

Os professores de Lajedo do Tabocal  vem a público repudiar publicação do Blog Alerta Jequié onde a Sra. Mariane Fagundes prefeita do Município se manifesta em ter “honrado o compromisso e os professores terão pagos TODOS os valores correspondentes ao retroativo do piso salarial”.

Tal afirmativa não corresponde a verdade, todos os anos os professores e professoras tiveram perdas em seus vencimentos  no que se refere a integralização do piso salarial. A saber:

2017- piso começou a ser pago em dezembro de forma parcelada terminando em janeiro e fevereiro de 2018.

2018- piso começou a ser pago em outubro

2019- piso começou a ser pago em julho

2020- piso começou a ser pago em setembro.

Vale acrescentar que o retroativo do piso de 2020 a que se refere a prefeita não foi pago na sua integralidade como afirma, mas com desconto de direitos básicos como AC e Regência.  O que acarretou enormes prejuízos à categoria.

Diante do exposto , diante de tamanho descaso com a educação e desrespeito aos profissionais da educação, repudiamos veementemente o ato da prefeita e da secretária de educação em divulgar que esta gestão cumpriu o piso salarial do magistério. A gestão sim trouxe inúmeros prejuízos à categoria e sim nunca houve respeito pelos professores e professoras do município.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas