Itiruçu renova situação de emergência por causa da seca que atinge produção e provoca escassez de água

Falta água para consumo de produção e humano. Foto Itiruçu Online.

A Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração Nacional, já reconheceu situação de emergência em 146 municípios baianos em decorrência da seca. A medida permitirá o acesso das prefeituras a ações de apoio emergencial oferecidas pela União. O reconhecimento federal tem vigência por 180 dias, contados a partir da publicação das portarias no Diário Oficial da União.

O município de Itiruçu desde 2010 vem renovando os decretos emergenciais em decorrência dos efeitos devastadores da seca, considerada a mais abrasiva dos últimos 100 anos. Já são 08 anos sofrendo com a falta de chuvas e como consequência a seca de mananciais. Neste percurso o município foi socorrido pelo exercito Brasileiro por meio de carros-pipas e também recebeu equipamentos agrícolas para reforçar ações para o homem do campo, carro-pipa e máquinas agrícolas fizeram parte dos implementos, além de construção de cisternas e barragens.

Um total de 800 municípios do Nordeste se encontram em situação de emergência devido à seca. Na Bahia, 2,7 milhões de pessoas foram afetadas pela falta de chuvas, segundo a Coordenadora de Defesa Civil do estado (Cordec). Nessas regiões, os governos devem contratar Em todas estas regiões os Governos locais deveram contratar caminhões-pipa para abastecer de água às cidades mais afetadas.

Agora, na nova gestão, que também sofre com a seca, mais uma vez o município renovou o decreto e, baseado no IN/MI nº 02/ de 2016, DECLAROU  situação de emergência nas áreas do Município afetadas por estiagem, considerando que, o  prolongado período de estiagem que vem afetando todo o território do município de Itiruçu, abrangendo as zonas urbana e rural, vem causando grandes prejuízos tanto na produção pecuária quanto na agrícola, em função de perdas derivadas da escassez de água, além de incidência de escassez de água para consumo em todas as regiões do território municipal. O decreto se assegura na decorrência dos seguintes danos: altas perdas na produção agropecuária, drástica redução nos níveis dos mananciais utilizados na atividade rural e extinção quase total dos mananciais utilizados para abastecimento de água para consumo residencial, público e empresarial.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas