Itiruçu- Estão brincando com o perigo do COVID-19; alguém precisa morrer?

O comportamento dos Brasileiros Já era uma preocupação visível com a chegada do COVID-19 ao Brasil, o novo coronavírus. E chegou com uma curva de crescimento igual ao Italiano, com uma previsão nada animadora a nossa frente.  Hoje, sexta-feira (20), depois de alguns dias sem quase sair de casa, decidi ir à Rua para saber como as pessoas estão se comportando e, pasmem: estão nem ai.

O comércio segue o fluxo e sua rotina de lucratividade, sem sequer adequar o espaço e doar uma simples máscara a seus funcionários. As Ruas não estão dando ouvidos ao importante Decreto do Município, ( Leia aqui o DECRETO) que determina ações de orientações importantes para impedir a chegada do vírus a Itiruçu. Os bares ainda continuam reunindo pessoas ao som de Tayrone, sem saber que o ritmo futuro, sem não ajudarem, será de calamidade e no mínimo uma música gospel para lembrarem de pedir a Deus, proteção. As Igrejas na sua maioria já anunciaram o cancelamento das reuniões, embora algumas realizaram cultos e missas mesmo após o decreto de proibição: Deus viu e sabe que foi um ato desprovido de proteção. Vi também professores fazendo suas caminhadas no final da tarde em grupos, assim como outros profissionais que estão folgados de suas atividades para ajudarem a comunidade entender que o momento é para FICAR EM CASA.

Os esforços de cancelarem aulas em toda rede municipal e estadual, de nada valerá se os jovens estudantes não se preocuparem de proteger seus pais, mães, avós, buscando estudos sobre o assunto e repassando o conhecimento. Não é um período de férias, podem entender? Aos amigos comerciantes, sabemos dos impactos na economia e nesse momento, entendam: todos nós iremos perder; mas não podemos começar a perder vidas para vocês tomarem medidas. Vamos ajudar o vírus a ficar distante. Já somam 11 mortes, e incontáveis casos de suspeitas, como bem relatou o Secretário de Saúde da Bahia, Dr. Fábio Vilas-Boas.

O cenário em diversas cidades atingidas pelo medo já é de uma guerra. E isso é de fato, uma Guerra. Além ter termos que enfrentar o vírus, diariamente é preciso lidar com a falta de educação e de conhecimento nas redes sociais, onde a postura é de sentir pena de um povo que acredita em tudo, viraliza tudo, menos a verdade. A maioria ainda perde o tempo entre as alfinetadas políticas, seguindo a linha hipócrita do cotidiano.

Em nossa região, cidades que são nossas fontes de produtos diariamente, estão investigando casos. São 02 em Maracás, 03 em Jaguaquara e 07 casos em Jequié. Todos suspeitos. Mas pela linha de crescimento do Coronavírus  no Brasil, estamos na reta italiana do COVID-19, e poderemos ter casos incontroláveis. Nosso sistema Público não suporta o caos. Então, nossa missão é de contribuir para que não haja um crescimento volumoso de casos confirmados.Não temos casos investigados na cidade, e a ideia é continuar assim.

Então. Vamos ficar em casa. Um falido se recupera, um falecido, não.

Vamos ao papo reto sobre o assunto – Você não pode vacilar!

 

O Ministério da Saúde anunciou uma série de recomendações gerais para municípios e Estados, e também propostas direcionadas para as cidades onde há casos de transmissão local e comunitária. A pasta afirmou que, sem a adoção destas medidas, o número de casos pode dobrar a cada três dias.

Entre as propostas para lugares com transmissão local e comunitária, está a redução do contatos social de idosos e doentes crônicos; cancelamento de eventos em locais fechados com mais de cem pessoas ou realização destes sem público; antecipação das férias nas instituições de ensino; e quarentena se a ocupação dos leitos de UTI destinados ao tratamento da covid-19 atingir 80%.

Nos países que estão enfrentando este problema, a adoção destas medidas não farmacológicas reduziu a velocidade de transmissão e retardou o pico da epidemia, dando melhores condições para que os serviços de saúde impactados pelo aumento da demanda possam se recuperar. Em todo o país, os estados adotaram medidas para atender as recomendações do ministério. Passaram a ser proibidos eventos de lazer, culturais e esportivos para evitar aglomerações.

Cuidados que você precisa ter

A principal recomendação de profissionais de saúde que acompanham o surto é simples, porém bastante eficiente: lavar as mãos com sabão após usar o banheiro, sempre que chegar em casa ou antes de manipular alimentos.

O ideal é esfregar as mãos por algo entre 15 e 20 segundos para garantir que os vírus e bactérias serão eliminados.

Se estiver em um ambiente público, por exemplo, ou com grande aglomeração, não toque a boca, o nariz ou olhos sem antes ter antes lavado as mãos ou pelo limpá-las com álcool. O vírus é transmitido por via aérea, mas também pelo contato.

Também é importante manter o ambiente limpo, higienizando com soluções desinfetantes as superfícies como, por exemplo, móveis e telefones celulares.

Para limpar o celular, pode-se usar uma solução com mais ou menos metade de água e metade de álcool, além de um pano limpo.

Para tirar quaisquer dúvidas sobre o vírus, não compartilhe notícias falsas. O Itiruçu Online pode responder para você sobre qualquer conteúdo. Envie em nosso canal no WhatsApp que ajudaremos você entender o COVID-19. 73 99177-5984.

Por Tiago Santos.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas