Governador Rui Costa ainda não recebeu comissão de parlamentares para tratar do desabastecimento nos municípios de Itiruçu, Lajedo, Maracás, Irajuba, Lafaiete e Planaltino

Comissão ainda espera agenda com governador Rui Costa

Bastou faltar água em diversos Bairros da cidade para as cobranças de melhorias aparecerem movidas pelo clamor da comunidade Itiruçuense, que por sua justa razão de consumidores, usam da imprensa para pedir a Embasa agilidade no abastecimento. De acordo com informações colhidas pelo Itiruçu Online, não há falta de água nos reservatórios, mas ocorreu um problema na tubulação dos poços tubulares que ajudam no abastecimento do município, que já foi solucionado, segundo o escritório local.

 

Diante o desabastecimento nos últimos anos, houve um movimento político de União  junto à Embasa, com representantes da classe política, liderado pelo ex-prefeito de Itiruçu, Dr. Aílton Cezarino, que assumiu o protagonismo de chamar os gestores a gritarem por socorro. Na reunião ficou decidido pela Embasa, através de documentação e especificação de projeto que poderia solucionar o desabastecimento nas cidades de Itiruçu, Lajedo do Tabocal, Maracás, Irajuba, Lafaiete Coutinho e Planaltino.

 

A classe de deputados, juntos, ainda aguardam atenção do governador para tratar das demandas conhecidas junto à Embasa, pois o estado é quem de fato poderia tomar medidas emergências para acelerar o projeto e as melhorias solicitadas.

 

No caso do Projeto para solucionar o desabastecimento de Itiruçu, nenhum  deputado sozinho  tem poder nem recursos para solucionar o valor apresentado pela Embasa, que ultrapassa a casa dos 75 milhões, ficando acordado, à época, que haveria uma junção de emendas dos deputados votados nos municípios, tanto federais  e estaduais, mas ainda assim com a junção de 25 deputados ou mais, não alcançariam o valor do Projeto.

 

É preciso na hora de forma a opinião pública não rezar por interesses outros que não sejam informações de como o sistema funciona, onde cada município labora com Hierarquia de demandas e representantes. Os gestores são os principais responsáveis pelas demandas e seus representantes de as defenderem junto aos órgãos federais e estaduais.

Embasa apresentou projeto, mas espera recursos. Governador ainda não recebeu parlamentares para tratar o assunto.

Na região de Jequié, o deputado estadual Euclides Fernandes, até então, é quem detém o maior poder de decisão Junto à Embasa Regional, sendo o principal influenciador em Jequié e região e indicador da maioria das posições políticas, inclusive, a Gerência de Itiruçu com nome apresentado pelo vereador Paulo Ézio, dentre outros.

 

Em Itiruçu, são representantes do município junto ao governador Rui Costa o deputado Euclides Fernandes, e na Câmara Federal o deputado Jorge Solla, além de Antonio Brito, aliado da gestão Municipal. Ainda foram votados na cidade e que apresentam demandas espontâneas para a cidade: Os Deputados estaduais Zé Cocá, Marcelo Veiga e no cenário Federal, Marcelo Nilo.

 

Em Lajedo do Tabocal os representantes são o deputado Estadual Euclides Fernandes e o federal Antonio Brito, aliados da prefeita Mariana Fagundes. Em Maracás é também Euclides Fernandes o representante oficial do município junto ao estado. Em Planaltino Rogerinho Andrade e o pai Rogério Andrade são os representantes do município. Em Irajuba, Marcelo Veiga e Antonio Brito são os representantes legais junto ao prefeito Jerônimo. Lafaiete Coutinho Zé Cocá e Leão representam o município ao lado do prefeito João de Freitas.

 

O que ocorre na verdade em toda situação, goste de frevo ou não, a dança na luta e o grito de Socorro tem sido articulado pelas alas de oposições nos municípios, que chamam os governantes e representantes legais a entrarem na Luta. A questão da água de Paraguaçu, é uma demanda defendida pelo prefeito de Planaltino, Zeca Braga, que representando o Convale, esteve em Brasília recentemente tratando do assunto com Rogério Andrade, seu deputado federal. Cabe e por dever da função, os demais gestores irem à Luta de igual forma, que se juntem as oposições, pois o interessante na Luta é o objetivo comum: resolver o desabastecimento dos municípios.

 

Uma coisa é certa: A Embasa não tomará nenhuma medida que não seja custeada pelo estado e não iniciará nenhum dos projetos almejados caso não sinalizem recursos do Governo Federal e do Governo Estadual. O que passar disso, serão falácias de politiqueiros despejando politicagem a todo vapor.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas