Em Jequié, delegado conta detalhes da morte de Bob Lula; crime foi movido pelo ódio

delegado

O delegado da delegacia de furtos e roubos de Jequié, Dr. Almir Fernandes, contou detalhes sobre o homicídio que acabou tendo como vítima o Mototaxista Luiz Carlos Brito Bonfim, popular BOB LULA, ocorrido em 03 de julho deste ano.  Segundo o delegado, em entrevista exclusiva para o repórter Tote Andrade, da Rádio Cidade, o crime foi motivado pelo ódio do engenheiro agrônomo Abelardo Martins de Uzeda Filho, após o mototaxista ter sido testemunha em um caso de agressão contra Abelardo, causando-lhe constrangimentos ao ter sido colocado no fundo da viatura e recolhido para  delegacia acusado de agressão a um menor.

 

     -Foi uma investigação que se iniciou no dia 03 e julho de 2014, data que ficou inicialmente registrado como crime de latrocínio, tendo como vítima Luiz Carlos Brito Bonfim, conhecido como ‘BOB LULA’ e, é competência da delegacia de furtos e roubos investigar crimes contra o patrimônio, e o latrocínio, apesar de ser evento-morte estar elencado como crime contra o patrimônio.       Nós começamos a fazer essas investigações e desde o primeiro momento haviam indícios de que tratava-se na verdade de um homicídio, mas como foi registrado como latrocínio, nós começamos a fazer a investigação. No dia que aconteceu este crime, que vitimou o BOB LULA, foi em uma quinta-feira, eu retornava por volta das 13h30min do almoço com nosso coordenador Dr. Fabiano, quando ouvimos pelo sistema de comunicação do Sicom a noticia desse crime, que acontecera lá na Fazenda de Elza, no final do Bairro São Luiz, logo nos deslocamos para o local e em seguida chegou Dra. Ivone, que era delegada plantonista do dia, procedemos ao levantamento cadavérico, colhemos as primeiras informações, aonde foi identificada uma testemunha ocular do crime, que foi fundamental para  identificar a pessoa do Tiago Reidiner de Almeida Santana como um dos participantes do homicídio. Segundo as informações passadas pela testemunha, o Tiago e mais outros dois  indivíduos estavam debaixo de um pé de algaroba aguardando a chegada da vítima e, quando a vítima parou a motocicleta com o suposto passageiro, esse suposto passageiro desceu e simulou está pagando a corrida de moto táxi, quando os dois indivíduos saíram do pé de algaroba e desferiram uma facada no pescoço do BOB LULA, que infelizmente, apesar de ter sido ele ( BOB LULA) socorrido pelo pessoal do SAMU não resistiu aos ferimentos e veio a óbito ainda no local. O Tiago Reidiner ao ser interrogado, e nós conseguimos através dessa testemunha fazer o alto de reconhecimento inicialmente através de fotografias, solicitamos um pedido de prisão temporária junto ao Ministério Público e a Justiça Criminal, sendo concedido a prisão e nós cumprimos o mandado de prisão.

      No interrogatório, Tiago Reidiner disse que, na verdade, havia sido contratado por uma outra pessoa,  que o ofereceu R$ 1000 para poder dá um corretivo no BOB LULA, e que na época havia recebido R$ 200,00 , mas  quando aconteceu esse episódio ele não havia participado. Na verdade, a testemunha afirma que realmente foi ele (Tiago) e depois  nós efetuamos a prisão do Tiago Reidiner, quando a  testemunha veio na delegacia e fez o reconhecimento pessoal, afirmando categoricamente que o Tiago se encontrava no local do crime como participante. Tiago nos passou a informação de que teria sido o cidadão Abelardo Martins de Uzeda Filho, como a pessoa  contratante  para dá um corretivo no BOB LULA.  Depois de recebemos todas essas informações no interrogatório do Tiago, mas uma vez fizemos uma nova representação por uma prisão temporária contra o Sr. Abelardo, sendo concedido pela justiça e cumprido, aonde também fizemos o interrogatório dele. Realmente ele (Abelardo) confessa ter tido   esse contato com o Tiago, afirmando que estava próximo ao Cine Auditório  quando foi localizado por dois indivíduos,  que diz não conhecer  e não ter um contato direto com eles, garantindo que  os indivíduos tinham  o conhecimento  do  problema dele com o BOB LULA, e estavam dispostos a resolver essa parada de qualquer jeito. Agora, qual foi este problema entre o Sr. Abelardo e  o BOB LULA ? Em maio de 2010, um adolescente estava vendendo trufas em uma caixa de isopor, quando houve um problema com o Sr. Aberlado, segundo consta no registro da ocorrência, salve engano é a 459, registrada na DEA, naquela oportunidade, o Sr. Abelardo teria agredido fisicamente um menor e quebrado a caixa de isopor do adolescente, sendo o BOB LULA quem acionou a Polícia Militar, que se fez presente no local e acabou fazendo a condução do Sr. Abelardo Martins para a delegacia, colocando o agressor no fundo do camburão.

  Quase todas as pessoas em Jequié conhece a família Uzeda, por ser de tradição na cidade, sendo de pessoas ordeiras, inclusive as informações obtidas do Sr. Abelardo são de uma pessoa ordeira, mas esse episódio de ele ter sido conduzido para a delegacia no fundo do camburão o deixou muito constrangido, e por conta disso, ele passou alimentar um ódio em relação ao BOB  LULA, por ele (Bob Lula) acionar a PM e servir como testemunha contra ele no caso do problema como menor.  A história toda principiou com isso ai; o ódio do Sr. Abelardo criado pelo mototaxista por ter sido testemunha contra ele neste caso. Com tudo isso, o Sr. Abelardo acabou contratando esses dois indivíduos aparecidos  pra ele, mesmo afirmando não saber de quem se trata, mas que também tinham problemas com o BOB LULA, acertando o valor de R$ 1.500, 00 para realizarem uma ação violenta contra o Mototaxista.  Ele (Sr. Abelardo) ainda disse em seu interrogatório não ter contratado o pessoal para matar, mas sabia da manifestação dos dois e a forma como se dirigiram em relação à pessoa do BOB LULA, afirmou saber também que a  ação poderia ter como resultado a morte, então ficou demostrado ter  assumido  o risco para com a ação dos indivíduos contra o Mototaxista e tinha conhecimento de  que poderiam tirá-lo à vida, e foi o que aconteceu: a ação dos três indivíduos, desde o primeiro que levou a vítima até o local e os dois que estavam debaixo da árvore, saindo para atacar a vítima.    

   Estamos dando continuidade nas investigações, até porque,  este dois indivíduos assegurado pelo senhor Abelardo como contratados, mas diz não conhecê-los, até o momento não foram identificados pela Polícia. Um dos dois foi o autor da facada. O que pegou a moto também estamos sem a identificação e o terceiro participante é o Tiago Reidiner, que estava  no local, sendo reconhecido pela testemunha e permanece preso por força de prisão temporária. Estamos para concluir o inquérito, temos o prazo de 30 dias para finalizar, mas acredito que até a próxima semana estaremos com ele (Inquérito) concluído, demostrando que não foi um crime de latrocínio e sim um delito de homicídio motivado pelo sentimento de vingança e ódio que Sr. Abelardo nutria pela vítima, BOB LULA. Estamos buscando identificar a pessoa que levou a vítima para o local e  quem deferiu o golpe de faca.  Abelardo está preso pelo pedido de prisão temporária por um  prazo de 30 dias, porém,  todas as informações obtidas  sobre ele é de uma pessoa boa e de família tradicional, mas infelizmente, estava nutrido pelo sentimento de ódio e de constrangimento ao ser colocado no fundo da Viatura e conduzido para delegacia, levando ele a um ato insano desse: pagar algumas pessoas para cometer uma barbaridade dessa contra a vítima, BOB LULA-,  Esclareceu o delegado Dr. Almir Fernandes.

Redação Itiruçu Online.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas