Em Itiruçu, acusado de matar Gazinho com golpe de faca se entrega à justiça e confessa crime

Acusado está foragido e é procurado pela justiça

Acusado está foragido e é procurado pela justiça

O jovem Edisman, vulgo Maduro, suspeito de matar com um golpe de faca Reginaldo Castro Souza, popular Gazinho, em Itiruçu, se entregou na delegacia da Polícia Civil Territorial de Itiruçu na manhã desta segunda-feira (22).  Ele estava foragido desde a noite do último domingo, dia 14, quando deferiu um golpe de faca na altura do peito de Reginaldo Castro Souza, 41 anos de idade, que faleceu minutos depois.  Estava sendo procurado pela Polícia e 09 dias após o ocorrido, resolveu entregar-se.  Ele está detido na Delegacia e confessou o assassinato.

Gazinho foi sepultado na tarde de segunda-feira 15 sob muita dor e comoção de amigos e familiares. Ele era um homem tranquilo e evitava brigas por onde passava.  Após o crime, o suspeito fugiu sem deixar pistas. A polícia civil ouviu vários frequentadores do Indiara Bar, comércio onde iniciou a confusão que terminou no assassinato.

Segundo relatos de testemunhas, houve principio de confusão entre Edisman e outro indivíduo de nome não revelado, motivado por ciúmes do acusado de sua namorada. A briga foi iniciada e Reginaldo, dentre outras pessoas separou a confusão. Em meio à confusão, Edisman teria evadido do local, retornado com uma faca, momento que, encontrou a vítima sentada e tocou-lhe as contas, ao virar, para saber quem o chamava, Reginaldo, popular Gazinho, foi ferido na altura do peito direito com o golpe da faca. Ele foi sorrido e levado para o Hospital Pedro Pimentel Ribeiro, aonde faleceu.

O proprietário do Bar, que é também Guarda Municipal, informou a PM que o assassinato não ocorreu dentro do Bar e sim em uma pracinha.  Segundo ele, Wiran, em depoimento a polícia, Gazinho entrou no bar para pedir socorro, mostrando o lugar onde estava perfurando. A Polícia Civil segue ouvindo testemunhas para colher detalhes do crime. Assim que ouvi todas as versões sobre o assassinato, a polícia civil deverá comentar o assunto com a imprensa.

Redação Itiruçu Online.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas