Demitido da CNN, Alexandre Garcia mente na sua estreia na Jovem Pan

Demitido da CNN Brasil por insistir em informações falsas sobre a Covid-19, o jornalista Alexandre Garcia volta a mentir em um veículo de comunicação, já na sua estreia no “Jornal Jovem Pan”.

Ao comentar a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, que suspendeu a portaria que proibia demissões de funcionários não vacinados contra a doença, Alexandre Garcia disse que ela era inconstitucional.

Na sequência, ele questiona a eficácia da vacina, apesar das evidências científicas que mostram a redução de internações e mortalidade desde o início da imunização no Brasil e em todo o mundo.

“Mais uma do Supremo legislando. Porque isso não está na CLT como causa de demissão por justa causa. Não seria um assunto para o tribunal constitucional. Seria assunto para o Congresso”, diz.

“Mais uma do Supremo legislando. Porque isso não está na CLT como causa de demissão por justa causa. Não seria um assunto para o tribunal constitucional. Seria assunto para o Congresso”, acrescenta.

No seu último dia na CNN, em 24 de setembro, o jornalista bolsonarista e com longa carreira na Rede Globo, defendeu o “tratamento precoce” contra o novo coronavírus. Ele foi rebatido no ar pela apresentadora Elisa Veeck, que reforçou a posição da emissora em prol da verdade.

“A CNN ressalta que não existe um tratamento precoce comprovado cientificamente para prevenir a covid-19. O que a ciência mostra é que a prevenção, com o uso de máscaras e a vacinação, são as únicas maneiras de combater a pandemia”, disse a apresentadora na ocasião. Atarde*


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas