Crise nas prefeituras: Prefeito de Irajuba diz que municípios estão cuidando de ‘filhos adotivos’

Prefeito de Irajuba relata dificuldades e acusa oposição de fazer política baixa. Fotos/Itiruçu Online.

O prefeito de Irajuba, Jerônimo Souza dos Santos, em entrevista ao Itiruçu Online, seguiu a linha de discurso dos demais prefeitos brasileiros e disse gerir o município com dificuldades. Para o prefeito, os municípios estão carregando filhos adotivos e gerando déficit financeiro nos cofres públicos.

 

– “A maior dificuldade nas prefeituras é a ausência de recursos. Irajuba possui um déficit de recursos muito grande. Todos os municípios que são dependentes dos recursos nacionais são os que mais sofrem. O maior abalo que estamos passando, é por termos adotados filhos de outros entes federados: PSF, CRAS, NAFS, Criança Feliz, CAPS, que são filhos adotivos de responsabilidade e obrigações de outros entes da federação e não dos municípios. Sofrermos com a deficiência de recursos e a desoneração do índice de pessoal. Quando temos um CAPS funcionando e um PSF, o índice de pessoal exclusivamente é do município e não do governo federal e, com isso, nos prefeitos sofremos com esse índice de outros entes federados, afundando ainda mais os municípios que não possuem renda própria”, – reclamou o gestor.

No último mês de setembro, o gestor foi citado pelo Ministério Público, através da Promotoria de Justiça de Santa Inês, que instaurou um inquérito para apurar a nomeação de parentes de agentes políticos na prefeitura de Irajuba. O ato citou o prefeito e pedia explicações a respeito das nomeações de Diozino Honorato dos Santos Júnior na Secretaria de Administração; Juciara Souza de Oliveira na Secretaria de Educação; e Maristela Ribeiro Sena Souza como diretora de uma unidade escolar. O MP estipulou prazo de 15 dias para exoneração dos citados, em atendimento a denúncia do vereador Jhony Franco.

 

Indagado sobre o assunto, o gestor criticou a postura da oposição na cidade e disse que, em outros tempos, o denunciante também teve familiares beneficiados com  nomeações em cargos públicos.

Prefeito comenta ação do MP sobre Nepotismo.

 – “O papel da oposição é fazer a politica rasteira; a política baixa. O próprio vereador que fez a denúncia, na gestão do pai dele tinha ‘Ns’ membros da família, inclusive,  os irmãos dele, como cargo de confiança. Essa questão de nepotismo em agentes políticos, e nesse caso são os meu irmãos,  que é secretário de administração e minha irmã secretária de saúde, todos com competência necessária e suficiente para exercerem o cargo. Essa questão do nepotismo ainda não está pacificada. Temos decisões do supremo monocráticas, quando algumas decisões dizem que não devem e não cabem nomeações,  outras dizem que sim. A sumula 13 do Supremo ainda não é clara: temos ministros que dizem  que deve e outros dizem que não.  Vamos aguardar o pleno do supremo julgar , transitar isso em  julgado para que tomemos decisões, por enquanto são especulações. O papel da oposição é fiscalizar e julgar, mas fazer política baixa não cabe. Precisamos de uma oposição e situação focadas no bem estar de uma sociedade. Todos que denunciam nepotismo já fizeram isso no passado. Os agentes políticos se tornam cargo de confiança e o próprio ato do promotor diz que tem que se entrar pela porta da frente e realizar concurso público, mas não há concursos públicos para secretários, nem estadual, nem para ministros, são funções de agentes políticos de livres nomeações do chefe do executivo”, disse Jerinho-  

 

A maior parcela da receita dos municípios vem do Estado e do governo federal.  A tão propagada queda na arrecadação fez com que os valores repassados fossem reduzidos, embora os valores em alguns municípios estejam maiores que em relações aos anos anteriores, o termo queda se dá mediante ao aumento das obrigações dos municípios, que cresceram mais que os repasses. Em Irajuba, o prefeito afirmou que ainda não pensa em demissões e que a cidade não tem um efetivo de sobra. Para o prefeito, demitir será  tirar da sociedade serviços importantes apenas para cumprir índice de pessoal.

  –“Ainda não pensamos em demissões por uma responsabilidade social que temos, mas as últimas decisões de recursos que nós temos ouvido do Conselho Monetário Nacional e os baixos recursos chegados em relação ao ano anterior, em especial do dia 10/09 e 20/10, onde no passado eram meses de crescimento de receita, meses de outubro, novembro e Dezembro. Não estamos enxergando outra possibilidade a não ser desligar servidores. Só que temos um detalhe grave: não temos excedente de servidores  e todos eles atuam  em suas funções com número mínimo de pessoas, demitir servidores significa fechar alguns setores  da administração e gerar sérios prejuízos à sociedade”, relatou o gestor-

O município de Irajuba é um dos que também vive uma crise hídrica acentuada. Buscar soluções para a falta de chuvas não é fácil. Por outro lado, existe uma cobrança da sociedade na solução dos problemas.  Jerônimo disse que uma parceria firmada entre a Embasa e o município conseguiu solucionar a crise hídrica, mesmo com dificuldade a população está sendo abastecida.

Prefeito diz que luta por projeto de abastecimento de grande proporção. 

-“Estamos tendo um trabalho de parceria muito forte com a Embasa. Reconhecemos que o município e o estado também possuem suas dificuldades financeiras. A Embasa tem sido parceira mesmo com suas dificuldades em resolver nossos problemas. Recentemente,  alguns atos melhorou muito o abastecimento de água em Irajuba. Temos um problema grave, que é o entupimento das calhas dos rios entupidos, os rios assoreados. Há um projeto elaborado pela própria Embasa que iria beneficiar grandemente os municípios de Jaguaquara, Itaquara e Irajuba, é um projeto orçado em aproximadamente R$ 6 milhões. Esse projeto foi enviado ao Ministério da Integração Nacional através do governo do estado na figura da Embasa, no qual  aguardamos a manifestação do Ministério. Há outro projeto de uma envergadura muito maior, orçado em aproximadamente R$ 200 milhões. Esse projeto atenderá vários municípios: Itaquara, Irajuba, Jaguaquara, Itiruçu, Lagedo Tabocal, Maracás e Planaltino.  O  projeto também já foi encaminhado. O grande problema é  que temos hoje em Brasília  uma verdadeira torre de babel, onde as instituições não se entendem  e estão caminhando para um estado caótico. Isso tem dificultado e muito o desenvolvimento do país, atrasando a injeção de recursos nas ações estruturantes geradoras de ocupação e renda. Hoje Irajuba não consegue absolver uma fábrica por não possuir água o suficiente. Uma fábrica para  poupas  de frutas para atender as matrizes econômicas do maracujá e abacaxi, por exemplo,  não conseguimos pela ausência de água.  Todos estes pleitos iriam ajudar esses municípios e muitos problemas seriam solucionados”,-  encerrou Jerinho.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas