Com anúncio da Fiocruz, secretários preveem corrida para saber quem vai vacinar contra a Covid-19 primeiro

Com o anúncio da Fiocruz no fim de semana de que pretende comprar 2 milhões de doses prontas da vacina da AstraZeneca/Oxford, gestores estaduais de saúde preveem o início de uma corrida para saber quem vai emplacar primeiro a vacinação em massa: o governo federal ou São Paulo, com a Coronavac. A aposta é que Eduardo Pazuello (Saúde) vai antecipar todos os cronogramas para tentar largar na frente de João Doria, que marcou para 25 de janeiro o início da vacinação no estado.

A expectativa é que Pazuello anuncie o início da imunização em janeiro nesta segunda (4). A pressão que já era grande aumentou após a vacinação na Argentina. O governo avalia se poderá ser possível alcançar a proteção com apenas uma dose. Os testes da vacina de Oxford estão sendo feitos com duas doses, mas há indicativo de que a eficácia pode superar 50% na primeira rodada.

“A disputa é pela vida, o que queremos é vacinar”, afirmou o secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, que negou qualquer prejuízo à estratégia paulista. O plano dele é entregar os pedidos para uso emergencial e definitivo da Coronavac na Anvisa nesta semana. A Fiocruz também trabalha com este prazo.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas