Cidades com “toque de recolher” reduzem violência entre jovens

Bar vazio em Pompéu (MG), que adotou toque de recolher para afastar adolescentes das drogas

As medidas que restringem a circulação de crianças e adolescentes desacompanhados –conhecidas como toque de recolher– ajudaram a reduzir os casos de violência e o número de atendimentos do conselho tutelar.
A informação é dos repórteres Matheus Magenta e Sílvia Freire. A “[íntegra]”: da reportagem está disponível para assinantes do jornal e do UOL (empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).
Levantamento feito com juízes, delegados e conselheiros de 30 municípios que adotaram a medida mostrou que, em 29 deles, ela surtiu efeitos positivos – a exceção foi Sapé (PB).
Em Santo Estêvão (BA), onde foram implantadas em 2009, as ocorrências envolvendo uso de drogas por menores de 18 anos caíram 71%.
Antes da adoção da medida, em 2009, eram registrados cerca de 40 casos de adolescentes envolvidos em brigas, furtos ou vandalismo por semana. Depois, as ocorrências caíram pela metade.
Ao menos 60 municípios, de 17 Estados, já adotaram o toque de recolher. As medidas são, em geral, instituídas por juízes, mas há cidades em que elas foram adotadas por prefeitos ou até pela PM.
Apesar dos efeitos positivos em relação à criminalidade, a medida sofre resistência de alguns educadores e promotores, que chegaram a contestá-la judicialmente.

Publicidade

JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas