febre

O Ministério da Saúde iniciou, neste sábado (6), a campanha nacional de mobilização para o combate ao mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue e da chikungunya. De acordo com informações do ministro Arthur Chioro (Saúde), a campanha custará aos cofres do governo R$ 12,5 milhões.

“O perigo aumentou. Agora nós temos uma preocupação dupla, não só com a dengue, mas com a febre chikungunya, mas o mosquito é o mesmo. A ação de prevenção que o ministério, os estados e as prefeituras estão fazendo é a mesma e precisa do apoio pra valer da população brasileira”, disse o ministro.

Chikungunya – Com relação à febre chikungunya, Chioro disse que não se pode misturar o enfrentamento das duas doenças, apesar de terem em comum o fato de serem transmitidas pelo mesmo mosquito.

“A diferença é que a dengue tem uma chance muito maior de produzir casos graves e óbitos, e a febre chikungunya praticamente não produz óbitos. Entretanto, as dores articulares, nas juntas, podem durar semanas, até três meses, e em alguns casos, anos”, explicou o ministro. Segundo dados do Ministério da Saúde, foram registrados até 15 de novembro 1.364 casos de chikungunya em todo o país.

Problemas por vir:

Com alegações de arrochos financeiros, os municípios estão deixando de focar no combate ao mosquito. Uma triste realidade que tem tirado muitos serviços básicos da população. O que não pode acontecer é uma crise de dengue-Chikungunya alastra-se nos municípios e a população pagar pela manutenção de sistemas políticos falidos e sem ação.

Os sintomas da doença são febre alta, dor muscular e nas articulações e dor de cabeça e costumam durar de três a 10 dias. A letalidade da chikungunya, segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), é rara, sendo menos frequente que nos casos de dengue.

Para evitar a transmissão do vírus é fundamental que as pessoas reforcem as ações de eliminação dos criadouros dos mosquitos. As medidas são as mesmas para o controle da Dengue, ou seja, verificar se a caixa d’água está bem fechada, não acumular vasilhames no quintal, verificar se as calhas não estão entupidas e colocar areia nos pratos dos vasos de planta, entre outras iniciativas deste tipo.


limpezaecologica

Sucesso. Essa foi a palavra descrita pelos organizadores da I Limpeza e Conscientização Ecológica na Nascente do Rio Jiquiriçá, realizada nesta sexta-feira (05) no município de Maracás, idealizada pelos Universitários de Gestão Ambiental da Unopar.

FERBASA, VANÁDIO MARACÁS, ACAT, SEC. de AGRICULTURA, alunos, professores, Tribus FM, Itiruçu Online, AVANOR , AMFEC- Associação Minha Feliz Cidade e população de Maracás, foram os principais apoiadores da iniciativa.

 10641182_841863975836818_2257838781130756908_n

 O objetivo em realizar a limpeza na Nascente do Rio é de preservar pela vida, pela nascente de um bem precioso que está acabando na terra, mas muitos dormem para situação. Apesar de ser a nascente, deveria sempre está em perfeito estado de conservação, mas em todas as limpezas realizadas em Maracás, sempre há sinais de descaso com a natureza.

 10730919_841863285836887_3491680102802642643_n

Pneus, plásticos, madeira, papelões e diversos tipos de lixos foram recolhidos em poucas horas de limpeza. Imagine nos demais municípios que nada fazem para limpar o leito do Rio Jiquiriçá?

O Rio Jiquiriçá

A bacia hidrográfica do Rio Jiquiriçá, localizada na porção centro-leste do Estado da Bahia, tem seu rio principal desaguando no município de Jaguaripe, depois de percorrer 200 km em uma área de 6.700 km2.

 A parte alta da bacia está implantada sobre rochas cristalinas de idade pré-cambriana, inseridas no Complexo Jequié, abrangendo municípios como Maracás, Planaltino, Brejões, Jaguaquara, Irajuba e Itiruçu.

Devido às suas características climáticas, a região apresenta baixos índices de desenvolvimento social e econômico, indicando o rio como principal elemento de sustentabilidade da qualidade de vida da população e, praticamente, de todas as atividades econômicas locais e regionais, o que é preocupante, pois a água é usada e não está sendo cuidada por quem precisa dela.

Seja consciente você também! Faça sua parte e ajude a natureza a preservar sua vida!


mae

A dona de casa Rita de Cássia Ferreira da Silva Brito, moradora do Bairro Abdon Rufino em Conceição do Coité, vive um grande drama diante de um sério problema que a filha Rebeca Larissa, de apenas 12 anos, vem sofrendo a cerca de um ano e dois meses.

Segundo ela, a garota começou apresentar uma deformidade no corpo em agosto do ano passado (2013) fez exame e constatou escoliose, muito rapidamente vem se evoluindo a deixando com o corpo torto e que tem afetado sua estética e o conforto do seu dia a dia, situação que vem preocupando toda família, de forma que Rita de Cássia em comum acordo com o marido decidiu colocar placa de venda na casa a fim de conseguir o dinheiro para pagar a cirurgia que custa em torno de R$ 150 mil.

maee

“Pelo SUS é possível, mas precisamos esperar um ano ou mais  e minha preocupação é a rapidez como ela vem se deformando, a primeira vez que fiz uma panorâmica dela apresentou curvatura de 40 graus e dez meses depois na segunda já estava em 78 graus, por isso nossa preocupação em ter que esperar um ano ou mais pelo SUS”, disse a dona de casa.

Para amenizar a situação, o médico que acompanha a garota pediu que fosse feito um colete especial para tentar evitar a evolução da doença.

Rita de Cássia pede a contribuição das pessoas e também das autoridades, no sentido de ajuda-la nesse momento difícil e de incerteza quanto ao futuro da filha, conforme falou, colocou a casa a venda, mas sabe que o valor do imóvel não é suficiente para arcar com toda despesa.

Quem puder ajuda com qualquer quantia pode depositar numa poupança da Caixa agência 1448 aberta exclusivamente para isso. Conta 91765-7/ Operação 013 em nome de Rita de Cássia Ferreira da Silva Brito.

Veja o vídeo feito pelo Site Calila Notícias  do apelo da mãe e a situação de Rebeca.- Leia mas clicando aqui, sua leitura pode ajudar.


Leitores do Itiruçu Online flagrou mais de 10 cachorros perambulando no centro da cidade.

Leitores do Itiruçu Online flagrou mais de 10 cachorros perambulando no centro da cidade.

Cães perambulando pelas ruas e dormindo ao relento são comuns em Itiruçu. O problema é visível inclusive na Praça Adson Pires de Novaes, região central da cidade, onde animais abandonados circulam com sinais de agressividade.

A questão de controlar e reduzir o número de animais de rua que é de responsabilidade do poder público faz reacender a esperança pela construção de um novo espaço, que seja adequado para atender as necessidades dos cachorros desamparados.

 cahorrosss

Essa não a primeira vez que flagramos cães nas ruas da cidade. O Blog Itiruçu Online vem chamando à atenção do poder público há vários anos, mas nada de concreto é realizado para resolver a situação. Apenas ações de recolhimentos são realizadas poucas vezes durante o ano, o que é insuficiente, pois o município não dispõe de local para  acolher os animais.

Por outro lado, ficam os donos dos animais assistindo a situação e nada fazem para evitar a invasão das ruas pelos cães. É animal criando animal, e o que é pior: o homem parecer ter menos sentimentos pelas pessoas do que os cachorros.


uesbe

Será realizado nesta segunda, 24, o 2º Desafio de Odontologia promovido pela disciplina Odontologia Legal III, campus de Jequié e coordenado pelo professor Ismar Eduardo Martins Filho. O Desafio consiste numa competição entre os acadêmicos divididos em grupos, os quais devem montar uma clínica odontológica envolvendo toda a parte de imóvel, mobiliário, equipamentos, documentação e demais requisitos.

O evento contará com a participação da professora Silvia Helena de Carvalho Sales Peres, da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB/USP), que ministrará um curso “Qualidade de Vida X Cirurgia Bariátrica X Obesidade”, voltado aos acadêmicos do curso de Odontologia e profissionais da área de Saúde. Por Zenilton Meira.


cancerinfantil

Domingo, 23, é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil. De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), as neoplasias são a primeira causa de morte por doença entre crianças e adolescentes com idade de 1 a 19 anos. No país, somente este ano, há uma estimativa de 11.840 novos casos.

Na Bahia, especialistas estimam uma média de 450 casos por ano. Eles aproveitam a data para ressaltar a importância do diagnóstico precoce. O problema é que não existe rastreamento como é feito com adultos, como o autoexame da mama, o toque retal para câncer de próstata ou a colonoscopia para o de colo.

“A medida mais eficaz é o diagnóstico precoce. Quanto mais avançado, menor a chance de cura”, afirma o oncologista Bruno Freire. Os sintomas dependem do tipo de câncer, mas, no geral, são comuns a outras doenças: febre, palidez, manchas, caroços, perda de peso.

“Toda criança deve ser acompanhada por pediatra. Os pais acabam levando somente em casos de emergência. É importante ter um acompanhamento de rotina”, acrescenta. Segundo o oncologista, 70% dos casos são curados, mas a estrutura do SUS carece de ampliação e melhor distribuição.

A vendedora Cristiane Ferreira, 37, contou que teve dificuldade. “Fiquei pelo SUS procurando saber o que minha filha tinha e ninguém conseguia diagnosticar. Só depois de muito tempo descobriram”, conta. Há dois anos a filha dela faz tratamento no Hospital Aristides Maltez e conta com o apoio do Grupo de Apoio à Criança com Câncer (Gaac). A Tarde.


farmacias

A votação do relatório final da comissão mista que analisa a MP das Farmácias (MP 653/2014), programada para esta quarta-feira (19), foi adiada para a próxima terça (25). O adiamento foi pedido pelo senador José Pimentel (PT-CE), membro da comissão e líder do governo no Congresso, que alertou para a realização no mesmo horário de reunião da Comissão Mista de Orçamento (CMO) para tratar do polêmico projeto de alteração na meta do superávit.

A sugestão foi apoiada pela presidente da comissão, senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), e pelos demais membros. A deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) considerou positivo o novo prazo para examinar a MP, que flexibiliza a exigência de farmacêutico em tempo integral em micro e pequenas empresas do setor.

Farmacêuticos protestam contra a aprovação da MP

Farmacêuticos protestam contra a aprovação da MP

– O debate azeitado em uma semana e esse tempo em tranquilidade serão em nome do bom trabalho para o melhor para a saúde e a assistência farmacêutica – afirmou.

O relator da MP, deputado Manoel Junior (PMDB-PB), garantiu que usará o tempo extra para continuar aprimorando seu texto.

– Desde o início estive aberto a todos os segmentos que me procuraram, tanto os sindicatos quanto as empresas, e continuo à disposição das entidades para dialogar – assegurou.

A MP estabelece que pequenas ou microempresas adotem as regras da Lei 5.991/1973, que permite a presença de “prático de farmácia, oficial de farmácia ou outros”, inscrito em Conselho Regional de Farmácia (CRF), como responsável, desde que comprovada ausência de farmacêutico na região. Continue a leitura no Agência Senado


farmaceuticos

Farmacêuticos e estudantes do curso de Farmácia na UESB Campus Jequié, se uniram ao longo desta terça-feira (18), em manifestação na Praça Rui Barbosa, em Jequié,  em protesto contra a Medida Provisória (MP) 653/14, ( leia aqui)  que relaxa a obrigação da presença de um farmacêutico em farmácias caracterizadas como micro ou pequenas empresas.

 farmaceuticoss

De acordo com os farmacêuticos, a partir do momento em que a responsabilidade técnica for tirada dos farmacêuticos de farmácias e drogarias, a população será a primeira a ser prejudicada, pois julgam que à saúde do povo será colocada em risco, os medicamentos serão deixados à deriva nas mãos de um técnico ou do próprio dono da drogaria, no que deveria ser a responsabilidade da preparação e dispensação dos remédios e a orientação dos pacientes deve ser do farmacêutico.

 protestojequie

Com a medida provisória, as farmácias enquadradas no Estatuto da Micro e Pequena Empresa (Lei Complementar 123/06) adotarão as regras da Lei 5.991/73. Essa lei permite, em casos específicos, a presença de “prático de farmácia, oficial de farmácia ou outro”, inscrito em Conselho Regional de Farmácia, como responsável do estabelecimento. A permissão é feita pelo órgão sanitário em razão de interesse público, como a necessidade de haver farmácia em pequenos municípios onde não atue um farmacêutico. Amanhã mais uma manifestação será realizada em Jequié. A Votação na Câmara federal  será realizada às 14h.

Redação Blog Itiruçu Online.


Foto/Blog Itiruçu Online

Foto/Blog Itiruçu Online

O Serviço de Acolhimento com Avaliação e Classificação de Risco (ACCR) funciona desde junho de 2007 no Pronto Socorro do Hospital Geral Prado Valadares (HGPV), importante dispositivo da Política Nacional de Humanização do Ministério da Saúde para promover a equidade.

Analisando o gráfico observa-se que de 2009 até 2011 os usuários atendidos pelo Pronto Socorro do HGPV apresentavam maior percentual com perfil hospitalar, pacientes com necessidades de atendimento de urgência e emergência. Entretanto de 2012 para 2014 ocorreu um retrocesso no perfil assistencial do hospital por conta da redução do acesso a serviços de atenção primária à saúde em Jequié, em 2014 58% dos usuários que procuraram a porta de entrada da grande emergência não se adequa a perfil de atenção hospitalar, o que superlota a Unidade e sobrecarrega a equipe da Unidade de Emergência, prejudicando o funcionamento do hospital para os casos que são do perfil hospitalar.

Contribuiu com esta situação o fechamento em 02/01/2013 da única Unidade de Pronto Atendimento da cidade. Em 2007, apenas 29% dos atendimentos tinham perfil hospitalar, em 2014 pontuou na faixa de 42%. O percentual de usuários classificados como verde e azul ainda é considerado alto, mesmo tendo reduzido de 71%, em 2007, para 58%, em 2014, em 2010 teve o melhor perfil, chegou a pontuar 45% de verdes e azuis.

hgpv

O HGPV tem divulgado em quais situações os usuários devem procurar atendimento no Prado Valadares, mas pela dificuldade de acesso em outros locais, pacientes com necessidades ambulatoriais ainda procuram atendimento na porta da emergência.

Para diminuir esse percentual alto de pacientes (58%) que, mesmo não tendo perfil de urgência ou emergência, ainda procura o HGPV, o município de Jequié deverá definir oficialmente o fluxo dos usuários no Sistema de Saúde e assegurar o atendimento médico ambulatorial com especialistas, para reduzir esta demanda que prejudica o serviço hospitalar.

Espera-se que em breve seja inaugurada a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Bairro Cansanção, próximo à Cidade Nova, o que poderá ajudar na readequação do perfil dos usuários que procuram a grande emergência do HGPV.

Fonte: Na Boca do Povo. 


saudeptn

Moradores de Presidente Tancredo Neves, saíram às ruas na manhã desta última quarta-feira (12) em protesto pela atual condição da saúde pública no município.

O vereador Almir Rodrigues (PT) informou que os manifestantes cobraram médicos no Hospital Municipal e nos Postos de Saúde da Família (PSF) que estariam com os atendimentos suspensos. Além da falta de médicos, outros profissionais da área estariam sem receber salários.

Além desses problemas, a oferta de transporte foi reduzida a pacientes que necessitam se deslocar para atendimento em cidades como Santo Antônio de Jesus e Salvador. Segundo o vereador, a falta de veículos seria devido a falta de manutenção.

“A prefeitura está usando ônibus escolar do Programa Caminho da Escola para deslocar pacientes. A situação é crítica, precária e o descaso está demais. Espero que o prefeito Moacy abra os olhos, porque o povo chegou ao limite”, criticou o edil petista.

 Matéria do Gandu Notícias.