O ex-secretário estadual da Cultura, professor Jorge Portugal, 63 anos, que estava internado em estado grave no Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), em Salvador, morreu na noite desta segunda-feira (03), às 20h15, por falência cardíaca aguda, conforme informado pela assessoria do hospital.  “O Hospital Geral Roberto Santos (HGRS) comunica, com pesar, o falecimento de Jorge Portugal, por volta das 20h15 (horário de Brasília), de falência cardíaca aguda. O professor e ex-secretário de Cultura da Bahia estava internado na unidade de terapia intensiva (UTI) cardiovascular da instituição. A diretoria do HGRS apresenta sua solidariedade aos familiares e amigos ao tempo que se coloca em oração”, diz a nota da unidade.

Ele, que completaria 64 anos na próxima quarta-feira (5), foi levado ao local no início da tarde desta segunda-feira (3), pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Só durante o trajeto, ele sofreu quatro paradas cardíacas.

Segundo a assessoria da unidade, Portugal foi admitido “em estado crítico” e estava em coma induzido até o início da noite. Assim que foi admitido no hospital, foi colhido material para teste RT-PCR, exame que identifica o novo coronavírus, o que tem sido uma medida protocolar.  Jorge Portugal era também compositor, poeta e apresentador. Natural de Santo Amaro, no Recôncavo, Portugal era um compositor e letrista aclamado, com parcerias de sucesso com Roberto Mendes, em ‘Só Se Vê Na Bahia’, e com Raimundo Sodré, em ‘A Massa’.

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), decretou luto no estado nesta terça-feira (4). “Imensamente entristecidos, lamentamos a morte do ex-secretário de Cultura do Estado Jorge Portugal. Educador, poeta, compositor, Jorge era um homem de múltiplos talentos, exercidos com a energia e a simpatia que inspirava todos à sua volta. Era, antes de tudo, um homem apaixonado pela Bahia e pelo seu povo que estiveram sempre no centro do seu trabalho, fosse como administrador público, professor e artista. Como diz um dos seus versos: “Uma nação diferente, toda prosa e poesia, tudo isso finalmente, só se vê, só se vê na Bahia”. Nossos sentimentos para seus amigos e familiares por essa grande perda”.


O novo boletim epidemiológico de Itiruçu divulgou os dados deste sábado (01), com uma criança de 05 meses tendo contraído o novo coronavírus. De acordo com a Secretaria de Saúde do município, a criança é contactante de caso positivo e apresentou sintomas leves, sendo diagnosticada através do teste RT PCR para Covid-19. O mesmo encontra-se bem, estável e recuperando em casa.

Mais duas pessoas tiveram casos confirmados, sendo um homem 33 anos, contactante de caso positivo, e uma mulher 42 anos, profissional de saúde, que atua no município e no Hospital Prado Valadares, sendo que estava de férias das suas atividades no município e apresentou sintomas leves. Ambos estão se recuperando em casa, sem a necessidade de internação.;

O boletim apresenta 35 casos diagnosticado, sendo que 21 foram recuperados. 04 pessoas ainda aguardam o tempo correto para realizar o teste, 05 já aguardam o resultado e 84 estão  sendo monitoradas.


Itiruçu receberá nova ambulância por emenda de Zé Coca.

O pré-candidato pelo PP, Alender Correia, anunciou, na noite de ontem, segunda-feira (26), uma nova ambulância que fará parte da frota de saúde do município de Itiruçu. O veículo foi uma promessa do deputado estadual para o município.

No vídeo, divulgado em redes sociais, Alender agradece o parlamentar pela destinação da ambulância. Correia diz ainda que segue firma nas articulações de sua pré-candidatura pelo partido progressistas.


A Anvisa publicou, no Diário Oficial da União (D.O.U) desta quinta-feira (23/7), a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 405/2020, que estabelece regras de controle específicas para a prescrição, dispensação e escrituração de quatro fármacos: cloroquina, hidroxicloroquina, nitazoxanida e ivermectina. De acordo com a Agência, essa lista poderá ser revista a qualquer momento para a inclusão de novos medicamentos, caso seja necessário. O objetivo da norma é coibir a compra indiscriminada de medicamentos que têm sido amplamente divulgados como potencialmente benéficos no combate à infecção humana pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), embora ainda não existam estudos conclusivos sobre o uso desses fármacos para o tratamento da Covid-19.

A medida visa também manter os estoques destinados aos pacientes que já possuem indicação médica para uso desses produtos, uma vez que os fármacos elencados na Resolução são usados no combate e controle de outras doenças, como a malária (cloroquina e hidroxicloroquina); artrite reumatoide, lúpus e outras (hidroxicloroquina); doenças parasitárias (nitazoxanida); e tratamento de infecções parasitárias (ivermectina).

A compra desses produtos em farmácias e drogarias somente poderá ocorrer mediante apresentação da receita médica em duas vias, devendo a primeira via ser retida no estabelecimento. Cada receita terá validade de 30 dias, a partir da data de emissão, e poderá ser utilizada apenas uma vez. Cabe ressaltar que os medicamentos à base de cloroquina, hidroxicloroquina e nitazoxanida já estavam sujeitos à retenção de receita, pelo fato de terem sido anteriormente incluídos no Anexo I da Portaria 344/1998, do Ministério da Saúde (MS), que trata do regulamento técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial. Com a publicação da RDC 405/2020, estes medicamentos foram excluídos da Portaria 344/1998.

A Anvisa destaca que a Resolução será revogada automaticamente a partir do reconhecimento pelo Ministério da Saúde de que não mais se configura a situação de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional, declarada pela Portaria 188/2020, do MS.


Paciente faleceu enquanto era transferida. Foto: Blog Marcos Frahm

Uma jovem oriunda da localidade de Itíuba, na área rural de Jaguaquara, que teria dado entrada no Centro de Saúde do bairro Murutiba [unidade de saúde que substitui o Hospital Municipal que está fechado para reforma] foi a óbito na noite esta quarta-feira (22), quando era transferida para o Hospital Geral Prado Valadares – HGPV, em Jequié.

A jovem, de 18 anos, que aguardava por um leito de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) era cardíaca e apresentava complicações quando foi transferida após o município conseguir vaga no HGPV, mas faleceu durante o trajeto, na BR-116, enquanto era transferida de uma ambulância de Jaguaquara para uma Unidade de Suporte Avançado (USA), que a levaria até Jequié.

Vale salientar que o Prado Valadares enfrenta superlotação de leitos em decorrência do número crescente de casos de Covid-19 e as prefeituras da região encontram dificuldades na regulação e transferência de pacientes, inclusive com outras enfermidades, que foi o caso da moradora de Jaguaquara – situação que revela a importância de prevenção contra o vírus, pois já são claros os sinais de colapso na saúde pública em todas as regiões. Já são 801 casos do vírus no município, com o registro de 07 óbitos.*Com informações  do Blog do Marcos Frahm.


Itiruçu tem 23 casos positivos. Foto/Blog Itiruçu Online.

Com índice crescente em transmissão comunitária do novo coronavírus, o município de Itiruçu avalia medidas mais enérgicas para provocar o isolamento social no período de encubação do vírus, que é de 15 dias.

A Possibilidade de Lockdown ganhou força após declarações da prefeita Lorenna Di Gregorio confirmando que após a reunião conjunta entre os prefeitos do vale e o poder judiciário, que ocorre com intervalo de 15 dias no fórum da Jaguaquara, pode ser tomadas medias mais duras na próxima terça-feira, dia 28.

O assunto, no entanto, divide opiniões entre favoráveis e contra. O que tem de certo entre todas elas é que a transmissão comunitária em cidades pequenas é perigosa e precisa ser controladas para que não adoeça todos de uma vez.

Se a realidade do lockdown se confirmar, sua implementação trata de uma enorme mudança no dia a dia da população. O problema é a forma de fiscalização das restrições impostas pelo lockdown. A cidade de Itiruçu não possui um número grande de guardas municipais, caso fique sob eles a responsabilidade desta fiscalização e a GM na verdade nem existe no papel.  O município também não dispõe de efetivo policial necessário para fazer valer as medidas. Com isso, passam a contar com a boa vontade dos cidadãos para o enfrentamento a pandemia.

São 23 pessoas identificadas pelo município positivadas com a covid-19, sendo que destes 12 estão considerados curados. 12 pessoas aguardam o prazo correto para coleta e 108 estão sendo monitoradas. A preocupação é que a doença chegou no público idoso que já precisam de vagas em hospitais.

Economia X Saúde

O Brasil vive a discussão de quebrar a economia ou priorizar as ações de Saúde. Na verdade, não existe saúde sem economia e não existirá economia sem saúde. Uma é correte da outra. Mas já divide opiniões.

“Eu sou totalmente contra o lockdown. Sou a favor de uma fiscalização rígida na cidade, e quem estiver errado ser multado. Mas fechar, não. O empresário quebra, e a cidade também. Todos nós sabemos que passamos o dia inteiro esperando um cliente e temos comércios que não vende R$ 50,00 no dia. O que precisam ser fiscalizados são os grandes comércios que recebem 82% da cidade em seus estabelecimentos, os que fazem serviços de entrega. Os demais devem ser cobrados e fiscalizados com rigor. Muitos não tiveram auxílios e estão passando dificuldades. Os prefeitos fecharam muito cedo nossos comércios e agora que precisam de medidas enérgicas, já provocaram o caos financeiro em nossas vidas.  Vamos nos unir e ajudar o vírus não espalhar, cuidado e educando e cobrando de que pode contribuir mais. Tem que discutir as saídas com bastante avaliação”, disse o empresário Marcos.

Já para o cidadão Adriano, é hora de pensar em 15 dias mais duros, fazendo valer a ação para não colapsar ainda mais o sistema de saúde. “Estamos acompanhando a situação do Brasil e principalmente do sistema de saúde de nossa região. Pessoas morrendo a espera de vagas nas UTis. Sabemos que a economia se parar teremos um buraco grande, irreversível. Mas já estão sendo penalizados de forma certa ou errada desde o início. Se for preciso fechar por 15 dias, que feche, mas é  preciso fazer valer para todos e evitar o avanço do vírus. É necessário e urgente”, opinou.


Cidade tem 06 novos positivos da Covid-19. Foto/Blog Itiruçu Online.

Com mais seis casos positivos da Covid-19, Itiruçu soma 21 casos. Destes, 12 estão considerados recuperados. O novo boletim epidemiológico  ganhou um corpo técnico na identificação dos pacientes, detalhando por cada caso notificado para Covid, idade e a situação atual de cada.

Confira o detalhamento dos seis novos casos:

16° caso positivo para Covid 19 no município de Itiruçu é uma mulher 30 anos, apresentou sintomas leves. Realizou RT PCR para Covid 19, com resultado detectável. A mesma encontra-se bem, estável e recuperando em casa.

17° caso positivo para Covid 19 no município de Itiruçu é um idoso, 80 anos, apresentou sintomas moderados. Realizou RT PCR para Covid 19, com resultado detectável. O mesmo encontra-se estável e recuperando no hospital.

18° caso positivo para Covid 19 no município de Itiruçu é um idoso, 72 anos, que após contato com pessoa de outro município, apresentou sintomas leves. Realizou RT PCR para Covid 19, com resultado detectável. O mesmo encontra-se estável e recuperando em casa.

19° caso positivo para Covid 19 no município de Itiruçu é uma idosa, 65 anos, que após contato com pessoa de outro município, apresentou sintomas leves. Realizou RT PCR para Covid 19, com resultado detectável. O mesmo encontra-se estável e recuperando em casa.

20° caso positivo para Covid 19 no município de Itiruçu é um jovem 25 anos, que apresentou sintomas moderados. Realizou Teste Rápido para Covid 19, com resultado positivo. O mesmo foi transferido para o hospital de referência no município de Jequié.

21° caso positivo para Covid 19 no município de Itiruçu é um idoso, 75 anos, que apresentou sintomas moderados. Realizou Teste Rápido para Covid 19, com resultado positivo. O mesmo encontra-se internado no Hospital Municipal Pedro Pimentel Ribeiro.

FONTE SECRETARIA DE SAÚDE


Tudo certo.  A imprensa não fez divulgação de cunho eleitoreiro, mas para alertar o município que uma pessoa com Covid-19 precisou comprar remédios por conta própria. E Deu certo. Depois de ser noticiado, primeiramente a prefeita Lorenna Di Gregorio havia assinado uma nota afirmando ser o conteúdo de cunho eleitoreiro, mas após ouvir a própria positivada relatar a situação que passou, pediu desculpas e solicitou todas as notas fiscais dos remédios, garantindo que serão pagos pelo município. Lorenna afirmou que a situação não acontecerá mais, sendo chamada a atenção da Secretaria de Saúde sobre o ocorrido.

Clique aqui e lembre o assunto.

Ouça abaixo o áudio:


Desde o começo da pandemia, na cidade, que diversas ações vêm sendo executadas pela Prefeitura de Jequié, com o objetivo de evitar a disseminação da doença entre a população. Uma dessas medidas é a higienização de ruas e logradouros públicos, onde há um maior fluxo de pessoas. A Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Serviços Públicos, realizou na noite desta segunda-feira, 20, a ação de limpeza em diversas vias do Centro, como nas ruas do entorno da Praça Rui Barbosa; na Avenida Alves Pereira; no entorno da Praça da Bandeira; nos pontos de ônibus localizados no entorno da Praça da Bandeira; na Rua Sete de Setembro; além das áreas externas das agências bancárias e em todo o entorno do Centro de Abastecimento Vicente Grilo, o CEAVIG.

A operação, que segue um cronograma que abrange locais de grande circulação de pessoas, como pontos de ônibus, entorno das unidades de saúde, bancos das praças e das vias públicas, contou com apoio de carros-pipa e as equipes de limpeza utilizaram água sanitária, detergente e sabão gelatinoso.

De acordo com Vinícius Nogueira, secretário de Serviços Públicos, que acompanhou toda a ação, essa operação é mais um reforço às políticas públicas de enfrentamento ao Coronavírus, que já vêm sendo feitas pela Prefeitura de Jequié.

“Mesmo limpando as ruas, as avenidas, os entornos das praças, as áreas externas das agências bancárias, a Prefeitura de Jequié continua pedindo para que a população siga as orientações das autoridades de saúde e mantenha-se em casa, evitando o máximo possível de contato com outras pessoas. É muito importante ficar em casa e se manter em isolamento social. Não esqueçam, também, de lavar as mãos com frequência ou utilizar álcool em gel para higienização. Vamos todos fazer a nossa parte contra esse vírus.”, disse o secretário de Serviços Públicos, Vinícius Nogueira.


Prefeita reclama de divulgação e diz ter sido de cunho eleitoreiro. Foto arquivo/ Blog Itiruçu Online.

Rendeu a reclamação de uma paciente diagnosticada pela Covid-19 ao relatar não ter tido suporte da Secretaria de Saúde na aquisição de remédios receitados pelo médico.

Ao responder a reclamação na LT FM, a prefeita Lorenna Di Gregorio reclamou de o assunto ter tornado público, e classificou como apenas denúncia infundada e de cunho político eleitoreiro.

Já em mensagem assinada para divulgação em rede social, a prefeita diz que questões de saúde não devem ser tratadas através de grupos de WhatsApp, muito menos em Blogs que considera de conteúdo político.

-“Gente, acho que algumas situações particulares relacionadas as questões envolvendo saúde, não devem ser tratadas em grupos de Wats, muito menos em blogs com conteúdo político. A secretaria de saúde está dando toda a assistência necessária aos pacientes suspeitos ou testados como positivo. Nem Ida, Maiara ou Alessandra estão autorizadas a darem informações referentes ao tratamento ou conduta relacionados a nenhum caso positivo ou suspeito de Itiruçu. Temos hoje 15 casos, sendo três ativos, 12 recuperados sem necessidade se quer de internamento. Vamos continuar na luta. Ass: Dra. Lorenna DI Gregorio” –

Para a LT FM, a prefeita afirmou que a paciente não havia solicitado medicações para tratamento ao Covid-19, e que havia um acompanhamento a todos os infectados identificados pela Secretaria de Saúde. Já a paciente respondeu a prefeita enviado áudio no mesmo momento relatando que fez todas as solicitações, mas que os remédios estavam em falta, sendo necessário comprá-los.

De acordo com informações obtidas pelo Itiruçu Online, os remédios Ivermectina e Hidroxicloroquina acabaram no estoque do município no dia 07/07, e que estão aguardando reposição, mas a Azitromicina, Dexclorfeniramina e Prednisona são distribuídos.