Parentes de uma idosa de 78 anos filmaram o momento em que a mulher passava mal dentro de um hospital no município de Itabuna, no sul da Bahia, para denunciar a falta de atendimento médico no local. Eles dizem que um enfermeiro que trabalha na unidade de saúde, mesmo percebendo que a idosa não estava bem, não tomou nenhuma providência para atender a paciente. Após o caso ganhar repercussão, o profissional foi afastado das atividades.

O vídeo, gravado na semana passada pelos familiares da idosa Creuza Maria da Silva Faustino, foi divulgado nas redes sociais. Nas imagens, a mulher aparece deitada em um banco do hospital. Os parentes disseram que ela estava com a pressão alta. O enfermeiro, responsável pela triagem, é filmado sentado de frente para um computador numa sala ao lado, sem prestar atendimento à paciente.

“Olha a situação dessa senhora idosa, que tem os direitos violados por um mau profissional, por um péssimo profissional. E ele falou para mim que ele é concursado, que não vai dar nada para ele. E tem testemunhas aqui para comprovar isso”, disse um dos parentes da vítima na gravação. De acordo com a família, a idosa só foi atendida depois que várias pessoas começaram a filmar o que estava acontecendo. A mulher, depois de medicada, foi para casa e, segundo os parentes, está se recuperando bem.

A direção do hospital informou que, além do afastamento do enfermeiro que aparece nas imagens, um inquérito administrativo foi aberto para investigar o ocorrido e, caso fique comprovado que houve negligência, o profissional poderá ser exonerado do cargo.


Um final de tarde mágico, com muita descontração, animação e alegria. Foi esse o clima vivenciado pelos participantes do primeiro ‘Pôr do Sol da Melhor Idade’, realizado na Praça Duque de Caxias, nesta quarta-feira, 11, pela Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Desenvolvimento Social. Estiveram presentes o prefeito de Jequié, Sérgio da Gameleira; a secretária de Desenvolvimento Social, Andrea Cerqueira; o secretário de Educação, Roberto Gondim; demais secretários municipais; representantes de grupos de apoio social e entidades sociais, além de visitantes que frequentam o espaço do Alto da Prefeitura.

O evento reuniu cerca de 500 (quinhentas) pessoas que participaram de uma série de atividades recreativas, voltadas para grupos locais da terceira idade, com o objetivo de ampliar o convívio social, estimular a prática de uma vida saudável e promover a autoestima, através do lazer, da cultura, da busca pelo conhecimento e, principalmente, na luta pelos direitos de cada um. Muitos participantes da Associação de Amigos, Grupos de Convivência e Universidade Aberta com a Terceira Idade (AGRUTTI) e do Grupo de Convivência/CREAS estiveram presentes.

“A Secretaria de Desenvolvimento Social tem procurado consolidar o resgate social, a valorização da cidadania e a inclusão social, nas mais diversas frentes de atuação, indo aos bairros, povoados e distritos, levando ações importantes de fortalecimento de políticas públicas e de apoio social. Esta ação de hoje, que celebra também o mês do idoso e o aniversário da cidade, é fruto das metas de atendimento das pessoas da terceira idade e que exige muito mais atenção por parte da sociedade.”, disse Andrea Cerqueira, secretária de Desenvolvimento Social.

“Na realidade, a Prefeitura de Jequié, há muitos anos deixou de ser a prefeitura voltada para a família. É só verificar os perfis de alguns que passaram por lá e vai se perceber que a família não era o ponto central. Eu, graças a Deus, tenho uma família muito centrada e trago isto para a nossa administração. Estamos comemorando o mês dos idosos, o Dia das Crianças, o aniversário da cidade e a primeira fase da recuperação da Praça dos Poetas. São vários os motivos que a gente tem para comemorar no mês de outubro e nada melhor do que confraternizar juntamente com as pessoas da terceira idade. Quão fantástico e fundamental é este evento, pois mostra que essas pessoas, essas senhoras e senhores, têm muito ainda a nos ensinar. Um mar de alegria e descontração e, ao mesmo tempo, a demonstração de respeito e admiração à experiência de vida que eles representam. Estamos muito felizes da realização do ‘Pôr do Sol da Melhor Idade’, por entender que é através da inclusão de todo o tecido que compõe a nossa sociedade que teremos uma Jequié mais justa para todos.”, disse o prefeito de Jequié, Sérgio da Gameleira.


O Governo da Bahia abrirá linhas de ônibus para transportar pacientes das cidades da região que serão beneficiados com os serviços da Policlínica regionalizada, com 26 cidades a serem atendidas.  De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), seis consórcios receberão os micro-ônibus mencionados no contrato: Teixeira de Freitas, Irecê, Guanambi, Jequié, Brumado e Ribeira do Pombal, totalizando 53 micro-ônibus. 500 mil pessoas serão beneficiadas com os doze micro-ônibus já  destinados pelo Governo do Estado.

De acordo com informações obtidas pelo Itiruçu Online, duas linhas irão funcionar para atender Ipiaú e Jaguaquara e do Distrito do Entroncamento.  As linhas irão beneficiar milhares de pessoas, pegando pacientes com os ônibus e levando diariamente para realizar exames em Jequié. A Policlínica está com as obras quase finalizadas, faltando apenas o anexo do SAC, a previsão de inauguração é para o mês de dezembro.

 

Os roteiros das linhas são:

 

Roteiro 1: Itiruçu/Jequié

Roteiro 2: Planaltino/Maracás, Lajedo/Jequié

Roteiro 3: Brejões/Nova Itarana/Jequié

Roteiro 4: Cravolândia/Santa Inês/Itaquara/Jequié

Roteiro 5: Jaguaquara/Lafaiete Coutinho/Jequié

Roteiro 6: Dário Meira/Itagibá/Ipiaú/Jequié

Roteiro 7: Itagi/Aiquara/ Jitaúna/Jequié/

Roteiro 8: Barra do Rocha/Ibirataia/Ipiaú/Jequié

Roteiro 9: Boa Nova/Manoel Vitorino/Jequié

Roteiro 10: Irajuba/Entroncamento de Jaguaquara/Jequié

Roteiro 11:Itamari/Apuarema/Jequié


Uma vida longe do sedentarismo é o ideal para manter a saúde em dia. Além dos benefícios estéticos, o exercício físico é aliado na prevenção e tratamento do câncer de mama. De acordo com o oncologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Emerson Neves dos Santos, esse hábito também é capaz de evitar o reaparecimento da doença.

Essa relação positiva está diretamente ligada à capacidade da atividade física diminuir um fator de risco e liberar boas substâncias no organismo, como explica o médico. “O exercício diminui a chance de obesidade, que é um fator de risco, e libera substâncias anti- inflamatórias, que ajudam a inibir que a doença volte”.

Estudo da revista científica JAMA, da Associação Médica Norte-Americana, com dados referentes a 12 outras pesquisas, as quais englobam 1,44 milhão de pessoas, indicou que quem mais se exercita, apresenta menor percentual de câncer, entre eles, o de mama.

Dr. Emerson salienta que é indicada a prática durante e após o tratamento, porém, tudo depende do paciente. Em casos do uso de quimioterapia e radioterapia, é comum que a pessoa esteja debilitada e não possa iniciar os exercícios. Já nos casos de hormonioterapia, terapia que evita o crescimento da célula cancerígena pelo estímulo dos hormônios, ajuda a evitar os efeitos colaterais.

Apesar de ser um período mais delicado, não há contraindicação em relação ao tipo de exercício escolhido. Segundo o médico, é preciso orientação de um profissional de educação física e acompanhamento periódico nas áreas cardiológicas, pulmonares e renais. A única limitação é para as mulheres que retiraram os linfonodos, gânglios responsáveis pela drenagem linfática do corpo.

“Há uma limitação para quem tira os linfonodos, que ficam embaixo do braço. Nestas mulheres, caso haja uma sobrecarga, ocorre o que chamamos de linfedema, que é o inchaço dessa área. Por isso, são indicados apenas exercícios mais leves”, complementa o oncologista.


A baiana Daiane Maria de Oliveira, 28 anos, moradora de Igaporã, que chamou atenção nas redes sociais ao aparecer em um vídeo exibindo sua barriga imensa, será transferida para o Hospital da Mulher Maria Luzia Costa dos Santos, no Largo de Roma, em Salvador. Daiane pediu ajuda para realizar um tratamento que identificasse a causa que faz a barriga dela crescer exageradamente.

A mulher sofre com o problema há cerca de 3 anos. Já há mais de um ano, ela foi diagnosticada com cirrose hepática, de origem alcoólica. Desde então, conta o endocrinologista, ela vem sendo acompanhada por uma equipe médica. “O que está sendo feito é um paliativo. É feito um processo para retirar a grande quantidade do líquido ascítico – responsável por lubrificar a cavidade abdominal – da barriga dela. Normalmente, é retirado cerca de 4,5 litros”, explicou o endocrinologista Ivson Petronilio da Cunha, ao A Tarde, que está à frente do caso. A única solução para a paciente, que ingere bebida alcóolica desde os 10 anos de idade, é um transplante de fígado. Mas, para isso, ela precisará entrar na fila de transplante e ainda ficar um ano sem consumir álcool.

Daiane deve ser transferida para o Hospital da Mulher ainda nesta terça, ou na quarta-feira (27). Lá, ela poderá ser acompanhada por um hepatologista – especialista em doenças do fígado.


Membro efetivo da Comissão de Constituição e Justiça da Assembléia Legislativa da Bahia, o deputado estadual Heber Santana (PSC), voltou a afirmar que a decisão do juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara Federal do Distrito Federal, determinando que o Conselho Federal de Psicologia não impeça psicólogos de promoverem estudos ou atendimento profissional sobre orientação sexual, em momento algum considerou homossexualidade como doença. “Além de democrática, a decisão é absolutamente legal, pois respeita o preceito constitucional contido no inciso IX do artigo 5º da Carta Magna, segundo o qual “é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença”.

Na avaliação de Heber Santana, a decisão judicial considera a homossexualidade como opção, e como tal a pessoa pode ser atendida por psicólogo. “Se um hétero que deseja ter relacionamento homo pode ser assistido normalmente por psicólogos, por que não pode acontecer ao contrário?”, questiona o parlamentar. Ele lembra que, de acordo com os psicólogos que ajuizaram a ação, “ser gay não é doença, é comportamental, mas é possível promover reorientação sexual daqueles que estão insatisfeitos”.


Hoje, 21, é celebrado o Dia Mundial do Alzheimer e para esclarecer algumas informações que podem nos confundir devido a alguns mitos da ‘sabedoria’ popular, a EUROIMMUN, laboratório especializado no diagnóstico de doenças autoimunes, infecciosas, alergias e genéticas, esclarece oito mitos e verdades sobre o Alzheimer.

  1. Alzheimer é uma doença genética

MITO. Apenas 2 a 5% dos casos de Alzheimer são causados por mutação genética, e mesmo assim sem correlação de hereditariedade. A maioria das desordens mentais, como o Alzheimer, são aleatórias e o fator de risco mais importante é a idade.

2. O primeiro sintoma da doença de Alzheimer é a perda de memória.

MITO. A perda de memória é um sinal comum do Alzheimer mas nem sempre é o sintoma inicial. A dificuldade de linguagem, desorientação no tempo e espaço, alterações de comportamento e humor e dificuldade de planejamento são em muitos casos os primeiros sintomas da doença.

3. Nem todos os problemas de memória são devido ao Alzheimer

VERDADEIRO. O Alzheimer é apenas uma das doenças que podem afetar a memória. O estresse, depressão, diabetes, doença da tireóide e outras demências como Doença de Parkinson e esclerose múltipla, podem afetar a memória.


O Mutirão de Cirurgias do Governo do Estado está chegando em mais 19 municípios da Bahia. Desta vez, no período de 9 a 11 de outubro, o mutirão estará no município de Santo Estevão, com a unidade móvel da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) estacionada na Praça Sete de Setembro. O serviço vai atender aos pacientes que aguardam a realização de procedimentos cirúrgicos de hérnias (umbilical, inguinal, epigástrica) histerectomia, colecistectomia. Serão 180 consultas diárias, começando a partir das 7h.

Desde que começou a funcionar, em setembro de 2016, o mutirão já realizou 14.991 atendimentos e 10.956 mil cirurgias, em 329 dos 417 municípios baianos.

Além de Santo Estevão, também serão atendidos os pacientes dos seguintes municípios: Amélia Rodrigues, Antonio Cardoso, Baixa Grande, Conceição do Jacuípe, Coração de Maria, Feira de Santana, Ipecaetá, Ipirá, Irará, Mundo Novo, Pintadas, Rafael Jambeiro, Santa Barbara, Santonópolis, São Gonçalo dos Campos, Tanquinho, Teodoro Sampaio e Terra Nova.

Para saber se a pessoa está cadastrada para passar pela cirurgia, basta consultar a lista única, disponível no seguinte endereço: http://mutiraodecirurgias.saude.ba.gov.br/. O paciente ou responsável também poderá ir até a Secretaria de Saúde de seu município, para saber se o seu nome consta na lista para a realização do procedimento. As cirurgias começam a ser feitas a partir do dia 19 de outubro, no Hospital Municipal de Santo Estevão.

É importante lembrar que os pacientes que farão cirurgias devem levar todos os exames laboratoriais e outros que fizeram. No caso de cirurgia de vesícula, os pacientes precisam estar em jejum para a realização do exame de ultrassonografia (USG). Para as mulheres que farão o procedimento de histerectomia, será preciso levar o exame preventivo atual, e se ainda menstruam, devem levar também o exame Beta HCG.


A Justiça Federal do Distrito Federal tomou uma decisão, em caráter liminar, que deixa psicólogos livres para oferecer tratamentos contra a homossexualidade. A medida, que acolhe parcialmente o pedido de liminar de uma ação popular, impede que o Conselho Federal de Psicologia (CFP) proíba os psicólogos do país de prestar atendimento referente a orientação sexual. Em nota, o CFP informou que vai recorrer da decisão liminar. Tratamentos de “reversão sexual” são proibidos nos consultórios do Brasil por uma resolução do CFP de 1999. Na época, para editar o documento, o conselho se baseou num movimento da Organização Mundial da Saúde (OMS), que deixou de considerar a homossexualidade uma doença em 1990.

De acordo com a decisão do juiz federal Waldemar Cláudio de Carvalho, sua determinação tem como objetivo não privar o psicólogo de estudar ou atender a pessoas que “voluntariamente venham em busca de orientação acerca de sua sexualidade”.

“Por todo exposto, vislumbro a presença dos pressupostos necessários à concessão parcial da liminar, visto que: a aparência do bom direito resta evidenciada pela interpretação dada a resolução nº 001/1990 pelo CFP (Conselho Federal de Psicologia), no sentido de proibir o aprofundamento dos estudos científicos relacionados à (re)orientação sexual, afetando, assim, a liberdade científica do país e por consequência seu patrimôno cultural na medida em que impede e inviabiliza a investigação de aspecto importantíssimo da psicologia qual seja a sexualidade humana”, explicou Carvalho na decisão.

PUBLICIDADE

Segundo o magistrado, os autores da ação (psicólogos) encontram-se impedidos de clinicar ou promover estudos científicos acerca da reorientação sexual, “o que afeta os eventuais interessados nesse tipo de assistência psicológica”.

A Resolução 01/99 do Conselho Federal de Psicologia (CFP) orienta os profissionais da área a atuar nas questões relativas à orientação sexual. A norma do CFP determina que os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas, nem adotarão ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados.

O Conselho Federal de Psicologia emitiu uma nota em que se posiciona contrário à ação popular.

“O Conselho Federal de Psicologia se posicionou contrário à ação, apresentando evidências jurídicas, científicas e técnicas que refutavam o pedido liminar. Os representantes do CFP destacaram que a homossexualidade não é considerada patologia, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) – entendimento reconhecimento internacionalmente. Também alertaram que as terapias de reversão sexual não têm resolutividade, como apontam estudos feitos pelas comunidades científicas nacional e internacional, além de provocarem sequelas e agravos ao sofrimento psíquico.”

PUBLICIDADE

O CFP diz no texto que a resolução 01/99 produz “o enfrentamento aos preconceitos e na proteção dos direitos da população LGBT no contexto social brasileiro, que apresenta altos índices de violência e mortes por LGBTfobia. Demonstrou, também, que não há qualquer cerceamento da liberdade profissional e de pesquisas na área de sexualidade decorrentes dos pressupostos da resolução”.

A decisão liminar do juiz federal Waldemar Cláudio de Carvalho mantém a integralidade do texto da Resolução 01/99, mas determina que o CFP a interprete de modo a não proibir que psicólogas (os) façam atendimento buscando reorientação sexual. Ressalta, ainda, o caráter reservado do atendimento e veda a propaganda e a publicidade.

O CFP informa que o processo está em sua fase inicial e afirma que vai recorrer da decisão liminar, bem como lutará em todas as instâncias possíveis para a manutenção da Resolução 01/99, motivo de orgulho de defensoras e defensores dos direitos humanos no Brasil. *As informações foram extraídas do O Globo.


O jornalista Marcelo Rezende morreu, neste sábado (16/9), aos 65 anos. O autor do bordão “Corta para Mim” lutava contra câncer no fígado e no pâncreas.

Desde a última terça-feira (12), ele estava internado no hospital Moriah, na Zona Sul de São Paulo. Marcelo Rezende construiu carreira na televisão em programas policiais. Antes de morrer, o jornalista comandava o “Cidade Alerta”, da rede Record.

A atração mostrava crimes e ações das forças de segurança. O apresentador, que deixa cinco filhos, também passou pela Globo, onde comandou o “Linha Direta”. Na RedeTV! esteve à frente do telejornal