Foto/Blog Itiruçu Online

A Prefeita de Lajedo do Tabocal, Mariane Fagundes, em nota enviada ao Blog Itiruçu Online, comentou o imbróglio envolvendo uma ambulância do hospital da cidade realizando o transporte de carnes para abastecer a unidade hospitalar.

O Caso ganhou repercussão amplamente negativa, sendo repudiado pela comunidade Lajedense.

O veículo foi seguido por dois vereadores da cidade que receberam uma denúncia anônima revelando existir o transporte irregular das carnes, direto da  fornecedora do município de Jaguaquara até ao Hospital da cidade. A Vigilância Sanitária atuou a irregularidade e incinerou  toda carne comprada pelo município e que foi transportada no mesmo local onde são transportados  pacientes na ambulância.

Em nota da gestão municipal, foi informado ter sido determinado abertura de sindicância e processo administrativo, a fim de apurar as responsabilidades pela grave irregularidade cometida pelos servidores, sendo ainda determinado o afastamento imediato dos envolvidos diretamente no caso em questão, com intuito de preservar as investigações e não comprometer os trabalhos do Hospital e da Secretaria de Saúde de Lajedo do Tabocal. Segundo a prefeitura, o caso foi entregue ao departamento jurídico e todas as providências para apuração interna estão sendo tomadas. O município garantiu que assim que todos os atos administrativos forem tomados, para que haja transparência das apurações, serão devidamente publicadas. O Município destacou ainda que, após conhecimento do ocorrido, foi diligenciado de forma emergencial e urgente, a incineração dos produtos transportados de maneira irregular, evitando assim que ocorresse o consumo humano.

O que houve questionamentos é que, caso não fosse descoberta irregularidade pelos vereadores, pacientes e funcionários da Unidade Hospitalar estariam sendo alimentados por produtos transportados fora de todos os padrões de higiene e com anuência da gestão hospitalar.

A prefeita também se pronunciou sobre o assunto através de nota, assegurando não ter culpa por irregularidade cometida por servidores no exercício de suas atribuições. “Irregularidades são cometidas por indivíduos, não se pode terceirizar culpa, sob pena de não responsabilizar devidamente os culpados pela infração. Determinei abertura de sindicância e procedimento administrativo com o consequente afastamento de todos os servidores envolvidos diretamente no fato supracitado. Reitero meu compromisso com o povo lajedense em apurar, julgar e condenar os culpados, e prometo envidar todos os meus esforços para diariamente oferecer melhores condições para nossa população”, diz a prefeita.

 


O Município de Itiruçu  iniciou nesta segunda-feira, dia 07, a adesão  na nova Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo em todos os postos de saúde. Com foco em dois grupos: o primeiro vai de 7 a 25 de outubro e irá imunizar crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade.

Para garantir a dose da vacina, basta procurar a unidade de saúde mais próxima de casa com a caderneta de vacinação em mãos.  Na campanha a vacina será seletiva, ou seja, quem estiver com o cartão em dia não precisa tomar a vacina, já que sempre esteve disponível nas Unidades de Saúde.

Nos últimos 90 dias, o Brasil registrou 5.404 casos confirmados de sarampo. Dos casos confirmados nesse período, 97% (5.228) estão concentrados em 173 municípios do estado de São Paulo, principalmente na região metropolitana. Os outros 176 casos foram registrados em 18 estados (RJ, MG, MA, PR, PI, SC, RS, CE, MS, PB, PE, PA, DF, RN, ES, GO, BA E SE). Os dados estão no novo boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, divulgado nesta sexta-feira (4/10).


A décima terceira Policlínica Regional de Saúde da Bahia foi inaugurada pelo governador Rui Costa, nesta sexta-feira (20), em Itabuna. A unidade de saúde, que contou com um investimento de R$ 25 milhões, entre obras e equipamentos, e já começa a funcionar na segunda (23), beneficia 750 mil moradores de 29 municípios da região. Também nesta sexta, Rui entregou 15 micro-ônibus, que farão o transporte dos pacientes para a policlínica, além de 12 ambulâncias. “Hoje, 268 cidades, mais da metade dos municípios baianos, já são atendidas por uma policlínica regional. A próxima inauguração será em Simões Filho, na região metropolitana de Salvador, e em seguida Senhor do Bonfim e logo depois Barreiras. Até novembro, nós chegaremos a 15 policlínicas entregues. É o maior investimento em saúde pública do Brasil, fortalecendo a atenção básica”, afirmou Rui.
Ainda de acordo com Rui Costa, o Governo segue cumprindo o objetivo de regionalizar a saúde na Bahia. “Para isso, o Estado paga integralmente a implantação da policlínica, com obras, equipamentos e os micro-ônibus, e ainda participa com 40% dos custos operacionais mensais. Os outros 60% são divididos entre os municípios dos consórcios, de acordo com o tamanho de cada um”, detalhou. Segundo o secretário da Saúde, Fábio Vilas Boas, com a Policlínica, a região cacaueira passa a ser autossuficiente em exames. “Esta é uma das maiores realizações da saúde pública na região cacaueira da Bahia. São mais de 15 especialidades médicas, todos os tipos de exames complementares, desde um simples eletrocardiograma até uma ressonância eletromagnética e uma tomografia computadorizada”.
Ao todo, a policlínica conta com 78 profissionais, entre médicos, enfermeiros, psicólogo, farmacêutico, nutricionista, ouvidor, assessores técnicos, assistente social, técnicos em enfermagem, técnicos em radiologia e assistentes administrativos. As especialidades oferecidas são angiologia, cardiologia, endocrinologia, gastroenterologia, neurologia, ortopedia, oftalmologia, otorrinolaringologia, ginecologia/obstetrícia, mastologia e urologia, entre outras.
Os municípios atendidos são Almadina, Arataca, Aurelino Leal, Barro Preto, Buerarema, Camacã, Canavieiras, Coaraci, Firmino Alves, Floresta Azul, Gongogi, Ibicaraí, Ibirapitanga, Ilhéus, Itabuna, Itacaré, Itaju do Colônia, Itajuípe, Itapé, Itapitanga, Itororó, Jussari, Mascote, Pau Brasil, Potiraguá, Santa Cruz da Vitória, Santa Luzia, São José da Vitória e Uma.

Segurança Pública

Completando a agenda em Itabuna, o governador entregou 52 viaturas para a Polícia Militar, reforçando a segurança em 41 municípios da região.

Na amanhã desta  quarta-feira, 18, no auditório Waly Salomão, na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, a UESB, o Hospital Geral Prado Valadares, em parceria com a Prefeitura de Jequié, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e com o apoio do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde, realizou uma palestra sobre o processo de doação de órgãos e tecidos, tendo como público alvo os agentes comunitário de saúde e seus respectivos enfermeiros supervisores, para conscientização e importância sobre a doação de órgãos e tecidos para transplante. A motivação para realização de palestra é que, neste mês de setembro, é celebrado, nacionalmente, o Setembro Verde. Na ocasião, estiveram presentes os agentes comunitários de saúde, enfermeiros instrutores e a enfermeira mestra e palestrante do evento, Tâmara Souza, que é coordenadora da Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOOT), do Hospital Geral Prado Valadares.

Para se tornar um doador, basta comunicar à família. A doação só ocorre com autorização dos parentes mais próximos. Por isso, é tão importante as pessoas conversarem com seus familiares e expressarem o desejo de se tornarem doadores, após a morte.

Atualmente, a negativa familiar é o principal motivo para a não doação. O objetivo da campanha no Setembro Verde é incentivar o cidadão a declarar para seus familiares e amigos a intenção de ser um doador. Os doadores podem ser de rins, coração, pulmões, fígado, pâncreas e, também, tecidos como ossos, tendões, pele, córneas e valvas cardíacas. Ou seja, um único doador pode salvar até dez vidas.

“Neste mês de setembro, nós comemoramos o incentivo à doação de órgãos, que é o Setembro Verde, comemorado em todo o país. O Hospital Geral Prado Valadares, em parceria com a Prefeitura de Jequié, teve a iniciativa de realizar, através da Secretaria de Saúde com o apoio do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde, este momento com os enfermeiros instrutores e com os agentes comunitários de saúde para estarem disseminando as informações sobre o quanto é importante a doação de órgãos e tecidos; como todo esse processo é importante. Nesse momento, nós temos a certeza de que eles estarão multiplicando informações, no sentido de estarem conscientizando a população sobre a importância da doação de órgãos.”, disse Tâmara Souza Santos, coordenadora da Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOOT), do Hospital Geral Prado Valadares.

“O Setembro Verde, que é celebrado em todo país, é o mês que incentiva o debate sobre a doação e o transplante de órgãos. Ao longo de todo este mês, a Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Saúde, apresentará ações para conscientizar a população sobre a grande importância da doação de órgãos e tecidos, através de nossos enfermeiros e dos nossos agentes comunitários de saúde. Gostaria de agradecer a parceria do Hospital Geral Prado Valadares, o nosso órgão captador que, com uma equipe capacitada, realiza captação e salva vidas.”, disse o secretário de Saúde, Vitor Lavinsky.


As policlínicas regionais de saúde já atendem a população de 58% dos municípios da Bahia. Com a inauguração da 12ª unidade, em Jacobina, na última quinta-feira (12), são 239 municípios contemplados pelos serviços. Cada policlínica recebe R$ 22 milhões em investimentos do Governo do Estado, que é responsável pela construção, aquisição de equipamentos, mobiliário e micro-ônibus para o transporte dos pacientes.
O principal objetivo das policlínicas é complementar a atenção básica de saúde. Elas são construídas em locais estratégicos no interior do estado, possibilitando a regionalização do atendimento à população, que não precisa percorrer longas distâncias ou aguardar tempo excessivo para o atendimento.
As policlínicas já funcionam nas regiões de Teixeira de Freitas (13 municípios atendidos), Guanambi (22 municípios), Jequié (28 municípios), Irecê (24 municípios), Feira de Santana (28 municípios), Alagoinhas (19 municípios), Santo Antônio de Jesus (28 municípios), Valença (13 municípios), Paulo Afonso (9 municípios), Juazeiro (10 municípios) e Vitória da Conquista (28 municípios). Também estão em construção as unidades de Salvador, Barreiras, Itabuna, São Francisco do Conde, Simões Filho e Senhor do Bonfim.
A manutenção das unidades é compartilhada entre o Estado, que financia 40% dos custos, e os municípios do consórcio de saúde, que cobrem os 60% restantes.
Entregue pelo governador Rui Costa na quinta-feira (12), a policlínica em Jacobina será administrada pelo consórcio formado por 17 municípios: Caém, Caldeirão Grande, Capim Grosso, Jacobina, Mairi, Miguel Calmon, Mirangaba, Ourolândia, Piritiba, Quixabeira, São José do Jacuípe, Saúde, Serrolândia, Umburanas, Várzea da Roça, Várzea Nova e Várzea do Poço.

Nas policlínicas, a população têm acesso gratuito a consultas em diversas especialidades médicas, a exemplo de angiologia, cardiologia, endocrinologia, gastrenterologia, neurologia, ortopedia e otorrinolaringologia, e exames como ressonância magnética, tomografia, mamografia, ultrassonografia com doppler, ecocardiografia, mapa, holter, eletroencefalograma, eletrocardiograma, endoscopia e colonoscopia.


O Projeto Psicologia & Vida, adveio da inquietação de jovens Psicólogas, objetivando o resgate da dignidade humana. Visto que a proposta deste projeto é promover para a população em geral, atendimento psicológico de qualidade e de forma acessível.
Em Parceria com o Consultório Irmã Dulce, foi possível colocá-lo em prática, possibilitando um espaço de acolhimento para o sujeito que se abre ao seu destinar-se. Desta forma, é importante ressaltar que, todas as pessoas que precisam de acolhimento, orientação e aconselhamento, podem e devem procurar o Plantão Psicológico.

Salientamos que, o Plantão Psicológico é uma prática clínica, porém, se diferencia da psicoterapia, pois a sua prática está voltada para a escuta e intervenção de uma situação problema e no acolhimento ao momento de crise.  Mediante ao exposto, é pertinente esclarecer, que não será gerado nenhum custo benefício pelo serviço.

As coordenadoras do Projeto Psicologia & Vida são: Psicóloga, Aline Batista 03/20416; Psicóloga, Débora Sintia 03/19510; e  Psicóloga Gildélia Slógia 03/19007.


 

Moradores de 17 municípios passam a contar com 21 especialidades de exames médicos oferecidos gratuitamente pela Policlínica Regional de Saúde em Jacobina, inaugurada pelo governador Rui Costa, nesta quinta-feira (12). A nova unidade, décima segunda já entregue pelo Governo na Bahia, contou com um investimento de R$ 23 milhões, entre obras, equipamentos e micro-ônibus que farão o transporte de pacientes. A policlínica começa a funcionar na segunda-feira (16).
Além da unidade de saúde, oito micro-ônibus e duas ambulâncias foram entregues à população pelo governador. “Agradeço a parceria com cada um desses municípios. O investimento é de 100% do Governo do Estado em equipamentos e na obra. Mas, a partir da inauguração, o custeio e a manutenção são de responsabilidade do Consórcio Regional de Saúde, que é composto pelo Estado e pelos municípios. A partir de hoje, o custeio mensal é dividido, uma parte do Estado da Bahia e outra parte das prefeituras”, explicou Rui que, na oportunidade, recebeu o título de cidadão jacobinense.
Ainda de acordo com Rui Costa, os consórcios e policlínicas são uma forma nova e mais inteligente de fazer a gestão pública da Saúde. “Esse consórcio é um exemplo do que é feito nos países ricos para oferecer uma saúde pública de qualidade. Um equipamento desse custa caro para construir e custa caro para manter. Por isso nós escolhemos o caminho mais acertado. Em outubro, iremos inaugurar mais uma, dessa vez em Senhor do Bonfim”, destacou.
Policlínica
Ao todo, 67 profissionais atuarão para dar assistência à população. São médicos, enfermeiros, psicólogo, farmacêutico, nutricionista, ouvidor, assessores técnicos, assistente social, técnicos em enfermagem, técnicos em radiologia e assistentes administrativos.
As especialidades oferecidas no equipamento são diversas, como angiologia, cardiologia, endocrinologia, gastrenterologia, neurologia, ortopedia, oftalmologia, otorrinolaringologia, ginecologia/obstetrícia, mastologia e urologia.
O consórcio que vai administrar a unidade é formado pelos municípios de Caém, Caldeirão Grande, Capim Grosso, Jacobina, Mairi, Miguel Calmon, Mirangaba, Ourolândia, Piritiba, Quixabeira, São José do Jacuípe, Saúde, Serrolândia, Umburanas, Várzea da Roça, Várzea Nova e Várzea do Poço.
Outras ações
Em continuidade à agenda, Rui Costa visitou o Centro Territorial de Educação Profissional do Piemonte da Diamantina II (CETEP) e participou da inauguração da sede da Defensoria Pública no município.

O atendimento de equipes especializadas e multidisciplinares pode ser determinante para evitar o suicídio. A opinião é do psiquiatra Leonardo Luz, do Conselho Federal de Medicina. “O Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – 192] deve ser acionado porque é uma emergência médica”, afirma.

Representante do Piauí, o médico reconhece, no entanto, que não há em todas as localidades do país serviço de urgência para casos de suicídio. “Há relatos Brasil afora onde o Samu não têm equipe para o atendimento, os bombeiros e a polícia é que acabam cuidando. Eles podem até ser rápidos, mas não têm recursos para fazer esse atendimento”.

No Distrito Federal, a Central de Informações Toxicológicas e Atendimento Psicossocial (Ceitap), da Secretaria de Saúde, mantém um carro do Samu disponível para equipe especializada, formada por médicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais e condutor socorrista. Segundo a gerente da Ceitap, a enfermeira Carla Pelloso, a equipe “consegue intervir no momento em que a pessoa está em situação na qual perde o controle dos próprios atos e tem esses pensamentos acentuados de morte”. A iniciativa envolve conversa e acolhimento para que “a pessoa deixe de pensar no ato [de matar-se], vislumbre outro caminho e perceba que aquela não é a única saída”.

A psicóloga Janaína Milagres, especialista em psicopatologia e psicodiagnóstico infantil e psicologia hospitalar e da saúde, lembra que “o apoio psicológico no momento de crise é de grande importância para aliviar o sofrimento, diminuindo a angústia das emoções e das situações traumatizantes”.

Conforme o psiquiatra Leonardo Luz, a interlocução é uma “fala ativa para ganhar tempo” e levantar informações “para classificar risco”, conhecer histórico pessoal e identificar o perfil de quem ameaça se matar.

Entender os sinais


A Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) fez, nesta terça-feira (3), um alerta para que todos os baianos com viagem marcada para o estado de São Paulo sejam vacinados contra o sarampo. A medida tem como foco aqueles viajantes que nunca foram imunizados ou que tenham esquema vacinal incompleto, principalmente crianças. O alerta é necessário em razão de o estado paulista concentrar 99% dos casos confirmados de sarampo no Brasil.
Os passageiros que retornaram, nos últimos 30 dias, do estado de São Paulo ou destinos internacionais com risco aumentado para o sarampo, caso apresentem febre e manchas vermelhas pelo corpo, acompanhado de tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite, devem procurar uma unidade de saúde para atendimento imediato.
Esquema vacinal por idade
A partir de 6 meses:
A criança deve receber a 1ª dose da vacina Tríplice Viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba.
12 meses de idade:
Segunda dose com a vacina Tetra Viral (sarampo, rubéola, caxumba, catapora) ou a Tríplice Viral e varicela monovalente.
12 a 29 anos:
Caso não tenha sido vacinado anteriormente, deve receber duas doses da vacina Tríplice Viral, com intervalo de 30 dias.
 
30 a 49 anos:

Caso não tenha sido vacinado anteriormente, deve receber uma dose da vacina Tríplice Viral.


O Calendário de Vacinação de Pacientes Especiais, da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), ganhou versão atualizada para os anos de 2019 e 2020, que será lançada oficialmente na Jornada Nacional de Imunizações. O evento acontece em Fortaleza, no Ceará, entre os dias 4 e 7 de setembro.

Uma das responsáveis pelo calendário, a diretora da SBIm Mônica Levi explica que o grupo de pacientes considerados especiais vai além dos imunodeprimidos – pessoas cujas defesas do organismo estão debilitadas. Diabéticos, por exemplo, são considerados pacientes especiais pela SBIm, que recomenda, entre outras coisas, estar em dia com a imunização de gripe, pelo risco de infecção aumentado.

“Sendo diabético, o paciente deve receber vacina de gripe anualmente, porque a gripe representa risco aumentado de formas graves de gripe ou de descompensar o diabetes”, informa Mônica Levi, que cita outros exemplos. “Paciente especial não quer dizer imunodeprimido sempre. Um cardiopata, um pneumopata crônico, não é um imunodeprimido. Ele é um paciente especial porque tem risco aumentado de morrer, por exemplo, de pneumococo, de uma pneumonia. Ele tem recomendações diferentes da população normal porque a doença de base, como a do diabético, o torna mais propenso a desenvolver infecção grave e morte”.

O calendário que será lançado durante a Jornada Nacional de Imunizações já está disponível no site da SBIm . No caso dos pacientes especiais, o guia precisa ser atualizado com maior frequência que os demais, uma vez que os tratamentos e medicamentos utilizados por esses pacientes estão em constante evolução.

“O calendário dos pacientes especiais tem vida mais curta. Novas evidências, muitos resultados de estudos e muita discussão interna entre especialistas levaram às mudanças”, diz Mônica, acrescentando que as novidades do calendário não estão na descoberta de novas vacinas. “São outros enfoques para as mesmas vacinas. São mudanças em termos de orientações, reforços que foram incluídos”.

Um dos maiores desafios na elaboração do calendário foi criar uma tabela capaz de dar conta de pacientes que utilizam medicamentos que interferem na imunidade, como pessoas com doenças reumatológicas e câncer. Nesses casos, o uso de uma vacina com o vírus vivo e atenuado pode acabar causando a infecção, e o uso de uma vacina inativada, apesar de não oferecer esse risco, pode não resultar na imunização pretendida.

Um exemplo é a vacina para hepatite B. Na população em geral, ela é feita em três doses. Nos imunodeprimidos, são aplicadas quatro doses, com a quantidade dobrada de antígeno em cada uma delas. Ao final da vacinação, ainda é necessário realizar um exame de sorologia para verificar se foram produzidos os anticorpos.

Apesar de pacientes especiais muitas vezes estarem sob acompanhamento de um médico especialista, Mônica Levi lamenta que isso nem sempre significa que os calendários de vacinação estão sendo devidamente observados.

“A gente tenta se aproximar da comunidade médica e fazer esses guias em conjunto para conscientizar os profissionais a começarem a se preocupar com a proteção dos pacientes de uma maneira mais global, mas vacina é uma coisa que muitas vezes passa batida na consulta”. Ela diz que o problema inclui até mesmo vacinas disponíveis gratuitamente nos Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais, que acabam tendo seu serviço subutilizado.

A diretora da SBIm avalia que é preciso aumentar o destaque dado à imunização na formação médica e engajar também as sociedades de cada especialidade. Com o envelhecimento da população, a tendência é que cada vez mais pessoas sejam diagnosticadas com doenças crônicas e entrem no calendário de pacientes especiais.

“A gente está falando de uma população que tem a perspectiva de viver muito mais. Se você quer seu paciente saudável, você tem que fazer a prevenção para uma vida saudável lá na frente. E a vacina faz parte disso”.