OTTO

O vice-governador da Bahia, Otto Alencar (PSD), 67, venceu a disputa para o Senado em seu Estado, neste domingo (5) ao vencer o presidente do PMDB da Bahia, Geddel Vieira Lima.

No início do processo eleitoral, as pesquisas apontavam Geddel como o principal favorito à vaga única pelo Estado, mas aos poucos ele viu o seu principal adversário se aproximar. À medida que isso foi acontecendo, o clima entre os dois passou a ser mais agressivo.

A rivalidade entre Geddel e Otto é antiga e se estende por mais de uma década. Em 2002, Geddel, ao lado de outros parlamentares, acusou Otto — que era governador da Bahia na época — de ser o responsável por um esquema para grampear os telefones do grupo. A mesma acusação foi feita em 2011, quando Geddel acusou o vice-governador por conta de grampos que teriam sido feitos pela Secretaria da Segurança Pública.

Faltando dez dias para as eleições, Otto acusou Geddel de utilizar fotos genéricas, de um banco de imagens, durante o horário eleitoral gratuito, como se fossem de cidadãos baianos. A campanha de Geddel se defendeu dizendo que, em nenhum momento, quis passar a impressão de que se tratavam de eleitores do Estado.


dilmarr

Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) decidirão em segundo turno, no próximo dia 26, quem será o futuro presidente do Brasil. Com 97,43% das urnas apuradas (acompanhe a apuração), a petista obteve 41,88 milhões de votos (41,32%) no primeiro turno e o tucano, 34,30 milhões (33,85%), segundo números do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Marina Silva (PSB) recebeu 21,54 milhões de votos (21,26%) e ficou em terceiro lugar, mesma colocação da eleição de 2010.

Será a quarta vez consecutiva que candidatos de PT e PSDB disputarão o segundo turno – em 2002, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceu José Serra (PSDB); em 2006, Lula se reelegeu contra Geraldo Alckmin (PSDB); em 2010, Dilma superou Serra.


sollanilo

Agora são oficiais os números da eleição para deputado, governador, senador, governador e presidente em Itiruçu, que mostram o candidato a deputado federal Jorge Solla com  1165 votos contra 984  de Jutahy Magalhães.  Antonio Brito com 753 votos.

 

Na corrida para estadual a contagem colocou  Marcelo Nilo como mais votado na disputa com 891 votos contra 618 de Clóvis Ferraz; 546 de Sandro Régis. Euclides Fernandes com 404 votos.

Para governador Rui Costa do PT liderou com 3420 votos, contra 1733 de Paulo Souto e 149 de Lídice.

 

Confira todos os resultados abaixo:

 

Marcelo Nilo PDT-  891

Clóvis Ferraz  PSD-618

Sandro Régis DEM- 546

Euclides Fernandes PDT-  404

Maria Del Carmem PT- 390

Pedro Tavares PMDB-  315

Luiz Augusto PP- 211

Heraldo Rocha DEM- 196

Eduardo Salles PP- 93

Leur Lomanto PMDB-  63

Josevando PSC-  57

 

Votos para Deputado Federal

 

Jorge Solla PT-1165

Jutahy  Magalhães PSDB- 984

Antonio Brito  PTB- 753

Luiz Argolo SD- 443

Yulo Oiticica PT- 337

Marcos Medrado SD-325

Cacá Leão PP- 250

Ronaldo Carlertto PP- 157

José Carlos Aleluia DEM- 118

 

 

Votos para Governador

 

Rui Costa PT- 3420

Paulo Souto  DEM- 1733

Lídice da Mata PSB- 149

 

Votos para Senador

 

Otto Alencar – PSD 3068

Geddel  Vieira Lima PMDB- 1488

Eliane Calmon- PSB 183.

 

Votos para Presidente

 

Dilma Rousseff PT- 3805

Aécio Neves PSDB- 1066

Marina Silva PSB- 885

 

 

Votos brancos foram 1100, e nulos 740.


Os números parciais da eleição para deputado em Itiruçu mostram o candidato a deputado federal Jorge Solla liderando com 1126 votos contra 889 de Jutahy Magalhães.  Antonio Brito com 707 votos; Yulo vai obtendo 263 votos; Luiz Argolo 153 votos, Cacá 125, Medrado 78.

Na corrida para estadual a contagem coloca Marcelo Nilo como mais votado na disputa com 886 votos contra 512 de Clóvis Ferraz; 497 de Sandro Régis. Euclides Fernandes com 348 votos.

Na corrida de governador Rui Costa do PT venceu nas urnas com mais de 65% dos votos. Dilma seguiu o mesmo caminho e saiu vitoriosa em mais de 76% das urnas.

O Blog ainda está acompanhando a apuração. Dentre instantes mostraremos os resultados oficiais.


senado

Dados da nova pesquisa Ibope/ TV Bahia divulgada na noite deste sábado (4) mostram que a disputa pela vaga de senador da Bahia ficou mais acirrada. Otto Alencar (PSD) aparece pela primeira vez na frente, com 47% das intenções de voto. Geddel Vieira Lima (PMDB) caiu para o segundo lugar, com 43%. Eliana Calmon (PSB) está em terceiro lugar com 7%. Hamilton Assis (PSOL) tem 2% e Marcelo Evangelista (PEN) tem 1%. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número 00031/2014.


blogitirucuonline3-400x266

Pesquisa Ibope divulgada neste sábado (4) aponta os seguintes percentuais de intenção de votos válidos na corrida para o governo da Bahia:
Paulo Souto (DEM): 46%
Rui Costa (PT): 46%
Lídice da Mata (PSB): 5%
Da Luz (PRTB): 1%
Marcos Mendes (PSOL): 1%
Renata Mallet (PSTU): 1%

eleicoes

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

Segundo o Ibope, “na última semana, Rui Costa alcança Paulo Souto e os candidatos podem se enfrentar no segundo turno”.

A pesquisa foi encomendada pela TV Bahia.

Votos totais
Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:
Paulo Souto (DEM): 36%
Rui Costa (PT): 36%
Lídice da Mata (PSB): 4%
Da Luz (PRTB): 1%
Marcos Mendes (PSOL): 1%
Renata Mallet (PSTU): 1%
Branco/Nulo: 10%
Indecisos: 12%

Segundo turno
O Ibope fez uma simulação de segundo turno. Veja os resultados:

Paulo Souto: 39%
Rui Costa: 39%
Branco/nulo: 11%
Não sabe/não respondeu: 11%

O Ibope fez a pesquisa entre os dias 1 e 4 de outubro. O instituto ouviu 2.002 eleitores. A margem de erro é de dois pontos, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. O que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral com o número BA-00031/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR-01019/2014.

Matéria do G1.


Reprodução Bahia Notícias.
Reprodução Bahia Notícias.

A aposta de 2012 entre os deputados Marcelo Nilo (PDT) e Paulo Azi (DEM) se repetiu e os cheques de R$ 50 mil foram entregues na tarde desta sexta-feira (3) na sede do Bahia Notícias, fiel depositário do desafio. Nilo, que esteve no Bahia Notícias pessoalmente para entregar o cheque, aposta piamente na vitória do candidato ao governo Rui Costa (PT), enquanto que Azi acredita que o ex-governador Paulo Souto (DEM) voltará ao Palácio de Ondina.

Questionado sobre o turno da vitória, nenhum dos dois foi específico. “Eu estou apostando em quem vai ser o próximo governador. No segundo turno”, provocou o pedetista, que perdeu o certame em 2012, quando ACM Neto (DEM) derrotou Nelson Pelegrino (PT) no segundo turno das eleições para prefeito de Salvador. Já Azi optou por deixar a escolha do turno livre, mas garantiu que Souto sairá vitorioso. Apesar do valor de R$ 50 mil, os dois parlamentares garantem que os recursos não saem do próprio bolso. “Não sou apenas eu, são cinco amigos”, sugeriu Nilo. “Toda bancada da oposição vai colaborar”, afirmou Azi, ao aceitar o “desafio”, como ele preferiu chamar.


souto

“Em cada aperto de mão, abraço e palavra de apoio que recebi por onde passei nesta campanha, senti o desejo de mudança do povo da Bahia. É isso que me enche de confiança na vitória no primeiro turno neste domingo”, afirmou o candidato a governador, Paulo Souto, da coligação “Unidos pela Bahia”, nesta sexta-feira (03). Ao lado dos companheiros de chapa, Joaci Góes (vice) e Geddel Vieira Lima (senador), Souto foi ao encontro do povo de Barreiras, Luís Eduardo Magalhães, Jacobina, Capim Grosso, Ponto Novo, Filadélfia e Itiúba.

Em Barreiras, pela manhã, Souto ressaltou a importância do Oeste para o desenvolvimento do estado e a necessidade de aproximar o governo das demandas das pessoas daquela região. “Eleito governador, o Oeste vai voltar a ter voz e vez”, disse, ao lado dos candidatos Cláudio Taboada, a deputado federal, e Pablo Barrozo, a estadual.

Na ocasião, Paulo Souto afirmou que pretende desenvolver um programa de novas rodovias para o Oeste baiano. “É preciso também construir os trechos que estão faltando na BA-225 e BA-458, de Coaceral ao entroncamento com o KM-42 da BA-459, além de concluir o Rodoagro”, anunciou

De acordo com Souto, o programa de construir novas rodovias e restaurar trechos em estado precário vai permitir a integração de áreas produtivas e reduzir custos logísticos. “O Oeste baiano precisa do apoio do governo para aumentar a competitividade e atrair novos investimentos, com obras de infraestrutura que contribuam para estimular ainda mais o desenvolvimento desta próspera região”


ruicosta
No comício em Camaçari, que encerrou a série de dezenas de comícios e as visitas a mais de 300 municípios durante a campanha eleitoral, Rui Costa, candidato a governador da coligação Pra Bahia Mudar Mais reiterou sua confiança na vitória já neste domingo e destacou que não quer apenas governar o Estado, “mas quero ser o governador de uma nova Bahia, mais moderna e desenvolvida, com muitos avanços em relação à realidade de hoje”. No município onde deu início à sua vida profissional, como funcionário do Polo Petroquímico, Rui teve ao seu lado no palanque, além de sua família, o candidato a senador Otto Alencar e a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, e voltou a alertar aos eleitores sobre a necessidade de comparar os projetos políticos e as realizações dos grupos a que pertencem os candidatos antes de votar.
O candidato fez questão de agradecer à forma carinhosa como foi recebido em todos os municípios que visitou na campanha e criticou os adversários, “porque aqueles que governaram a Bahia por muitos anos, abriram mão de fazer propostas para me caluniar. O patrimônio que queria deixar e vou deixar para meus filhos é o orgulho do pai que eles têm, um homem correto, honesto, e que lutou para melhorar a vida das pessoas”. E acrescentou: “O ex fala de saúde hoje, mas a sensibilidade que teve foi do tamanho para construir apenas um hospital na Bahia. Mas lhes prometo que irei inaugurar a maternidade de Camaçari e fazer uma grande reforma e ampliação no hospital desta cidade. Daqui até domingo, vamos para as ruas pedir o voto casado. O ex se irritou porque pedi o voto para Dilma. Eu tenho orgulho da nossa presidente. Se ele não tem do candidato dele, eu não posso fazer nada”.
15238482867_7abbb169e8_z
Otto Alencar, entusiasmado com a grande vibração da multidão na praça, reafirmou sua confiança na vitória: “Nós vamos vencer e você, Rui, vai ganhar as eleições no primeiro turno”. Ele também lembrou que seu início na vida profissional também foi em Camaçari, como médico do trabalho, e concluiu: “Derrotamos os tucanos em 2006, em 2010 e vamos derrotá-los em 2014. No Senado, vou defender o projeto que deu certo no Brasil e que precisa continuar”.


dilmaru

Sete candidatos protagonizaram um debate tenso e repleto de confrontos na noite desta quinta-feira (3) no estúdio da TV Globo, no Rio de Janeiro, no último encontro entre os presidenciáveis antes do primeiro turno da eleição, no próximo domingo (5).  Os atritos envolveram Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB), que ocupam os primeiros lugares nas pesquisas de intenção de voto, e também os demais candidatos – Luciana Genro (PSOL), Levy Fidelix (PRTB), Eduardo Jorge (PV) e Pastor Everaldo (PSC).

Em todos os blocos do debate, que durou duas horas e meia, os candidatos fizeram perguntas entre si, com tema livre (dois blocos) e com temas definidos por sorteio (outros dois). A cada pergunta, o candidato se levantava da cadeira, se dirigia até o centro do palco e chamava o adversário que desejava questionar.

aecioneves

Dilma indagou Aécio Neves três vezes; Marina perguntou duas vezes a Dilma; e Aécio questionou as duas rivais.
Marina Silva chegou a discutir com Dilma fora do ar após o encerramento do tempo de uma das etapas, depois de a presidente, candidata à reeleição, ter afirmado que o diretor de Fiscalizaçao do Ibama durante a gestão da candidata do PSB no Ministério do Meio Ambiente foi “afastado no meu governo por crime de desvio de recursos”. Marina respondeu dizendo que a adversária fala “de forma toda atrapalhada” e continuou a discutir com a presidente mesmo depois de o som do microfone ter sido cortado.

marinasilva

A candidata do PSB voltou a se confrontar com Dilma quando o tema da pergunta foi o Banco Central. A presidente afirmou que a adversária confunde “autonomia” com “independência” do BC. “Independência do Banco Central é dar um quarto poder para os bancos”, disse Dilma. “Está falando a Dilma das eleições e não a Dilma das convicções, que, por não ter experiência política, confunde os poderes. Autonomia do BC é para evitar que a inflação cresça como está acontecendo no seu governo”, afirmou Marina. “Quer dizer que uma pessoa que não fez carreira política não pode ser presidente?”, reagiu Dilma depois que a rival disse que ela se elegeu presidente sem ter sido eleita para mandatos parlamentares.
Marina Silva propôs durante o debate a criação de um 13º salário para os beneficiários do programa Bolsa Família. “Isso é que vai melhorar a condição de vida das pessoas”, declarou.

lucianagenrro

Aécio discutiu com Luciana Genro porque a candidata do PSOL comparou PT e PSDB e afirmou que os tucanos deram origem ao escândalo do mensalão. “Você faz o seu espetáculo sem a menor conexão com a realidade”, afirmou Aécio. “Quem não tem conexão com a realidade é você, que anda de jatinho […]. Tu és tão fanático da privatização que fez aeroporto e entregou as chaves para o seu tio”, replicou Luciana Genro. “Você não seja leviana, você está aqui como candidata a presidente”, disse Aécio, erguendo o dedo, ao que Luciana Genro retrucou: “Você não levante a mão para mim”.
Dilma voltou a afirmar no debate que foi ela quem mandou demitir o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, preso na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, e que ganhou nesta semana o benefício da prisão domiciliar depois de ter aprovado pela Justiça o acordo de delação premiada com o Ministério Público.

pastor

“Eu demiti esse diretor que está envolvido nesse escândalo”, afirmou a presidente, o que motivou a contestação de Aécio Neves ao responder a uma pergunta de Pastor Everaldo sobre a Petrobras. “Não é o que diz a ata do Conselho. A ata diz que o diretor renunciou”, afirmou Aécio, que passou a ler trechos do documento.

Aécio e Dilma se enfrentaram diretamente quatro vezes, em três perguntas da petista para o tucano e em uma dele para ela. Numa dessas questões, a presidente disse que o PSDB deixou a Caixa e o Banco do Brasil numa situação “extremamente precária”. Aécio respondeu afirmando que “vocês [petistas] entregaram a Petrobras a uma quadrilha”. Noutra, o tucano declarou que “os bons programas do governo do PT vão continuar, mas vão ser aprimorados” – Dilma disse que “talvez você não conheça” o programa Minha Casa, Minha Vida.

debate

Aécio Neves também se confrontou com Marina Silva quando disse reconhecer que a adversária era alvo de ataques do PT, mas disse ter dúvidas sobre o conceito dela de “nova política” e de “governar com os bons”. Ele apontou casos de políticos que perderam eleições e depois foram aproveitados na gestão da rival como ministra do Meio Ambiente. “Nada mais velho que nomear aqueles que foram derrotados nas urnas”, disse. “Também fui atacada injustamente por vossa excelência. Está cheio de pessoas boas no seu partido. Se algum deles perder a eleição, o sr. vai chamá-los de velha política só porque perdeu a eleição?”, indagou Marina.

levi

O debate voltou a confrontar Luciana Genro e Levy Fidelix, que se atritaram no encontro anterior, na TV Record, quando o candidato do PRTB disse que homossexuais tinham de passar por tratamento psicológico “longe daqui”. “Tu apavorou, chocou, ofendeu e humilhou milhares de pessoas com o teu discurso homofóbico”, disse Luciana Genro. “Não estimulei nada, mentira sua”, reagiu Fidelix. “Tenho meu direito de expressar minha posição cristã”, afirmou.

eduardo

Levy Fidelix também foi alvo de questionamento de Eduardo Jorge sobre o mesmo assunto. O candidato do PV disse que Fidelix “extrapolou todos os limites” e tinha de pedir perdão. “Você não tem moral nenhuma para me falar disso. O sr. propõe que o jovem use maconha, faz apologia ao crime”, disse, em referência ao aborto. “Nós vamos nos encontrar na Justiça quando o MP abrir um processo e estaremos lá como testemunhas”, disse Jorge. “Vire sua boca para lá”, reagiu Fidelix.

Matéria do G1.