Foto/Giro em Ipiaú

O Tribunal de Contas dos Municípios, na sessão desta quinta-feira (19/07), julgou procedente a denúncia formulada pelos vereadores Margarete Chaves dos Santos Oliveira e Josenaldo de Jesus, do município de Ipiaú, contra o ex-prefeito Deraldino Alves de Araújo por irregularidades na contratação de empresa para aquisição de gêneros alimentícios – no valor total de R$9.895.925,83, no exercício de 2016. O relator, conselheiro José Alfredo Rocha Dias, multou o gestor em R$8 mil.

Segundo a relatoria, não foram apresentados os três orçamentos – exigidos por lei – com empresas do ramo, nem a pesquisa preliminar de preços, que deveriam servir de suporte para a definição do preço de referência. Também não foram encaminhados a planilha estimada com preço médio por item, o parecer jurídico devidamente fundamentado, as solicitações emitidas pelas respectivas secretarias municipais, o cardápio e a ata de reunião do Conselho de Alimentação e o registro de nutricionista junto ao FNDE.

Considerando os elevados valores envolvidos no pregão presencial, originalmente previsto para R$9.895.925,83, o relator do processo, por sugestão do Ministério Público de Contas, determinou que a área técnica apure se houve superfaturamento no contrato celebrado, através de termo de ocorrência.

Cabe recurso da decisão.


O prefeito de Jequié, Sérgio da Gameleira, participou nesta terça-feira, 17, de uma reunião com o diretor-presidente da Valec, Engenharia, Construções e Ferrovia S.A, Harderson Cabral Ribeiro, na sede da estatal, em Brasília. O encontro, que contou, ainda, com as presenças do deputado federal, Paulo Magalhães, e de Luiz Carlos Tanezini, diretor de engenharia da VALEC, teve como objetivo tratar de assuntos referentes a compensação que a empresa responsável pela construção da Ferrovia de Integração Oeste Leste (FIOL) precisa fazer nos municípios que sofreram impactos com a passagem da obra.

Essas medidas de compensação podem ser na área de infraestrutura, como canais de drenagem pluvial, requalificação de vias e recuperação de encostas; na área de meio ambiente, com a recuperação ambiental nas margens do Rio de Contas, incluindo a formação de um parque para preservação ambiental, entre outras intervenções, que podem ser viabilizadas a partir de um estudo de viabilidade de implantação do empreendimento da FIOL, como o Estudo do Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto Ambiental (RIMA), que são documentos obrigatórios e apontam ações que devem ser feitas nos municípios por onde passam a ferrovia.

Uma outra reunião foi agendada com a Valec, na segunda quinzena do mês de agosto, que contará com a participação dos gestores municipais das demais cidades que também sofreram impactos com a construção da ferrovia.

“Estamos cumprindo agenda em Brasília, junto a Valec, Engenharia, Construções e Ferrovia S.A, acompanhados pelo deputado federal, Paulo Magalhães, com a intenção de promover a implantação das compensações relativas a construção da Ferrovia Oeste Leste, que passa pelo nosso município. Temos certeza de que, como apontam os estudos obrigatórios que condicionam a Valec, quando de sua instalação em Jequié, teremos este nosso pleito atendido, para melhorar a qualidade vida da população, através de intervenções importantes e que ajudariam a minimizar os impactos da obra na nossa cidade.”, afirmou o prefeito de Jequié, Sérgio da Gameleira.


Fotos/Leitor do Itiruçu Online.

Enquanto a Secretaria de Infraestrutura da Bahia (Seinfra), volta afirmar por meio de nota que está agilizando a licitação para a realização dos serviços na encosta da BA-547, de Gandu a Jequié, passando por Apuarema, os usuários da Via estão preocupados com tantas falácias e poucas ações. De acordo com Rafael Lemos (Ascom Seinfra), o projeto para a realização das obras está em fase de elaboração. Enquanto isso, serviços de manutenção estão sendo feitos no trecho.

Os motoristas que trafega na BA-547, precisam ter mais atenção na altura do KM 30, próximo ao trevo de Florestal.

O assunto voltou a receber críticas nesta terça-feira (17) e, como de se esperar, o governo volta apenas para justificar a inércia nas ações.  O problema, embora grave, se arrasta faz uns dez anos e o máximo que é feito pelo governo é a retirada de parte do excesso.  Além do visível problema, a Via sofre com a buraqueira ao longo de vários trechos. Os motoristas que trafegam na BA-547, precisam ter mais atenção na altura do KM 30, próximo ao trevo de Florestal. O deslizamento de uma encosta ainda assusta os usuários.


O Tribunal de Contas dos Municípios, na sessão desta terça-feira (17/07), julgou procedente a denúncia formulada por Carlos Tito Marques Cordeiro – um cidadão de Barreiras, cidade do oeste baiano -, contra o prefeito municipal, João Barbosa de Souza, pela contratação, sem licitação, da empresa Estrela Guia Prestações de Serviços LTDA – EPP, ao custo de R$1 milhão 438 mil, no exercício de 2017, pelo período de quatro meses. O objetivo era garantir segurança no acesso a escolas e repartições municipais.

O relator, conselheiro Paolo Marconi, determinou a formulação de representação ao Ministério Público Estadual contra o prefeito para que seja apurada a prática de ato criminoso contra a administração pública, e imputou multa no valor de R$40 mil.

De acordo com o denunciante, a contratação ocorreu por conta de uma “situação inexistente de caráter emergencial”. Além disso, foi observado que houve um aumento injustificado no valor inicial do contrato, que era de R$ 810 mil. Ao final, os aditivos representaram um aumento de 40,27% no valor pactuado inicialmente, chegando o valor final a quase R$1,5 milhão. A contratação da Estrela Guia Prestações de Serviços teve por objeto – segundo a prefeitura – a “prestação de serviço especializado de controle de acesso, com posto de segurança, para a gestão de entrada e saída de visitantes a prédios públicos”.

A relatoria constatou que o gestor não comprovou a suposta situação de emergência utilizada como fundamento para a contratação da empresa, por meio do procedimento de dispensa de licitação. Além disso, constatou que a guarda municipal conta com cerca de 213 homens e mulheres para a segurança patrimonial e outros 581 homens contratados como vigilantes – todos no exercício da função.

A defesa, para contrapor as denúncias, apresentou apenas alegações genéricas acerca da regularidade do procedimento utilizado para a contratação da empresa, sem juntar ao processo qualquer documento que justificasse a necessidade do gasto. O Ministério Público de Contas opinou pela procedência da denúncia, com aplicação de multa ao gestor e a representação ao Ministério Público do Estado. Cabe recurso da decisão.


Trabalhadores e trabalhadoras em educação da rede municipal de Lajedo do Tabocal, anunciaram, nesta segunda-feira (16), uma paralisação das atividades agenda para  a quinta-feira (19), em protesto  pelo não cumprimento do Piso Nacional da Categoria, sustentada na decisão coletiva decidida em reunião com a categoria.

De acordo com a Coordenadora da APLB Sindicato do município, professora Nádia Alves, desde que o reajuste do piso nacional de 2018 foi sancionado, os professores de Lajedo do Tabocal  ainda não receberam o acréscimo. “O Sindicato vem tentando uma negociação, mas, sem sucesso, os professores revoltados com tal situação, resolveram pela paralisação”, disse  em contato com o Itiruçu Online.

Ainda não há indicativo de greve. Os professores acreditam que o impasse será solucionado pela gestão e por isso farão apenas paralisação de 01 dia. O piso salarial dos professores de nível médio com jornada de 40h teve reajuste de 6,81% e o valor nominal  de R$ 2.455,35.


A Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Administração, identificando de imediato, após sua publicação no Diário Oficial do Município, o erro de digitação no processo para a seleção pública em Regime Especial de Direito Administrativo (REDA) para diversas funções, que serão lotadas nas Secretarias Municipais de Administração, Saúde e Desenvolvimento Social, nos termos do Edital publicado no Diário Oficial, na sexta-feira, 6 de julho, retifica o Edital, nesta segunda-feira, 16. A relação de cargos, a carga horária, a escolaridade, os pré-requisitos, a lotação, a localidade, o vencimento, as vagas e as atribuições, objetos do Processo de Regime Especial de Direito Administrativo, constam no Edital.

Confira a retificação do Edital no link:

Prefeitura de Jequié – 1° Retificação do Edital REDA 2018


Cumprindo o calendário de atividades voltadas para a Politica de Proteção a Criança e ao Adolescente de Ipiaú, a coordenação do projeto ” Dialogando com a Juventude” em parceria com o Conselho Tutelar da cidade,  realizará no dia 07 de Agosto,  no auditório do Colégio Modelo o I Seminário Sobre “O atendimento Integrado as crianças e adolescentes vítimas de violência”.

O evento contará com a presença do Desembargador Salomão Resedá, além da Juíza da Vara da Infância e Juventude Ipiaú, Dra. Leandra Leal, da Psicóloga Joaneide Ribeiro, palestrantes, Promotores de Justiça, Rede de proteção à criança e ao adolescente de Ipiaú e região, estudantes, sociedade civil, policias civil e militar, e, todos que se interessem na pauta.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas através deste link, clique aqui. 


Zeca comenta Projeto para viabilizar água aos municípios via Rio Paraguaçu. Fotos/Itiruçu Online.

Em entrevista ao Itiruçu Online nesta quinta-feira (12), o prefeito de Planaltino, Zeca Braga (PSD), voltou a cobrar ações para que sejam tomadas medidas que cobrem a implantação do Projeto que trará água do Rio Paraguaçu aos municípios de Planaltino, Maracás, Lajedo, Itiruçu, Entroncamento de Jaguaquara, KM 75 e Irajuba. Para o gestor, será oportuno para políticos usarem a crise hídrica e fazer campanha defendendo o Projeto, mas lembra de que esses só estão montando em cavalo selado e já galopando.

“O problema hídrico não é apenas das cidades do Vale Jiquiriçá, é uma questão mundial. Voltamos a tratar  deste assunto na última reunião do Convale na cidade de Jaguaquara. Temos sete cidades vivendo graves problemas com a falta de água: Planaltino, Maracás, Lajedo do Tabocal, Irajuba, Itiruçu, Jaguaquara e Lafaiete Coutinho. Sou o prefeito que em relação ao projeto de trazer água do Sistema Bandeira de Mello, é o que tem mais conhecimento de causa, em função de termos ajudado na construção da ideia do projeto, arquitetado ainda no governo Wagner, na qual já temos áreas e local para iniciar a obra. Na verdade, todos dizem que esta obra trará água da bandeira de Mello, mas na verdade, a água será captada no povoado de Marcionílio, que será canalizada até o povoado de Campinhos, em Planaltino e, a partir de lá,  toda parte de tratamento que será feita   e distribuída para as cidades atendidas, ficando com possibilidades futuras a outras cidades que não estão mencionadas no momento. É um investimento caro da ordem de 180 milhões, ficou assim definido no projeto inicial e hoje não temos noção de quanto o orçamento é estabelecido. Temos nos preocupado e já chamei os prefeitos para esta discussão. Tenho vontade que este projeto se concretize. É oportuno que neste momento muitos políticos  queiram se apropriar do projeto e montar no galope do cavalo que já está andando,   querendo ser o pai da ação. Na verdade este projeto tem nome e já possui as pessoas que acompanha. Temos o fórum de discussão do Paraguaçu em Maracás, aonde todos tem conhecimento de quem participa e dos que estão envolvidos com isso. Cabe, na verdade, para discutir e buscar ações que concretizem esse o projeto, não apenas de querer  ser o pai do projeto, não interessa se A ou B sonha com a concretização do  projeto, mas tenhamos que ter uma reunião de ideia e de esforços.  Votamos em deputados que somem e aparecem de 4 em 4 anos. É hora de os municípios fazerem uma cobrança dos deputados estaduais, federais, senadores e do governador para que possamos ter força em Brasília e, sobretudo, poder trazer esta água para nossa região.  Acredito que até 2023 já estaremos com esta água sendo a nossa realidade, que no futuro próximo vai acabar atendendo mais de 250 mil habitantes. É um projeto que não é caro quando se fala em Brasil e recondução hídrica. Então, a gente precisa fazer um trabalho de crescimento e de envolvimento político. A comunidade precisa votar em candidatos que sempre discutiram e entenderam do assunto, ou que traguem nas suas veias a vontade de que o projeto realmente seja realidade em nossa região. Concretizado, será uma solução por muitos anos, a gente não pode garantir que será para o resto da vida, pois da forma que os homens estão tratando a nossa natureza é preocupante. O que precisamos fazer é cuidar da requalificação da natureza e de nossos rios, para que seja solução para o fim de nossas vidas.”- disse o prefeito.

Com dificuldades para manter a qualidade da maioria dos serviços essenciais e até para pagar o décimo terceiro salário e, sobretudo, conveniar com o governo federal, muitos prefeitos se afastaram de Brasília que, sem força, vão a capital federal ano a ano protestar contra o que chamam de “estrangulamento econômico” que enfrentam por causa da crise econômica e da queda na arrecadação. Para o prefeito de Planaltino, suas visitas em Brasília surtiram efeitos positivos.

“Já conseguimos várias emendas para ajudar na saúde de planaltino. Temos conseguido bastante para infraestrutura e calçamentos. Recentemente adquirimos um empenho em Brasília para construção de uma escola com seis salas de aula. O governo do estado conseguiu empenhar e dá inicio as obras de  reconstrução da Praça Castro Alves. Com toda a turbulência que o Brasil vive, aos poucos temos conseguido espaços e alcançado trazer algumas coisas para nossa cidade. Temos feito muito mais que em todos os tempos em Planaltino. Estamos fazendo pela primeira vez um esforço concentrado para poder capacitar os povoados   dotando-os de infraestrutura de calçamento. Com recursos próprios estamos fazendo uma grande ação de pavimentação de Ruas.  Iniciamos a princípio pelo povoado de Angélica,  que até então nunca teria tido uma condição de se fazer um palmo de calçamento e,  como no outro mandato já havíamos feito  muita pavimentação, decidimos em fazer um grande esforço para pavimentar povoados na Zona Rural. Na angélica, construímos pavimentação na sede dos povoados, compreendendo o projeto financiado pelo Desenbahia. Reformamos quadra poliesportiva e concluímos toda pavimentação no centro do povoado. Em seguida pavimentamos várias Ruas do distrito de Nova Itaípe, que estão concluídas. Passamos para Santo André,  aonde  vamos concluir com 80% da pavimentação do povoado, restando Campinhos e Lajedinho, que faremos agora o inicio das obras. Ainda sobre  campinhos,  acredito que até o final do mandato estaremos 100% com o povoado pavimentado.”, disse Zeca.

Os prefeitos eleitos em 2016 mantiveram a linha dos discursos de seus antecessores, nos quais enfatizaram a necessidade de austeridade diante da chamada crise econômica do país. Os altos das campanhas deram lugar à cautela. É percebido nas reuniões dos gestores o sumiço da palavra “crise”.  Zeca Braga diz que os prefeitos se acostumaram com a crise, mas afirma que agora é que à situação está piorada.

“Os prefeitos cansaram de falar da crise. Na verdade a crise ela está presente agora, onde o Brasil passa por um momento de dificuldade e turbulência de identidade. A política tem sido a vilã de toda esta turbulência. A dificuldade é muito grande, sobretudo, os municípios pequenos estão passando por grandes sofrimentos e não há um devido respeito aos municípios de menor porte, sempre ficando com a penalização”, frisou Braga.


Os organizadores do time que conquistou a 1ª Copa de futebol Society realizada em Itiruçu, Uzz Brothers, foram convidados pela prefeita de Lajedo do Tabocal, Mariane Fagundes, para uma reunião no gabinete da prefeitura nesta quarta-feira (11). A gestora do município parabenizou a equipe pela conquista, representando bem o nome de Lajedo do Tabocal em competições regionais.

Em contrapartida aos elogios, os organizadores da equipe campeã, Layson e Jobinho, relataram as dificuldades que tiveram para disputar a competição. Para inscreverem o time eles tiveram que correr rifa na cidade e pedir apoio aos comerciantes e garantir o transporte de jogadores até a cidade de Itiruçu. Jobinho, inclusive, pontuou o apoio do Itiruçu Online a equipe, através de amizade com o editor do site, Tiago Santos.

Satisfeita com o resultado, a prefeita se comprometeu em ajudar a equipe nos próximos eventos e também na estruturação da equipe.  Jobinho e Layson exibiram o troféu de campeão e pousaram para foto, registrada pelo assessor de comunicação da prefeitura, Rogério Amorim.


O ex jogador Val Baiano, que atuou como atacante do Flamengo e do São Caetano declarou nesta quarta-feira, 11/07, durante encontro na cidade de Jequié, apoio à pré candidatura do Professor Roberto Gondim a deputado estadual.

Com uma carreira de sucesso nos gramados e um forte sentimento social fora deles, Val Baiano que sempre atuou para levar alegria para os torcedores durante as partidas também levou um pouco de solidariedade e conforto aos mais necessitados. Desde o começo da carreira o jogador passou a distribuir cestas básicas para pessoas carentes nos municípios de Jequié e Manoel Vitorino, ajudou na recuperação de moradias danificadas para quem não tinha condição de reformar suas casas e ajudou de forma efetiva o esporte através de doação de recursos financeiros e material esportivo, contemplando escolinhas de vôlei e de futebol retirando das ruas jovens e adolescentes em situação de risco.

Com forte presença também no distrito de Catingal, o apoio de Val Baiano a Gondim confirma o crescimento e fortalecimento do professor em todas as camadas sociais na Bahia.