A campanha eleitoral nos Estados Unidos foi marcada pela crise do novo coronavírus e o impacto da pandemia na economia americana. Houve troca de ofensas entre os candidatos Donald Trump e Joe Biden e a votação antecipada foi recorde em alguns Estados-chave para a disputa de 2020.

Com as urnas fechadas, muitos Estados ainda não finalizaram a contabilização dos votos. No meio da apuração, mesmo incompleta, o republicano declarou vitória e disse que iria à Suprema Corte para contestar resultados. O democrata segue pedindo paciência até o fim da contagem e afirma que ninguém vai tirar a democracia dos EUA.

Joe Biden é confirmado presidente dos EUA

Com base em projeções, a rede de TV americana CNN acaba de confirmar que Joe Biden foi eleito o novo presidente dos Estados Unidos. A vitória do democrata também foi confirmada em projeções da CBS e da NBC.

A disputa acirrada em Estados-chave foi levada à Justiça por Trump, que argumenta ter havido fraude na eleição, sem apresentar provas. O republicano pede recontagem de votos no Wisconsin, onde Biden ganhou com cerca de 20 mil votos a mais, margem de vantagem semelhante ao que Trump obteve no Estado em 2016. Biden será o presidente mais velho a tomar posse nos EUA, com 78 anos – os quais completará no próximo dia 20. Ele foi eleito por um forte sentimento de aversão a Trump entre parte da sociedade americana, que decidiu que o presidente não merece mais um mandato no comando do país.

A campanha de Biden conseguiu recuperar parte do chamado Cinturão da Ferrugem que fez de Trump presidente em 2016 e abrir espaços no Cinturão do Sol, tipicamente republicano. Mas a diferença foi mais apertada do que as pesquisas indicavam.

O ex-vice de Barack Obama se apresentou como a solução para curar o país da crise de saúde, provocada pela pandemia de coronavírus, e também da extrema polarização social que divide os americanos. Para isso, prometeu restaurar o compromisso dos EUA com princípios fundadores da sociedade americana, com uma plataforma de busca pela restauração da integridade e da normalidade. O maior desafio que se apresenta ao democrata é a contenção da segunda onda de coronavírus e a reversão da crise econômica. Estadão.


A quarta-feira (4) seguinte às eleições presidenciais dos Estados Unidos segue sem um vencedor definido. Faltam os resultados de sete estados, dos quais quatro serão decisivos para definir quem vai ocupar a Casa Branca pelos próximos quatro anos.

O democrata Joe Biden conseguiu vitórias importantes, como no Arizona, tem grande chance de vencer na Geórgia e lidera a disputa com 238 votos no Colégio Eleitoral. O republicano Donald Trump tem a seu favor as conquistas na Flórida, no Texas e em Ohio, lidera a apuração nos quatro maiores estados ainda em disputa e tem 213 votos de delegados.

Os estados decisivos para o resultado devem ser Pensilvânia, Michigan, Wisconsin e Geórgia. Trump venceu nesses quatro estados em 2016 e está à frente na apuração em dois (Pensilvânia e Geórgia). Biden lidera desde a madrugada no Wisconsin e virou no Michigan no final da manhã.

Falta contar, entretanto, uma série de votos enviados pelo correio — e a expectativa é que essas cédulas, enviadas antecipadamente, favoreçam Biden. Essa contagem pode levar dias até que seja concluída, mas a dúvida é se isso será suficiente para o democrata ganhar a eleição.
Em discurso na Casa Branca durante a madrugada, Trump havia dito que era muito difícil Biden reverter a vantagem nesses estados e disse que iria à Suprema Corte — que tem ampla maioria conservadora — para pedir a interrupção da contagem dos votos.

Biden afirmou que a declaração é “ultrajante, sem precedentes e incorreta” e que “a eleição não acaba até que todos os votos seja contados”.

7 estados ainda indefinidos
O democrata tem 238 dos 270 delegados necessários para vencer no Colégio Eleitoral até o momento, contra 213 do republicano. Faltam, então, 32 delegados para Biden vencer — ou 57 para Trump. Os estados que ainda não estão definidos (e a quantidade de delegados de cada um) são:

Pensilvânia: 20 votos
Michigan: 16 votos
Geórgia: 16 votos
Carolina do Norte: 15 votos
Wisconsin: 10 votos
Nevada: 6 votos
Alasca: 3 votos


Foto/REUTERS/Eric Gaillard

Uma brasileira de 44 anos residente na França foi uma das três vitimas de um homem armado com uma faca que realizou ataque em uma igreja na cidade francesa de Nice nesta quinta-feira (29), informou o Ministério das Relações Exteriores. Trata-se da baiana, de Salvador, Simone Barreto Silva de 44 anos.

De acordo com o Itamaraty, a mulher deixa três filhos. Ela foi morta, assim como outras duas pessoas, por um tunisiano que invadiu a igreja gritando “Allahu Akbar” (Deus é maior), em um ataque considerado pelo governo francês como ato de terrorismo.

Segundo uma fonte da polícia, o ataque ocorreu perto das 9h (horário local), quando o homem entrou na igreja.

“O Brasil expressa seu firme repúdio a toda e qualquer forma de terrorismo, independentemente de sua motivação, e reafirma seu compromisso de trabalhar no combate e erradicação desse flagelo, assim como em favor da liberdade de expressão e da liberdade religiosa em todo o mundo”, disse o Itamaraty em nota.

“Neste momento, o governo brasileiro manifesta em especial sua solidariedade aos cristãos e pessoas de outras confissões que sofrem perseguição e violência em razão de sua crença. O Itamaraty, por meio do Consulado-Geral em Paris, presta assistência consular à família da cidadã brasileira vítima do ataque terrorista.”


Tradutor profissional é a melhor opção? Escolher determinados serviços não é tarefa fácil, ainda mais se não tiver algum conhecimento da área ou for a primeira vez. Sem conhecer um profissional confiável, o jeito é recorrer à pesquisa na internet, recomendações de amigos e familiares ou buscar sites especializados sobre aquele assunto.
Para encontrar serviços de tradução, a fórmula é basicamente a mesma. E a dificuldade também. Na verdade, pode ser que seja ainda mais difícil, pois traduções podem ser bastante complexas: palavras que não possuam sinônimos em outra língua, interpretações distintas de um profissional para outro e a habilidade (ou falta dela) para escrever um texto que tenha conexão e não sejam apenas frases traduzidas e espalhadas ao longo do arquivo são apenas alguns dos pontos que podem tornar a tarefa mais complexa.

Opções não faltam no mundo da tradução

Procure pesquisar por expressões como “tradução online”, “serviço de tradução” ou “profissionais de tradução” e veja a quantidade de resultados. É muita opção! Mas isso não significa que sejam as melhores, pelo contrário. Quanto mais opções, maior a possibilidade de encontrar tradutores ruins. A boa notícia é que o inverso também ocorre: quanto mais opções, maior a possibilidade de encontrar tradutores bons. Separar o joio do trigo, entretanto, é tarefa complicada.
Preços mais altos podem indicar maior qualidade, mas não é uma verdade absoluta. Existem ótimos profissionais que cobram barato, bem como profissionais ruins que cobram caro. Na verdade, existe de tudo, inclusive pessoas despreparadas na função de tradutor.

Serviço de tradução profissional é um caminho

Apesar de não existir uma “faculdade de tradutor”, existem graduações, como Jornalismo e Letras, que costumam gerar tradutores de qualidade, pois trabalham com muitos textos e idiomas. Mas não significa que é obrigatório fazer uma dessas graduações – ou ter qualquer graduação – para ser tradutor profissional. Assim como não é necessário ter cursos, mas esses existem, e são importantes. Geralmente são tradutores mais experientes que passam seus conhecimentos para os demais, ou empresas que oferecem seminários e cursos na área. Realizar alguns certamente auxilia o profissional de tradução.

Outro ponto que qualifica o profissional é a experiência, afinal, dizem que a prática leva à perfeição, e quanto mais traduções forem realizadas pela pessoa, maior as chances de se tornar um tradutor melhor.
A chave para o sucesso, porém, é ter calma na hora de escolher quem vai traduzir o texto, artigo ou livro. E, claro, ficar esperto para não escolher uma opção ruim. O tradutor ser profissional, freelancer ou iniciante não necessariamente determina sua qualidade.


Uma explosão aconteceu numa região portuária de Beirute, no Líbano, nesta terça-feira (4). Impacto foi tão forte que causou destruição em prédios a quilômetros de distância. Ainda não há detalhes sobre a quantidade de feridos e mortos ou qual seria a causa da explosão. O governo libanês contabiliza ao menos 50 mortos após a explosão. Em entrevista a uma rede de televisão, o ministro da Saúde do Líbano, Hamad Hasan, disse que há cerca de 2,7 mil feridos. O primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, disse em um pronunciamento que o país enfrenta uma catástrofe e declarou luto oficial de um dia. Ele disse também que o governo irá investigar os responsáveis pelo armazém que funcionava no porto da capital desde 2014.

Ainda não é possível saber com exatidão a quantidade de feridos ou qual seria a causa da explosão. Apesar de o país já ter sido alvo de terroristas e viver período de instabilidade política, não há evidência ainda de que se trate de um atentado terrorista. A explosão no porto causou destruição em larga escala e quebrou o vidro de janelas a quilômetros de distância. Alguns barcos que navegavam próximos à costa do Líbano chegaram a ser balançados pela força da explosão. As explosões chegaram a ser ouvidas em Larnaca, no Chipre, a pouco mais de 200 km da costa libanesa.

O chefe de segurança interna do Líbano, Abbas Ibrahim, disse em entrevista a uma rede de televisão que a explosão aconteceu em uma área que armazena materiais altamente explosivos, como o nitrato de amônio, mas que não são explosivos em si. Segundo a Cruz Vermelha, barcos foram mobilizados para resgatar pessoas que foram jogadas ao mar após a explosão. Também segundo a organização humanitária, ainda há gente presa nos escombros e dentro de suas casas. A emissora libanesa LBCI informou que o hospital Hôtel-Dieu de France, no centro da capital libanesa, atende a mais de 500 feridos. O governo da capital pede que os feridos sejam levados para atendimento em centros de saúde de fora da cidade.


O novo boletim epidemiológico de Itiruçu divulgou os dados deste sábado (01), com uma criança de 05 meses tendo contraído o novo coronavírus. De acordo com a Secretaria de Saúde do município, a criança é contactante de caso positivo e apresentou sintomas leves, sendo diagnosticada através do teste RT PCR para Covid-19. O mesmo encontra-se bem, estável e recuperando em casa.

Mais duas pessoas tiveram casos confirmados, sendo um homem 33 anos, contactante de caso positivo, e uma mulher 42 anos, profissional de saúde, que atua no município e no Hospital Prado Valadares, sendo que estava de férias das suas atividades no município e apresentou sintomas leves. Ambos estão se recuperando em casa, sem a necessidade de internação.;

O boletim apresenta 35 casos diagnosticado, sendo que 21 foram recuperados. 04 pessoas ainda aguardam o tempo correto para realizar o teste, 05 já aguardam o resultado e 84 estão  sendo monitoradas.


Autoridades do setor de saúde na China informaram que mais 105 pessoas morreram, principalmente na Província de Hubei, em decorrência de infecção pelo novo coronavírus, elevando o total de mortes no país para 1.770. O número de infectados se elevou em 2.048, incluindo aqueles que foram clinicamente diagnosticados, o que aumenta o total de vítimas na China para 70.548. Representantes da área de saúde em Hubei divulgaram instruções pedindo o controle mais severo possível em 24 horas, e o monitoramento de pessoas em cada complexo residencial e vilarejo. Também pede aos moradores que adquiram alimentos e remédios.

As medidas são adotadas por toda a China continental para evitar maior difusão do vírus. Autoridades determinam que todas as pessoas que regressem a Pequim permaneçam em casa durante duas semanas a fim de monitorar seu estado de saúde.

Escolas permanecem fechadas

As escolas na China decidiram adiar o reinício das aulas, por causa da disseminação do novo coronavírus. As escolas de ensino fundamental planejavam reiniciar as aulas na segunda-feira após o feriado prolongado do Ano Novo Lunar. Entretanto, algumas instituições dizem agora que não devem reabrir até, no mínimo, o dia 2 de março. Autoridades educacionais passaram a oferecer material de aprendizado online para estudantes. Eles incluem vídeos com professores ensinando inglês e matemática, além de instruções sobre como evitar a contaminação pelo vírus. Escolas para estudantes japoneses em Pequim, Xangai e Guangzhou também adiaram o reinício das aulas para o dia 2 de março ou mais tarde.


A Comissão Nacional de Saúde da China informou que mais 108 pessoas morreram pelo novo coronavírus ontem,  segunda-feira (10), elevando o número de mortes no país para 1.016. Alguns casos de morte foram registrados fora de Hubei, a província mais afetada, incluindo as cidades de Pequim e Tianjin. Foi a primeira vez que o número de mortes ultrapassou 100 em um único dia.

Autoridades sanitárias chinesas também disseram que 2.478 pessoas foram confirmadas com a infecção, aumentando o total de pacientes no país para 42.638.

Novas medidas de combate ao novo coronavírus

Nesta terça-feira (11), o Comitê do Partido Comunista em Hubei anunciou que as duas principais autoridades sanitárias da província haviam sido demitidas. Nenhum motivo foi dado, mas acredita-se que elas tenham sido responsabilizadas pela propagação do vírus. Já autoridades municipais de Wuhan, na província de Hubei, disseram ter proibido que pessoas com febre busquem tratamento em instituições médicas fora dos distritos em que vivem. A infecção foi confirmada em mais de 1,5 mil pessoas em Wuhan, somente nessa segunda-feira. A cidade trabalha para prevenir o alastramento do vírus por meio da restrição de circulação de pessoas.

*Emissora pública de televisão do Japão


O número de mortes pelo coronavírus chegou a 170 na China e atingiu todas as regiões do país nesta quinta-feira (30). Isso porque foi confirmado o primeiro caso da doença no Tibete, até então, o único local que estava livre.

O coronavírus já infectou mais de 7.7 mil pessoas em todo o mundo, em pelo menos outros 15 países, como Japão, Coréia do Sul, Tailândia, Estados Unidos, Alemanha e França. Nenhum paciente contaminado fora da China morreu. A maior parte dos casos e mortes em relação ao coronavírus está na província de Hubei, na qual a capital é Wuhan, cidade com 11 milhões de pessoas localizada na região central da China. Só na cidade, foram detectados mais 356 novos casos e mais de 25 mortes.

No Brasil, o Ministério da Saúde revelou, em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (29), que há nove suspeitos em investigação nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo, Paraná e no Ceará.  Todos os pacientes estão passando por exames que, por enquanto, estão centralizados na Fiocruz do Rio de Janeiro.

Durante a coletiva, o secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, informou que não haverá bloqueio de passageiros da China nos aeroportos. Ele disse também que não previsão de interferência no carnaval.


O processo de impeachment contra o presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, começa a ser julgado hoje (21) no Senado. Ele é acusado pelos democratas de ter abusado dos privilégios do cargo de presidente, para pressionar o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, a investigar a família de Joe Biden, seu maior rival entre os candidatos democratas às eleições presidenciais de 2020.

Trump teria retido US$ 400 milhões em verbas da área de Defesa, prometidos à Ucrânia, para obrigar Zelenskiy a investigar as atividades de Biden, quando era integrante do Conselho de Administração de uma empresa estatal de gás ucraniana. Analistas consideram impossível que isso a destituição de Trump, já que o Partido Republicano tem maioria no Senado norte-americano. A defesa do presidente norte-americano apresenta seus argumentos a favor da absolvição. Os democratas, por sua vez, vão tentar aprovar a convocação de novas testemunhas. Donald Trump está em Davos, na Suíça, onde participa do Fórum Econômico Mundial. *Com informações da RTP (emissora pública de televisão de Portugal)