Foto repórter TATU
Um guincho da concessionária Via Bahia atropelou e matou uma idosa de 66 anos na tarde desta terça-feira (5), em um posto de combustíveis de Jequié, no sudoeste do estado. Maria de Lourdes Moreira de Souza viajava pela BR-116 quando o veículo apresentou defeito e precisou do suporte do guincho da concessionária, responsável pela rodovia. O carro, uma Parati, foi rebocado pelo caminhão até o estacionamento do posto, onde a mulher e o motorista desembarcaram. Na manobra de ré para sair do estabelecimento, o condutor do guincho não teria percebido a presença da idosa, que foi atropelada e teve a cabeça esmagada. O motorista da Via Bahia fugiu do local. Policiais militares fizeram o registro da ocorrência e peritos do Departamento de Polícia Técnica encaminharam o corpo para o Instituto Médico Legal (IML). Blog do Anderson

As aulas na rede pública de ensino da Bahia foram suspensas nesta quarta-feira, pois os professores aderiram à paralisação nacional proposta pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

O objetivo dos professores é pressionar os parlamentares a aprovar o Plano Nacional de Educação (PNE) e cobrar o pagamento de R$ 1.597 do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN). Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB) as atividades serão normalizadas nesta quinta-feira.

O Projeto de Lei do PNE (PL nº 8.035/10) foi enviado ao Congresso Nacional em 15 de dezembro de 2010 e deve alcançar suas metas até 2020. Atualmente o PNE está em trâmite na Câmara dos Deputados. Uma das propostas é que sejam destinados 10% do PIB à educação pública até 2014, e não apenas 7% até 2020, como proposto pelo MEC.

Brasília
Ainda nesta quarta-feira, representantes das 41 entidades filiadas à CNTE se reunirão, em Brasília, com o Ministro da Educação, Fernando Haddad, e prometem realizar um ato público em frente ao Congresso Nacional, exigindo que as solicitações sejam aceitas. (Portal Terra)



O ABUSO DE AUTORIDADE
É UMA VERGONHA!
Os MEMBROS DA SODISBEL DE JEQUIE REPRESENTANTES DA SCHIN JUNTAMENTE COM A GUARDA MUNICIPAL E MAIS TARDE TAMBÉM COM A PM.
Eu sou um dos muitos barraqueiros que pagou R$ 500,00 por um toldo para trabalhar por 3 dias.


No sábado à noite a praça foi invadida por mais de trinta pessoas com isopor a vender SKOL e a vender outros produtos sem pagar nada.
Nem a sodisbel nem a guarda nem a própria PM fizeram nada com os invasores que não pagarão nada e quebrarão os barraqueiros que havia pagado

NO DOMINGO EU E MAIS ALGUNS BARRAQUEIROS COMPRAMOS SKOL E COMESSAMOS A VENDER TAMBÉM SKOL.
A CERTA ALTURA DA NOITE OS REPRESENTANTES DA SODISBEL ACOMPANHADOS PELA GUARDA MUNICIPAL INVADEM O MEU TOLDO E ROUBOU OS MEUS PACOTES DE SKOL.
ELES DIZEM QUE RETIVERAM NÃO EM NENHUM DOCUMENTO TEM ESCRITO QUE EU SOU OBRIGADO A VENDER SÓ PRODUTOS DA SCHIN EU NÃO ASSINEI NENHUM DOCUMENTO DE COMPROMETIMENTO COM A SCHIM SE A CERVEJA SKOL QUE EU COMPREI E TENHO NOTA FISCAL DELA ESTAVA DENTRO DO MEU TOLDO O QUAL EU TAMBÉM PAGUEI POR ELE E TENHO UM ALVARÁ PARA TRABALHAR COM BEBIDAS.
ENTÃO FOI INVASÃO DE PROPRIEDADE, ABUSO DE AUTORIDADE POR PARTE DA GUARDA SEM FALAR NOS DANOS MORAIS PELO CONSTRANGIMENTO E VERGONHA DA GUARDA ENTRAR NO MEU TOLDO E PEGAR A SKOL COMO TIVESSE SIDO ROUBADA.

DIZ O PROPRIÉTARIO DA BARRACA DO PORTUGUES.



Quem se dirigiu à agência do Banco Bradesco no período dos festejos em Itiruçu, saiu sem dinheiro. Nos poucos minutos em que estivemos no local (tentando fazer saque também), vi indo embora reclamando, professores, funcionários públicos, empresários da cidade, um vereador, dentre outros usuários do banco. Todos insatisfeitos, alguns até demonstrando irritação com o atendimento. Os caixas eletrônicos dão a informação de que possuem dinheiro disponível, mas quando o cliente processa a operação de saque, por exemplo, recebe a mensagem na tela dizendo que “há um problema na contagem de notas”, assim o dinheiro não sai em outros momentos os caixas traz a mensagem de que estar em manutenção. Os clientes do Banco, não estão nada satisfeitos com o atendimento de fim de semana da agência, nem com as filas que se formam durante o atendimento semanal, onde ficam até duas horas para serem atendidos. Até o momento o banco não se manifestou sobre o assunto, mais o que se sabe, é que não há material humano o suficiente para suprir as necessidades dos clientes que agonizam com a falta de respeito e o descumprimento da lei do consumidor.



Uma Ação Cautelar Inominada dada entrada através da Vara dos Feitos e Relação de Consumo, Cíveis e Comerciais da Comarca de Jaguaquara, pelo Promotor de Justiça Substituto, Dr. Lúcio Meira Mendes, nesta segunda-feira (4), poderá determinar a anulação do resultado, já divulgado, do concurso público realizado em duas etapas nos dias 22 e 29 de maio passado, pela Prefeitura de Jaguaquara, através da empresa Conpevem-Concursos Públicos, Pesquisas, Eventos e Marketing, com sede na cidade de Itabuna. A ação que aponta indícios de irregularidades em maior parte da relação de 121 aprovados, recebeu acatamento e despacho de medida liminar, pela Juíza de Direito da Comarca, Dra. Andréa Padilha Sodré Leal Palmarella, devendo ser publicada no Diário Oficial da Justiça, de terça-feira (5). Na ação do representante do Ministério Público Estadual-MPE, são qualificados como réus o prefeito Aldemir Moreira e a empresa Conpevem. Constam entre os indícios de irregularidades do processo seletivo para o qual foram disponibilizadas 131 vagas, das quais, 10 não foram preenchidas porque os candidatos não alcançaram a pontuação mínima necessária, que “entre as 121 vagas preenchidas, 70 candidatos aprovados são ligados diretamente ao prefeito municipal, inclusive ocupando cargos comissionados ou através de contratação”. A Polícia Federal-PF, também está sendo acionada na ação para acompanhar o desdobramento do processo. Leia mais aqui Marcos Franhm



Maracá se mobiliza pela permanência do juiz José Brandão na Comarca do Município. Segundos informações, o juiz poderá voltar para Santo Estêvão, cidade que se tornou referência no combate a violência juvenil, graças às ações do Magistrado. José Brandão foi transferido para Maracás em meados de abril. Depois da implantação do Toque de Acolher, medida judicial que impede a circulação de adolescentes no município no período noturno, o juiz conquistou o carinho da população maracense que clama pela sua permanência na cidade. De acordo com informações, já existem cerca de cinco mil assinaturas solicitando ao Tribunal de Justiça da Bahia a permanência de José Brandão na Comarca de Maracás.

Marcos Franhm


As faixas de freqüência de 450 mega-hertz (MHz), voltadas para telefonia e banda larga para a área rural, e de 2,5 gigahertz (GHz) para banda larga de quarta geração (4G) serão licitadas pela Agencia Nacional de Telecomunicações (Anatel) até abril de 2012. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) do dia (01), através de decreto presidencial. A realização da licitação foi uma cobrança do senador Walter Pinheiro (PT-BA), que desde o início de junho vinha defendendo este processo transparente e que amplia a competitividade no setor, permitindo que novas empresas possam atuar para ampliar a cobertura no país.
O decreto presidencial estabelece o terceiro Plano Geral de Metas para Universalização da Telefonia Fixa (PGMU 3), que vale até 2015. De acordo com o texto, até outubro desde ano, a Anatel terá que adotar medidas regulatórias necessárias para estabelecer padrões de qualidade dos serviços de banda larga. Além disso, esse regulamento que segue as regras do PGMU 3, também deverá definir a velocidade de conexão, disponibilidade do serviço, transparência e publicidade.


Acostumados com a frieza e desprezo por parte do prefeito de Itiruçu, os vereadores defensores da Base administrativa, alem de não serem lembrados na praça do forró, tiveram que assistir apenas a exibição da primeira dama e vereadora no município a usar da palavra no palco. Alguns vereadores assistindo no meu do povo , não devem ter ficado nada satisfeitos com a falta de respeito e Aminésia do gestor, que em atos nada normal, afirmou algumas vezes em bares no município, que vereador não deveria existir.