Viih Tube teve uma longa conversa com Caio após o Líder da semana assumir que vai indicar Thais ao Paredão desta semana no “Big Brother Brasil 21”. “Eu não tive mais importância alguma para ela [Thais]. Isso me deixa mais magoado do que preocupado em relação ao jogo. Por eu ser assim, me deixa triste e magoado com a situação. E mais ainda de ter que indicá-la, mas eu não tenho opção. Eu não posso ser injusto com outras pessoas. Independente do Anjo. E eu só coloquei ela [Camilla de Lucas] naquele jogo porque fui pego de surpresa”, justificou o fazendeiro, que formou um divertida dupla de agroboys com Rodolffo.

Pouco depois, o assunto passou para Juliette, a quem Viih Tube chamou de “talarica” na festa da última noite. “As coisas que eu acabo precisando passar em relação a ela e a Thaís, tem alguma coisa errada, sabe? Eu acho que realmente não tinha motivos pra gente passar por tanta picuinha, por tanta coisinha, por tanta bagunça, não tinha motivo. Era muito fácil de entender. Só que eu acho, entre aspas, que ela não aceita ter perdido o lugar dela da primeira semana do programa para Thaís agora”, opinou.

E afirmou: “Eu posso estar muito errada, me perdoem se eu estiver errada, mas é um sentimento que eu já senti muito aqui dentro. Parece que sempre que eu vou bem em uma prova, ela [Juliette] fica assim: ‘Nossa, como ela consegue ir tão bem assim e eu não?’. A Thaís, quando eu vou bem, ela chora, ela fica muito feliz por mim. As vezes eu sinto que Juliette tá feliz, mas no fundo ela tá com inveja branca. Isso não é saudável e eu acho muito ruim sentir isso”.

Caio, então, opinou: “Tem hora que eu sinto que a Juliette vai em uns pontos que atingem a Thaís”. Mas frisou: “Não sei se é de propósito”.

Web critica comentário de Viih Tube sobre Juliette
Na web, internautas se revoltaram com os comentários de Viih Tube sobre Juliette, uma das favoritas ao prêmio de R$ 1,5 milhão do reality show e a participante mais seguida desta edição do programa. “Viih Tube foi pro ‘BBB’ limpar a imagem e se queimou mais ainda”, opinou um fã da atração. “Essa é a participante mais sem caráter do ‘BBB 21’. E olha que a concorrência esse ano foi forte”, disparou outro internauta.

Para um usuário do Twitter, a longa conversa de Viih Tube com Caio foi uma tentativa – até então frustrada – de mudar o voto do Líder para Juliette. “A tentativa da Viih Tube em fazer o Caio indicar a Juliette e não a Thais apenas desnudam o caráter dessa garota. Porque ficou clara a intenção em chamar a ‘amiga’ de invejosa pro líder que já não gosta dela. Se é assim com 20 anos, imagine quando fizer 30”, disparou o internauta. Por Carmen Moreira


Profissionais da imprensa que atuam em quatro cidades da região do Vale do Jequiriçá se reuniram virtualmente nesta quarta-feira, (07), no Encontro com a Imprensa – 2ª Temporada. O encontro promovido pela Largo Resources | Vanádio de Maracás teve por objetivo aproximar ainda mais a empresa dos comunicadores da região e promover um debate sobre cobertura segmentada.

O evento foi conduzido pelo jornalista Donaldson Gomes, editor de economia do jornal Correio*, que compartilhou sua experiência profissional, especialmente com economia e cobertura segmentada no setor de mineração. Durante o encontro, o jornalista falou sobre a importância de buscar dados e apresentou para os convidados fontes em que informações sobre arrecadação de impostos e crescimento econômico dos municípios podem ser consultadas.

Para Donaldson, conversar sobre o fazer jornalístico com colegas de profissão é sempre uma experiência muito rica. Ele ressaltou que a mineração vem promovendo uma grande transformação econômica na Bahia e é muito importante ter a oportunidade de falar sobre este tipo de cobertura jornalística e aprender mais sobre a realidade local.

O palestrante destacou a participação dos colegas da imprensa que dialogaram também sobre a atuação da empresa na região. “Foi muito interessante ver o interesse dos colegas na operação da Vanádio, em discutir possibilidades de melhorias para a região e no jornalismo econômico, mesmo após um longo dia de trabalho para muitos”, pontuou.

O momento foi também para estreitar o relacionamento entre empresa e comunicadores. Com a presença de Paulo Misk, CEO da Largo Resources e presidente da Vanádio de Maracás e Álvaro Resende, diretor de operações da Largo Resources | Vanádio de Maracás, os participantes tiveram a oportunidade de dialogar com os porta-vozes sobre a atuação da empresa na região.


Os micro e pequenos empresários e os microempreendedores individuais (MEI) deixarão de pagar as parcelas do Simples Nacional pelos próximos três meses, de abril a junho, anunciou há pouco o secretário especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto. A medida foi decidida hoje (24) em reunião extraordinária do Comitê Gestor do Simples Nacional.

De julho a dezembro, os tributos que deixaram de ser recolhidos serão pagos em seis prestações. A medida, informou Tostes Neto, ajudará 5,5 milhões de micro e pequenas empresas e 11,8 milhões de MEI e envolverá a postergação do pagamento de R$ 27,8 bilhões em tributos federais, estaduais e municipais.

A medida será publicada no Diário Oficial da União de amanhã (25). Segundo Tostes Neto, o adiamento beneficiará segmentos da economia que mais geram empregos em meio ao agravamento da pandemia de covid-19.

“Com esse diferimento, estamos adotando uma medida de alívio para dar fôlego a esse universo de contribuintes ter melhores condições de ultrapassar esse período mais crítico em que os impactos econômicos e da pandemia se fazem sentir principalmente nos negócios que estão fechados e sem a possibilidade de geração de receitas”, declarou.

Imposto de Renda

O secretário da Receita ressaltou que, por enquanto, o Fisco não pensa em adiar o prazo de entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física, como ocorreu no ano passado. Segundo Tostes, o volume de entregas está superior ao registrado no mesmo período de 2020 e acima da expectativa, o que dá tempo para a Receita avaliar se há a necessidade de mudar a data.

“No caso das declarações de Imposto de Renda Pessoa Física, fazemos o monitoramento diário. Os números de hoje indicam a entrega, até o momento, de 7,826 milhões de declarações. No mesmo período do ano passado, tínhamos recebido 5,7 milhões. Os números estão até acima da expectativa. O prazo regular vai até 30 de abril. Então, temos tempo de avaliar se há a necessidade ou não de prorrogação”, disse Tostes Neto.


O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, autorizou a utilização imediata de todas as vacinas contra a covid-19 que foram entregues aos estados e municípios. Inicialmente, a orientação do Ministério da Saúde foi pela manutenção de estoques para aplicação da segunda dose dos imunizantes, mas, diante da confirmação de entregas semanais pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e pelo Instituto Butantan, a medida foi tomada para ampliar o número de vacinados em todo o país.

A recomendação também vale para as 5 milhões de doses que serão entregues neste final de semana pelos dois órgãos. Segundo a pasta, a liberação das doses que seriam mantidas em estoque estava em estudo há duas semanas e foi implementada após o aceleramento da produção nas duas instituições brasileiras com a chegada de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) importado.

“Com a liberação para aplicação de imediato de todo o estoque de vacinas guardadas nas secretarias municipais, vamos conseguir dobrar a aplicação esta semana, imunizando uma grande quantidade da população brasileira, salvando e protegendo mais vidas” disse o ministro.


O levantamento divulgado pela Secretaria estadual de Saúde da Bahia (Sesab) trouxe o maior número de mortes desde o início da pandemia do novo coronavírus em um único boletim epidemiológico. Nesta quinta-feira (18) foram registradas 153 óbitos em decorrência da doença. Apesar de os óbitos terem ocorrido em diversas datas, a confirmação e registro foram contabilizados hoje. Nas últimas 24h, 4.584 pessoas contraíram a Covid-19.

Conforme a Sesab, a existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

Casos

Desde o início da pandemia, 758.168 pessoas contraíra a doença, 13.742 morreram, 726.504 já são considerados recuperados e 17.922 estão com o vírus ativo. Dentre os óbitos, 55,91% ocorreram no sexo masculino e 44,09% no sexo feminino.

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 1.086.057 casos descartados e 177.853 em investigação. Na Bahia, 44.629 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19.


Presidente Jair Bolsonaro cumprimenta turistas no Palácio da Alvorada

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou na noite desta quinta-feira (18) que entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra as medidas restritivas decretadas por governadores para conter os avanços da pandemia do novo coronavírus. De acordo com ele, a ação foi apresentada pela Advocacia-Geral da União, sob “supervisão” do Ministério da Justiça.

“Entramos com uma ação hoje, uma Ação Direta de Inconstitucionalidade, junto ao STF, exatamente buscando conter esses abusos, entre eles o mais importante é que nossa ação foi contra decreto de três governadores. Inclusive, no decreto, cara coloca ali toque de recolher, isso é estado de sítio, que só uma pessoa pode decretar: eu”, afirmou.

Durante a tradicional live realizada por Bolsonaro nas redes sociais, ele ainda afirmou que o governo federal irá enviar um projeto de lei para a Câmara com a definição do que é atividade essencial na pandemia.

“Atividade essencial é tudo aquilo que serve para o cidadão botar o pão na mesa. Então praticamente tudo passa a ser atividade essencial”, completou.

A declaração de Bolsonaro acontece no momento em que o Brasil enfrenta a pior fase da pandemia. Nesta quinta foram registradas 2.659 novas mortes em decorrência da doença, de acordo com o consórcio dos veículos de imprensa. Pelo 20º dia consecutivo o país registrou a mais alta média móvel de óbitos, que atualmente é de 2.096. O número total de vítimas já se aproxima de 290 mil.

O Distrito Federal e 16 estados já estão com a saúde em colapso e registraram ocupação de mais de 90% nos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Os estados de Mato Grosso (105, 82%), Rio Grande do Sul (100,2%) e Rondônia (100%) enfrentam a situação mais preocupante.


Morreu nesta quinta-feira (18), o prefeito da cidade de Vitória da Conquista, no Sudoeste baiano, Herzem Gusmão (MDB). O político testou positivo para a Covid-19 em dezembro do ano passado e, a partir daí, enfrentou um longo processo na luta pela cura da doença. Após apresentar sutis melhoras no quadro, na manhã dessa sexta, Herzem chegou a ser transferido novamente para a Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Sírio Libanês, onde estava internado em São Paulo desde 26 de dezembro de 2020, mas acabou não resistindo.
Ainda não há informações sobre o velório do político. Herzem testou positivo para a Covid-19 em 7 de dezembro do ano passado (relembre). Dez dias depois ele foi diagnosticado com uma lesão pulmonar e precisou fazer uso de oxigênio para respirar com mais conforto


.

O presidente Jair Bolsonaro aprovou a resolução que estabelece orientações sobre pesquisa, desenvolvimento e inovação no setor de energia no país para estudos regulados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A Resolução nº 2/2021, do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), foi publicada hoje (9) no Diário Oficial da União, e também determina ao Ministério de Minas e Energia a elaboração de estudos para definição de novos locais para instalação de futuras centrais de geração de energia termonuclear.

A pasta ainda deverá avaliar a possibilidade e a forma de destinação de recursos à Empresa de Pesquisa Energética (EPE). O prazo é de 60 dias e a pasta deve consultar o Ministério da Economia. Em nota, a Secretaria-Geral da Presidência explicou que a medida tem por finalidade prestar serviços na área de estudos e pesquisas destinadas a subsidiar o planejamento do setor energético a fim de reforçar o caixa da EPE, empresa pública, em um cenário de restrição orçamentária.

De acordo com a resolução, os recursos da Aneel e ANP deverão ser priorizados para estudos nas áreas de hidrogênio, energia nuclear, biocombustíveis, armazenamento de energia, tecnologias para a geração termelétrica sustentável, transformação digital e minerais estratégicos para o setor energético. Para a Presidência da República, a medida se justifica “em face da necessidade de aprimoramento das políticas de ciência, tecnologia e inovação nos setores de energia e de mineração e de melhor aproveitamento da aplicação de recursos de PD&I [pesquisa, desenvolvimento e inovação] no setor de energia em médio e longo prazos”.


Mais 2.552.820 doses da vacina CoronaVac, contra a covid-19, produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, estão sendo enviadas pelo Ministério da Saúde a todos os estados e o Distrito Federal nesta quarta-feira (3). Segundo a pasta, a distribuição das doses está sendo feita de forma proporcional e igualitária e é destinada a vacinar o restante dos trabalhadores da saúde, indígenas do estado do Amazonas e a população brasileira de 80 a 84 anos de idade.

De acordo com o quarto Informe Técnico da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) da pasta, divulgado hoje, a nova remessa de vacinas do Butantan corresponde à entrega de duas doses. A orientação é que estados e municípios façam a reserva da segunda dose para garantir que o esquema vacinal seja completado no período recomendado de duas a quatro semanas.

Reforço
Desta vez, mais regiões estão sendo contempladas com o Fundo Estratégico, que destina 5% do total de doses para estados com cenário de maior emergência no momento. A medida está em vigor para estados do Norte desde a segunda pauta de distribuição. Nesta nova remessa, 127.641 mil doses foram divididas entre o Amazonas (30%), Pará (10%), Rondônia (5%), Roraima (5%), Ceará (10%), Paraíba (5%), Sergipe (5%), Paraná (10%), Santa Catarina (10%) e Goiás (10%), para ampliar ainda mais a vacinação dos grupos prioritários de idosos. No total, 60.781 pessoas estão sendo contempladas com a estratégia.

Com esse novo lote, o Ministério da Saúde contabiliza mais de 17 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 desde o dia 18 de janeiro, quando começou a campanha de vacinação, sendo que dessas mais de 7,5 milhões de doses já foram aplicadas. A pasta prevê o envio de mais de 200 milhões de doses até julho, com meta de imunizar 50% da população brasileira vacinável.

Novos lotes
Ao longo de março, segundo o Ministério da Saúde, devem chegar novos lotes de vacinas. Além de remessas do Butantan, mais doses da AstraZeneca/Oxford, já produzidas no Brasil pela Fiocruz (3,8 milhões). Do mesmo laboratório, o Brasil também deve receber ao longo do mês mais 2 milhões de doses importadas da Índia e outras por meio do consórcio Covax Facility.

A pasta informou que assinou o contrato com o laboratório Precisa Medicamentos/Bharat Biotech, responsável pela vacina indiana Covaxin. Das 20 milhões de doses acordadas, 8 milhões já devem estar disponíveis para o Programa Nacional de Imunizações (PNI) ainda este mês. Por Karine Melo – Repórter Agência Brasil.


A cantora Karol Conká foi eliminada nesta terça (23) com 99,17% dos votos e, com essa porcentagem, bateu o recorde de rejeição de todas as edições do reality.

Ao ser eliminada em um paredão contra Karol Conká quebrou um recorde duplo: a maior rejeição total e a maior rejeição para paredões triplos. Os recordes anteriores foram da semana passada, com Nego Di.

Antes desta edição, a participante Aline Cristina, do “BBB5”, manteve a posição de mais rejeitada do programa por 15 anos. Ela saiu da casa com 95% dos votos em uma disputa contra Grazi Massafera. Aline foi considerada falsa e fofoqueira pelo público.

A quinta edição teve outra eliminação acima da casa dos 90%: o médico Rogério, conhecido como Dr. Gê, saiu com 92%. Ele foi considerado o “vilão” do programa.

A segunda maior rejeição ERA a de Patrícia Leitte, em 2018. Ela saiu com 94,26%, depois de protagonizar uma briga com Gleici, campeã do “BBB18”. Patrícia detinha o recorde de votação para um paredão triplo.

Outras duas participantes da edição de 2018 estão no TOP 10 de rejeições do “BBB”: Nayara, com 92,69%, e Ana Paula, com 89,85%.

Veja lista com maiores rejeições do programa;