A Copa da Amizade, promovida pelo desportista Chico do América, iniciou neste domingo (17) com dois jogos.  Abriu a competição o time do Distrito Atlético Baiano contra o Bahia, Bairro Casca de Jaguaquara. Em campo, um bom jogo que terminou com a Vitória do Atlético Baiano por 3×0.

O segundo jogo da tarde foi o clássico entre o América do Entroncamento e a União Desportiva Itiruçu – UDI- clássico esperado, porém, sem convite a torcedores mediante ao enfrentamento a pandemia da Covid-19. A partida foi disputada e os dois times não se expuseram ao outro, mesmo tentando buscar a Vitória para um dos lados. Final 0x0.


Um ano após ser rebaixada, a Chapecoense está de volta à elite do Campeonato Brasileiro. Na noite desta terça-feira, o time catarinense carimbou o acesso ao vencer o Figueirense por 2 a 1, na Arena Condá, pela 34.ª rodada da Série B. Paulinho Moccellin e Derlan marcaram os gols que fizeram com que o time chegasse ao seu grande objetivo com quatro jogos de antecedência. Agora, segue na briga pelo título.

Com a vitória, a Chapecoense, que está na segunda posição, chega aos 66 pontos e não pode mais ser alcançada por CSA e Juventude, que tropeçaram nessa rodada e ajudaram a equipe catarinense a chegar ao acesso. Ao todo, foram 18 vitórias, 12 empates e apenas quatro derrotas, apesar das dificuldades financeiras durante toda a Série B e da morte do presidente Paulo Magro por coronavírus.

Na liderança está o América-MG, com 67 pontos, que também garantiu vaga na Série A nesta terça-feira ao empatar sem gols com o Náutico, no Recife. O Figueirense, por sua vez, segue na zona de rebaixamento, na 18.ª colocação com 36 pontos, um a menos do que o Vitória, que está em 16.ª com 37 e é o primeiro time fora do grupo da degola.


O América-MG garantiu o acesso para a Série A do Campeonato Brasileiro após empatar sem gols com o Náutico nesta terça-feira (12) no estádio dos Aflitos na 34ª rodada da Série B. Com a igualdade fora de casa, a equipe comandada pelo técnico Lisca alcançou os 67 pontos, quando faltam quatro rodadas para o final da competição, e já não pode mais ser ultrapassado pelo CSA (4º, com 52 pontos) e Juventude (5º, com 52 pontos), que foram derrotados nesta terça.

Enquanto o Coelho brigava para garantir o acesso, o Náutico buscava uma vitória para ganhar força para fugir da Série C. Assim, o Timbu foi mais agressivo na partida, enquanto o América-MG apostava nos contra-ataques. Com isso, a partida foi muito truncada, com poucas oportunidades de lado a lado. Com o empate, o Timbu ficou na 15ª posição, com 39 pontos.


Palmeirenses exaustos após fim do jogo (Foto: Marcos Ribolli)

Não precisava ser com tanta emoção, mas, depois de quase 100 minutos (nove de acréscimo no segundo tempo!). O  Palmeiras sobreviveu ao seu pior jogo sob comando de Abel Ferreira e está na final da Copa Libertadores depois de 21 anos. A derrota por 2 a 0 para o River Plate, na noite desta terça-feira, no Allianz Parque, só não foi desastrosa porque o Verdão havia vencido o jogo de ida por 3 a 0, na Argentina. Em um duelo à altura da Libertadores, o time de Marcelo Gallardo dominou do início ao fim, fez dois gols no segundo tempo e teve outro anulado pelo VAR no segundo. O Palmeiras resistiu como pôde mesmo depois de ter um a mais em campo – Rojas foi expulso – e, aliviado, comemorou a classificação. Agora é esperar Santos ou Boca para a finalíssima do dia 30 de janeiro. VAR em ação

O árbitro de vídeo atuou duas vezes no segundo tempo em lances capitais: primeiro, detectou impedimento de Borré no início da jogada que seria a do terceiro gol do River. Depois, retirou um pênalti de Empereur em Matías Suárez que havia sido marcado pelo árbitro uruguaio Esteban Ostojich. Nos dois lances, o árbitro foi à beira do campo, analisou os lances e voltou atrás nas decisões. No fim, nova polêmica: um possível pênalti a favor do River foi analisado, mas nada marcado. Tensão total até o último minuto.

Como fica?
O Palmeiras, agora, aguarda o vencedor de Santos x Boca Juniors nesta quarta-feira para saber quem enfrenta na decisão do próximo dia 30 de janeiro, no Maracanã. O jogo de ida entre os rivais terminou 0 x 0, na Bombonera.

Mais uma final!
A classificação diante do River leva o Palmeiras à sua quinta final de Copa Libertadores. Nas outras quatro finais, o Verdão conquistou um título, em 1999, e foi vice três vezes – 1961, 1968 e 2000. Nova chance depois de quase 21 anos. GE.


Uma atuação quase perfeita na Argentina deixou o Palmeiras muito perto da final da Copa Libertadores. O Verdão venceu o River Plate por 3 a 0 na noite desta terça-feira, em Avellaneda, num jogo em que soube administrar a pressão do rival, atacar em momentos-chave, chegar aos gols e deixar a experiente equipe argentina em “parafuso”. Rony, Luiz Adriano e Viña fizeram os gols do time de Abel Ferreira, que poderia até ter feito mais após a expulsão de Carrascal, do River. Assim como em 1999, um 3 x 0 que pode ser decisivo na busca do Palmeiras por mais um título continental.

Palmeiras e River voltam a se enfrentar na próxima terça-feira, às 21h30 (de Brasília), no Allianz Parque. A equipe argentina precisa vencer por três gols de diferença para se classificar – um 3 a 0 leva a decisão para os pênaltis. A final da Libertadores será no dia 30 de janeiro, no Maracanã, contra o vencedor do confronto entre Santos e Boca Juniors.


O Bahia optou por afastar o meia-atacante Índio Ramírez após acusação de racismo do meio-campista do Flamengo, Gerson. Em nota oficial, emitida na noite deste domingo, 20, foi informado que o presidente do tricolor, Guilherme Bellintani, ligou para atleta flamenguista para prestar solidariedade.

Ainda em nota o Bahia alega que o atleta Índio Ramírez nega veementemente a acusação e que está oferecendo a oportunidade dele se defender. Contudo, o time também diz que é “indispensável, imprescindível e fundamental que a voz da vítima seja preponderante em casos desta natureza”.

Entenda o caso

Após a partida, Gerson teria procurado a imprensa para acusar Índio Ramírez de racismo. “O Ramírez, do Bahia, falou para mim: ‘Cala a boca, negro’. Eu nunca reclamei na imprensa, mas isso eu não aceito. Eu vim falar em nome de todos os negros. O Mano Menezes também tem que saber respeitar”, declarou o meio-campista do Flamengo.

O jogador do tricolor disse ter sido xingado de ‘gringo de merda’ pelo jogador Rubro-Negro carioca. O caso seguirá sendo discutido na mídia.


Mano Menezes não é mais o técnico do Bahia. Neste domingo (20), após a derrota por 4 a 3 para o Flamengo, ele e o presidente Guilherme Bellintani tomaram a decisão em comum acordo.

“Acho que é o momento para fazer essa troca. Um treinador, quando está no cargo como eu estou, assume posições com o grupo que está aí. E nas medidas que o resultado não vem, o discurso do treinador vai enfraquecendo, perdendo confiança, e eu acho que deve vir uma outra pessoa para comandar o Bahia. Exatamente para trazer ideias que são diferentes da minha, escolhas diferentes das minhas, porque ele não vai ter compromisso com as escolhas que eu fiz”, afirmou, em entrevista coletiva após a partida.

Mano chegou em setembro comandou o Bahia em 24 partidas. Foram oito vitórias, dois empates e 14 derrotas. A defesa, que costuma ser o pilar das equipes do técnico, sofreu 37 gols no período em que ele esteve no Tricolor. É a mais vazada do Campeonato Brasileiro, com 46 gols sofridos.

Mano deixa o clube na 16ª colocação, com a mesma pontuação (28) do Vasco, que abre a zona de rebaixamento. O treinador ainda acumula a eliminação nas quartas de final da Copa Sul-Americana, ao perder as duas partidas para o Defensa y Justicia.


Jogadores do PSG e do Istanbul Basaksehir protagonizaram um momento histórico no Parque dos Príncipes, nesta terça-feira. As duas equipes deixaram o gramado do estádio no meio do primeiro tempo após uma ofensa racista do quarto árbitro romeno Sebastian Colţescu contra o camaronês Pierre Webó, ex-atacante e membro da comissão técnica da equipe turca. A partida, segundo a Uefa, está suspensa no momento. A confusão começou aos 13 minutos da primeira etapa. O atacante senegalês Demba Ba ficou indignado com a ofensa dirigida por Coltescu a Pierre Webó e começou uma intensa reclamação.

Dirigentes das duas equipes foram ao gramado para entender a situação, e os atletas de PSG e Istanbul Basaksehir decidiram abandonar a partida. Nas redes sociais, o clube turco publicou uma mensagem de combate ao racismo, republicada pelo perfil do Paris.
Tudo começou quando o lateral brasileiro Rafael, do Istanbul, foi punido com cartão amarelo. Membros da equipe turca reclamaram da punição. Segundo relatos de vários veículos da imprensa francesa, espanhola e italiana, o quarto árbitro Sebastian Coltescu falou o seguinte para o Webó: “Vai embora, preto”.

A transmissão da partida flagrou um diálogo forte de Demba Ba em direção ao quarto árbitro Sebastian Coltescu no qual ele expõe toda sua revolta:

Você nunca diz “esse cara branco”, você diz “esse cara”. Então por que você está mencionando “cara preto”? Você tem que dizer “esse cara”. Por quê?!” *Ge.


*Foto: Geovan Santos / Ligeirinho no Esporte

Aos 42 anos, Moisés Ferreira Simão apitou, neste último  domingo (6), sua terceira final de Série B do Baianão na carreira. Ele foi sorteado para comandar a decisão da edição 2020, entre UNIRB e Colo-Colo, às 15h10, no Estádio Antônio Carneiro, em Alagoinhas.

Antes, o árbitro já havia atuado nas finais das edições 2015 e 2017 da competição. Apesar da experiência, o profissional não escondeu a emoção com mais uma escala.

“Primeiro me sinto muito honrado por fazer parte da Federação Bahiana de Futebol. E fazer parte desse cenário grande que é a Série B do Baiano, que é, também, a menina dos olhos da FBF, uma competição que o presidente Ricardo faz com muito carinho e muita responsabilidade, me deixa regozijado e grato, primeiramente a Deus. Agradeço, também, ao presidente Ricardo Lima, ao presidente da CEAF, Jailson Macedo, e ao vice-presidente Vidal. Agradeço, ainda, a todos os colegas que trabalharam comigo nos jogos, à minha mãe Edna e a todos os familiares e amigos que torcem por mim”, disse.

Árbitro da CBF desde 2016 e do quadro da FBF desde 2008, Moisés cresceu na profissão ao longo da carreira. Morador de Lajedo do Tabocal, no sudoeste da Bahia, ele deu seus primeiros passos na arbitragem no Campeonato Intermunicipal. Hoje, já atua em jogos de competições nacionais.

Ao lembrar a trajetória, o profissional do apito valorizou cada apoio que recebeu ao longo de mais de uma década. “A chave de tudo é gratidão, fé e foco. Agradeço muito a Deus. E não posso esquecer das cidades de Lajedo do Tabocal, onde moro, e Maracás, que é de lá a Liga que faço parte. Foi através da Liga de Maracás que iniciei no Intermunicipal, depois baiano e assim segue”, completou.

Na final entre UNIRB e Colo-Colo, Moisés Simão terá a companhia de Carlos Vidal Pereira de Oliveira e José dos Santos Amador, como assistentes, Eziquiel Sousa Costa, como 4º árbitro, e Wesley Silva Santos, como 5º árbitro. Fonte FBF.


A elite do futebol baiano terá um novo e inédito integrante em 2021. O UNIRB estará entre os dez participantes da Série A do Baianão. O time de Alagoinhas garantiu a vaga ao sagrar-se campeão da Série B 2020, neste domingo (6). Após um empate sem gols no tempo regulamentar, o UNIRB superou o Colo-Colo nos pênaltis, por 4 a 2, no Estádio Antônio Carneiro, em Alagoinhas.

O time campeão foi o dono da melhor campanha da competição. Em sete jogos disputados, foram 12 pontos conquistados em uma campanha invicta. No total, foram três triunfos e quatro empates. Fundado em 2018, o UNIRB FC disputou sua primeira competição profissional no ano passado. Um ano depois, o clube comemora seu primeiro título e o cobiçado acesso. Ao final da partida, a diretoria da Federação Bahiana de Futebol realizou a entrega do troféu ao time campeão. A cerimônia foi liderada pelo presidente da entidade, Ricardo Lima.