Os estudantes da rede estadual têm até hoje, quarta-feira (27/05), para confirmar sua participação no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), através do site https://enem.inep.gov.br/participante/. Para os estudantes da rede pública as inscrições são gratuitas. O ENEM é a principal forma de acesso ao Ensino Superior, pois possibilita aos inscritos concorrerem a vagas em universidades, pelo Sistema de Seleção Unificada (SISU).

“O envolvimento da Secretaria da Educação do Estado (SEC) junto aos movimentos estudantis, gestores escolares, municípios, NTE (Núcleos Territoriais de Educação), movimentos sociais e diversos segmentos da educação estão proporcionando que nossos estudantes se mobilizem para a inscrição e  garantam a sua participação no ENEM. Não queremos deixar ninguém de fora e vamos manter este trabalho de motivar o estudante até o último instante”, destacou o secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues.

Visando contribuir para assegurar a participação dos estudantes no ENEM, a SEC está orientando as escolas para que os auxiliem neste processo, principalmente aqueles que não têm acesso a computadores e à internet para a realização da inscrição.

Ações estratégicas – Para contribuir com a preparação dos estudantes neste período de suspensão das aulas, em virtude da pandemia, a SEC desenvolve uma série de ações e projetos estratégicos. Por meio do  ENEM 100%, por exemplo, são disponibilizados no Portal da Educação diversos materiais elaborados por professores da rede estadual e por instituições parceiras, tais como a plataforma da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Ensino Médio (https://ensinomediodigital.fgv.br/) e o Curso ENEM Gratuito (https://cursoenemgratuito.com.br/).


&

Mesmo com o anúncio do adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, as inscrições para a prova não serão prorrogadas. O prazo termina nesta sexta-feira (22), às 23h59 . Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame, mais de 4, 3 milhões de estudantes já estão inscritos para participar desta edição.

Enem Digital

Para o Enem Digital não há mais vagas. As 101,1 mil vagas oferecidas se esgotaram desde a semana passada. A prova é a versão informatizada do Enem. Em vez de cadernos de provas e cartão de respostas em papel, os participantes fazem as provas diretamente no computador.

Os candidatos não farão a prova em casa. A aplicação será em laboratórios de informática em diversas faculdades brasileiras. Nessa opção, o candidato receberá um cartão de confirmação da inscrição no Enem com o endereço da faculdade e o laboratório de informática onde fará a prova, sob supervisão dos fiscais no Enem.

Inscrições

Para evitar erros na hora da inscrição, o Inep recomenda a todos os participantes que o procedimento seja feito com calma. O aluno deve, por exemplo, verificar cuidadosamente as informações declaradas. Algumas delas não poderão ser modificadas depois da inscrição concluída.


No Brasil, 4,8 milhões de crianças e adolescentes, na faixa de 9 a 17 anos, não têm acesso à internet em casa. Eles correspondem a 17% de todos os brasileiros nessa faixa etária. Os dados, divulgados na semana passada semana pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), fazem parte da pesquisa TIC Kids Online 2019, que será lançada na íntegra em junho.

O levantamento é feito pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). Os dados foram solicitados pelo Unicef para medir, em meio à pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19, quantas crianças e adolescentes estão sem acesso a aulas online e a outros conteúdos da internet que garantam a continuidade do aprendizado.

“A gente está em um momento de crise, uma crise aguda em função da pandemia, que vai ter impacto na vida das crianças e adolescentes, como um todo. Do ponto de vista da educação, a gente está com uma questão séria: o que é preciso fazer para que essas crianças e adolescentes tenham acesso a algum tipo de aprendizagem”, diz o chefe de Educação do Unicef, Ítalo Dutra.

Segundo Dutra, a pandemia evidencia desigualdades que já são enfrentadas no cotidiano em todo o país. Há escolas que têm infraestrutura adequada e de qualidade, e outras que não, o que já impacta o aprendizado das crianças.

“Com a pandemia, com as escolas fechadas, temos, obviamente, uma situação que é ainda mais aguda. Vemos com preocupação a situação em que nos encontramos e, principalmente, entendemos a necessidade de olhar para uma maneira de garantir o acesso de crianças, adolescentes e suas famílias à internet.” É parte da garantia de direitos de crianças e adolescentes, afirmou.

Desigualdade

A pesquisa mostra que, entre aqueles que não têm acesso à internet em casa, alguns conseguem acessar a rede em outros locais, como escolas, telecentros ou outros espaços. Isso antes da adoção de medidas de isolamento social no país. As informações foram coletadas entre outubro de 2019 e março de 2020.


O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta 5ª feira (14.mai.2020) que pediu ao presidente da República, Jair Bolsonaro, o adiamento do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Devido à pandemia de covid-19, causada pelo coronavírus, escolas estão fechadas. É comum a percepção de que a realização do Exame beneficiaria alunos mais ricos. Eles estudam em escolas com mais condições de organizar aulas à distância em meio a emergência e têm melhor acesso à internet, entre outros serviços.

“Outro pleito que fiz ao presidente –ele ficou de avaliar, eu disse que era muito importante, que havia uma demanda muito grande da Câmara– foi o adiamento do Enem, ele ficou muito sensível”, contou o presidente da Câmara. Rodrigo Maia falou a jornalistas na tarde desta 5ª feira (14.mai.2020) depois de ir ao Palácio do Planalto e “tomar 1 café” com Bolsonaro.

“Acho que é melhor uma solução que passe por uma decisão do presidente em diálogo com o Parlamento do que uma decisão do Parlamento de suspender por lei ou por decreto legislativo”, afirmou Maia. Ele se referia à tensão política que costuma causar a derrubada de uma decisão do Executivo pelo Legislativo. Poderia ser lida como uma afronta entre Poderes.

A organização do Enem é vinculada ao Ministério da Educação e, portanto, sob influência direta de Abraham Weintraub. O ministro é 1 dos mais alinhados com os discursos de Bolsonaro. Até agora, ele rejeita o adiamento. O Exame está marcado para os dias 1º e 8 de novembro. De acordo com Rodrigo Maia, a visita foi 1 convite dos ministros Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) feito há semanas para conhecer o gabinete de crise que lida com a pandemia do coronavírus. Depois, houve a conversa com o presidente da República. Mais cedo, Rodrigo Maia foi atacado por Jair Bolsonaro. O presidente da República disse que Maia “parece que quer afundar a economia”.

Enquanto Bolsonaro quer que as pessoas voltem ao trabalho, o deputado defende o isolamento social como forma de conter o avanço do coronavírus. Além disso, a Câmara, sob o comando de Maia, aprovou medidas de combate à pandemia tidas pelo governo como excessivamente caras. O deputado negou que o assunto da conversa com o presidente da República tenha sido essa declaração. “Foi para manter o diálogo, não foi para nos dividir”, disse.


As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 começam nesta segunda-feira (11) e vão até o dia 22 de maio. Elas poderão ser feitas por meio da página do Enem na internet.

Enem digital

A partir deste ano o Enem terá duas modalidades de provas, as impressas, com aplicação prevista para os dias 1º e 8 de novembro, e as digitais, para os dias 22 e 29 de novembro. O participante que optar por fazer o Enem impresso não poderá se inscrever na edição digital e, após concluir o processo, não poderá alterar sua opção.

A estrutura dos dois exames será a mesma. Serão aplicadas quatro provas objetivas, constituídas por 45 questões cada, e uma redação em língua portuguesa. Durante o processo de inscrição, o participante deverá selecionar uma opção de língua estrangeira – inglês ou espanhol.

Neste ano, será obrigatória a inclusão de uma foto atual do participante no sistema de inscrição, que deverá ser utilizada para procedimento de identificação no momento da prova. O valor da taxa de inscrição é de R$ 85 e deverá ser pago até 28 de maio.

Isenção de taxa

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), todos os participantes que se enquadrarem nos perfis especificados nos editais, mesmo sem o pedido formal, terão isenção da taxa. A regra vale tanto para os participantes que optarem pelo Enem impresso quanto para os que escolherem o Enem digital e se aplica, inclusive, aos isentos em 2019 que faltaram aos dois dias de prova e não tenham justificado ausência.

Portanto, no ato da inscrição para o Enem 2020, terão isenção de taxa os candidatos que estejam cursando a última série do ensino médio este ano, em qualquer modalidade de ensino, em escola da rede pública declarada ao Censo da Educação Básica; tenham feito todo o ensino médio em escolas da rede pública ou como bolsistas integrais na rede privada e tenham renda per capita familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio; ou declarem estar em situação de vulnerabilidade socioeconômica, por serem membros de família de baixa renda e que estejam inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), que requer renda familiar per capita de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos.

A consulta aos resultados dos pedidos de recurso para a isenção de taxa de inscrição do Enem, os interessados devem acessar a Página do Participante, no aplicativo ou no site do Enem, e conferir as informações.

Acessibilidade

A Política de Acessibilidade e Inclusão do Inep visa dar atendimento especializado aos participantes que necessitarem. Para facilitar a compreensão no momento da inscrição, os atendimentos específicos (gestantes, lactantes, idosos e estudantes em classe hospitalar) foram incluídos na denominação “especializado”. As solicitações para esses atendimentos também deverão ser feitas entre 11 e 22 de maio. Os resultados serão divulgados em 29 de maio. Para os pedidos que forem negados, está prevista uma fase para apresentação de recursos. O resultado final estará disponível no dia 10 de junho.

Os pedidos de tratamento por nome social serão feitos entre 25 e 29 de maio, com previsão de divulgação dos resultados em 5 de junho. O período para apresentação de recursos será entre 8 e 12 de junho e a disponibilização dos resultados finais em 18 de junho.


Em tempos de incerteza, como na pandemia do COVID-19, a solidão se torna quase onipresente, especialmente quando as conexões precisam inesperadamente ser virtuais. A ameaça de isolamento e solidão está se aproximando de uma ampla faixa da população mundial, derivada da necessidade generalizada de distanciamento físico e social sem precedentes para tentar interromper a transmissão a curto prazo de uma doença, para o bem da população e da sociedade.

Muitos de nós apreciamos a oportunidade ocasional de nos desconectar, dando a nossa mente e corpo a chance de nos recarregar diante dos excessos de um mundo cada vez mais barulhento. Porém, quando o isolamento se torna prolongado e solitário, os resultados podem ser prejudiciais e potencialmente devastadores, especialmente para os idosos.

O aumento do envelhecimento populacional é bem conhecido e documentado. Segundo dados recentes das Nações Unidas, até 2050, uma em cada seis pessoas no mundo terá mais de 65 anos (16%), em comparação com uma em cada 11 em 2019 (9%). E a expectativa é que o número de pessoas com 80 anos ou mais triplique, de 143 milhões em 2019 para 426 milhões em 2050. No Brasil, em 2060, um quarto da população (25,5%) deverá ter mais de 65 anos, segundo o IBGE. Com esse aumento de cidadãos mais velhos, existe o potencial de uma crescente população solitária, lutando com a necessidade de reconstruir e recuperar seu capital social, mas sem os meios para fazê-lo.

Considerando que as possíveis fontes de apoio para aqueles que se sentem isolados são necessariamente focadas na tecnologia, realizamo5entrevistacougrupglobal de profissionais médicos, assistentes sociais, pesquisadores acadêmicos, funcionários de governo, tecnólogos, incluindo também a ‘Campanha para acabar com a solidão’, um grupo que fornece aconselhamento para se manter envolvido com amigos, familiares e vizinhos, para entender como podemos resolver esse problema:

Solidão antes de uma crise

Para qualquer idade, a solidão é mais do que um estado mental: é um fator de risco que tem implicações no bem-estar pessoal, econômico e social. E durante uma crise como a pandemia do COVID-19, na qual os governos implementam o auto-isolamento e a orientação de distanciamento social, o problema da solidão é ainda mais agravado.

Esforços

Esforços consideráveis ​​foram feitos nos últimos anos para resolver esse problema, como por exemplo, a nomeação no Reino Unido do primeiro ministro da solidão no mundo. Os especialistas em envelhecimento que entrevistamos recentemente confirmam que esses esforços estão valendo a pena com as partes interessadas, desde governos a grupos de defesa, prontos para a crise e aumentando rapidamente o apoio aos mais vulneráveis ​​em nossa sociedade.A tecnologia complementa as soluções presenciais
A pandemia do COVID-19 aumentou a necessidade da tecnologia como parte essencial dos mecanismos de suporte. As plataformas tecnológicas podem ser usadas para unir voluntários e para ajudar os idosos que se sentem sozinhos.
Dados podem ser combinados com a experiência profissional e pessoal dos aposentados em soluções personalizadas que ajudam a combater a solidão e o isolamento com interação e inclusão.

E a tecnologia pode ajudar a fornecer essas soluções em escala.

Por Fabiana Cardoso, líder de Diversidade e Inclusão da IBM Brasil

Aplicativo de Celular ENEM 2019

Os estudantes que solicitaram a isenção da taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 já podem consultar sua situação na Página do Participante, no site ou no aplicativo, segundo informações do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgadas hoje (24).

De acordo com o instituto, que é vinculado ao Ministério da Educação (MEC) e responsável pela aplicação do Enem, já foram analisadas todas as solicitações que comprovam, com documentos, os perfis de isenção definidos pelos editais do Enem, mas o sistema segue aberto para o envio de novos pedidos.

Todas as justificativas de ausência no Enem 2019 também foram deferidas, e futuros inscritos nesta situação já têm garantida a gratuidade de inscrição para o Enem 2020.

Terão isenção de taxa os candidatos que estejam cursando a última série do ensino médio este ano, em qualquer modalidade de ensino, em escola da rede pública declarada ao Censo da Educação Básica; tenham feito todo o ensino médio em escolas da rede pública ou como bolsistas integrais na rede privada e tenham renda per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio; ou declarem estar em situação de vulnerabilidade socioeconômica, por serem membros de família de baixa renda e que estejam inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), que requer renda familiar per capita de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos.

As provas do Enem Digital que estavam previstas para ocorrer em 11 e 18 de outubro foram alteradas para os dias 22 e 29 de novembro. As do Enem impresso continuam previstas para 1º e 8 de novembro.

Nova chance

O Inep divulgou ainda, na tarde desta sexta-feira, que aqueles que não conseguiram comprovar pertencer aos perfis de isenção — e, portanto, tiveram seu pedido indeferido —  podem encaminhar documentação complementar para nova análise.

“A partir de segunda-feira, 27 de abril, os interessados poderão enviar a documentação que comprove a situação de solicitação de isenção, observando a opção escolhida, por meio da Página do Participante”, diz a nota. Conforme o Inep, serão aceitos somente documentos nos formatos PDF, PNG ou JPG, com o tamanho máximo de 2MB, conforme lista disponível no site do Inep.

Inscrições

A isenção não garante entrada automática no Enem. Todos os interessados deverão acessar a Página do Participante no período de 11 a 22 de maio e realizar a inscrição para confirmar participação no maior exame de acesso à educação superior do país. Durante as inscrições, o Inep irá conceder isenção, de ofício, para todos os inscritos que se encaixarem nos perfis descritos no edital, mesmo sem o pedido formal. A regra vale tanto para os participantes que optarem pelo Enem impresso quanto para os que escolherem o Enem Digital.

Aqueles que não se encaixarem nos perfis de isenção deverão realizar a inscrição nos prazos e critérios estabelecidos e efetuar o pagamento da taxa para poder participar.

*com informações do Ministério da Educação (MEC)


Após a suspensão das aulas da rede municipal de Itiruçu, os  alunos deverão ter um método alternativo para cumprimento do calendário escolar. A Secretaria da Educação já iniciou um estudo a fim de pensar em maneiras de ensino à distância. De acordo com a assessoria de comunicação, novas estratégias estão sendo estudadas   para que a educação de Itiruçu continue cumprindo o papel de inclusão, transformação e equidade, com  objetivo central em cumprir a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

“Todas as unidades escolares adotarão, em consonância com a SEMEC e demais secretarias, um Plano de Ação visando inserir o estudante no contexto social e histórico atual, bem como dar continuidade ao currículo escolar. Através de variadas atividades educacionais e com auxílios dos familiares e responsáveis pelos alunos, trabalhar o tempo ocioso com muita criatividade e conhecimento”, diz a nota.

A avaliação será mediante acompanhamento, monitoramento e validação das ações realizadas pelas unidades escolares através da Secretaria Municipal de Educação e Cultura.

Os objetivos da ação é de inserir os alunos no contexto social e histórico atual, possibilitando  que a pesquisa, a leitura e o conhecimento estejam presentes em suas atividades diárias nesse período de isolamento social. Cumprir o que determina a Lei de Diretrizes e Bases (LDB) no que se refere às 800 horas trabalhadas, minimizar o impacto da perda de aula durante os meses de isolamento social e dar continuidade ao currículo escolar e de realizar atividades que preencham o tempo ocioso dos alunos e estreitar os laços familiares.


Lançamento do aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial

O cidadão que tiver o auxílio emergencial de R$ 600,00 negado pode agora contestar o resultado da análise e pedir novamente o benefício diretamente pelo aplicativo ou site do programa. A atualização nas plataformas foi feita a partir desta segunda-feira (20), informou a Caixa Econômica Federal. No aplicativo ou no site, quem receber o aviso de “benefício não aprovado” pode verificar o motivo e fazer uma contestação. Se o aviso for de “dados inconclusivos”, o solicitante pode fazer logo a correção das informações e entrar com nova solicitação, de acordo com a Caixa.

A responsável por informar o motivo do auxílio emergencial não ter sido aprovado é a Dataprev, estatal federal de tecnologia que analisa os dados informados pelo solicitante. O resultado é depois homologado pelo Ministério da Cidadania.

Para ter direito ao auxílio é preciso atender aos critérios estabelecidos pela legislação, como não ter emprego formal, não receber outro benefício do governo (com exceção do Bolsa Família), não ter renda familiar mensal maior que  R$ 3.135,00 ou R$ 522,50 per capita (por pessoa), entre outros. As condições completas são descritas no site do programa.

Segundo a Caixa, responsável pelos pagamentos, as principais inconsistências nos dados informados pelos solicitantes são:

• marcação como chefe de família sem indicação de nenhum membro;

• falta de inserção da informação de sexo;

• inserção incorreta de dados de membro da família, tais como CPF e data de nascimento;

• divergência de cadastramento entre membros da mesma família;

• inclusão de alguma pessoa da família com indicativo de óbito.

CadÚnico

Os trabalhadores informais que possuem Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, o CadÚnico, têm sua elegibilidade para receber o auxílio emergencial analisada automaticamente pela Dataprev.

Nesse caso, se tiver o auxílio negado mesmo acreditando ter direito ao benefício, o trabalhador também pode recorrer diretamente no aplicativo do auxílio emergencial ou no site do programa, informou a Caixa.


O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Educação, começa nesta segunda-feira (20), a entrega do vale-alimentação para 284 mil estudantes da rede estadual de ensino de 22 municípios da Bahia. Para evitar aglomerações nos supermercados, em função das orientações de combate ao Coronavírus, parte dos estudantes receberá o benefício na Cesta do Povo, e em suas lojas credenciadas, e parte, na rede Assaí. A ida aos supermercados está orientada por escola. A lista com esta distribuição estará disponível neste domingo (19), no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br). Na lista também tem uma indicação para que o estudante vá, preferencialmente, à rede localizada mais próxima da sua escola.

No supermercado, o estudante, o pai, a mãe ou responsável que esteja com o cadastro atualizado do CPF na escola, deve se dirigir ao setor de atendimento ao cliente para a retirada do vale-alimentação de R$ 55. Será necessário apresentar o original do CPF. O vale é destinado exclusivamente a compra de alimentos. A SEC orienta para que seja dada a preferência a produtos com valor nutricional, como por exemplo feijão, arroz, macarrão, leite, proteína de soja, farinha de mandioca, verduras e frutas. Se a compra ultrapassar os R$ 55, caberá ao cliente assumir o restante do valor.

Lojas