O uso do inglês como prática social – aquela aplicada a necessidades básicas de comunicação, como se apresentar, pedir produtos em uma loja ou manter uma conversa curta – ainda não é o foco principal do ensino da língua estrangeira na rede pública, de acordo com a pesquisa divulgada pela agência do governo britânico British Council.

Apenas dois estados brasileiros avaliados atingiram todos os critérios necessários para o ensino de qualidade do inglês: Paraná e Pernambuco. São Paulo e Distrito Federal ficaram atrás, mas acima da média brasileira. Pará, Amapá, Goiás, Mato Grosso e Alagoas não aparecem no estudo. Os demais estados apresentaram desempenho mediano ou insuficiente para os critérios do British Council, agência internacional do Reino Unido para educação e cultura.

Chamado Políticas Públicas para o Ensino de Inglês, o levantamento avalia o panorama que receberá, no ano que vem, as mudanças na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira. De acordo com o texto da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada em 2018, o ensino da língua inglesa passará a integrar o currículo como matéria obrigatória.

Desafios

A pesquisa aponta dois déficits no desenvolvimento do ensino do idioma nas escolas públicas: a falta de professores qualificados e o foco no ensino gramatical em detrimento do ensino social da língua. “Uma vez que os discursos se organizam em práticas sociais, historicamente construídas e dinâmicas, o seu ensino pela prática traz um maior significado para o aluno”, explica Cíntia Toth Gonçalves, gerente sênior de inglês do British Council.

De acordo com o Censo Escolar do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) de 2017, apenas 45% dos 62 mil professores de inglês na rede pública têm formação superior na área de línguas estrangeiras. Paraná e Sergipe são os únicos estados com mais de 70% dos docentes habilitados em língua inglesa ou estrangeira moderna.

“Essa é uma situação difícil, mas não única no mundo. No contexto brasileiro, é primordial que se concentrem esforços também na formação inicial dos futuros professores para que eles estejam preparados para atender à demanda gerada pela BNCC”, afirma Cintia.


Candidata saiu de Jequié para fazer prova em Salvador e terminou avaliação em 2h — Foto: Isabela Cardoso/G1 Bahia

“A prova de hoje é aquela parte cansativa e intensa. Só tem coisas de cálculo, mas muitas questões interessantes”, disse a candidata Ana Vitória Lima, de 18 anos, após sair do local de prova, em Salvador, 2h após o início do segundo dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A estudante veio de Jequié, no sudoeste da Bahia, para fazer a prova deste domingo (10), no Colégio Estadual Central, no bairro de Nazaré, assim como fez no primeiro dia do teste. Ela pretende fazer o curso de direito.

“Já fiz o Enem ano passado e teve uma grande diferença. É uma coisa que é prática mas tinha muita questão difícil. Ainda assim, o primeiro dia foi pior do que esse, por causa da redação”, contou Ana Vitória.  O candidato Miguel Camai, de 22 anos, que pretende fazer o curso de história também comentou sobre a avaliação deste domingo. “A prova de hoje não é muito a minha praia, porque é a área de exatas. No geral foi legal. Comparado aos outros anos, foi bem ‘relax’. Sempre rola pegadinha no Enem, eles sempre colocam uma coisa bem mais pesada e outra bem mais ‘bestona'”, disse Miguel.

A estudante Trisica Caroline, de 19 anos, que busca uma vaga no curso de farmácia, disse que encontrou dificuldades na avaliação. “Eu achei difícil, não vou mentir, mas deu para fazer algumas coisas. Tinha questões mais fáceis, que praticamente foram dadas, mas em compensação tinham outras que eram bem difíceis. Espero ter ido bem”, falou. *Com informações do G1.


A Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC) empossou, nesta quinta-feira (7), nove dirigentes de Núcleos Territoriais de Educação (NTEs). A cerimônia, que contou com a presença do secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, foi realizada na sala de reuniões do gabinete da Secretaria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.

Foram empossados os dirigentes dos núcleos de Seabra (NTE 03), Serrinha (NTE 04), Valença (NTE 06), Teixeira de Freitas (NTE 07), Juazeiro (NTE 10), Itaberaba (NTE 14), Santo Antônio de Jesus (NTE 21), Jequié (NTE 22) e Senhor do Bonfim (NTE 25).

O secretário Jerônimo Rodrigues deu as boas-vindas aos novos colaboradores e falou da importância do trabalho deles para o bom funcionamento da Educação em seus respectivos territórios. “Os dirigentes dos núcleos são os secretários da Educação em seus territórios e que são importantes para fazer a Educação se desenvolver, ainda mais, em cada região. É essencial que eles tenham esse alinhamento com a Secretaria”, destacou.

A gestora do Núcleo Territorial de Senhor do Bonfim (NTE 25), Dourineide Conceição, disse que está entusiasmada com o novo desafio. “Estou muito feliz com a iniciativa da SEC em nos trazer até aqui para conhecermos toda a estrutura de funcionamento da Secretaria e saber como será o nosso trabalho. Percebi que a Secretaria está preocupada em melhorar a qualidade da Educação baiana e que existe um planejamento e direcionamento para nortear o nosso trabalho”, afirmou.

Hernane de Oliveira, dirigente do núcleo de Santo Antônio de Jesus (NTE 21), falou das perspectivas de atuação no núcleo. “As expectativas são as melhores possíveis para um futuro mais próspero na Educação e, pelo que percebi e ouvi do secretário, a área pedagógica é o principal foco da Secretaria e isso coaduna com as ideais da maioria dos demais representantes de núcleos e em especial para mim. Ao longo desses 30 anos de serviço entendo que a questão pedagógica é essencial e espero fazer um bom trabalho à frente do núcleo”, salientou o gestor.

Veja a lista dos empossados:


A Assessoria & Consultoria Brandão tem realizado diversos trabalhos em municípios baianos na área educacional em formações, palestras, processos seletivos dentre outras atividades. Nesta terça-feira (05), a empresa esteve no município de Presidente Tancredo Neves, onde realizou  o primeiro Encontro para orientação do Currículo Municipal, que aconteceu na Câmara de vereadores durante todo o dia  discutindo abordando temas  da BNCC – Base Nacional Comum Curricular –  que norteará a construção dos currículos municipais para  promover a equidade educacional.

O Secretário de Educação, Professor Antonio Osvaldo, fez a abertura do evento apresentando a equipe técnica e ressaltando a parceria que se consolidará a partir do Encontro. O Secretário ainda abordou que a transformação no fazer educacional de Presidente Tancredo Neves (PTN), está sob a responsabilidade da Assessoria Brandão, responsável pela orientação da reconstrução curricular e, ao mesmo tempo, salientou o comprometimento da BRANDÃO, evidenciado nos diálogos anteriores.

 A responsável pela Assessoria, professora Luciana Brandão,  tratou da responsabilidade na construção de um documento com bases legais, enfatizando a importância de uma discussão colaborativa no intuito de fomentar uma construção dialógica com a equipe da secretaria do município, no que concerne as especificidades locais, para que juntos possam Ressignificar  infâncias e juventudes.  Ainda tratando da extrema responsabilidade nessa reconstrução, trata da concepção de CURRÍCULO e  como o mesmo pode nortear o trabalho docente a partir de outras práticas e releituras educacionais.  No evento foi apresentada a equipe da BRANDÃO, que iniciará os trabalhos e as suas respectivas e valiosas contribuições.

Estiveram presentes no Encontro diversos profissionais da Assessoria Brandão: Doutores em Educação, Doutorandos, Mestres, Mestrandas, Especialistas nas mais diversas áreas (intérprete de Libras, assistente social, neuro psicopedagogos, dentre outros); nomes de grande referência na educação, dentre eles, Wagner Rocha Galvão, Renata Aparecida Jesus Ribeiro Silva Costa, Cátia Lago Menezes Costa, Luciana dos Santos Brandão, Adriana Cardoso Sampaio, Maria Edna de Novaes Miranda, Edna Rita Oliveira Lima, Maria José Moreira Santos, Fábio Mendes da Silva, Laodicéia Santos Brito, Loiane de Oliveira Santana Novaes e Juraci Reis Filho.

A professora Luciana Brandão em contato com o Itiruçu Online,  salientou  que os profissionais discutiram e discutirão nas mais diversas áreas. Educação Infantil, Educação do Campo, Educação Inclusiva, Educação Ambiental, Educação para as relações étnicas raciais e tantas outras abordagens específicas. PTN-Presidente Tancredo Neves, pode contar com a ASSESSORIA BRANDÃO para colaborar para a transformação na Educação do município. Está sendo um trabalho gratificante e que nos leva a uma trajetória de aprendizagem”, afirma Luciana Brandão.


O Ministro da Educação, Abraham Weintraub, falam sobre primeiro dia de provas do ENEM

Cerca de 3,9 milhões de pessoas fizeram hoje (3) o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os cerca de 1,2 milhão de faltosos representam 23% do total de 5,1 milhões de inscritos. Ao todo, 376 pessoas foram eliminadas por descumprirem as regras do exame. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).   “Deu tudo certo, foi tudo perfeito, funcionou tudo bem. Tivemos a mais baixa abstenção da história”, avaliou o ministro da Educação, Abraham Weintraub. A taxa é mais baixa que a de faltas no primeiro dia de prova do ano passado, quando 24,9% dos inscritos não compareceram ao exame.

O índice total de abstenções no Enem 2019 será fechado apenas após o segundo dia de aplicação, no próximo domingo (10). Quem não fez a prova neste domingo ainda poderá comparecer ao segundo e último dia do exame.

O ministro avaliou o número de eliminados como baixo. Neste ano, o Enem passou a ter uma nova regra, candidatos cujos aparelhos eletrônicos que emitissem qualquer som, mesmo dentro do envelope porta-objetos seriam eliminados.

Vazamento da prova

Uma foto da prova de redação do Enem vazou hoje nas redes sociais. Segundo Weintraub, as investigações, a cargo da Polícia Federal, indicam que a foto foi tirada por um aplicador de prova.

O ministro explicou que a suspeita de que tenha sido um aplicador se deve ao fato de que aparecem na imagem três provas de pessoas que faltaram ao exame e apenas aplicadores têm acesso ao caderno de provas de candidatos faltosos. A identificação é possível devido ao código de cada prova. “Houve a tentativa de macular, de colocar em xeque o Enem, ele foi um péssimo profissional, péssima pessoa ao fazer isso, mexe com a vida de 5 milhões de pessoas”, disse o ministro.  


A Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) prorrogou o prazo para solicitar a isenção da taxa de inscrição do Vestibular 2020 . Os interessados terão até o dia 30 outubro para fazer o pedido.

A seleção da isenção é voltada para pessoas que ainda não tenham o diploma de graduação, não estejam matriculadas em instituições de ensino superior e já tenham cursado ou estejam cursando o 3º ano do Ensino Médio ou equivalente. Depois de se inscrever, todos os concorrentes devem, obrigatoriamente, entregar a documentação comprobatória solicitada no edital, .

A publicação altera ainda o período de entrega dos documentos, que confirmam o perfil dos candidatos. Todos os selecionados deverão apresentar a documentação, solicitada no Edital 189/2019, junto à Comissão Permanente do Vestibular (Copeve), em um dos três campi da Uesb, de 6 a 18 de novembro.

Podem concorrer à isenção, os candidatos às cotas raciais e de escola pública e às cotas adicionais, ou seja, indígenas, quilombolas e pessoas com deficiência. O processo também é aberto a estudantes de cursos pré-vestibulares comunitários e populares sem fins lucrativos, servidores da Uesb e seus dependentes; servidor de empresa terceirizada que esteja servindo a Universidade; estagiários da Universidade; e servidores de outras Universidades Estaduais da Bahia e seus dependentes, como especifica o referido Edital.

Quem precisar buscar mais informações com a instituição, deve entrar em contato com a Copeve pelos telefones (77) 3261-8604, em Itapetinga; (73) 3528-9695, em Jequié, e (77) 3424-8757, em Vitória da Conquista, ou pelo e-mail [email protected]


A menos de uma semana para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cerca de 1,2 milhão de participantes ainda não sabem onde farão a prova, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Esses estudantes ainda não acessaram o Cartão de Confirmação da Inscrição, que está disponível na Página do Participante e no aplicativo do Enem, que pode ser baixado nas plataformas Apple Store e Google Play.

Segundo balanço divulgado hoje (28) pelo Inep, 3,9 milhões de participantes, o equivalente a mais de 76% dos quase 5,1 milhões de inscritos no Enem 2019, acessaram o Cartão até a manhã desta segunda-feira. Além do local de prova, os estudantes podem conferir, no cartão, o número da sala onde farão o exame; a opção de língua estrangeira feita durante a inscrição; e o tipo de atendimento específico e especializado com recursos de acessibilidade, caso tenham sido solicitados e aprovados, entre outras informações. As provas serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro em 1.727 municípios brasileiros.

Declaração de comparecimento

Quem precisa comprovar presença no dia de prova do Enem deve imprimir a Declaração de Comparecimento personalizada, também disponível na Página do Participante. Para esses casos, de acordo com o Inep, é indispensável que a declaração seja impressa e entregue ao aplicador no dia do exame.

O instituto esclarece que não fornece comprovante de participação após o dia da prova. Para o primeiro dia do Enem, a declaração já está disponível. No dia 4 de novembro, dia seguinte ao primeiro domingo de aplicação do exame, o Inep disponibilizará a Declaração de Comparecimento do segundo domingo de provas, em 10 de novembro.

Recomendações

O Inep recomenda que os participantes imprimam o cartão de confirmação e, aqueles que precisam, imprimam a declaração de comparecimento e levem os dois para a aplicação do exame.

Uma vez sabendo o local de aplicação, a dica é que os participantes façam o trajeto de casa até o lugar, para avaliar a duração do trajeto no dia da prova. Isso para que os estudantes conheçam o percurso e saibam o tempo que vão gastar de casa até o local da prova.

No dia do Enem, a dica é chegar no local com antecedência. Os portões abrirão às 12h, pelo horário oficial de Brasília, e serão fechados às 13h.

Devido a diferenças de fuso horário no país, o Ministério da Educação (MEC) divulgou a hora local de aplicação do Enem em diferentes regiões.

Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir este ano pode usar as notas do Enem para se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior.

Os estudantes podem ainda concorrer a bolsas de estudo pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e a financiamentos pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).


Aplicativo de Celular ENEM 2019

Os cartões de confirmação de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 já estão disponíveis. Entre outras informações, os estudantes têm acesso ao local onde farão o exame neste ano. As provas serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro.

“A recomendação primeira é que o participante imprima o cartão de confirmação e, aqueles que precisam, imprimam a declaração de comparecimento e levem os dois para a aplicação do exame”, disse à Agência Brasil o diretor de Gestão e Planejamento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Murillo Gameiro.

Uma vez sabendo o local de aplicação, o diretor recomenda que os participantes façam o trajeto de casa até o lugar, para avaliar a duração do trajeto no dia da prova: “o participante deve conhecer o trajeto até o local de prova, considerando que no dia da prova vai ter um trânsito mais complicado, e haverá várias pessoas participando do Enem. É bom que o participante conheça o trajeto e saiba o tempo que vai gastar de casa até o local da prova.”

No dia do Enem, a dica é chegar no local com antecedência. Os portões abrirão às 12h, pelo horário oficial de Brasília, e serão fechados às 13h.

O Cartão pode ser consultado na Página do Participante, na internet, ou pelo aplicativo do Enem, disponível para download nas plataformas Apple Store e Google Play. Para acessar o Cartão, o participante precisa informar a senha cadastrada na hora da inscrição no Enem 2019. O Inep divulgou um vídeo orientando aqueles que perderam a senha sobre como recuperá-la.

Os estudantes podem conferir, no Cartão, o número da sala onde farão o exame; a opção de língua estrangeira feita durante a inscrição; e o tipo de atendimento específico e especializado com recursos de acessibilidade, caso tenham sido solicitados e aprovados; entre outras informações.

Declaração de comparecimento

Segundo Gameiro, além do cartão, o Inep disponibiliza hoje a declaração de comparecimento do primeiro dia do exame, que deverá ser levada no dia 3 de novembro. A declaração do segundo dia estará disponível a partir do dia 4 de novembro e deverá ser usada no dia 10 de novembro. Essa declaração precisa ser impressa e levada para a prova, quando será assinada pelo coordenador de local de prova. “Dependendo do regime de trabalho, algumas pessoas têm plantão no final de semana e precisam de declaração para ter a falta abonada. São casos específicos”, diz. Essas pessoas, de acordo com o diretor, devem ficar atentas pois o Inep não irá fornecer o comprovante de presença após o dia da prova.

O Enem 2019 será realizado em 1.727 municípios brasileiros. Cerca de 5,1 milhões de estudantes estão inscritos no exame.

Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir este ano pode usar as notas do Enem para se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior. Os estudantes podem ainda concorrer a bolsas de estudo pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e a financiamentos pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).


Nos dias 2 e 3 de outubro. os professoras e professores da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) paralisarão suas atividades por 48h para denunciar os ataques de Bolsonaro e Rui Costa.

Na Bahia, as Universidades Estaduais continuam a enfrentar contingenciamento orçamentário. Cerca de R$ 6 milhões não foram repassados para a Uesb das verbas de custeio até agosto. Há desrespeito aos direitos trabalhistas e problemas na permanência estudantil. O governo Rui Costa já iniciou um projeto de privatização na educação básica que segue a mesma linha do Future-se.

A greve nacional da educação já conta com a participação do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN), Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe), Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra), União Nacional dos Estudantes (UNE), Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), centrais sindicais e movimentos sociais. A adesão dos docentes da Uesb às mobilizações nacionais foi deliberada pela assembleia da Adusb do dia 18 de setembro.


A Professora Sheila Mascarenhas Tranzilo, dirigente Municipal de Educação de Planaltino e Coordenadora do Educavale – Fórum dos Secretários de Educação dos Municípios do Vale do Jiquiriçá – ,  juntamente com o professor Renê Silva,  Coordenador Pedagógico e Assessor Técnico do Educavale, participaram do IV Encontro Nacional da Rede de Colaboração Intermunicipal em Educação realizado em Curitiba – Paraná, no período de 27 e 28/09/2019. O objetivo do encontro foi reunir os líderes de Arranjos e Consórcios que compõem a Rede de Colaboração Intermunicipal em Educação e, também, outros líderes de Consórcios e de Arranjos que não a integram, mas que estão desenvolvendo ações conjuntas na Educação com o intuito de promover a troca de experiências em Regime de Colaboração, tema que vem ganhando força no cenário nacional como forma de alcançar uma educação pública de mais qualidade social e com equidade.

A palestra de abertura foi com o Professor Binho Marques, Ex-Secretário da extinta Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino (SASE) do MEC – Ministério da educação e Cultura.

Comitiva Baiana no Encontro:

Câmara Técnica de Educação do Consórcio Intermunicipal do Mosaico das APAS do Baixo Sul – CIAPRA Viviane Aragão, Diretora da Câmara Técnica do Ciapra, Eduardo Mendes DME de Igrapiúna e Secretário Executivo da CTE Ciapra, Secretário e Deusdete Júnior DME de Piraí do Norte e Membro do Comitê de Ética da CTE do Ciapra. Câmara Técnica de Educação do Consórcio de Desenvolvimento Sustentável do litoral sul da Bahia Luciano Veiga Secretário Executivo do CDS-LS, Cláudia Corrêa, Coordenadora da CTE CDS LS e Manoel dos Santos, Articulador Local da Estratégia de Educação do Instituto Arapyaú em apoio técnico à CTE do CDS-LS.

Arranjo de Desenvolvimento da Educação Agreste Litoral Ana Cristina Falcão, Coordenadora Pedagógica Territorial do ADE Agreste Litoral e Jean Cleverson Simões Rego, Secretário de Educação de Alagoinhas. Arranjo de Desenvolvimento da Educação da Chapada Diamantina, Enoque Francisco de Jesus, Secretário de Educação de Seabra e Fernanda Ramos de Novaes, Diretora de Relações Institucionais do Instituto Chapada de Educação e Pesquisa – ADE Chapada.

Fórum dos Secretários de Educação dos Municípios do Vale do Jiquiriçá – Educavale -, Sheila Mascarenhas Tranzilo, Secretária de Educação de Planaltino e Coordenadora do Educavale; e Renê Silva, Assessor Técnico do Educavale.

Para a professora Sheila Mascarenhas Tranzilo, Dirigente de Educação de Planaltino e Coordenadora do Educavale,  o evento foi muito significativo e de grande aprendizado. “Foram dois dias de muito conhecimento e troca de experiências. A proposta da Rede é fortalecer o trabalho colaborativo nos Territórios por meio dos ADES e dos Consórcios em Educação com ações que visam integrar, instrumentalizar e engajar os parceiros envolvidos”.

“O encontro proporcionou uma troca de experiências muito rica. Foi possível dialogar sobre as diferentes formas de gestão das iniciativas de articulação territorial e como potencializar esse trabalho. Saio muito animado, pois na Bahia o trabalho que o Educavale e a Undime estão fazendo está no caminho certo, e precisamos potencializar o diálogo com a Secretaria da Educação do Estado para transformar esse apoio à articulação territorial como política pública”, Renê Silva.