O Centro Universitário Uninta, em parceria com o Instituto Fátima de Gregorio, oferece novos cursos de graduação na modalidade do Ensino à Distância (EAD) para Itiruçu e região: pedagogia, história, matemática, geografia, educação física, Bacharelado em serviço social, Administração, educação física, Segunda licenciatura, Cursos de teologia em nível de bacharelado.

São oferecidos também cursos Tecnológicos em gestão hospitalar, recursos humanos, gastronomia dentre outros cursos de 18 meses.  As mensalidades são a partir de R$ 149,00. Todos os cursos devidamente certificados pelo MEC. Para obter mais detalhes, anote o número na imagem acima.


A secretaria da Educação do Estado da Bahia contará com o apoio do Ministério da Educação (MEC) para novos cursos de nível superior na rede estadual, além da liberação de recursos de emendas parlamentares. O acordo foi firmado durante a III Reunião Ordinária do Conselho Nacional de Secretários da Educação (Consed), realizada nesta segunda-feira (6), em São Paulo. O apoio do Ministério da Educação vai ao encontro da proposta de implantar na Bahia o curso superior de Tecnólogo na rede de Educação Profissional e Tecnológica, além de apoio também para a implantação do mestrado profissional na modalidade de Ensino à Distância (EaD) para professores da rede estadual. “O Ministério deve intermediar junto à Coordenação de aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) a organização deste mestrado profissional aqui na Bahia, uma vez que a Capes é uma fundação vinculada ao MEC. Também articulamos com o ministro a liberação das emendas parlamentares para o sistema de Educação do Estado da Bahia”, destacou o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, durante a reunião, que também contou com a presença do ministro Rossieli Soares.


O ministro da Educação, Rossieli Soares, anuncia mudanças no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) para 2019.

O ministro da Educação, Rossieli Soares, reafirmou hoje (6) que as bolsas de estudos de pós-graduação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) serão mantidas em 2019. Rossieli disse que está discutindo com o Ministério do Planejamento a garantia dos recursos necessários não apenas para a autarquia, mas para “todas as áreas da educação”.

“Vou sempre brigar por mais recursos na educação”, disse o ministro, ao participar de debate no  2º Congresso Internacional de Jornalismo de Educação, organizado pela Associação de Jornalistas de Educação (Jeduca). “As bolsas da Capes, até como dito pelo próprio presidente [Michel Temer], estão mantidas. Não haverá nenhuma descontinuidade nesse sentido, e garantimos que teremos todas as bolsas continuadas.”

O orçamento do Ministério da Educação (MEC) para 2019 entrou em foco quando o presidente do Conselho Superior da Capes, Abílio Baeta Neves, enviou carta ao ministro Rossieli Soares na qual dizia que tinha sido repassado à instituição um teto limitando o orçamento para 2019, que resultaria em um corte significativo, na comparação com os recursos deste ano, e na fixação de patamar inferior ao estabelecido pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). “Caso seja mantido esse teto, os impactos serão graves para os programas de fomento da agência.”

Na carta, a Capes afirma que o teto fixado poderia ter como consequência a suspensão das bolsas de 93 mil pesquisadores e de alunos de pós-graduação (mestrado, doutorado e pós-doutorado) a partir de agosto do próximo ano. O Conselho da Capes também previu o corte do pagamento para mais 105 mil bolsistas que trabalham e pesquisam com educação básica. A carta circulou nas redes sociais e serviços de mensagens instantâneas e provocou mobilização nas comunidades científica, tecnológica e acadêmica.

“O que o Conselho da Capes apresentou foi um alerta de que, se acontecer, poderá trazer prejuízos. Não está estabelecido e não será estabelecido. O MEC garante que, para as bolsas da Capes, teremos todo o orçamento necessário para a continuidade”, afirmou o ministro.

Orçamento

O Projeto de Lei Orçamentária Anual para 2019 ainda não foi divulgado oficialmente pelo governo federal. No Orçamento deste ano, o valor destinado ao MEC é R$ 23,6 bilhões. Para o próximo ano, a previsão é que a pasta fique com R$ 20,8 bilhões no Orçamento da União – um corte de 12%, que foi repassado proporcionalmente à Capes. A redução orçamentária é resultado da decisão de limitar a despesa pública instituída pela Lei do Teto de Gastos.

“O Brasil precisa ter controle de gastos, igual [ao] que tem em casa. Lógico que não pode gastar mais do que ganha”, afirmou Soares, que acrescentou: “Uma coisa é clara, não é necessariamente corte da educação. O Orçamento da Educação tem que ser igual ou maior [que o dos anos anteriores].”. Agência Brasil.


O governo está procurando uma solução para garantir o pagamento das bolsas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), disse hoje (3) o ministro da Educação, Rossieli Soares. Após reunir-se com o ministro do Planejamento, Esteves Colnago, Soares disse que o presidente Michel Temer lhe afirmou que não haverá cortes no orçamento do órgão no próximo ano.

“Estamos em um momento de limitações. É um momento difícil que o Brasil tem atravessado na economia, que traz reflexos ao limite [teto de gastos]. Mas é uma prioridade para o governo buscar uma solução para a educação. O presidente Temer falou sobre não ter corte para as bolsas. O governo vai trabalhar nesse sentido, para garantir as bolsas que são hoje destinadas à Capes”, declarou Soares ao fim do encontro.

Estudos

Segundo Soares, os ministérios da Educação (MEC) e do Planejamento estão elaborando estudos para serem apresentados ao presidente Temer. Ele acrescentou que uma decisão deve ser tomada na próxima semana, mas ressaltou que a manutenção das bolsas de estudo é prioridade nas discussões sobre o orçamento para a educação.

“Temos, até a próxima semana, uma série de estudos em conjunto que serão feitos pelo Ministério do Planejamento e pelo Ministério da Educação, apresentados ao presidente para tomada de decisão, mas já com esta garantia. Primeiro, de que vamos trabalhar na priorização da educação. E, certamente, com a prioridade mais alta dada pelo presidente sobre as bolsas da Capes”, disse.

Ele relatou que estava discutindo a situação da Capes com o presidente há alguns dias, antes de a questão tornar-se pública. Ontem (2), o presidente da Capes, Abilio Baeta Neves, enviou um ofício a Soares informando que, caso não haja mudanças na proposta para o Orçamento de 2019, o órgão terá de suspender o pagamento de cerca de 200 mil bolsas de estudo e pesquisa a partir de agosto do próximo ano.

A proposta de Orçamento Geral da União de 2019 ainda está em discussão e só será enviada ao Congresso Nacional no fim de agosto. Logo após a divulgação do ofício, os ministérios da Educação e do Planejamento divulgaram nota conjunta em que informaram que o orçamento do MEC no ano que vem deve ser reduzido “em razão das restrições fiscais”, mas sem entrar em detalhes.

Cortes

De acordo com a Capes, existem 93 mil bolsistas de mestrado, doutorado e pós-doutorado no país. O órgão também paga bolsa a 105 mil professores do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), do Programa de Residência Pedagógica e do Programa Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor).

Além da suspensão das bolsas, o corte na verba, informou a Capes, paralisará o Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) e os mestrados do Programa de Mestrado Profissional para Qualificação de Professores da Rede Pública de Educação Básica (ProEB), que atendem a 245 mil pessoas. As ações de fomento no exterior também seriam atingidas.

Nos últimos anos, a verba da Capes tem sofrido reduções. Em 2015, o órgão executou R$ 7 bilhões, valor que caiu para R$ 4,6 bilhões em 2017. Para este ano, o orçamento do órgão prevê R$ 3,9 bilhões. Agência EBC.


“Números são complicados pra mim porque sou de Humanas”. Essa e outras frases similares foram ouvidas pelo CORREIO diversas vezes ontem, enquanto entrevistava estudantes na porta de duas escolas. O que os alunos não sabiam é que, longe de ser uma piada, dados comprovam que os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na Bahia tiveram melhor desempenho na prova de Ciências Humanas e Suas Tecnologias em 2017.

O CORREIO solicitou ao Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) informações sobre o resultado dos estudantes baianos no exame do ano passado e descobriu que o melhor desempenho no estado foi em Humanas.

De acordo com o levantamento, 332 mil candidatos fizeram a prova de Ciências Humanas na Bahia, em 2017. O valor médio das notas dos estudantes ficou em 506, à frente de Linguagem, Códigos e suas Tecnologias (502), Ciências da Natureza e suas Tecnologias (496) e Matemática e suas Tecnologias (479).

Os percentuais são menores que os nacionais. Em todo o país, o valor médio de Ciências Humanas foi de 521,0 – também maior do que Linguagem e Códigos (514,9), Ciências da Natureza (506,3) e Matemática e suas Tecnologias (502,7).

Faça simulados aqui.

A maior nota na Bahia na área de Humanas foi  845, e a menor, 320. Em todo o país, o melhor resultado foi de 868, e o pior, 310. Para evitar distorções, foi usado o conceito de ‘Mediana’, ou seja, foram desconsiderados os percentuais mínimos e máximos do exame, onde ficaram poucos estudantes, e calculado o valor médio em cima do universo em que ficou a maioria dos candidatos.

Mas calma, porque acabaram as contas. Agora, vamos às histórias. O candidato baiano com o melhor resultado na prova não teve o nome divulgado, mas estuda no Colégio Militar, tem 18 anos, e se autodeclara negro. Ele nasceu em Fortaleza (CE) e fez a prova na Bahia.


O estudante da rede estadual de ensino, Gabriel Bergue, 17, que cursa o 2° ano no Colégio Estadual Eurides Santana, localizado em Poções (451 km de Salvador), conquistou o primeiro lugar no Campeonato Brasileiro de Cubo Mágico 2018, na categoria “cubo com os pés”, realizado na semana passada, na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais. Na competição, reconhecida pela Associação Mundial de Cubo Mágico (WCA), o estudante atingiu um novo recorde, quando obteve o terceiro melhor tempo feito na história do país, com 41 segundos. O recorde anterior era de 44 segundos nesta categoria.

Esta é a segunda vez que Gabriel participa do campeonato. No ano passado, ele havia conquistado o segundo lugar na mesma categoria. “Estou muito contente e satisfeito de ter atingido o primeiro lugar e ganhado uma medalha de ouro. Agora, pretendo promover um workshop na escola para ensinar as técnicas a outros estudantes e, também, promover um campeonato local”, comemora o estudante, ao revelar que aprendeu a montar o cubo em 2016, através de amigos e vendo dicas na internet.

Ele também afirma que o esporte traz alguns benefícios para os estudos. “O esporte tem contribuído muito para o meu desempenho nas disciplinas exatas, principalmente Matemática. Além do raciocínio lógico, o esporte ajuda a estimular a memória cognitiva e contribui para termos uma melhor atenção e concentração”, pontua o estudante.

Ainda este ano, Gabriel participará de mais três competições: o Campeonato Vila 2018, em Salvador; Brasília Springs 2018, em Brasília, e o Campeonato Sul-Americano 2018, em São Paulo.


A prefeitura de Itiruçu,  firmou, durante esta semana, uma nova parceria com a Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), através do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor).  O convênio da prefeitura com o Parfor é com o intuito de investir na qualificação dos professores e melhoria da educação básica do município.

Em uma reunião realizada na Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SEMEC), a prefeita Dra. Lorenna Di Gregório juntamente com a secretária de educação Ana Paula Santos Oliveira Silva e a coordenadora do Parfor UEFS,  professora Dra. Nadja Maria Lima Maciel, assinaram o Termo de Adesão e Convênio de compromisso da prefeitura, destacando a boa infraestrutura do espaço para que as aulas aconteçam e condições de ofertar o curso de Pedagogia na cidade assim como a hospedagem, alimentação e transporte para os formadores da universidade. A Aula Magna do Parfor UEFS acontecerá no dia 14 de setembro de 2018 com a presença de professores, reitor e autoridades locais.

O Parfor é um programa implantado/desenvolvido com o objetivo de contribuir para que os professores em exercício na rede púbica de educação básica tenham acesso à formação de nível superior exigida na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). Por meio do programa, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) financia cursos de licenciatura gratuitos e de qualidade, destinados, exclusivamente, aos professores que estejam no exercício da docência na rede pública de educação básica de Itiruçu e demais municípios brasileiros.

Na cidade de Itiruçu duas turmas tiveram parceria com Uesb. Uma já formada e outra em curso. A primeira iniciou-se em 2014 e a segunda em 2016. A Uesb, no entanto, não continuará com formação de novas turmas neste ano de 2018 no Polo regional.  A Universidade Estadual de Feira de Santana  firmando parceria com Itiruçu continua com uma universidade renomada e respeitada na educação do estado.


O trabalho científico intitulado “Equoterapia: contribuições no desenvolvimento biopsicossocial do autista”, resultado do Trabalho de Conclusão de Curso da psicóloga e equoterapeuta Kaliandra Souza Lula (autora) com contribuições da psicóloga e equoterapeuta Valéria Gomes da Silva (coautora), convertido em artigo e submetido a apresentação pelo professor Mestre em Letras Jucenilton Alves dos Santos (coautor) recebeu a premiação de Menção Honrosa pela classificação em 1° Lugar no III Simpósio Baiano sobre Transtornos do Neurodesenvolvimento/UESB.

 

O evento ocorreu nos dias 23, 24 e 25 deste mes  no Centro de Cultura Antônio Carlos MagalhãesMagalhães em Jequié e trouxe como tema “Autismo, Paralisia Cerebral, TDAH e suas Interfaces” e foi realizado pelo Grupo de Pesquisa Neurogenômica e Biologia de Sistemas, do Departamento de Ciências Biológicas (DCB) da Uesb, em parceria com a Sociedade Brasileira de Genética (SBG), com a Secretaria Municipal de Educação e com o Programa de Pós-Graduação em Química.


O Instituto de Educação Social e Tecnológico-IESTE- Núcleo de Jaguaquara,  promoverá no dia 16 de Setembro  o Seminário Temático sobre Neurociências & Educação, visando uma ampla reflexão sobre o processo de aprendizagem no intuito de enriquecer as discussões sobre o ensino. A mediadora deste evento é Neuropedagoga e Psicopedagoga Prof. ° Cristina Val Monteiro uma referência em todo Vale do Jiquiriçá.

O evento conta com a organização e coordenação da prof. Vanynha Pedrosa.
Para mais informações: (73) 3534-3759/ 99163-1419 WhatsApp.


Cerimônia formou 104 novos proerdianos em Itiruçu. Fotos Itiruçu Online.

Uma nova turma de estudantes da rede municipal de ensino foi certificada pelo Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) desenvolvido pela Polícia Militar da 93ª CIPM, em parceria com a Secretaria de Educação do município. Esta é a 3ª formação do Programa na cidade, sendo a 1ª certificada em 2016.

A formatura dos 104 novos proerdianos ocorreu  nesta sexta-feira (20), no Salão da Casa de Cultura, certificando crianças e jovens que vão atuar como agentes multiplicadores na prevenção e combate ao uso de drogas e atos de violência. Os alunos são das turmas formadas nas escolas Maria Rita de Novaes e Manoel Pires da Silva.

Equipes escolares festejaram formatura do Proerd.

A Cerimonia contou com as presenças do Major comandante da 93ª CIPM, Horoney Silva Santana; PM tenente José Ronaldo Moreira, coordenador do Proerd e comandante do 2º pelotão da PM de Itiruçu; Capitão Leonardo Oliveira; da prefeita Lorenna Di Gregorio e a secretária de Educação Ana Paula Oliveira, além  de CAB Cibele Alves e Lucas Xavier,  orientadores do Proerd.  Apenas o vereador Aílton Oliveira prestigiou o momento de cidadania. Além das instituições de ensino do município, o Conselho Tutelar esteve representado no ato.

Programa de resistência às drogas forma mais uma turma de alunos das escolas públicas

O Proerd é desenvolvido pela 93ª CIPM desde 2016 nas cidades de Maracás, Planaltino, Lafaiete Coutinho, Lajedo do Tabocal e Itiruçu; e desenvolve ações de prevenção ao uso de drogas nas escolas e comunidades das quais fazem parte, por meio da aproximação entre policiais militares e integrantes das comunidades de bairro. A equipe do Proerd é composta pelo Tenente Moreira como coordenador e pelos instrutores CB Cibele, CB Dias e o SD Xavier, ambos da  93ª CIPM.
Os jovens assimilaram, nas escolas, conhecimentos sobre os efeitos nocivos do uso de drogas; ações de cunho preventivo mediante a participação dos profissionais de educação e das famílias dos alunos; interatividade com órgãos de saúde e segurança pública, entre outras iniciativas orientadas pela PM.

A formatura dos multiplicadores, na presença dos dirigentes do Proerd e profissionais de escolas públicas é um momento de confraternização entre os agentes e os instrutores do programa e de reforço da proposta de valorização da vida. Os alunos receberam certificados de conclusão do programa e foram premiados com brindes para os destaques na formação específica.