As mobilizações pela passagem do Dia Nacional da Consciência Negra na Bahia, no sábado (20), atraíram uma série de ativistas, organizações da sociedade civil e do poder público, refletindo sobre conquistas e desafios para a promoção do povo negro. Com pequenas concentrações e cuidados sanitários por conta da pandemia, as atividades lembraram a trajetória do líder Zumbi dos Palmares, ícone da trajetória pela liberdade do povo negro, reforçando as lutas atuais por igualdade racial.

Em Salvador, uma das principais agendas foi a 13ª Lavagem da Estátua de Zumbi dos Palmares, com o tema “Vidas Negras importam: todos contra a Covid-19 em defesa do SUS”, evento realizado pela União de Negras e Negros Pela Igualdade (Unegro) no Pelourinho, em parceria com entidades do movimento social e Governo do Estado.

“A Lavagem representa a continuidade das lutas contra o racismo e em defesa da vida da população negra. Celebra a nossa ancestralidade, a nossa memória e atualiza os desafios da luta contra o racismo hoje”, afirmou a presidente nacional da Unegro, Ângela Guimarães, pontuando que as barreiras históricas pela equidade racial estão presentes principalmente no mercado de trabalho.


Na Bahia, o mês de novembro vem mantendo a tradição em reafirmar a luta e a resistência do povo negro. No teatro Castro Alves (TCA), na noite  da segunda-feira (8), aconteceu a sexta abertura oficial do Novembro Negro. O evento realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretária de Promoção de Igualdade Racial (Sepromi), diferente do ano passado, que por conta da pandemia foi realizado de maneira virtual, seguiu os protocolos sanitários, com limitação de público, e contou com a apresentação de peças da campanha institucional contra o racismo e homenagens a personalidades que contribuíram com a implementação de políticas afirmativas no estado.
Com o tema “Com racismo não há Democracia”, o evento foi transmitido ao vivo pela TVE e contou com os shows do bloco afro Ilê Aiyê, DJ Belle, Gerônimo, Bando de teatro Olodum que animaram o público presente no teatro.
No discurso de abertura do evento, a secretária de Promoção da Igualdade Racial, Fabya Reis, homenageou todos os ex-secretários da pasta, além de ressaltar os 15 anos de políticas afirmativas na Bahia, único estado que preserva uma Secretaria específica para tratar da questão racial. “Novembro negro traz ao TCA o conjunto das ações realizadas pelo governo do estado, numa ação transversal que já perdura 15 anos de promoção da igualdade racial, em parceria com nossos colegas secretários e secretárias, através do nosso conselho e com o apoio dos movimentos sociais baianos. Hoje, o espetáculo tem um sabor especial, essa emoção de celebrar a vida. Na oportunidade, vamos celebrar também os termos de formalização do edital “Década Afrodescendente”, que vai minorar os efeitos econômicos da pandemia em nossa população negra”, ressaltou a secretária.



A TV Educa Bahia vai apresentar, neste fim de semana, uma programação diversificada, que alia educação, cultura e aprendizagem. Durante todos os dias, a TV Aberta  transmite videoaulas dos diferentes componentes curriculares e programas, em parceria com o Canal Futura da Fundação Roberto Marinho. A grade promete levar o telespectador a grandes aventuras no mundo do conhecimento.

Neste sábado (26), o programa “Show da história” conta a história do começo da república brasileira, tendo como foco o segundo presidente do país, Floriano Peixoto. A série faz um retrospecto e mostra que o povo foi mantido de fora das decisões sobre o nascimento de nossa República.  No mesmo dia, vale conferir o curta metragem de Camila Shaw, “Olhar feminino: uma construção masculina”. O curta realiza um debate sobre a realidade de mulheres no fotojornalismo e na fotografia documental. Uma outra boa opção é o filme “A academia das musas”, com direção de José Luis Guerín, que tem a narrativa focada em um professor de Filologia que é questionado por sua companheira a respeito de seu novo projeto pedagógico.

No domingo (27), o destaque da programação é o filme “Tarja branca”, apresentado no programa “Cineclube futura”. Com direção de Clóvis Rhoden, o documentário debate como as brincadeiras infantis fazem parte da formação social, intelectual e afetiva, mostrando como acontece a socialização através delas e define hábitos culturais da vida adulta. “Tarja branca” é considerado um manifesto da importância de continuar sustentando um espírito lúdico, que surge na infância e que o cotidiano impele a abandonar na vida adulta.

O final de semana também traz aulas do Ensino Médio, que acontecem de 8h às 10h30 (1° ano); das 10h30 às 13h (2° ano); e das 14h50 às 17h30 (3° ano). Para os estudantes do Ensino Fundamental são transmitidas aulas da faixa “Vamos aprender”. O 4 ° e 5° ano têm programação das 13h às 13h30; o 6° e 7° ano, das 13h30 às 14h10; e o 8° e 9° ano, das 14h10 às 14h50.

Para assistir on-line, ver os canais e obter mais informações, acesse: educabahia.ba.gov.br


Artistas de Jequié fazem shows de São João transmitidos pela internet até sábado (25). As apresentações começaram na terça-feira (22) e seguem até sábado. As transmissões são através do canal da Prefeitura de Jequié na internet. Promovido pela prefeitura, o evento conta com a participação de bandas, cantores solos, trios de pé de serra, apresentação de quadrilhas, dançarinos de forró e outros artistas da cidade.

A organização afirma que os participantes passam por testes rápidos para identificação de possíveis casos de Covid-19 e, desta forma, evitar a disseminação da doença.

A prefeitura ressalta também que todos os protocolos de saúde estão sendo seguidos e permanecerão mantidos ao longo da realização das apresentações.

Confira a programação:
QUARTA – 23/06

Já realizadas

QUINTA (24)
19h – Palmeiron Andrade e Banda Cumpadi Pêdo
20h – Quadrilha Junina – Jovem no Estilo
20h30 – Trupe Bestageando Canta e Conta a História do São João
21h – Forróbodo
22h – Grupo de Dança – Aulão Show
22h30 – Forrozão Marajá – Clip Musical de Nuno Menezes
23h30 – Trio – Vanile Samara
00h – Cordelista – Jorge Luis Rosa
00h30 – Paulinho Santana e Canções Nordestinas

SEXTA (25)
19h – Casaduzoto
20h -Trio Cris Concalves
20h30 – Guig do Bem: Binha Morbeck, Pedro Macaxeira, Caio Monteiro, Docinha, Jucimar Chapeu de Couro, Roberto Lisboa, Edmundo Forrozeiro, Nathali Morbeck
22h – Grupo de Teatro-Edsan
22h30 – Cordelista- Adriane Melo
23h – Trio Kinho e Cla
23h — Marcos Belchote

SÁBADO (26)
19h – Embalo 4
20h – Janilson e Grupo Chamego
20h30 – Bruna Cascais
21h30 – Cordelista – Val Rodrigues
22h – Trio Diego Novaes
22h30 – Nil Teles e Trio
23h00 – Renatinho Forrozeiro


LIVE do ED MORENO; um Show de emoções! O melhor das Lives ficou para CURTIR em família!

ED MORENO em um dos shows mais emocionantes do ano. Além dessa grande festa, será um dia de grandes surpresas e você não perde por esperar. 

 Junte a família e vá pra frente da TV pra cantar em coro os grandes sucessos que embalam amores e grandes histórias por todo o Brasil!

 Para curtir, inscreva-se no canal: CLIQUE AQUI


O carnaval é considerado a maior comemoração popular do país. É o momento esperado por muita gente para viajar e aproveitar intensamente a folia. A tradição brasileira reúne multidões em diversas cidades – cenário perfeito para a transmissão generalizada do novo coronavírus. A questão sanitária resultou no cancelamento da festa deste ano.

A preocupação com a inviabilidade de grandes carnavais já estava em discussão desde o ano passado, quando governadores e órgãos de turismo e saúde se reuniram em diversos estados para discutir o cenário. Algumas das maiores festividades de rua do Brasil, como as das cidades de São Paulo, Salvador e Rio de Janeiro já tinham sido avaliadas como impraticáveis, quebrando tradições que duravam mais de um século.

O prejuízo causado pelo cancelamento não se resume à saudade da folia. O carnaval movimenta a economia brasileira e é, em muitos pontos turísticos, o ápice de arrecadação anual e a maior oportunidade de novos negócios para micro, pequenos e médios empresários. Entretanto, a preocupação com a possibilidade de contágio acelerado de covid-19 em decorrência do carnaval resultou em medidas severas para o período.

Trabalhadores de diversos setores que dependem da movimentação comercial gerada pelo turismo e pelo consumo do carnaval buscam alternativas e apoio do governo para mitigar o impacto das perdas financeiras inevitáveis.

Salvador


O Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura (SecultBA), atingiu com os editais do Programa Aldir Blanc Bahia todos os 27 Territórios de Identidade do estado. Cumprindo, dessa forma, o Plano de Aplicação aprovado em setembro de 2020 pela Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo – MTur. Somente com os editais a SecultBA e suas unidades vinculadas executaram mais de R$ 92 milhões no inciso III da Lei Aldir Blanc (LAB), para cerca de 1870 projetos que foram pagos até o dia 31 de dezembro de 2020, ou empenhados para pagamento em janeiro de 2021.

Os certames estão sendo coordenados pela Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult/SecultBA), pelo Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) e pelas unidades vinculadas: Fundação Pedro Calmon (FPC); Fundação Cultural do Estado da Bahia e pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac). Todos os recursos são via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.

TERRITORIALIZAÇÃO – A SecultBA lançou em 29 de setembro de 2020 o Programa Aldir Blanc Bahia contendo os editais, Prêmio Cultura Viva Bahia 2020 pela Sudecult (SecultBA) o Prêmio das Artes Jorge Portugal e Prêmio de Exibição Audiovisual, pela Funceb; os Prêmios de Preservação dos Bens Culturais Populares e Identitários da Bahia Emilia Biancardi 2020 e o chamamento público Preservação das Matrizes Identitárias Jaime Sodré 2020, pelo CCPI; o Prêmio Fundação Pedro Calmon, pela FPC e o chamamento público Salvaguarda Patrimônio Imaterial, pelo IPAC.


A Educadora FM realizou neste sábado (12), a final entre as 14 músicas selecionadas no 18º Festival de Música da emissora pública da Bahia. As nove (9) músicas com letra e as cinco (5) músicas instrumentais disputam os prêmios em seis categorias. A escolha contou votação do público.

As 14 músicas FINALISTAS do 18º Festival de Música Educadora FM foram divididas em duas categorias – Música com Letra e Música Instrumental.  Esta edição é a maior da história, com 1.216 fonogramas registrados por 962 candidatos.

Quem disputou na categoria instrumental foi o itiruçuense Tarcísio Santos, vencida na preferência do Púbico com a Música Choro Xaxado, ficando em 1º lugar na categoria.  Tarcísio agradeceu ao público depois de acompanhar o resultado que lhe deu o premio de campeão do maior festival de música da Bahia.

-Obrigado a quem sempre me incentivou, quem esteve presente em bem querer, quem votou, enviou mensagens mesmo antes de qualquer resultado objetivo, e quem continua torcendo para que novos voos sejam patrocinados. Quem tá na luta cotidiana sabe o quanto essa vitória é importante. Choro Xaxado conquistou o prêmio de melhor arranjo no 18° festival de música Educadora FM. Mais uma vez gostaria de agradecer publicamente aos amigos e grandes músicos que fizeram essa música acontecer de forma tão solar, possível, apenas, com os seus toques singulares: jelberoliveirabruno_aranhaninobezerrabass e sebastian_notini– Postou Tarcísio Santos.

A premiação:

A melhor música com letra (R$ 12.000,00), melhor música instrumental (R$ 12.000,00), melhor intérprete vocal, cantor (a) ou grupo vocal, (R$ 6.000,00), melhor intérprete instrumental (R$ 6.000,00), melhor arranjo para música instrumental (R$ 6.000,00) e melhor arranjo para música com letra (R$ 6.000,00).


O Festival de Música Educadora FM deste ano alcançou um novo recorde em seus 18 anos. Esta edição é a maior da história, com 1.216 fonogramas registrados por 962 candidatos.  Ano passado, o evento teve 631 composições inscritas, o que representa quase a metade deste ano. O festival é a maior premiação da música na Bahia, movimentando toda a cadeia produtiva do setor e permitindo a participação de qualquer compositor nascido na Bahia ou que resida no Estado há pelo menos 2 anos.

O músico itiruçuense Tarcísio Santos representa o interior da Bahia entre as cinco melhores na categoria instrumental.  A composição do artista é a CHORO XAXADO.

A Educadora FM 107.5 anunciou as 14 músicas selecionadas no 18º Festival. As nove músicas com letra e as cinco músicas instrumentais disputam os prêmios em seis categorias. A possibilidade de votar nas categorias “Música mais votada pelos ouvintes com Letra e Instrumental” continua no www.festivaleducadora.com.br até o dia 10 de dezembro, às 23h59. ⠀⠀⠀⠀⠀

As 14 músicas FINALISTAS do 18º Festival de Música Educadora FM estão divididas em duas categorias – Música com Letra e Música Instrumental – e apresentadas em ordem alfabética.

A Escolha será feita pelos internautas através do site da educadora- CLIQUE AQUI

O concurso abre espaço para obras musicais inéditas e tem prêmios que variam de R$ 1 mil a R$ 12 mil. Na primeira etapa, foram  selecionadas as 50 gravações que estarão na programação da Rádio Educadora FM 107.5. Após essa fase, serão escolhidas 14 finalistas, sendo 05 músicas instrumentais e 09 músicas com letra. Por meio da internet, os ouvintes poderão escolher as melhores canções pelo voto popular nas categorias “Música com Letra” e “Música Instrumental”.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Ao final, a Comissão Julgadora vai selecionar 6 vencedores, que receberão os seguintes prêmios: melhor música com letra (R$ 12.000,00), melhor música instrumental (R$ 12.000,00), melhor intérprete vocal, cantor (a) ou grupo vocal, (R$ 6.000,00), melhor intérprete instrumental (R$ 6.000,00), melhor arranjo para música instrumental (R$ 6.000,00) e melhor arranjo para música com letra (R$ 6.000,00).