Campanha de vacinação contra a Aftosa na Bahia vai até dia 30 de Novembro

aftoosa

A segunda etapa de vacinação contra a febre aftosa de 2014 começou no sábado (1º) e vai até o dia 30 de novembro em toda a Bahia. Cerca de 4.315.718 bovinos e bubalinos com idade até 24 meses precisam ser vacinados. A meta da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), vinculada à Secretaria Estadual da Agricultura (Seagri), é ampliar cada vez mais a cobertura vacinal, mantendo a imunidade elevada do maior rebanho do nordeste, com 10.837.689 bovídeos existentes.

Nesta etapa, cerca de 6,5 milhões de cabeças com idade superior a 24 meses ficam isentas de serem vacinadas. Isso representa uma redução direta da ordem de mais de R$ 15 milhões para os criadores nos custos da produção da pecuária baiana.
Na avaliação do Secretário de Agricultura, Jairo Carneiro, o governo do Estado, em conformidade com as determinações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), adotou medidas padronizadas e uniformes que contribuíram para as conquistas, desde o status de Livre de Febre Aftosa com Vacinação, em maio de 2001, até a redução da faixa etária vacinal em 2013 e a extinção da Zona de Proteção este ano.

“O maior benefício do nosso trabalho é tornar efetivamente igualitário o negócio pecuário baiano, para podermos ofertar as mesmas condições aos grandes e pequenos criadores de todo o território baiano, demonstrando que, quando há integração entre governo e setor produtivo, os ganhos são de todos e sempre em prol do homem do campo”, disse o secretário ao reafirmar também o compromisso com o pequeno criador da agricultura familiar.

Para o presidente da Federação da Agricultura do Estado da Bahia (Faeb), João Martins, e a superintendente federal do Mapa/SFA na Bahia, Virgínia Hagge, acreditam que as atividades para garantir a sanidade do rebanho baiano vêm sendo consolidadas a cada ano pelo Governo Federal e Estadual por meio de políticas públicas e os criadores já entendem a importância de vacinar o rebanho. “Temos que continuar unindo esforços e compartilhando responsabilidades”, acrescenta João Martins ao solicitar o empenho dos criadores.

No prazo de 15 dias após a aplicação da vacina, os criadores devem comparecer nas unidades da Adab, munidos da nota fiscal de compra, para declarar todo o rebanho de bovinos e bubalinos, por sexo e faixa etária. Os produtores que não possuem animais nesta faixa etária (isentos da vacinação), também estão obrigados a declarar e atualizar seu rebanho, evitando desta maneira sanções administrativas previstas em lei.

O diretor geral da Adab, Paulo Emílio Torres, explica que ter uma boa base cadastral é extremamente importante para a manutenção do status sanitário, juntamente com o índice de imunização, a vigilância ativa e a fiscalização intensiva. “Por isso, o criador deve declarar também todas as espécies de animais existentes nas propriedades”, conclui Torres, já que o monitoramento dos dados é fundamental para a tomada de decisões e o norteamento das ações. “A cada degrau atingido na prevenção contra a febre aftosa, aumenta o compromisso dos criadores e seu empenho na vacinação dos seus animais para uma agropecuária ainda mais forte e segura”.

“Vacine e declare todo o rebanho. Não perca os prazos e datas limites, evitando assim as multas e penalidades”, concluiu o diretor de Defesa Sanitária Animal, Rui Leal, ao reforçar que a febre aftosa é uma doença altamente contagiosa entre os bovinos, bubalinos, suínos, caprinos, ovinos.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas