Brasil joga mal, mas salva 100% de Dunga em jogo de bizarrices

golbrasil

Teve gol em jogada de vôlei, goleiro destruindo a bandeirinha de escanteio e muita marcação. Teve muita dificuldade – muito mais do que esperado – e pouca criatividade. Teve pênalti infantil de Oscar e um grande susto. Mas também teve estrela brilhando – de jogador e, claro, de treinador -, e Dunga vai fechar o ano com 100% de aproveitamento em seu retorno à seleção. Graças ao golaço do novato Roberto Firmino, o Brasil garantiu o triunfo por 2 a 1 para cima da Áustria. David Luiz havia aberto o placar, e Dragovic tinha anotado para os austríacos. 

O duelo desta terça foi todo marcado pela pouca criatividade dos dois times. O Brasil foi facilmente parado pela forte defesa rival. Já a Áustria derrapou nas próprias pernas e protagonizou lances bizarros. Logo aos 5 minutos, por exemplo, Okotie protagonizou o primeiro pastelão. Após chuveirinho em cobrança de falta, o centroavante austríaco ganhou da zaga e colocou a bola nas redes. Só houve um problema: para conseguir fazer isso, Okotie teve que usar o braço – e os dois braços, em um digno lance de vôlei.

O Brasil pouco criou na etapa inicial. Os lances de mais perigo vieram na bola parada. No primeiro, Luis Gustavo chegou a acertar uma conclusão de cabeça na trave, mas o lance já não valia por conta de impedimento. Depois, David Luiz assustou em cobrança direta para o gol, mas acabou errando por pouco o alvo.

A falta de inspiração continuou na segunda etapa. O primeiro lance que animou um pouco mais a torcida saiu só aos 10 minutos, e não graças a uma grande jogada. Na verdade, saiu apenas graças a mais um pastelão austríaco. O goleiro Ozacan saiu com tudo do gol para tentar evitar um escanteio, se empolgou mais do que devia e acabou atropelando a bandeirinha de córner. Não adiantou de nada. A bandeirinha voou para longe, e o Brasil ganhou o escanteio do mesmo jeito.

De escanteio, aliás, o Brasil achou o gol. Em cobrança de Oscar pela esquerda, David Luiz deu um ‘puxão’ pouco discreto no zagueiro, mas contou com uma ‘ajudinha’ do juiz, que deixou o lance seguir. Sozinho, o zagueiro brasileiro cabeceou com perfeição, e a bola ainda pegou no chão e na trave, sem chances para o austríaco que tentava defender o lance em cima da linha.

O jogo parecia garantido. Só parecia. Aos 28 minutos, Weimann recebeu dentro da área e acabou derrubado em um carrinho para lá de infantil em Oscar. O juiz marcou a penalidade, e o zagueiro Dragovic bateu com categoria para deslocar Diego Alves e deixar tudo igual. Foi o primeiro gol sofrido pela defesa brasileira em toda ‘nova era Dunga’.

A salvação, porém, viria do pé de um novato. Aos 37 minutos, Roberto Firmino recebeu na entrada da área e encheu o pé. A bola fez uma curva lindíssima e entrou quase no ângulo, sem chances nenhuma para Ozcan.

A vitória fecha o ano de 2014 perfeito para Dunga. Depois do vexame na Copa do Mundo, o treinador voltou ao comando e conquistou seis vitórias nos seis amistosos que disputou.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas