Bolsonaro diz que não aceita intimidações e ataca Barroso: ‘desserviço à nação’

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a atacar o presidente do TSE (Tribunal Supremo Eleitoral), o ministro Luís Roberto Barroso, nesta terça-feira, 3. Em conversa com apoiadores na frente do Palácio da Alvorada, Bolsonaro afirmou que Barroso coopta membros da corte eleitoral e do Supremo Tribunal Federal (STF) para se opor a mudanças no sistema de voto com a urna eletrônica.

“O ministro Barroso presta desserviço à nação brasileira, cooptando agora gente de dentro do Supremo, né, querendo trazer para si, ou de dentro do TSE, como se fosse uma briga minha contra o TSE ou contra o STF. Não é. É contra ministro do Supremo que é também presidente do TSE querendo impor a sua vontade”, disse.

A declaração de Bolsonaro ocorre um dia após o TSE, na sua ação mais contundente até então, aprovar a abertura de inquérito e o envio de uma notícia-crime ao Supremo para que o chefe do Executivo seja investigado no inquérito das fake news por conta das alegações de fraude nas eleiçóes de 2014 e 2018.

Bolsonaro reagiu afirmando que não aceitará “intimidações” e voltou a usar tom de ameaça ao afirmar que pode convocar e participar de manifestações “para darmos o último recado para aqueles que ousam açoitar a democracia”.

“Repito, o ultimo recado para que eles entendam o que está acontecendo, passem a ouvir o povo. Constituição diz que todo o poder emana do povo. Eu jogo dentro das quatro linhas da Constituição. E o Barroso, tenho certeza, joga fora”, declarou.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas