Após processo eleitoral, Prefeitura de Irecê demite trabalhadores em massa

prefeitoirece

Desde o mês de agosto, a Prefeitura de Irecê começou a efetivar cortes em cargos comissionados e em contratos de Regime Especial de Direito Administrativo (Reda) e intensificou o processo de demissões após o período eleitoral.  Embora o secretário municipal de Planejamento e Administração, Francisco Barbosa, em entrevista ao Site Bocão News, não soubesse precisar o número de exonerados, nos bastidores da Câmara Municipal estima-se que algo em torno de 200 pais e mães de família perderam seus sustentos.

De acordo com o titular da pasta municipal, as demissões aconteceram após a análise das receitas e despesas da prefeitura e foram necessárias para que a administração honre todos os compromissos que foram firmados.  Mesmo com os cortes já feitos, a perspectiva para os próximos meses, não é das mais otimistas.

“Sempre cumprimos todos os nossos compromissos e a Prefeitura de Irecê tem essa marca. Enxugar a máquina tornou-se necessário para que continuemos honrando tudo o que foi acordado. O segundo semestre do ano para as finanças é quase sempre melhor do que o primeiro. Dezembro é melhor do que novembro, que é melhor que outubro, que é melhor que setembro. Verificamos que de setembro para outubro houve uma piora e, diante da situação, percebemos as necessidades dos cortes. A previsão é de que nos próximos meses, se o quadro continuar desta forma, mais demissões irão acontecer”, avaliou Francisco Barbosa.

vereador

Já para o líder da bancada da oposição na Câmara Municipal de Irecê, vereador Pascoal Martins (PCdoB), não há planejamento nem transparência da gestão do prefeito Luizinho Sobral. “Redas da gestão anterior, que poderiam ser renovados, foram desfeitos. Não sabemos ao certo o número de trabalhadores que foram demitidos porque a prefeitura não divulga no Diário Oficial. Estão dizendo que a folha está inchada, mas o estranho é que só perceberam isso agora, após as eleições. Oficialmente, nada foi dito até agora, apesar de estarmos batendo insistentemente nesta tecla na Câmara.  Agora, eles estão demitindo desta forma o que demonstra uma total falta de planejamento ou mesmo uma falta de vontade de fazer o correto. Estão descendo a madeira no povo”, criticou Pascoal Martins.

Nota do Bocão News.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas