Após morte por dengue hemorrágica em Jequié , prefeitura toma medidas de prevenção

jequie

Aconteceu na última  sexta-feira, 23, no gabinete da Prefeitura de Jequié, coletiva de imprensa com a prefeita Tânia Britto, o secretário de Saúde, Dr. Heber Araújo Filho, o secretário de Governo, Marcelo Aguiar, a diretora de Vigilância Epidemiológica, Priscilla Barros e a diretora de Vigilância Sanitária, Adélia Pita, a fim de apresentar o novo quadro da situação da Dengue no município de Jequié.

A dengue é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, e nos últimos 50 anos, teve sua incidência aumentada  30 vezes, devido a crescente urbanização. É estimado que 50 milhões de infecções por dengue ocorram anualmente.

Na região das Américas, a doença tem se disseminado com surtos cíclicos ocorrendo a cada 3 ou 5 anos. No Brasil, a transmissão vem ocorrendo de forma continuada desde 1986, intercalando-se com a ocorrência de epidemias, geralmente associadas com a introdução de novos sorotipos em áreas anteriormente sem incidência ou alteração do sorotipo predominante. O maior surto no Brasil ocorreu em 2013, com aproximadamente 2 milhões de casos notificados. Atualmente, circulam no país os quatro sorotipos da doença.

impresa

Em Jequié, através da realização do LIRA – Levantamento de Índice Rápido, realizado no período de 12 a 16 de janeiro de 2015, apresentou um índice de infestação predial – IIP de 6,31%, quando o Ministério da Saúde preconiza um índice abaixo de 1%.

No mês de Janeiro, já temos 45 casos suspeitos de Dengue notificados. Apresentando um aumento de casos no bairro KM 04, onde já foram notificados 33 casos, este bairro encontra-se com o IIP de 11,76%.

Os sintomas são febre com duração máxima de sete dias, com a ocorrência de pelo menos mais dois sintomas: cefaleia, dor nos olhos, manchas vermelhas, prostração e dores no corpo. Em caso de ocorrência desses sintomas o paciente deve procurar a unidade mais próxima de sua casa para o diagnóstico e tratamento adequado. É importante salientar que deve se evitar tomar remédios à base de ácido acetilsalicílico e deve-se também manter o paciente bem hidratado.

No ano de 2014 o problema tornou-se mais grave com a entrada de uma nova doença, transmitida também pelo mosquito Aedes Aegypti, a febre Chikungunya, uma doença parecida com a Dengue, causada pelo vírus CHIKV, da família Togavirida e que tem como sintomas seus sintomas são semelhantes aos da dengue: febre, mal-estar, dores pelo corpo, dor de cabeça, apatia e cansaço. Porém, a grande diferença da febre Chikungunya está no seu acometimento das articulações: o vírus avança nas juntas dos pacientes e causa inflamações com fortes dores acompanhadas de inchaço, vermelhidão e calor local.

DSC_7663

Tanto a dengue quanto a chikungunya são evitadas através do combate aos criadouros do mosquito. Deve-se evitar o acúmulo de água parada, como tanques descobertos, lixo a céu aberto, vasos de plantas, bebedouros de animais. Portanto recomenda-se manter areia nos pratinhos das plantas, lavar os bebedouros dos animais periodicamente e manter o lixo em vasilhames fechados, além dos tanques sempre cobertos.

De acordo com o secretário de Saúde, Heber Filho, várias ações estão sendo desenvolvidas nas localidades atingidas para reduzir o índice de infestação. “Estamos com equipes de educação e conscientização, orientando e limpando os bairros atingidos”, conclamou.

Para intensificar as ações de prevenção aos casos da doença a prefeita Tânia Britto reuniu a imprensa para pedir o apoio da comunidade na prevenção, combate aos focos nas residências e redução dos casos da doença no município.

Para Tânia Britto, o controle só é possível com a colaboração de todos. “A dengue é uma luta de todos, precisamos do seu apoio contra este mal”, afirmou a prefeita.

A Prefeitura de Jequié, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e Departamento de Vigilância Epidemiológica, vem executando ações como as visitas domiciliares para tratamento focal, realização de bloqueio químico com o inseticida nos locais onde foram notificados casos da doença, atividades educativas como palestras, salas de espera e mutirão de limpeza. Mas a participação da população é a maior arma no combate à doença, para tanto, é importante que a população seja nosso maior parceiro, tomando essas medidas preventivas em suas casas e mobilizando também seus vizinhos.

Neste sábado, 24, a partir das 7:30h, a Secretaria de Saúde estará realizando em parceria com as secretarias de Infraestrutura e Serviços Públicos, no bairro do KM 4, “Mutirão de Limpeza”, com o objetivo de retirar dos ambientes, objetos que possam acumular água e propiciar os focos do mosquito.

Telefones úteis:

Vigilância Epidemiológica: 3526 8932 / 8957

Central de denuncias: 3526 8911

Vigilância Sanitária: 3526 8944

Ouvidoria da Saúde: 0800 284 3800


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas