Ano letivo nas escolas estaduais começa com foco no fortalecimento das ações pedagógicas

O primeiro dia de aulas do ano letivo 2017 na rede estadual, nesta segunda-feira (6), foi marcado pelo acolhimento dos estudantes, por apresentações da equipe docente, hasteamento da bandeira e apresentações culturais. No Colégio Estadual Zumbi dos Palmares, no bairro de Tancredo Neves, em Salvador, por exemplo, a programação contou com a participação dos alunos do Circo Picolino e da arte com grafite do artista plástico Marcos Costa.

 

Na quarta-feira (8), as comemorações pelo início do ano letivo 2017 continuam com o Programa de Abertura, das 8h30 às 10h, no Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque, no bairro Caixa D’Água, em Salvador, com as presenças do governador Rui Costa e do secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro. O programa será transmitido ao vivo pela TVE e pelo Portal da Educação:www.educacao.ba.gov.br

 

Ao dar as boas-vindas à comunidade estudantil, o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, destacou as ações que estão sendo empreendidas para fortalecer a pedagogia nas escolas. “Faço uma saudação a todos os envolvidos na educação para que iniciemos um momento de transformação na educação da Bahia. Estamos preparando diversas ações que vão promover uma valorização e resgate do espírito da escola. A prioridade é ter coordenadores pedagógicos em todas as escolas. Acreditamos que a rede física é importante, mas a mudança real acontece com uma pedagogia forte, valorizando a identidade territorial das escolas”, afirmou.

 

A presença do coordenador pedagógico foi um dos assuntos mais comentados pelos diretores e professores na volta às aulas. Para a diretora do Colégio Estadual Davi Mendes, Marise Marques, este profissional tem um papel fundamental. “O coordenador pedagógico tem uma formação específica que irá contribuir para a melhoria da Educação”, considera. É o que também acredita a professora de Geografia do Davi Mendes, Maria São Pedro. “É imprescindível a presença do coordenador pedagógico nas escolas porque ele tem a função de dar o respaldo teórico às práticas pedagógicas, bem como de organizar e articular o pedagógico. Por estas e outras mudanças que acontecerão, este ano, a minha expectativa é bem positiva”, destacou.

 

O diretor do Colégio Estadual Senhor do Bonfim, Jener Freire, também comemora a decisão da Secretaria. “O coordenador pedagógico desempenha  um dos mais importantes papeis dos colégios”, acredita. A diretora do Colégio Duque de Caxias, Eliete Silva, completou: “O sonho do gestor é ter um corpo pedagógico na sua unidade para que ele possa agregar professores e estudantes e, assim, fortalecer o desenvolvimento das atividades”.

 

Reencontros – Entre os estudantes, o dia foi de reencontros e cheio de expectativas como explicou Janaína Pereira, 16 anos, 3º ano do Colégio Estadual Davi Mendes. “Este ano vai ser decisivo porque vou enfrentar as provas do ENEM e tentar fazer Medicina”, destacou. João Vitor Colavolpe, 12 anos, vai cursar a 6ª série e pretende redobrar a atenção aos estudos daqui para frente. “Estudo em uma escola boa e depende de nós para que ela seja cada vez melhor. Os professores aqui são comprometidos e isso nos incentiva mais a estudar. Quero realizar o sonho de me tornar advogado, que foi o desejo do meu pai, mas para ele não foi possível”, revelou.

 

INTERIOR – No interior, os estudantes também foram recepcionados com diferentes atividades nas unidades escolares. No Colégio Estadual Idelzito Eloy de Abreu, no município de Ituberá (168 km de Salvador), na região sul do estado, muitos familiares acompanharam seus filhos até a escola. Foi o caso de dona Carla Santana, mãe da estudante Verônica Santana, 15 anos, do 1º ano. “Já conheço a escola e tenho boas referências. Hoje vim conhecer seus professores, a sala de aula e participar desse momento de integração, que é muito importante”, afirmou.

 

Em Firmino Alves (519 km de Salvador), na região Sul do estado, Alef Davi Matos, 16, vai fazer o 3º ano no Centro Educacional Monteiro Lobato e falou sobre o que espera da escola. “Este ano quero aproveitar tudo que a escola tem a me oferecer, pois é meu último ano aqui. Foi ótimo reencontrar meus professores, a direção, o pessoal que cuida da escola e os meus colegas”, comentou. A estudante Cristiana Couto, 16, também vai fazer o 3º ano. Ela estuda no Colégio Estadual Geovânia Nogueira Nunes, na Cidade de Itatim, região centro norte do estado, e quer foco nos estudos. “A minha meta é tirar uma boa nota no ENEM e entrar na universidade. Quero me envolver mais nos projetos e nas atividades do colégio”, contou.


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas