A superação de Elvanio Coelho: De agricultor, Voluntário e Jardineiro em Upabuçu a Cirurgião Dentista em São Paulo

O Itiruçu Online inicia uma serie de reportagem com histórias de superação de pessoas de Itiruçu e região. Na primeira reportagem, contaremos a história de Elvanio Coelho, Upabuçuense que saiu de Jardineiro do Distrito de Upabuçu, Zona Rural de Itiruçu a Dr. em São Paulo.

De Família humilde, Elvanio desde criança se notabilizava com o voluntariado, onde realizava serviços voluntários, chegando a criar uma Associação de Moradores do Distrito. Concursado Jardineiro na prefeitura local, o jovem é mais um exemplo dos que sofreram com a forma perversa de fazer política: não vêm ao caso, a superação e a fé venceu os obstáculos.  Coelho decidiu então abandonar a função e mudar-se para São Paulo com foco de estudar e realizar o sonho. Além de Jardineiro, Elvanio também matinha outras habilidades na área da saúde, cursado em técnico de enfermagem, mas antes trabalhava na agricultura.

Os momentos difíceis vividos foram vencidos focados na educação que recebeu da família.  “Recebi uma educação muito severa dos meus pais e cresci aprendendo a valorizar cada coisa que tenho e a correr atrás dos meus objetivos. Aprendi que nada na vida vem tão facilmente e que o trabalho, a boa educação e o respeito ao próximo fazem de nós pessoas melhores”, disse.  

Ao Itiruçu Online, o agora Dr. formado em Odontologia, contou como venceu na vida e conseguiu alcançar os objetivos.

– Quando trabalhávamos na agricultura em Upabuçu, lembro que recebia R$7,00 por um dia de serviço das 07h00 as 17h00, não dava nem para comprar comida. Como morava com meus pais, éramos no total de oito pessoas, daí ajudava nas despesas da casa. Sempre estudei em escola pública e nunca encarei isso como barreira.  Resolvi fazer um curso de Técnico de enfermagem, que era meu sonho, porém, não tinha condições de pagar.  Foi então que decidi ajudar a enfermeira Nalva a formar uma turma para abrir uma escola em Itiruçu, onde consegui bastante pessoas. Ela (Nalva) me ajudou na matricula e fez um desconto, que na época, tive condições de pagar. Também sempre chegava mais cedo para arrumar a sala e varrer assim mantive o desconto até o final do curso. Terminei o estágio no Hospital de Itiruçu e continuei como Voluntário no centro Cirúrgico por quase 05 anos.  A área da saúde sempre foi meu objetivo.  Prestei concurso como Jardineiro para garantir emprego fixo e era a vaga que tinha na época, comecei a trabalhar como jardineiro e mantive o trabalho voluntário no hospital.  Tentaram me transferi para o hospital na época, mas devido perseguições políticas não deram oportunidade.  Vivia com um salário mínimo para sustentar minha família, pois havia casado recente e tinha uma filha que sustentava com ajudava dos meus pais.  As coisas foram apertando, como não tive oportunidade de atuar na área da saúde na minha cidade, resolvi por força maior ir embora para São Paulo e tentar uma melhora para ajudar minha família. Contei com ajuda de amigos, precisamente do Casal Antônio e Elisângela (prima), que foram passar férias em Upabuçu e cederam  a chave da casa  deles em São Paulo. Não conhecia São Paulo e decidi viajar apenas com uma mochila nas costas e 2 peças de roupas, além de meus livros e apostilas (não largava)… Chegando a são Paulo, comecei a espalhar currículos e enfrentei muita dificuldade. Não passava nas provas, então optei por ficar em casa  estudar. Passei 15 dias só estudando decidido a passar nas provas nos hospitais. Neste período me alimentava de Miojô; na época não tinha dinheiro.  Com 20 dias fui chamado para fazer uma prova no Hospital Santa Paula, filiado ao Sírio Libanês, então, consegui passar nas provas e comecei a trabalhar depois de 3 meses. Aluguei uma casa e busquei minha família que estava na Bahia. Logo em seguida passei em outra prova e comecei trabalhar em dois hospitais. Depois de 9 morando em São Paulo decidi prestar vestibular e optei por  odontologia. Escrevi-me numa prova na época, sem dinheiro, tomei emprestado para pagar a inscrição.  Havia escritos 65 pessoas para 18 vagas, a resposta da prova sairia depois de cinco dias, mas no mesmo dia recebi uma ligação avisando que tinha ficado entre os 18. Pra gloria de Deus, passei. Comecei a fazer a faculdade e trabalhar em dois serviços, ficou muito cansativo resolvi sair de um serviço e focar nos estudos, mas a mensalidade era maior que o meu salário, não poderia pagar. Foi então que solicitei o FIES e consegui concluir os estudos.  Hoje ainda estou trabalhando como Técnico no hospital Next Na Zona Sul de SP e estou atuando na minha área como Cirurgião Dentista numa clínica na Zona Sul de São Paulo. Continuo buscando uma especialização e também estudando Espanhol para ir prestar meus serviços voluntários a crianças carentes na cidade de Cultambo, no Peru. Só tenho a agradecer a Deus pela oportunidade.  Ele é fiel para os que nele confiam. Todo esforço foi e estar sendo válido. Busco  ser um profissional melhor. Não sou uma pessoa perfeita, mas estou todo o tempo buscando melhorar. Afinal, sabemos que o amadurecimento vem com o tempo e com as experiências: sempre busco aprender com as minhas.-

Dr.Elvanio Coelho Souza Santos

Cirurgião Dentista CRO-SP: 126521

Contato: WhatsApp:     (11) 95274-3916/ 5924-7696

Instagram: Dr. Elvanio Coelho


Comentários

Os comentários estão fechados.

Notícias Relacionadas